Clipping: Notícias de Saúde Pública

Clipping CIEVS RIO SE 12/2018

Febre Amarela: Brasil
Foi divulgado o Informe nª 18/2017 que traz as atualizações de febre amarela até 20/03 pelo Ministério da Saúde. O período de monitoramento foi de 01/07/2017 a 30/06/2018. Foram notificadas 5248 epizootias em primatas não humanos mas somente 630 foram confirmadas, 1.594 permanecem em investigação, 1.903 foram consideradas indeterminadas e 1.121 estão descartadas. Em relação aos casos humanos, no Brasil, foram mais de 4 mil casos notificados, sendo mais de mil confirmados, 854 estão em investigação e 2.150 já foram descartados. O Ministério da Saúde também anunciou essa semana que a vacinação contra a febre amarela será ampliada para todo o território nacional. Os estados das regiões Nordeste e Sul, que estão atualmente fora da área de recomendação da vacina, receberão doses plenas como medida preventiva. Na Bahia, a campanha já encerrou, mas em São Paulo e no Rio de Janeiro, ela deve continuar até que toda a população esteja imunizada, de acordo com as respectivas secretarias de saúde. O Ministério da Saúde informou que a previsão é que 77, 5 milhões de brasileiros sejam vacinados até abril de 2019.
Fonte: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/21/Informe-FA-18-21mar18-cs.pdf
https://noticias.r7.com/saude/febre-amarela-ministerio-da-saude-anuncia-que-vai-vacinar-todo-o-pais-20032018
http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42849-vacina-de-febre-amarela-sera-ampliada-para-todo-o-brasil

Sarampo: Colômbia, América do Sul
As autoridades de saúde da Colômbia relataram o segundo caso de sarampo desta vez em Santa Rosa de Cabal importado da Venezuela. Este caso é o segundo detectado na Colômbia desde 2015. O primeiro foi detectado em 16 de março, em Medellín, em um menino de 14 meses que chegou de Caracas, capital da Venezuela. A diretora do Instituto Nacional de Saúde, Martha Lucía Ospina, reiterou que a Colômbia tem altas taxas de vacinação e que não há disseminação da doença. Mas não desconsiderou a necessidade de contenção das fronteiras. Segundo o governo, a Colômbia registrou o último surto de sarampo em Barranquilla em 2011 e, desde então, três casos importados foram registrados.
Fonte: https://www.publimetro.co/co/colombia/2018/03/19/reportan-segundo-caso-sarampion-pais.html

Gripe: Colômbia, América do Sul
Um total de 128 crianças morreram de gripe até agora nesta temporada de doença viral. De acordo relatório semanal, entre 1º de outubro de 2017 e 10 de março de 2018, houve mais de 25.500 casos de gripe confirmados por exames laboratoriais que resultaram em hospitalizações. A maioria das crianças que morreram este ano, como nos anos anteriores, não foram vacinadas contra a gripe. Segundo o Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias, a última vez que o país enfrentou uma epidemia semelhante foi no período de 2014-15, quando 148 crianças foram a óbito, enquanto que nos dois anos seguintes os números foram de 92 e 110, respectivamente. Na atual temporada de gripe, o vírus circulante é da cepa da gripe A H3N2.
Fonte: https://www.laopinion.com.co/vida-y-salud/128-ninos-han-muerto-por-gripe-en-eeuu-151011#OP

Hantavirose: Chile, América do Sul
Um novo caso de hantavírus foi identificado em Coyhaique e transferido para Santiago. O chefe do programa da Clínica Las Condes, Coyhaique, disse que o caso evoluiu para uma grave síndrome cardiopulmonar, que levou a uma falência do sistema respiratório.
Fonte: http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-aysen/2018/03/18/joven-diagnosticada-con-virus-hanta-en-coyhaique-es-trasladada-de-emergencia-hasta-santiago.shtml

Gripe Aviária: Europa e África
O Parque Nacional Table Mountain confirmou que há um surto de gripe aviária na colônia de pingüins Boulders, em Simons Town, Cabo Ocidental, África do Sul. Foi reiterado a população que este vírus é um risco muito baixo para os seres humanos, mas é uma ameaça real para as aves domésticas. Esta cepa do vírus da gripe aviária (H5N8) foi detectada em uma variedade de aves marinhas selvagens, como pinguins e gansos africanos. A situação está sendo monitorada e agora foram implementadas precauções quanto ao acesso da população e aos trabalhadores do parque pois, por mais que seja improvável que o vírus infecte seres humanos, precauções devem ser tomadas. O Western Cape Veterinary Services, CapeNature, SANParks, o Departamento Nacional de Assuntos Ambientais da Cidade do Cabo, SANCCOB e outros centros de reabilitação de aves marinhas e veterinários particulares estão trabalhando em estreita cooperação para monitorar a situação e realizar mais testes.
Na Inglaterra, Europa, o Departamento de Alimentos Ambientais e Assuntos Rurais (Defra) e o Lincolnshire Trading Standards emitiram um alerta depois que casos de gripe aviária foram descobertos em terras agrícolas perto de Bourne. Defra confirmou que o H5N6, um subtipo do vírus da gripe A, foi descoberto em dois gansos e dois faisões selvagens, que foram encontrados mortos em terras agrícolas perto de Bourne. A descoberta, porém, não levou a nenhuma restrição no movimento de aves domésticas ou comerciais, mas a zona de prevenção foi estendida para cobrir toda a Inglaterra e o País de Gales. A gripe aviária também está presente na Europa, e a migração de aves selvagens traz aves para o Reino Unido de áreas onde se sabe que a gripe aviária altamente patogênica está presente.
Fonte: https://www.iol.co.za/capeargus/news/avian-flu-outbreak-confirmed-at-cape-towns-boulders-penguin-colony-13935686
https://www.stamfordmercury.co.uk/news/bird-flu-outbreak-near-bourne-1-8418824

Cólera: Nigéria, África
O Governo da Nigéria registrou mais de 600 casos de cólera em Kukawa, no Borno, Nigéria. Desde 13 de fevereiro, 608 casos foram relatados, incluindo 3 óbitos. A cólera é uma doença disseminada por beber água ou comer alimentos contaminados com bactérias da cólera.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/borno-state-cholera-outbreak-kukawa-lga-58319/

Coronavirus (MERS-CoV): Omã, Oriente Médio
Foi identificado o primeiro caso de MERS-CoV em Omã. O paciente não viajou recentemente nem teve contato com qualquer pessoa com sintomas respiratórios ou com um caso conhecido de MERS-CoV, porém cuidava de camelos que estavam supostamente doentes. A investigação da exposição do paciente nos 14 dias anteriores ao início dos sintomas ainda está em andamento. Antes deste, o último caso confirmado laboratorialmente de MERS-CoV de Omã foi relatado em novembro de 2017.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/15-march-2018-mers-oman/en/

Leishmaniose: Síria, Oriente Médio
Foram identificados cerca de 35.000 casos de infecção por Leishmaniose ao norte e no centro da Síria. A leishmaniose é uma doença que afeta a pele (leishmaniose cutânea) ou os órgãos internos (leishmaniose visceral). O chefe do departamento de leishmaniose alertou que a doença se espalha devido ao deslocamento de pessoas, ao acúmulo de lixo, falta de assistência médica. No ano passado, a leishmaniose visceral se espalhou nas cidades de Harem, Salqin, Darkoush e Azmarin, no norte de Idlib, onde cerca de 70 casos de infecção foram registrados. Há mais de 60 centros e clínicas móveis especializadas no tratamento da leishmaniose e outras 27 clínicas móveis que estão prontas para se dirigir às áreas afetadas em curto prazo.
Fonte: https://smartnews-agency.com/en/wires/276719/leishmaniasis-infects-35000-people-in-northern-and-central-syria

Difteria: Iêmen, Oriente Médio
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o surto de difteria já levou 70 pessoas a óbitos e infectou mais de 1.300 pessoas no Iêmen, um país abalado pela guerra. Crianças e jovens adultos respondem por quase 80% dos casos. O Iêmen está atolado em uma guerra civil entre o governo internacionalmente reconhecido, que conta com o apoio de uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, e com rebeldes xiitas apoiados pelo Irã desde março de 2015. O conflito estagnado danificou a infra-estrutura do país, paralisou o sistema de saúde e deixou a nação à beira da fome
Fonte: https://www.myplainview.com/espanol/news/article/OMS-brote-de-difteria-afecta-a-m-s-de-1-300-12760816.php

