Cientistas descrevem novo sorotipo viral da Dengue

Malaysia-DengueNa última semana, cientistas norte-americanos anunciaram a descoberta de um novo sorotipo viral da Dengue. O vírus inédito, então batizado de DEN-5, foi isolado a partir de amostras de sangue provenientes de Sarawak, estado da Malásia localizado na ilha de Bornéu, durante uma epidemia ocorrida em 2007.

Ao analisar estas amostras, cientistas da Universidade do Texas identificaram um tipo de vírus completamente diferente dos outros quatro sorotipos até então conhecidos. Após confirmação mediante análise filogenética, o caso foi descrito e apresentado no último dia 21/10, durante o Terceiro Congresso Internacional sobre Dengue e Febre Hemorrágica da Dengue, em Bangkok, na Tailândia.

Até o momento, cientistas ainda não têm uma dimensão exata do impacto que isso representaria para a população num futuro não muito distante. Por outro lado, também não foi possível determinar se a cepa inédita estaria circulando apenas entre seres humanos. Mas, sem dúvidas, tal evidência confere novos contornos às pesquisas e trabalhos atualmente um curso, sobre a doença. “A descoberta pode mudar a maneira como pensamos sobre a evolução do vírus da Dengue e sua emergência”, afirmou Duane Gubler, especialista em Dengue da Duke-NUS Graduate Medical School, em Cingapura.

Apesar dos atuais esforços para conter a doença no Sudeste Asiático, é cada vez crescente o relato de casos em áreas até então livres de circulação viral, como por exemplo o Nepal. Frente a isto, durante o congresso em Bangkok, pesquisadores tailandeses, filipinos e malaios foram unânimes em afirmar que, apesar dos programas de controle da Dengue lançados a partir de 2000, as notificações da doença não param de crescer na região, ainda que o número de mortes esteja diminuindo, graças à melhora no manejo clínico dos casos graves.

“A Dengue está se espalhando das áreas urbanas para as áreas rurais e outros países, como Nepal, onde não foi vista antes”, afirmou Samlee Plianbangchang, diretor regional da Organização Mundial de Saúde (OMS) no Sudeste Asiático. Quanto à expectativa pelo desenvolvimento de uma vacina eficaz contra todos os tipos virais, Plianbangchang foi categórico ao afirmar que “esta apenas atuaria de forma complementar, não substituindo, de maneira alguma, os atuais programas de prevenção e controle, sobretudo, baseados na conscientização popular”.

Até semana que vem,

Equipe CIEVS RIO.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s