Eventos de Massa: Governo planeja ações de saúde para as cidades-sede da Copa do Mundo de 2014

O Ministério da Saúde anunciou que está planejando ações de saúde para prevenir surtos de doenças nas cidades-sede da Copa das Confederações, no próximo ano, e da Copa do Mundo, em 2014. Ao todo, 06 cidades irão abrigar os jogos de futebol da Copa das Confederações, e 12 capitais serão sede da Copa em 2014. A ideia é utilizar a competição do ano que vem como “teste” na preparação para os jogos de 2014 – evento de maior repercussão internacional.

De acordo com o secretário-executivo adjunto do ministério, Adriano Massuda, que coordena as reuniões sobre os dois eventos esportivos, os trabalhos começaram ainda em maio do ano passado. Para o gestor, “a Copa das Confederações será um teste em todos os sentidos, inclusive na área da saúde”. Nesta semana, o grupo esteve reunido em Salvador-BA. “ Estamos nos baseando em experiências anteriores, tanto de Copas do Mundo, quanto de Olimpíadas. Cada cidade-sede terá pelo menos um hospital público de referência, mais ambulâncias do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e leitos hospitalares e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), acrescentou o gestor”.

Em algumas capitais-sede, pelo menos duas unidades hospitalares foram escolhidas para ser referência durante as competições, como é o caso dos hospitais Santa Casa da Misericórdia e Santa Marcelina, em São Paulo, e Miguel Couto e Albert Schweitzer, no RJ. Segundo Massuda, essas instituições e as das demais cidades-sede da Copa do Mundo – Belo Horizonte-MG, Salvador-BA, Fortaleza-CE, Recife-PE, Brasília-DF, Curitiba-PR, Porto Alegre-RS, Natal-RN, Cuiabá-MT e Manaus-AM – deverão passar por reformas, ampliação e aquisição de novos equipamentos.

Complementando, o representante afirma que “os eventos esportivos, em geral, têm um aumento no consumo de álcool e drogas, na incidência de traumas, fraturas e cortes, de diferentes maneiras – desde acidentes no trânsito até brigas (…) então temos que estar preparados para isso”. O secretário esclarece ainda que toda assistência no estádio e no entorno será de responsabilidade do comitê organizador da competição. A partir deste território, a atribuição passa a ser do governo. Apesar desta disposição no planejamento, haverão profissionais das secretarias municipais dentro dos estádios, para atuar sempre que for necessário.

Tendo em vista o maior risco de transmissão de doenças decorrentes de aglomerações de pessoas, o secretário explica que o foco estará voltado para os problemas respiratórios – como vírus H1N1 e outras gripes -, assim como para as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). “Vamos atuar em conjunto com outras áreas, como segurança pública e direitos humanos – neste caso, contra o turismo sexual. Também faremos distribuição de camisinhas, teste rápido de HIV e incentivo à atividade física. No dia 07 de abril, Dia Mundial da Saúde, vamos ter um grande ato em todo o país”, antecipa Massuda.

Já para os trabalhadores que vão lidar diretamente com os turistas, o governo prevê vacinação contra o Sarampo e a Rubéola. Neste grupo estão incluídos taxistas, funcionários de hotéis, restaurantes e aeroportos, voluntários, guias e responsáveis por informações turísticas. Estes profissionais deverão tomar as doses da vacina pelo menos 30 dias antes do início da Copa das Confederações, no dia 15 de junho. Já os turistas do Brasil e do Exterior que pretendem viajar para cidades das Regiões Norte e Centro-Oeste deverão se vacinar contra a Febre Amarela.

A grande novidade já para a competição do ano que vem fica por conta do uso de “Smartphones” para a notificação de doenças e agravos. Para tal, um aplicativo já está sendo desenvolvido e, em breve, estará disponível para os profissionais de saúde em ação, durante a Copa das Confederações, nas cidades-sede de Curitiba-PR, Rio de Janeiro-RJ, Salvador-BA, Recife-PE, Belo Horizonte-MG e Brasília-DF. Além disso, “até fevereiro, todos esses municípios deverão apresentar um plano de ação em saúde para o evento”, afirmou Masuda.

Paralelamente, profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) das 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 já estão sendo treinados. Em setembro, o foco do treinamento esteve direcionado para os desastres naturais e, no início do ano que vem, o tema será “a gestão de emergências”. A próxima reunião do grupo de trabalho do ministério ocorrerá ainda neste mês, em Cuiabá-MT.

Até semana que vem,

Equipe CIEVS RIO.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s