Gripe Aviária (H5N6): Coreia do Norte, Ásia
Novos casos de gripe aviária foram confirmados em três partes da Coreia do Norte, colocando novamente em alerta as autoridades de saúde e quarentena. O Ministério da Agricultura, Alimentação e Assuntos Rurais informou que o vírus H5N6, altamente patogênico, foi detectado em fazendas de frangos em Pyeongtaek e Yangju, província de Gyeonggi, e em Asan, província de Chungcheong do Sul. A gripe aviária parece ter diminuído, com o último surto registrado em uma fazenda de galinhas em Cheonan, província de Chungcheong do Sul, em fevereiro. O governo só levantou seu alerta de quarentena em todo o país no início deste mês.
Um novo alerta foi emitido na província de Gyeonggi, no sul do país, que possui 1.456 granjas avícolas.
O governo provincial está matando 800 mil frangos em 56 fazendas a 3 km das fazendas de Pyeongtaek e Yangju, onde a gripe aviária foi encontrada. Uma proibição de viagem também foi imposta a 229 granjas dentro de um raio de 10 km.
“Como as aves selvagens migram para o norte até abril, este é um momento crítico. Faremos o máximo para evitar a disseminação da IA”, disse uma autoridade do governo de Gyeonggi.
fonte: http://english.chosun.com/site/data/html_dir/2018/03/19/2018031901082.html

Norovírus: Coréia do Sul, Ásia
As autoridades de saúde pública da Coréia do Sul confirmaram que os tanques de água de banheiros portáteis foram o motivo do surto de norovírus na cidade anfitriã dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, em fevereiro de 2018, que afetou cerca de 300 seguranças do evento no mês passado. Havia cerca de 570 lavatórios portáteis instalados durante o período olímpico e os tanques tinham água subterrânea. Provavelmente houve erro na separação dos tanques e fossa sépticas.
Fonte: http://english.donga.com/List/3/04/26/1256911/1

Raiva: Tailândia, Ásia
Autoridades tailandesas planejam vacinar mais de 10 milhões de cães e gatos nos próximos seis meses em reação a um surto de raiva que se espalhou pelo país. O Departamento de Desenvolvimento da Pecuária (DLD) do país procurou tranquilizar o público em uma entrevista coletiva na quarta-feira, dizendo que havia estoques suficientes de vacina (mais de 12,2 milhões de doses) para proteger os animais contra a doença. O diretor-geral do departamento, Apai Suttisunk, declarou 37 das 77 províncias do país como zonas epidêmicas temporárias da raiva, porque elas se referiam a um raio de cinco quilômetros de uma área onde um animal ou pessoa infectada era denunciado.
Fonte: http://www.newsweek.com/thailand-fights-deadly-rabies-outbreak-rushing-vaccinate-10-million-animals-846149

Doença Meningocócica: Fiji, Oceania
O Ministério da Saúde declarou um surto de doença meningocócica em Fiji. A doença meningocócica é uma doença que ameaça a vida, causada pela bactéria Neisseria meningitidis, podendo causar infecções no revestimento do cérebro (meningite) e no sangue (meningococemia), ou ambos e pode levar à óbito. Nos últimos anos, Fiji teve um aumento nos casos de doença meningocócica. Antes de 2016, havia de um a dez casos por ano relatados. Em 2016, foram 29 casos e, em 2017, 48 casos. Agora em 2018, houve 18 casos até 21 de fevereiro. Em 2017, 14,4% de todas as pessoas que contraíram a doença em Fiji foram a óbito.
Fonte: http://www.fbc.com.fj/fiji/61292/health-ministry-declares-meningococcal-disease-outbreak-
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 11/2018

Doença Mão-pé-boca: Brasil
Após a confirmação de 90 casos da doença mão-pé-boca em crianças dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) de Mandirituba, cidade na Região Metropolitana de Curitiba, a prefeitura adotou medidas para evitar um surto da doença no município. Os primeiros casos chegaram ao conhecimento da Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Lazer há duas semanas. Um alerta foi enviado aos pais das crianças e aos funcionários das instituições, para que reforcem os cuidados relacionados à higiene das crianças. Ao todo, 453 crianças de zero a três anos estão matriculadas nos cinco CMEIs de Mandirituba. Essa é a segunda cidade a confirmar casos da doença, a primeira foi Colombo. Claudia Bozza Fehlauer, da Vigilância Epidemiológica de Mandirituba, explica que todas as unidades dos CMEIs estão recebendo vistoria nas últimas semanas. O diretor de Comunicação da prefeitura, Alex de Paula, informou que os 90 casos da doença mão-pé-boca estão controlados em Mandirituba, no entanto, segue a orientação para os funcionários dos CMEIs informarem qualquer nova manifestação de sintomas da doença nas crianças.
Fonte: http://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/casos-da-doenca-mao-pe-boca/
http://www.gazetadopovo.com.br/curitiba/90-casos-da-doenca-mao-pe-boca-em-creches-colocam-cidade-da-rmc-em-alerta-1t9dgpexttvv3zmiwi8wdik20

Sarampo: Américas, Europa, Ásia
No estado do Amazonas, Brasil, a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa) informou que aumentou para 5 o número de casos suspeitos de sarampo. Todos são crianças (duas do sexo masculino e três do sexo feminino), residentes na área territorial do Distrito Norte de Saúde, com idades que variam de quatro meses a um ano. A Semsa está fazendo o acompanhamento dos casos e iniciando a ação de bloqueio, que consiste na investigação de todo o percurso feito pelo paciente, e que começa dois dias antes da notificação. Na manhã de hoje, técnicos do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) e Núcleo de Imunização, ambos do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (DEVAE), do Distrito de Saúde Norte (DISA Norte) e da FVS-AM estiveram reunidos para traçar a estratégia de “varredura” em todo o território de abrangência do distrito. Os profissionais da Semsa encarregados de fazer esse trabalho estão sendo orientados, inclusive, a observar a existência de possíveis casos de doenças exantemáticas que ainda não tenham sido notificados. Recentemente, o estado de Bolívar, na Venezuela, fronteira com Roraima, contabilizou 857 casos suspeitos com 465 confirmados.
O Ministério da Saúde (MINSA) do Peru, América do Sul, confirmou o segundo caso de sarampo no país, detectado na cidade de Juliaca, em Puno. De acordo com o Centro Nacional de Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças o caso é de um menor de 16 anos de idade. Seus contactantes estão sendo acompanhados. No início de março foi confirmado o primeiro caso de sarampo desde 2000, contraído em Puno. A Direção Regional de Saúde de Puno vem realizando a busca ativa de casos suspeitos de sarampo sem encontrar nenhum caso mesmo após visita domiciliar a mais de 5000 residências.
O Ministério da Saúde (Ssa) do México identificou pelo menos três casos de sarampo na Cidade do México, enquanto o quarto foi relatado em Baja California. De acordo com o Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (Sinave), que pertence à Ssa, entre os casos está uma criança de 1 ano que ainda não havia sido vacinada e sua cuidadora. O subsecretário também indicou que no México a doença é controlada e que o vírus não circula no país, então os quatro casos confirmados não fazem parte de uma epidemia. Quando os três casos da Cidade no México foram relatados, o pessoal da Ssa iniciou um cerco epidemiológico nas delegações Benito Juárez, Tlalpan e Coyoacán, para detectar outros contágios da doença, que não foram apresentados. De acordo com a Ssa, o último caso autóctone de sarampo foi registrado 23 anos atrás. Entre 1997 e 2017, apenas 176 casos de sarampo foram registrados, todos, de acordo com Kuri Morales, importados ou associados às importações, como no caso do cidadão italiano e do habitante da Baja California.
A Direção Geral da Saúde de Portugal, Europa confirmou a existência de um surto de sarampo no Hospital de Santo António, no Porto: são 7 casos confirmados, três internados e 32 casos sob investigação. O Hospital de Santo António informou, ainda, que 20 profissionais de saúde estão com sintomas suspeitos da doença. Desde 2017 os casos de sarampo começaram a aparecer e triplicaram, devido à não vacinação.
Em Filipinas, Ásia, o número de casos de sarampo quase se triplicou nas primeiras cinco semanas do ano em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com o Departamento de Saúde. Segundo o último relatório, 12 óbitos foram declarados entre os mais de 880 casos de sarampo foram registrados entre 1 de janeiro a 3 de fevereiro. Os surtos de sarampo foram recentemente declarados nas cidades de Zamboanga, Davao, Taguig e em sete cidades da Negros Oriental. As crianças de 1 a 4 anos de idade tem sido as mais afetadas (39,79%) seguidas por bebês com menos de 9 meses de idade (8,70%) e os lactentes com 9 a 11 meses de idade (9,9%). Em 62% dos casos eram não foram vacinados contra o sarampo.
Fonte: https://www.acritica.com/channels/manaus/news/sobe-para-cinco-o-numero-de-casos-suspeitos-de-sarampo-em-manaus
https://elcomercio.pe/peru/detectan-segundo-caso-sarampion-nivel-nacional-juliaca-noticia-503961
http://noticieros.televisa.com/historia/nacional/2018-03-15/detectan-4-casos-sarampion-mexico-descartan-epidemia/
https://www.jn.pt/nacional/interior/sete-casos-de-sarampo-confirmados-9187345.html
http://www.malaya.com.ph/business-news/news/measles-cases-triple-2018

