Testes da vacina contra Dengue demonstram eficácia de 60,8% no Caribe e América Latina

dengue_mosquitoNesta semana, o laboratório francês Sanofi Pasteur anunciou novos resultados em testes com a vacina experimental contra Dengue. Testada em 21 mil crianças e adolescentes no Caribe e na América Latina, o imunobiológico desenvolvido pela empresa foi capaz de reduzir até 60,8% do número de casos da doença em estudo.

Segundo Sheila Homsani, gerente do Departamento Médico da Sanofi Pasteur, resultados mais detalhados da pesquisa devem ser anunciados em novembro, durante a reunião anual da Sociedade Americana de Medicina Tropical e Higiene (ASTMH, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, e também publicados em uma revista científica ainda neste semestre.

Os testes foram realizados entre junho de 2011 e abril de 2013, tendo como público-alvo crianças e adolescentes na faixa etária de 9 a 16 anos. Participaram do estudo Brasil, México, Honduras, Colômbia e Porto Rico.

Somente no Brasil, foram 3.550 participantes que receberam três doses da vacina, com intervalos de seis meses entre elas. O critério para escolha das cidades participantes do estudo foi o elevado índice de casos da doença. Dessa forma, cinco capitais foram selecionadas: Natal, Fortaleza, Campo Grande, Goiânia e Vitória.

Dos quase 21 mil participantes, dois terços receberam a vacina e um terço recebeu placebo (grupo controle). Segundo a empresa, o grupo que recebeu a vacina teve 60,8% menos casos de Dengue do que o grupo que recebeu placebo. No entanto, o número de pessoas que foram infectadas nos dois grupos ainda não foi divulgado.

Além disso, para cada sorotipo viral, a vacina demonstrou níveis de proteção diferentes. Para o sorotipo 1 a proteção foi de 50%; para o sorotipo 2 foi de 42%; para o sorotipo 3 foi de 74%; e para o sorotipo 4 foi de 77,7%.

“Tem que ser uma vacina que proteja contra os quatro sorotipos, mesmo que em níveis diferentes de proteção. Cada um contribuiu para o resultado global. Hoje não tem qualquer tratamento específico para Dengue e não tem nenhuma forma de prevenção. Se a vacina consegue proteger 6 pessoas em cada 10, está prevenindo bastante”, explicou Homsani.

Ainda segundo a médica, a vacina também foi capaz de reduzir em 80,3% o número de hospitalizações pela doença. Quanto à segurança do imunobiológico, ela afirmou que “não houve morte em decorrência da vacina” e que ela foi “muito bem tolerada” pelos voluntários.

Atualmente, existem diversas iniciativas de pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina eficaz contra a Dengue. Tais frentes de pesquisas estão espalhadas por todo o mundo, incluindo o Brasil, com destaque para o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). Porém, até agora, nenhuma conseguiu chegar à fase 3 de testes, quando o produto é testado em um número significativo de voluntários.

Conforme salientou a especialista, esta representa a última etapa dos testes clínicos realizados com a vacina da Sanofi Pasteur, a qual completa o dossiê que será submetido à avaliação junto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). A empresa pretende submeter o produto à agência no início de 2015. Caso seja aprovada, a vacina inédita deve passar a ser comercializada no país até o fim do ano que vem.

Até semana que vem,

Equipe CIEVS RIO.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s