Alerta da FAO contra a Influenza Aviária

Na última segunda-feira, dia 29/08/2011, a agência da ONU para a Agricultura e a Alimentação (FAO) recomendou uma vigilância reforçada da influenza aviária, num momento em que uma nova cepa do vírus H5N1 foi identificada na Ásia. O alerta foi veiculado por diversos jornais nacionais e internacionais e pode ser conferido nos posts do Clipping CIEVS RIO neste mesmo Blog.

Atualmente, a nova cepa está circulando na China e no Vietnã, e para a ONU, a propagação do vírus no Vietnã representa risco direto para o Camboja, a Tailândia, a Malásia e também ao Japão e a Península Coreana. Outro motivo de preocupação é que aparentemente as atuais vacinas não garantem defesa à nova estirpe. Por esses motivos, os serviços veterinários do Vietnã estão em estado de alerta.

Voltando um pouco no tempo, podemos recordar que a presença do vírus da influenza aviária obrigou as autoridades a abaterem mais de 400 milhões de aves em todo o mundo desde 2003. A FAO informou que os surtos de gripe entre aves têm tendido a aumentar desde 2008, ano que marca o início de uma nova expansão geográfica do vírus H1N5, tanto em aves selvagens como em aves domésticas. O chefe de veterinários da FAO, Juan Lubroth, responsabiliza os fluxos migratórios das aves pelo ressurgimento do H5N1 nos últimos 24 meses em países que estavam livres do vírus há vários anos. Ele esclarece que as aves selvagens normalmente são responsáveis por introduzir o vírus, mas a atuação das pessoas ao nível da produção avícola e da respetiva comercialização é que pode determinar a sua propagação.

Na nota veiculada, ainda, a mesma agência das Nações Unidas sugeriu riscos imprevisíveis do vírus para a saúde humana, admitindo um eventual ressurgimento de um novo surto da doença. Em meio a todas as notícias veiculadas na mídia, a OMS afirma, em nota divulgada no dia 30/08/2011, que baseada nas informações disponíveis, as mudanças do vírus H5N1 reportadas recentemente, não aumentam o risco oferecido pela influenza aviária para saúde humana.

Citando dados da Organização Mundial de Saúde, desde 2003, 564 pessoas foram infetadas pelo vírus H5N1, das quais 330 foram a óbito. O número cumulativo de casos humanos e óbitos pode ser visto na página da OMS, em sua seção exclusiva para influenza aviária. Para melhor conhecer o padrão epidemiológico da doença no mundo desde seu surgimento em 1996, o documento disponibilizado no site da OMS, e também na nossa Biblioteca no Portal Otics Rio, pode ajudar. Este documento expõe os principais eventos relacionados a epizootias por H5N1 e casos de infecção humana, desde 1996 até o ano corrente, em uma linha do tempo de forma bastante didática.

O Brasil não possui casos até o momento. Contudo, epizootias por influenza aviária em diferentes países da Europa, África e América do Norte, além da Ásia, já foram noticiadas na mídia.

Até sexta-feira que vem,

Equipe CIEVS RIO

ps: caros amigos, toda sexta-feira estamos postando uma matéria temática, mas as notícias de saúde pública continuam sendo postadas diariamente no tema Clipping. Confira!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s