Hantavirose: Panamá, América Central
O número de caso de hantavirose passa de 10 na província de Los Santos, Panamá. Em 2017, 23 casos foram registrados. As autoridades de saúde permanecem em alerta quanto ao contínuo aumento do número de casos. Dois casos mais recentes foram identificados nos distritos de Tonosí e Las Tablas.
Fonte: https://www.diaadia.com.pa/el-pais/aumentan-trece-los-casos-de-hantavirus-en-los-santos-334750
https://www.tvn-2.com/nacionales/provincias/registran-nuevos-casos-hantavirus-Santos_0_4984751532.html

Cólera: Malawi, África
Segundo o Ministério da Saúde e População de Malawi, os óbitos já chegam a 22 entre os mais de 730 casos notificados. Os distritos mais acometidos são Karonga, Lilongwe, Salima e Dedza, mas outros também estão com casos, como Rumphi, Dowa, Nkhatabay, Likoma, Nsanje e Mulanje. A falta de infraestrutura nacional crítica do país quanto ao saneamento básico pode explicar, entre outros fatores, o expressivo número de casos.
Segundo o Ministério da Saúde de Angola, o surto de cólera que se regista na província do Uíge, desde dezembro já afetou 731 pessoas, provocando 13 óbitos. As últimas notificações, no entanto, apontam para uma redução dos casos entre janeiro e fevereiro: só em janeiro, foram notificados no município do Uíge um total de 419 casos, que resultaram em cinco óbitos e em fevereiro foram 209 casos com dois óbitos. Essa semana, foram confirmados casos em outra província: Cabinda, somando 13 casos e um óbito.
Fonte: https://malawi24.com/2018/03/11/cholera-death-toll-hits-22/
https://24.sapo.pt/noticias/internacional/artigo/surto-de-colera-na-provincia-angolana-do-uige-ja-afetou-730-pessoas-e-matou-13_23843520.html

Febre de Lassa: África
O Instituto Nacional de Saúde Pública da Libéria (NPHIL) e o Ministério da Saúde (MoH) confirmaram três casos de febre Lassa, que foram a óbito, em dois municípios: Montserrado (2) e Nimba (1). Não foi estabelecido nenhum vínculo epidemiológico entre os três casos confirmados que morreram. Um total de 134 contatos foram identificados que estão sendo acompanhados, incluindo 37 profissionais de saúde. Desde 1 de janeiro de 2018, um total de 28 casos suspeitos de febre de Lassa foram relatados em toda a Libéria, incluindo 12 mortes. Destes, sete (7) casos foram confirmados pelo Laboratório Nacional de Referência de Saúde Pública. A febre de Lassa é uma doença hemorrágica viral causada por um vírus que é transmitido através do contato com a urina ou fezes de roedores infectados e pelo contato direto com fluidos corporais de casos humanos sintomáticos. Nos últimos anos, observou-se uma tendência cada vez maior no número de casos de febre de Lassa na Libéria e em outros países da África Ocidental. Os sintomas da febre de Lassa incluem vômitos, distúrbios respiratórios, dor torácica, hipo e sangramento inexplicável.
O Centro de Controle de Doenças da Nigéria está publicando um relatório a cada semana epidemiológica sobre o seu surto de Febre de Lassa. Na última semana (SE 10), 12 casos foram confirmados e um óbito suspeito foi notificado. Da SE 1 a SE 10 um total de 1386 casos suspeitos foram notificados. Destes, 365 são confirmados positivos e 988 já foram descartados (casos negativos), 9 prováveis e 24 estão aguardando resultados laboratoriais.Fonte: http://www.frontpageafricaonline.com/index.php/health/7169-three-cases-of-lassa-fever-confirmed-in-liberia
http://www.ncdc.gov.ng/diseases/sitreps/?cat=5&name=An%20update%20of%20Lassa%20fever%20outbreak%20in%20Nigeria

Febre Amarela: Nigéria, África
O Centro Nigeriano de Controle de Doenças (NCDC) confirmou que, desde o ressurgimento da Febre Amarela na Nigéria em setembro de 2017, pelo menos 358 casos suspeitos foram registrados em 16 estados, provocando 45 casos fatais. Como parte das atividades para encontrar a solução para o surto, um total de 25 milhões de pessoas serão vacinadas em uma campanha que já começou em três estados: Zamfara no Nordeste, Kogi no Centro e Kwara no Oeste.
Fonte: https://newtelegraphonline.com/2018/03/yellow-fever-spreads-16-states-kills-45-2/

Difteria: Iêmen, Oriente Médio
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um surto de difteria já matou 73 pessoas no Iêmen, Oriente Médio. As províncias de Ibb e Al-Hodeidah foram as mais atingidas pela doença. A agência da ONU declarou que cerca de 1.294 casos suspeitos de difteria foram registrados em 20 das 23 províncias do Iêmen. O Iêmen vem sofrendo com a violência desde 2014, o que contribuiu com a devastação dos serviços básicos, incluindo sistemas de água e saneamento, levando a ONU a descrever a situação no Iêmen como um dos “piores desastres humanitários do mundo nos tempos modernos”.
Fonte: http://www.worldbulletin.net/todays-news/199686/diphtheria-outbreak-kills-73-in-yemen

Raiva: Tailândia, Ásia
O porta-voz do Ministério da Saúde Pública, Opas Karnkawinpong, afirma que a falta de conhecimento exato sobre o vírus, propicia a ocorrência de casos e óbitos na população. Cerca de 60% das pessoas que participaram de uma pesquisa (cerca de 11 mil pessoas), acreditavam que a doença teria cura e 34% não sabiam que o vírus da raiva é letal uma vez que a pessoa seja infectada e não tratada a tempo. Opas fez questão de salientar a população que todos devem procurar, o mais rápido possível os serviços de saúde para avaliação clínica e tratamento, se forem mordidos por animais, mesmo os domésticos. O país passa por um grande surto de raiva, incluindo 3 óbitos humanos. Desde o início do ano, mais de 350 casos foram relatados em 37 províncias. Segundo o Diretor Geral do Departamento de Controle de Doenças, Dr. Suwanchai Wattanayingcharoenchai, neste surto, a taxa de infecção foii 1,5 vezes maior que a do mesmo período do ano passado.
Fonte: http://www.nationmultimedia.com/detail/national/30340654
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 10/2018

