Teste facilita diagnóstico de diarréias agudas

Nesta semana, o Instituto Butantan anunciou a criação de um kit capaz de auxiliar no diagnóstico da causa de diarréias agudas, doença que mata anualmente 1,5 milhão de crianças menores de 5 anos no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Semelhante ao teste de gravidez vendido nas farmácias, o kit permite detectar três categorias da bactéria Escherichia coli, a qual é responsável por 30% a 40% dos casos de diarréia aguda nos países em desenvolvimento, como o Brasil. A principal característica do teste é a simplicidade e rapidez com que é realizado. Basta colocar uma tira de papel em contato com uma amostra de fezes previamente preparada e esperar 15 minutos para que linhas vermelhas presentes na fita indiquem se há a presença de um dos três tipos de bacilos.

Existem seis categorias de E. coli capazes de causar diarréia, cada uma com diferentes capacidade de virulência e perfil epidemiológico. No entanto, o teste abrange duas categorias consideradas endêmicas no Brasil, a enteropatogênica (EPEC) e a enterotoxigênica (ETEC), além da E. coli produtora da toxina de Shiga (STEC) que, embora seja rara no país, preocupa as autoridades públicas de saúde devido a sua enorme capacidade de gerar quadros graves da doença.

Embora a E. coli enteroagretativa (EAEC) seja uma categoria bastante comum no Brasil, não foi possível desenvolver um mecanismo de detecção agregado ao novo kit. Conforme afirmaram os especialistas do Instituto Butantan, esta cepa não produz qualquer tipo de proteína-alvo específica que permita sua identificação mediante o uso do teste.

O kit é composto por uma fita de 6 centímetros de comprimento por 0,5 centímetros de largura, composta por três tipos de papel sobrepostos em uma base plástica. A porção mais externa da fita é composta por fibras de celulose de alta absorção, capazes de “puxar” a amostra e direcioná-la até a região da fita onde se encontram os reagentes. Na porção mais interna existe uma região composta por fibras de vidro, onde estão fixadas pequenas partículas de ouro chamadas de “ouro coloidal”, estruturas de apenas 20 nanômetros de diâmetro onde estão aderidos os anticorpos.

Quando presentes, os antígenos da bactéria (proteínas-alvo) são absorvidos pela fibra de celulose e ligam-se aos anticorpos específicos aderidos ao ouro coloidal. Em seguida, o complexo antígeno-anticorpo percorre a fita até alcançar uma membrana de nitrocelulose, cuja presença do complexo faz com que o resultado do teste seja evidenciado através de linhas vermelhas na fita. Visualmente, a reação é considerada positiva quando duas linhas (teste e controle) aparecem em cada uma das três regiões específicas da fita, sendo cada região da fita correspondente a um tipo de cepa de E. coli.

Para garantir a sensibilidade do método, a fita não deve ser colocada diretamente em contato com as fezes. Alguns tipos de E. coli produzem quantidades muito pequenas de toxinas. Neste caso, é necessário colocar a amostra de fezes em um caldo de cultivo e deixar as bactérias se multiplicando de um dia para o outro. Após este período, a fita deve ser imersa neste caldo.

A idéia é que o kit seja usado em hospitais e laboratórios clínicos como uma poderosa ferramenta diagnóstica, capaz de acelerar o processo de detecção da bactéria em casos de diarréia aguda, principalmente na vigência de surtos, como o que ocorreu no início da semana, envolvendo operários que participavam da reforma do estádio do Maracanã. Na ocasião, pelo menos 130 pessoas foram acometidas por náuseas, vômitos e diarréia, o que colocou em alerta as autoridades públicas de saúde, dentre as quais o CIEVS RIO, que participa das investigações em parceria com outras esferas da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC/RJ).

Embora a elaboração do kit tenha sido concluída e mesmo com sua rapidez e simplicidade comprovada, o método ainda precisa ser validado. Para os pesquisadores responsáveis pelo projeto, o método levará cerca de dois anos para estar disponível no mercado, após a consolidação dos processos de patente e analise de questões comerciais, como por exemplo, a estabilidade de armazenamento. Por enquanto, seguimos aguardando.

Até sexta-feira que vem,
Equipe CIEVS RIO.

Anúncios

Um pensamento sobre “Teste facilita diagnóstico de diarréias agudas

  1. Caros,

    Parabéns pela postagem! O texto traz informações técnicas, sempre atualizadas, pertinentes ao contexto atual, com linguagem de fácil compreensão…

    Abcs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s