Brasil investiga possível caso de EEB em MT

13171358750O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) anunciou que está investigando um possível caso “atípico” de Encefalite Espongiforme Bovina (EEB) em MT. A detecção ocorreu após uma inspeção de rotina em um matadouro do Estado, maior produtor de gado do país. O caso acontece um ano após diversos países proibirem o consumo de carne brasileira em virtude de uma infecção similar.

“As investigações de campo indicam tratar-se de uma única suspeita de caso atípico de EEB, já que o animal foi criado exclusivamente em sistema extensivo (a pasto e sal mineral) e foi abatido em idade avançada, com cerca de 12 anos”, informou, em nota, o MAPA.

No final de 2012, exames laboratoriais demonstraram que uma vaca, que havia morrido dois anos antes no Paraná, era portadora do fragmento proteico (I) causador da EEB, porém sem haver desenvolvido a doença. Na ocasião, o caso foi considerado “atípico”, já que as investigações apontaram ser improvável a contaminação do animal através da alimentação fornecida pelo produtor.

Nos casos “clássicos” da doença, ocorre a contaminação quando a alimentação do rebanho se dá mediante consumo de tecido cerebral ou medular de outros ruminantes infectados. Logo, o uso da ração contendo farinha de carne e ossos constitui uma prática proibida no Brasil.

Por outro lado, assim como no caso paranaense, o animal infectado em MT tem mais de 10 anos de idade, o que reduz a probabilidade de ser um caso “clássico”, cuja incidência é maior entre animais com 2 a 7 anos de idade. Além disso, o Brasil jamais teve registro de caso “clássico”, o que torna a situação de risco do país “insignificante”, conforme classificação da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Diagnosticada pela primeira vez em 1986, no Reino Unido, a EEB consiste em uma enfermidade neurodegenerativa fatal que afeta bovinos. Embora apresente um longo período de incubação, em geral de 4 a 5 anos, cursa com evolução rápida, caracterizada por dificuldades de locomoção e nervosismo observáveis. Uma vez instalados os sintomas, os animais não resistem mais do que seis meses.

Todavia, uma nova variante da Doença de Creutzfeldt-Jakob (vDCJ), descrita nos últimos anos, parece estar relacionada ao consumo de carne bovina e seus derivados contaminados por príons patogênicos, os quais são capazes de desenvolver formas graves de degeneração neurológica.

Em relação à DCJ, as manifestações clínicas compreendem dificuldades de locomoção e demência progressiva, na maioria das vezes confundida com demência senil e Alzheimer. Assim como nos animais, a evolução dos sintomas comumente se desenvolve de maneira rápida, o que leva o indivíduo ao óbito em menos de um ano.

Proposto pela OMS, o Sistema de Vigilância das DCJs e de outras Doenças Priônicas engloba todas as atividades e instituições envolvidas na identificação e notificação de um caso suspeito à investigação epidemiológica e tomada de medidas de prevenção e controle quando necessárias.

No entanto, a operacionalização do Sistema de Vigilância das DCJs em uma rede sentinela mundial eficiente ainda esbarra em verdadeiros desafios, inerentes ao próprio perfil epidemiológico da doença, uma vez que as infecções humanas são extremamente raras, caracterizando uma baixa prevalência e, sobretudo, as dificuldades de estabelecer marcadores pré-clínicos associados à enfermidade. No entanto, constitui uma entidade clínica potencialmente fatal, com elevada letalidade e grande potencial de causar epidemias, o que justifica o fortalecimento do Sistema de Vigilância das DCJs.

Até semana que vem,

Equipe CIEVS RIO.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s