Sarampo: Brasil, Américas, Europa
O estado de Roraima, Brasil, confirma 8 casos de sarampo e inicia a maior vacinação da história, com expectativa de vacinar 400 mil pessoas, entre seis meses e 49 anos de idade, em 30 dias para barrar o surto da doença. Refugiados da Venezuela já chegaram doentes ao Brasil. Até o momento, os casos notificados já somam um total de 37, dos quais oito já foram confirmados. A preocupação com a doença aumentou na semana passada, após a morte de uma criança venezuelana que entrou no país por Pacaraima, a 200 km de Boa Vista, e estava internada em um hospital da capital havia um mês. Autoridades locais relatam que os serviços públicos estão totalmente voltados para atender à alta demanda provocada pelo fluxo de venezuelanos. A falha na “barreira sanitária” em Pacaraima, para vacinar os venezuelanos no momento em que entram no Brasil tem sido um grande problema para as autoridades de saúde de Roraima controlarem os casos.
A equipe de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Manaus, Amazonas, Brasil, está investigando dois casos suspeitos de sarampo, notificados no início do mês de março. São duas crianças, sem vínculo. O terceiro caso que tinha sido notificado foi descartado, com diagnóstico confirmado para dengue. A Semsa está realizando todas as ações de prevenção e controle da doença. Entre elas, a investigação epidemiológica dos casos, com a avaliação da situação vacinal dos contatos, visando identificar possíveis sintomáticos e realização da vacinação seletiva nesses locais. Desde o início da semana, a Prefeitura de Manaus, por meio da Semsa, está intensificando a vacinação contra o sarampo em todas as 185 salas de vacina, sendo 183 nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município e duas particulares.
O Ministério da Saúde do Peru, América do Sul confirmou o primeiro caso autóctone de sarampo registrado desde 2001, com diagnóstico confirmado pelo Instituto Nacional de Saúde. O caso teve recentemente em Puno, onde ele teria sido exposto ao vírus. No entanto, o Diretor do Centro Nacional de Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças, diz não saber exatamente onde a infecção ocorreu. Ele está atualmente isolado em sua casa e seus parentes receberam instruções para conter a doença. O Ministério da Saúde está orientando que as crianças menores de 5 anos sejam vacinadas gratuitamente. O Ministério informou que nos últimos anos “alguns casos importados” de sarampo foram registrados, mas a doença foi controlada.
Foi declarado um surto de sarampo no País de Gales, Europa com seis casos confirmados. Embora os casos estejam distribuídos em todo o sudeste do País de Gales, pensa-se que os primeiros casos foram expostos a um caso altamente infeccioso desconhecido no início de fevereiro. Isso ocorre porque as investigações revelaram que todos estavam no mesmo local no centro da cidade de Cardiff no mesmo dia. As autoridades de saúde estão incentivando os pais a garantirem a vacinação das crianças.
Fonte: https://noticias.r7.com/saude/sarampo-roraima-confirma-8-casos-e-inicia-maior-vacinacao-da-historia-08032018
http://www.manaus.am.gov.br/noticia/semsa-investiga-dois-casos-suspeitos-de-sarampo-em-manaus/
http://larepublica.pe/sociedad/1205719-el-sarampion-reaparece-en-el-peru-17-anos-despues-de-haber-sido-erradicado
https://elcomercio.pe/lima/sucesos/sarampion-minsa-declara-alerta-sanitaria-caso-confirmado-noticia-501577
http://outbreaknewstoday.com/measles-outbreak-reported-south-east-wales-37803/

Febre Amarela: Brasil, Europa, África
O Ministério da Saúde no Brasil atualizou na última quarta-feira as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país. No período de monitoramento (de 01/07/2017 a 06/03/2018), foram confirmados 846 casos de febre amarela no país, sendo que 260 vieram a óbito. Ao todo, foram notificados 3.234 casos suspeitos, sendo que 1.560 foram descartados e 828 permanecem em investigação, neste período. O Ministério da Saúde reforça a importância da vacinação da população dos estados do Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo durante a campanha contra febre amarela. Conforme dados repassados ao Ministério da Saúde pelos estados, até o dia 6 de março, 8,4 milhões (90%) de pessoas foram vacinadas em São Paulo e 7,1 milhões (71,5%) no Rio de Janeiro e 1,8 milhão (55%) na Bahia. O estado do Rio de Janeiro soma 106 casos confirmados e 44 óbitos, São Paulo já passa de 340 confirmados com 100 óbitos e a Bahia permanece sem confirmação dos 35 casos notificados.
Um turista da Suíça, não vacinado contra a febre amarela, morreu em seu país depois de contrair a doença em Ilha Grande, costa sul do Rio de Janeiro, Brasil. Esse é um entre outros turista de Ilha Grande que contraíram a doença, como um chileno de 36 anos que morreu em um hospital no Rio de Janeiro em meados de fevereiro.
Em Kebbi, Nigéria, África, já foram notificados 36 casos de febre amarela em 8 áreas do estado. O Comissário de saúde do estado, propôs uma campanha de vacinação para em torno de 1,6 milhões de pessoas nas áreas atingidas para evitar a propagação da doença. As áreas atingidas são Bagudo, Fakai, Koko/Besse, Maiyama, Ngaski, Shango, Suru e Yauri.
Fonte: http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42717-febre-amarela-ministerio-da-saude-atualiza-casos-no-pais-07-03
http://www.2001.com.ve/en-el-mundo/183016/turista-suizo-muere-por-fiebre-amarilla-contagiada-en-brasil-.html
https://www.pmnewsnigeria.com/2018/03/02/yellow-fever-kebbi-records-36-cases-vaccinate-1-6m-people/

Leishmaniose Visceral Canina: Santa Catarina, Brasil
Em 2017, dobrou o número de casos de leishmaniose visceral canina em Florianópolis, única cidade catarinense com transmissão autóctone, até o momento. Em 2017 foram 148 cães diagnosticados, sendo 83 eutanasiados e ainda 3 casos humanos identificados. Em 2016, foram 74 cães identificados e 39 eutanasiados. Os casos de leishmaniose visceral canina em Florianópolis vem numa crescente desde 2010 quando os primeiros casos foram diagnosticados em cães na Lagoa da Conceição.
Fonte: http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2018/02/dobra-o-numero-de-casos-de-leishmaniose-visceral-canina-em-florianopolis-em-2017-10174557.html

Difteria (resumo): Américas
Em 2017, quatro países da Região das Américas (Brasil, Haiti, a República Bolivariana da Venezuela e a República Dominicana) notificaram casos confirmados de difteria. Até a semana epidemiológica (SE) 8, 2018, os países (Brasil, Colômbia, Haiti e República Bolivariana de Venezuela) já notificaram casos suspeitos e confirmados.
No Brasil, em 2017, foram 40 casos notificados em 14 estados, sendo 5 confirmados em 4 estados. Um dos casos, importado da Venezuela, foi a óbito. Na SE 2 de 2018, um caso suspeito foi notificado.
Na Colômbia, na SE 7 de 2018 se notificou um caso de óbito confirmado.
No Haiti, o surto que começou no final de 2014, acumula um total de 410 casos prováveis até SE 6 de 2018, incluindo 75 mortes. As taxas de letalidade foram 22,3% em 2015, 27% em 2016 e 10,7% em 2017.
Na Venezuela, o surto de difteria começou em julho de 2016 e, até a SE 5 de 2018, já foram relatados 969 casos prováveis ​​(324 casos em 2016, 609 em 2017 e 36 em 2018), dos quais 726 foram confirmados por laboratório e clínica e 113 foram a óbito (17 em 2016 e 96 em 2017). Em 2016, casos foram relatados em 5 estados, enquanto que em 2017 o número de estados com casos registrados chegou a 22 estados e o Distrito da Capital. Em 2018, somente 9 relataram casos confirmados.
Fonte: http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=43895&lang=es

Hepatite A: EUA e Oceania
O Departamento de Saúde Pública e Saúde do Departamento de Louisville, Kentucky, EUA, anunciou um óbito por Hepatite A, enquanto continua o combate ao surto de hepatite A aguda entre os usuários de drogas e pessoas sem-teto da cidade. Kentucky declarou um surto de hepatite A aguda em vários municípios em 21 de novembro. Até agora, houve 150 casos em Kentucky e 124 desses casos estavam em Louisville. O diretor, Lori Caloia, disse que o estado de Kentucky geralmente só tem 20 casos por ano. O departamento está focado em vacinar, gratuitamente, o máximo possível de pessoas nas categorias de alto risco, incluindo os desabrigados e usuários de drogas. Desde novembro, foram administradas quase 6.000 vacinas de hepatite A em abrigos para pessoas sem-teto, acampamentos para pessoas sem-teto, casas de recuperação e em agências como o Centro de Saúde de Phoenix.
O vice-diretor de saúde da Victoria, Austrália, Oceania, o Dr. Brett Sutton, confirmou um óbito e o aumento do número de casos em Victoria. Existe 58 casos confirmados, sete casos prováveis ​​e um óbito. Outros 16 casos de hepatite A estão sob investigação inicial. Todos os casos são adultos com vida sexual ativa (homem-homem) e sem viagens ao exterior e alguns casos utilizam drogas injetáveis. Análises laboratoriais detalhadas descobriram que as cepas do vírus da hepatite A neste surto são muito similares a uma cepa atualmente circulante na Europa. Um surto similar foi relatado no início de 2017 em Nova Gales do Sul, Austrália.
Fonte: http://www.wdrb.com/story/37660172/louisville-records-first-hepatitis-a-death-as-state-continues-battling-outbreak
http://outbreaknewstoday.com/hepatitis-cases-reported-victoria-62736/

Hantavirose: Américas
Desde que a cidade começou a rastrear hantavirose em 1993, o segundo caso humano foi diagnosticado em Denver, Colorado, EUA, América do Norte. Esta infecção geralmente ocorre durante a primavera ou no verão, e os sintomas aparecem duas semanas depois. Os seres humanos ficam infectados com o hantavírus quando respiram o vírus enquanto agitam poeira de ninhos de ratos ou excrementos de ratos.
Em Herrera, Panamá, América Central detecta o primeiro caso humano de hantavírus, este ano. O caso é residente da aldeia de Monagrillo de Chitré e é suspeito de ter adquirido o vírus fora da região, especificamente na área de Tres Quebradas, na província de Los Santos. O ministro da Saúde, Miguel Mayo,afirmou que este comportamento da doença era esperado, principalmente nesta época do ano.
Fonte: http://www.9news.com/article/news/health/someone-contracted-the-hantavirus-in-denver/73-526346683
http://www.panamaamerica.com.pa/provincias/confirman-primer-caso-de-hantavirus-en-herrera-1098667

Influenza: EUA, Europa
A temporada de gripe nos Estados Unidos já matou 114 crianças em todo o país e afeta 48 estados, segundo os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Esta sendo considerada a mais difícil na última década. A maioria das crianças que morreram este ano, não havia sido vacinada contra influenza. A última vez que o país enfrentou uma epidemia semelhante foi em 2014/2015, disse o Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias. O relatório semanal dos CDC revela que, entre 1 de outubro de 2017 e 24 de fevereiro, mais de 23 mil casos de gripe foram confirmados por testes de laboratório. A última vez que o país enfrentou uma epidemia semelhante foi em 2014/2015, segundo o Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias, quando 148 crianças morreram devido. Em 2016 e 2017 os óbitos foram de 92 e de 110, respectivamente.
Segundo a Agência Nacional de Segurança Alimentar da Bulgária, Europa, um surto do vírus da gripe aviária H5N8 altamente patogênico foi identificado em uma fazenda no distrito de Dobrich, no nordeste do país, localizado perto da fronteira com a Romênia. A Agência, ainda, impôs a proibição de comercialização e circulação de aves domésticas, selvagens e outras e o comércio de ovos. A virulência do vírus da gripe aviária, altamente patogênico, levou países como a Arábia Saudita a impedir as importações de aves da Bulgária.
Fonte: https://www.efe.com/efe/america/sociedad/sube-a-114-el-numero-de-ninos-fallecidos-por-la-epidemia-gripe-en-ee-uu/20000013-3541112
https://www.reuters.com/article/us-health-birdflu-bulgaria/bulgaria-reports-outbreak-of-highly-pathogenic-h5n8-bird-flu-idUSKBN1GH1C1

Febre do Vale do Rift (FVR): Sudão do Sul, África
O surto de febre do Vale do Rift (FVR) no Estado do Leste, Sudão do Sul cresceu para 32 casos e quatro óbitos, de acordo com uma atualização da Organização Mundial de Saúde (OMS). No total, foram relatados 32 casos de FVR suspeitos, incluindo cinco casos confirmados. Desde o início do surto, cabras, ovelhas e gado na área mostraram evidências de doença hemorrágica zoonótica e abortos em gado, doença em bovinos e mortes de aves selvagens foram relatados na área do foco. A Febre Vale do Rift é decorrente de um vírus transmitido por mosquitos, endêmico em algumas partes da África, incluindo a África do Sul. Ele infecta principalmente animais como ovelhas, gado e cabras e pode ter um impacto econômico em uma comunidade devido à perda de gado. Os seres humanos são infectados através do contato com sangue ou órgãos infectados, sendo o massacre e o abate de animais a principal causa, mas também, pode ser transmitido aos seres humanos através de picadas de mosquito e as mordidas de moscas sugadoras de sangue.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/south-sudan-additional-suspected-rift-valley-fever-death-reported-65702/

Febre de Lassa: Nigéria, África
Segundo o relatório da semana epidemiológica 09, 35 novos casos foram confirmados, registrados em 5 estados: Edo (19 casos), Ondo (5), Bauchi (1), Ebonyi (9) e Planalto (1), com 7 novos óbitos em casos confirmados de 3 estados; Ondo (2), Edo (2) e Ebonyi (3). Desde o início do ano vigente, mais de mil suspeitos foram registrados. Destes, 353 foram confirmados positivos, 8 são prováveis, 723 são negativos e 37 estão aguardando resultados laboratoriais.Os óbitos já passam de 100. Foram identificados 3126 contatos em 18 estados . Destes, 1586 estão atualmente sendo monitorados, 1485 já completaram os 21 dias e 21 dos 47 contatos sintomáticos testaram positivo em 3 estados (Edo-11, Ondo-7 e Ebonyi-3).
Fonte: http://www.promedmail.org/direct.php?id=20180306.5670231

Cólera: Uganda, África
O surto de cólera, que já matou 29 pessoas e hospitalizou mais de 900 pessoas no distrito de Hoima, Uganda, foi confirmado na semana passada atingindo refugiados congoleses no campo de assentamentos de Kyangwali que fugiram da luta no leste da República Democrática do Congo.
Fonte: http://allafrica.com/stories/201802280146.html

Malária: Angola, África
Desde o início do ano já foram registados mais de 300 mil casos de malária em Angola e, pelo menos, mil mortos. Em 2017, mais de sete mil pessoas já tinham morrido com a doença. As chuvas intensas, más condições de higiene, falta de medicamentos e corrupção no país podem justificar a situação. Muitos hospitais não têm medicamentos para fornecer aos doentes, nem mesmo os materiais básicos para as consultas, como algodão, seringas ou luvas descartáveis. A época das chuvas dura de setembro a maio.
Fonte: http://observador.pt/2018/03/08/pelo-menos-mil-mortos-devido-a-malaria-em-angola/

Raiva: Tailândia, Ásia
As autoridades de saúde da Tailândia declaram 13 províncias como “zonas vermelhas” para a raiva, incluindo um cluster a leste de Bangkok. A doença mortal recentemente se espalhou para várias partes do país, resultando em três mortes humanas e mais de 240 animais infectados nos últimos dois meses. O Departamento de Desenvolvimento da Pecuária também anunciou que há outras áreas propensas à raiva que englobam 42 províncias. O número de animais infectados aumentou 1,5 vezes em relação ao ano passado, sendo os cães os maiores acometidos entre os animais domésticos, incluindo gatos e vacas.
Fonte: https://www.bangkokpost.com/news/general/1422947/13-provinces-are-rabies-red-zones

Sífilis Congênita: Austrália
Morreu a sexta criança por sífilis congênita de um surto com 13 bebês já identificados, na Austrália. O surto já se espalhou para Austrália Ocidental, Austrália do Sul e o Território do Norte.
Fonte: http://www.abc.net.au/news/2018-03-02/sixth-infant-dies-of-syphilis/9503964
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 09/2018

Febre Amarela: Brasil
A prefeitura de Valinhos, no interior de São Paulo, confirmou a primeira morte por febre amarela silvestre no município. Segundo a prefeitura, esse foi o primeiro registro de morte por febre amarela em décadas no município. Ao todo, Valinhos tem uma morte confirmada pela doença, uma morte suspeita e seis casos sob investigação. Diante da confirmação da primeira morte, a Secretaria da Saúde decidiu ampliar a vacinação nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município. Segundo a Vigilância Epidemiológica, 46 mil pessoas já se vacinaram no município desde o ano passado.
A partir da próxima segunda-feira, a Prefeitura de Manaus, Amazonas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), vai intensificar a vacinação contra o sarampo em todas as 185 salas de vacina, sendo 183 nas Unidades Básicas de Saúde do município e duas particulares. O reforço considera os alertas emitidos pela Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (MS), inclusive em conjunto com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), referente ao surto de sarampo no Estado de Bolívar, na Venezuela, fronteira com Roraima, informando a notificação de 857 casos suspeitos de sarampo, com a confirmação de 465 casos.
O Ministério da Saúde atualizou, no primeiro dia de março, as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no Brasil. No período de monitoramento (de 1º de julho/2017 a 28 de fevereiro de 2018), foram confirmados 723 casos de febre amarela no país, sendo que 237 vieram a óbito. Ao todo, foram notificados 2.867 casos suspeitos, sendo que 1.359 foram descartados e 785 permanecem em investigação, neste período. Em período anterior, (julho/2016 a 28/02/2017) foram 576 casos confirmados e 184 óbitos confirmados. Embora os casos do atual período de monitoramento tenham sido superiores à sazonalidade passada, o vírus da febre amarela hoje circula em regiões metropolitanas do país com maior contingente populacional, atingindo 32,3 milhões de pessoas que moram, inclusive, em áreas que nunca tiveram recomendação de vacina. Na sazonalidade passada, por exemplo, o surto atingiu uma população de 8 milhões de pessoas, muito menor que a atual. A incidência da doença no período de monitoramento 2017/2018 é de 2,2 casos para 100 mil/habitantes e na sazonalidade passada (2016/2017), a incidência foi de 7,1/100 mil habitantes, no mesmo período. Para auxiliar os estados e municípios na realização da campanha, o Ministério da Saúde repassou aos estados no ano de 2018 até o momento, 20,2 milhões de doses da vacina. Para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia foram enviados 15,7 milhões de doses para implementação da Campanha de Vacinação Contra a Febre Amarela. Foram 10,7 milhões para São Paulo, 4,7 milhões para o Rio de Janeiro e 300 mil para a Bahia. No site do Ministério da Saúde, é possível identificar a distribuição dos casos em todos os estados da federação.
Fonte: http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,valinhos-tem-primeira-morte-por-febre-amarela-e-amplia-vacinacao,70002197698 http://www.manaus.am.gov.br/noticia/prefeitura-intensifica-vacinacao-contra-sarampo/
http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42655-febre-amarela-ministerio-da-saude-atualiza-casos-no-pais

Raiva Bovina: São Paulo, Brasil
Foram confirmadas duas mortes de bovinos para raiva animal, no bairro Rio Acima em Jundiaí, São Paulo. Ainda estão em investigação outras 3 mortes de bovinos. A Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) realiza trabalho de orientação sobre a circulação do vírus da raiva animal com os moradores dos bairros rurais da região Leste. Os agentes circulam entre as propriedades em busca de animais que tenham sido atacados por morcegos hematófagos contaminados que possam transmitir a doença, além de orientar a população com relação à necessidade de vacinação dos animais domésticos contra a doença. Há, ainda, busca ativa para localizar colônias de morcegos hematófagos que estejam fazendo os ataques aos animais daquela região. A orientação da UVZ é para a população não tocar nos morcegos encontrados, vivos ou mortos.
Fonte: http://www.jundiagora.com.br/raiva-bovino/
http://tudo.com.vc/jundiai-regiao/geral/2018/02/24/confirmado-segundo-caso-de-raiva-animal-em-jundiai/

Conjuntivite: Ceará, Brasil
A cidade de Fortaleza vem vivendo um aumento de casos de conjuntivite em sua população. Atualmente, as duas clínicas que atendem a emergências oftalmológicas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Fortaleza, vem atendendo a média de 10 pacientes diariamente quando a rotina implica em um ou dois atendimentos. Contudo, o Hospital de Olhos Leiria de Andrade está considerando esse surto como o maior da história, ao declarar ter tido um aumento de quase quatro vezes no atendimento devido aos casos de conjuntivite neste mês. Apenas no último dia 19, 900 pacientes foram atendidos na unidade, quando o normal são 250.
Desde julho de 2017, 545 casos confirmados de febre amarela e 164 óbitos. Agora, tanto a Argentina quanto a França estão relatando casos de febre amarela importados em viajantes ao Brasil nas últimas semanas. Duas mulheres de Buenos Aires, Argentina, foram confirmadas positivas para a febre amarela e contraíram a doença no Brasil, na cidade de Ilha Grande, no Rio de Janeiro. O Ministério da Saúde da França confirmou um caso de febre amarela em uma mulher não vacinada que viajou por Minas Gerais recentemente. Em janeiro, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA atualizou suas recomendações para febre amarela, indicando um link com a lista de todas as cidades do Brasil que teve recomendação de vacinação contra febre amarela.
Fonte: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/cidade/fortaleza-tem-surto-de-conjuntivite-confirmado-1.1897546
http://outbreaknewstoday.com/argentina-france-report-imported-yellow-fever-cases-brazil-42302/
https://wwwnc.cdc.gov/travel/notices/alert/yellow-fever-brazil

Sarampo: Américas, Europa e Ásia
A Secretaria Estadual de Saúde de Roraima, Brasil lançou um novo balanço sobre a situação de sarampo que confirmou mais 5 casos, totalizando 6 casos confirmados e ainda outros 12 em investigação. Os 6 casos são de crianças venezuelanas entre 9 meses e 10 anos sem histórico vacinal. As ações de bloqueio vacinal estão sendo intensificadas e já somando mais de 2 mil doses em 10 dias de ação. Depois de um pedido emergencial, o Ministério da Saúde encaminhou mais 80 mil doses para a região, que devem ser utilizadas durante uma campanha de imunização prevista para ser realizada durante o mês de março em todo o Estado de Roraima. A circulação do vírus do sarampo na região das Américas já tinha sido declarada eliminada em 2016.
Os últimos casos autóctones de sarampo (9) no estado de Minas Gerais, Brasil ocorreram em 1999 e até o momento, não houve casos confirmados registrados em 2018. Porém, a Secretaria de Saúde de Minas Gerais, diante dos últimos casos registrados no Brasil e em alguns países da Europa onde circulam turistas brasileiros, faz um alerta sobre a importância da vacinação para prevenir a doença.
Na Europa ocorreu um aumento significativo nos casos de sarampo em 2017 que, segundo a Organização Mundial de Saúde, afetou mais de 20 mil pessoas, após um histórico de 5.273 casos em 2016. Além do elevado número de acometidos em 15 países, ocorreram 35 mortes. Segundo os especialistas, o grande problema foi a rejeição a vacinação, por causa do resultado de uma pesquisa, já desacreditada, sobre uma possível ligação entre a vacina MMR e o autismo. A OMS diz que houve diminuição na cobertura rotineira de imunização bem como a cobertura entre alguns grupos marginalizados, além das interrupções no fornecimento de vacinas ou sistemas de vigilância para doenças de baixo desempenho. Segundo a OMS, então, a principal razão por trás do aumento acentuado nos casos de sarampo é a baixa cobertura de vacinação que aumenta o risco de propagação do vírus. A Itália, Romênia e Ucrânia, lutam contra seus maiores surtos de sarampo. Na Itália, o governo decidiu que as crianças deveriam ser vacinadas contra 12 doenças comuns antes de se matricularem nas escolas estaduais.
O Departamento de Saúde declarou um surto de sarampo na cidade de Zamboanga, Filipinas, Ásia. Os casos começaram a aumentar em agosto do ano passado e, até agora em 2018, já foram 166 casos de sarampo relatados. O secretário de saúde, Francisco Duque III, avalia que, a baixa cobertura da vacina contra o sarampo nos últimos anos é o que realmente levou à acumulação de indivíduos suscetíveis. Desse modo, as autoridade pedem o apoio da população ao programa de imunização.
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-02/sobe-para-13-o-numero-de-casos-suspeitos-de-sarampo-em-roraima
https://noticias.r7.com/saude/roraima-confirma-5-novos-casos-de-sarampo-em-criancas-venezuelanas-28022018
http://www.soubh.com.br/noticias/gerais/sarampo-vacina-minas/
https://mx.blastingnews.com/salud-belleza/2018/02/la-oms-advierte-sobre-las-crecientes-tasas-de-sarampion-en-europa-002377499.html
http://newsinfo.inquirer.net/971058/doh-declares-measles-outbreak-in-zamboanga-city

Hantavirus: Américas
As autoridades de saúde da Argentina, América do Sul, confirmaram 17 casos e uma morte por hantavirose. Por ano, em média, há uma incidência de entre 25 e 28 casos que ocorrem em sua maioria nos meses de verão. O Ministério da Saúde reforçou a vigilância e recomendou a adoção de medidas preventivas contra esta doença que é contraída através das secreções do chamado “mouse colilargo” e que a população deve estar atenta a sintomas como febre, prostração, dores de cabeça, dor de cabeça, tosse e vômitos.
No Chile, América do Sul, um novo caso foi confirmado na região de Los Lagos e ainda há outro caso suspeito em investigação.
No Arizona, EUA, América do Norte, uma mulher previamente identificada com gripe, foi posteriormente diagnosticada com hantavirose. Os sintomas se iniciaram em janeiro e, com não houve melhora com o tratamento para gripe e, ainda, um agravamento, nova investigação foi feita até chegar na identificação viral da infecção. A situação atual do caso não é sabida. Casos esporádicos de infecções por hantavírus ocorrem anualmente no oeste dos EUA, incluindo ocasionalmente no Arizona. Curiosamente, este ano 17 ratos no município de San Diego, Califórnia, foram positivos para hantavírus, mas não houve registro de casos humanos associados.
Fonte:http://laopinion.com.ar/salud-confirma-17-casos-de-hantavirus-pero-descarta-que-haya-un-brote/
https://infocielo.com/nota/88777/se_registraron_17_casos_de_hantavirus_en_la_provincia_y_ya_hay_una_persona_fallecida/
http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-los-lagos/2018/03/01/un-confirmado-y-un-segundo-caso-sospechoso-de-virus-hanta-en-la-region-de-los-lagos.shtml
http://www.promedmail.org/post/20180301.5657531

Dengue: Paraguai, América do Sul
As autoridades de saúde confirmaram cinco mortes no Paraguai devido à dengue e emitiram um aviso sobre a propagação de doenças transmitidas pelo vetor da doença. A Diretoria de Vigilância em Saúde anunciou 3288 notificações de casos febris suspeitos nas três semanas mais recentes. O Ministério da Saúde Pública e do Bem-Estar social insistiu mais uma vez na necessidade de eliminar os locais de reprodução do mosquito que transmite a dengue, Aedes aegypti. O Paraguai sofreu a maior pandemia dessa doença em 2013, quando mais de 150 mil casos foram registrados e a morte de 252 pessoas.
Fonte: http://www.prensa-latina.cu/index.php?o=rn&id=154957&SEO=suman-cinco-muertes-este-ano-por-dengue-en-paraguay

Malária: Espanha, Europa
O Hospital Universitário de Móstoles, em Madrid, Espanha, confirmou o caso de uma menininha de três meses diagnosticada para malária. Desde então, foi criado um grupo de trabalho composto por pessoas encarregadas do hospital de Madri e da Saúde Pública da Comunidade para determinar como o contágio ocorreu, já que a menina não viajou para nenhum país afetado. Há hipótese da infecção ter ocorrido no hospital. Erradicada em 1964, a malária é a doença parasitária com maior número de casos importados para a Espanha, e como o vetor ainda é distribuído por todo o território, a ocorrência de casos autóctones é possível.
Fonte: http://cadenaser.com/emisora/2018/02/28/radio_madrid/1519843957_213951.html

Hepatite E: Namíbia, África
Desde que o surto de hepatite E foi detectado em dezembro de 2017, 6 mortes, inclusive em gestantes, foram identificados em Windhoek, Namíbia, África. As notificações chegaram a 894, com 90 confirmações laboratoriais. Outros casos têm sido relatados nas regiões do norte como Oshikoto, Oshana, Omusati e Kahuika.
Fonte: https://www.namibian.com.na/64838/read/Hepatitis-E-death–toll-now-at-six

Cólera: África
A Agência das Nações Unidas para os refugiados está alarmada com a deterioração da situação na região de Kyangwali, onde, desde 22 de fevereiro, 668 casos de cólera, no oeste de Uganda, África. A taxa de mortalidade chega a quase 4%. Uma investigação do Ministério da Saúde de Uganda indica que os refugiados da República Democrática do Congo contraem a infecção nos seus locais de origem e ao longo do caminho para o Uganda. Em 2018, mais de 42 mil pessoas atravessaram o lago Albert, elevando o número total de refugiados congoleses em Uganda para mais de 251 mil. O Ministério imediatamente implantou uma Equipe de Resposta Rápida de 10 especialistas em controle de cólera e suprimentos médicos. Várias equipes técnicas estão trabalhando no local de pouso na margem do lago e nas áreas de recepção no assentamento de Kyangwali, realizando triagem médica, tratamento, mobilização da comunidade, fornecimento de água limpa e promoção de higiene.
Os trabalhadores da saúde no condado de Trans-Nzoia, no Quênia, África, estão lutando para controlar o surto de cólera que já matou quatro pessoas e deixou 21 internadas no hospital de referência do condado de Kitale. O surto foi relatado em favelas densamente povoadas de Kipsongo dentro de Kitale, por ingestão de água contaminada. Um dos casos internados relatou que começou a desenvolver transtornos do estômago e diarréia depois de beber água em um hotel na favela. Uma equipe de profissionais de saúde criou tendas na favela de Kispongo para realizar vigilância e educar os moradores em questões de saúde.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/uganda-cholera-hundreds-cases-reported-kyangwali-area-33706/
https://www.standardmedia.co.ke/health/article/2001271371/four-die-following-cholera-outbreak-in-trans-nzoia

Febre de Lassa: África
A febre de Lassa continua a se espalhar na Nigéria e já soma mais de mil casos suspeitos com 90 mortes em 18 estados, conforme o Centro de Controle de Doenças da Nigéria. Os dados deste ano somam 69% dos casos somente em dois estados: Edo (43%) e Ondo (26%). Os casos detectados em 2018 somam 317 casos confirmados e 8 prováveis, com 72 óbitos. Quatorze profissionais de saúde foram afetados em seis estados (Benue, Ebonyi, Edo, Kogi, Nasarawa e Ondo), com quatro óbitos. A partir de 18 de fevereiro, quatro dos 14 profissionais de saúde foram confirmados positivos para a febre de Lassa. A febre de Lassa é endêmica nos países da África Ocidental do Gana, Guiné, Mali, Benin, Libéria, Serra Leoa, Togo e Nigéria.
O Serviço de Saúde do Gana (GHS) confirmou o primeiro caso de Febre de Lassa, que foi a óbito. O diretor-geral do Serviço de Saúde do Gana disse que, atualmente, todos os funcionários da linha de frente no hospital que tratava o paciente estavam sendo rastreados, enquanto investigações adicionais para rastrear o histórico e todos os contatos do falecido estavam sendo perseguidos para evitar a propagação do vírus. Em fevereiro, o GHS já tinha emitido um alerta sobre a probabilidade de surto da febre de Lassa no país.
Fonte: http://www.businessdayonline.com/lassa-fever-hits-18-states-90-deaths-1081-suspected-cases/ http://www.who.int/csr/don/01-march-2018-lassa-fever-nigeria/en/ https://www.graphic.com.gh/news/general-news/one-confirmed-dead-from-lassa-fever.html

Rubéola: Síria, Oriente Médio
O acampamento Ain Issa, localizado na região norte de Rifqa a 50 km ao norte da cidade de Al Rigga, inclui cerca de 3000 tendas habitadas por mais de 20 mil pessoas que se deslocaram da cidade de Raqqa e Deir Al-Zour, teve o registro de mais de 60 casos de rubéola nos últimos dias. Um grupo dos Médicos Sem Fronteiras que trabalham no campo lançará uma campanha de vacinação nos próximos dias visando mais de 10 mil crianças, com idade entre 6 meses e 15 anos. Em mulheres grávidas, a doença pode causar a morte ou defeitos congênitos como cataratas, surdez, glaucoma e anormalidades cardíacas, pulmonares e cerebrais no feto durante os primeiros meses de gravidez.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/german-measles-outbreak-sickens-dozens-raqqa-camp-media-report-23026/

Doença Diarreica: Taiwan, Ásia
Um aumento no número de casos notificados de diarreia em Taiwan levou os Centros de Controle de Doenças (CDC) a renovar o apelo para que o público adote medidas de segurança alimentar e saneamento e siga práticas adequadas de higiene pessoal. Entre os dias 18 e 24 de fevereiro, mais de 160 mil pessoas procuraram atendimento médico. No último mês, 20 aglomerados de diarreia foram relatados com foco em restaurantes e hotéis, ligando os casos a infecção por norovírus. O diretor geral adjunto do CDC, Chuang Jen-hsiang, atribuiu o aumento aos costumes das festas do feriado do ano novo lunar e, acredita, que os casos irão diminuir posteriormente.
Fonte: http://focustaiwan.tw/news/asoc/201802270020.aspx
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 08/2018

Febre Amarela: Região das Américas, Brasil
Entre janeiro de 2016 e janeiro de 2018, sete países e territórios da Região das Américas relataram casos confirmados de febre amarela: o Estado Plurinacional da Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Peru e Suriname. O número de casos humanos e epizootias coletivamente relatadas neste período na Região das Américas é o mais alto observado em décadas. Segundo a Organização PanAmericana da Saúde/Organização Mundial de Saúde (OPAS/OMS), Brasil e Peru relataram novos casos de febre amarela. Os locais prováveis de infecção de todos os casos confirmados correspondem a áreas com epizootias documentadas em não humanos primatas (NHP). Além disso, dois casos confirmados de febre amarela (cidadãos europeus) foram relatados entre viajantes não vacinados que ficaram em municípios do Brasil considerados em risco de amarelo febre e onde a circulação do vírus já foi relatada. A OPAS/OMS encoraja os Estados membros a continuar os esforços para imunização e tomar as medidas necessárias para manter os viajantes informados e vacinados. A OMS publicou recentemente recomendações de vacinação para viajantes internacionais relacionadas com a situação atual no Brasil: “Atualizações sobre febre amarela”, disponível em
http://www.who.int/ith/updates/20180116/en/
Em 15 de fevereiro de 2018, o Ministério da Saúde do Brasil relatou a detecção do vírus da febre amarela em mosquitos Aedes albopictus capturados em áreas rurais de dois municípios (Ituêta e Alvarenga, MG).
Segundo o Ministério da Saúde, entre 1º julho de 2017 a 16 de fevereiro de 1028, o Brasil confirmou 464 casos de febre amarela e 154 óbitos. O estado do Rio de Janeiro, foram 66 notificações com 57 casos já confirmados e 24 óbitos. No mesmo período do ano passado, foram confirmados 532 casos e 166 óbitos. Ao todo, foram notificados 1.626 casos suspeitos, sendo que 684 foram descartados e 478 permanecem em investigação.
A Baixada Santista tem oito casos suspeitos de febre amarela com seis em São Vicente e 2 em Peruíbe. A Secretaria de Saúde de São Vicente informa, porém, que todos os casos estão aguardando laudo laboratorial. Em Santos, houve morte de um caso suspeito que estava internado.
O embaixador do Chile no Brasil, Jaime Gazmuri, confirmou a morte do segundo chileno infectado pela febre amarela. O terceiro chileno infectado, do mesmo grupo de amigos em passeio a Ilha Grande, Rio de Janeiro, permanece em observação.
Fonte:
https://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/2018-feb-16-phe-epi-update-yellow-fever.pdf
http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42558-ministerio-da-saude-atualiza-casos-de-febre-amarela-6
http://www.diariodolitoral.com.br/cotidiano/baixada-santista-tem-oito-casos-suspeitos-de-febre-amarela/108471/
http://www.t13.cl/noticia/nacional/confirman-muerte-segundo-chileno-contagiado-fiebre-amarilla-brasil
http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/chile/2018/02/20/muere-un-segundo-chileno-contagiado-por-fiebre-amarilla-en-brasil.shtml

Sarampo: Brasil, Europa
A Secretaria Estadual de Saúde de Roraima confirmou que há 6 crianças venezuelanas e 1 brasileira em investigação sob suspeita de sarampo. As crianças são residentes do município de Boa Vista, Roraima, Brasil e não tem histórico vacinal. No último final de semana, profissionais de saúde organizaram um mutirão para vacinar venezuelanos que estão em abrigos em Boa de Vista.
De acordo com um relatório publicado pela o Escritório Regional para a Europa da Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos novos de sarampo continuam a ser registrados na Europa, principalmente pelo grande número de pessoas que são não vacinadas. Em 2017, a Europa registrou um aumento alarmante, em torno de 400% de aumento (21.315 casos, 35 mortes) frente ao registrado em 2016 (5.273 casos). O aumento dos casos de sarampo em 2017 refletiu surtos importantes, de 100 casos ou mais, em 15 dos 53 países da região europeia. A Romênia foi o país mais afetado (5.562 casos), seguido pela Itália (5006) e a Ucrânia (4767), provavelmente por causa dos importantes cortes sofridos nos últimos anos em campanhas de vacinação. Hoje, a OMS já pensa que o perigo está dentro da Europa, considerando a exportação de casos para países com sistemas de saúde deficientes e altas taxas de mortalidade e não o contrário.
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-02/roraima-confirma-sete-casos-suspeitos-de-sarampo-em-boa-vista
http://www.abc.es/sociedad/abci-casos-sarampion-aumentan-400-por-ciento-europa-201802192132_noticia.html

Dengue: Paraguai, América do Sul
De acordo com os relatórios elaborados pela Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde Pública e Previdência Social, de 31 de dezembro de 2017 a 3 de fevereiro de 2018, 895 casos positivos de dengue foram registrados nos diferentes centros de saúde do país, sendo 82% pertencente à Asunción e à área metropolitana. A doença está avançando rapidamente em todas as áreas do país, com média de 25 casos novos por dia. Cerca de 1.526 casos prováveis da doença estão em investigação, com quase 2.700 notificações nas últimas três semanas.
Fonte: http://www.paraguay.com/nacionales/dengue-25-casos-por-dia-son-confirmados-174338

Cólera: África
Desde o início do surto em meados de agosto de 2017 até 11 de fevereiro de 2018, 1799 casos foram relatadas em duas províncias de Moçambique, Nampula (1580 casos) e Cabo Delgado (219 casos). A incidência dos casos atingiu o pico em meados de novembro, seguido por uma rápida diminuição nos casos relatados. Em 2018, a média do número semanal de casos está entre 30 e 60 casos.
Na Zambia, 4 pessoas morreram por suspeita de cólera em campos de pesca localizados em Shibuyunji, da Província Central, levando ao Ministério da Saúde a fechar sete campos de pesca ilegais. Ao todo, o distrito registrou 10 casos de cólera. O ministro da Saúde, Chitalu Chilufya informou que o governo estava trabalhando para garantir que a cólera fosse minimizada e que um centro de saúde em Shibuyunji fosse instalado para vacinar as pessoas contra a cólera na área de pesca.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/19-february-2018-cholera-mozambique/en/ http://www.times.co.zm/?p=102900

Hepatite A: EUA
O Departamento de Saúde Pública do Kentucky, EUA apresentou um aumento no número de casos de hepatite A. Desde 01 de janeiro de 2017, já foram registrados mais de 103 casos confirmados, com 78 hospitalizações. O aumento nos casos envolvendo pessoas sem-teto e usuários de drogas ocorreu desde 1 de agosto de 2017. A seqüência viral uniu o cluster de Kentucky com surtos de hepatite A na Califórnia, Utah, Michigan e outros estados. A maioria dos casos está em Louisville com quase 90 casos, geralmente a cidade apresenta de um a quatro casos em um ano típico. O departamento de saúde vacinou mais de 4.300 pessoas em Louisville.
Fonte: http://www.foodsafetynews.com/2018/02/kentucky-links-hepatitis-a-outbreak-cases-to-others-in-california-and-utah/#.WpBU4rynHIV

Malária: Angola, África
Pelo menos 62.310 casos de malária, com mais de 160 óbitos, foram registrados no mês passado no município do Soyo, província do Zaire, Angola, segundo o Diretor Municipal de Saúde. Estes registros superam em 13,7% os identificados no mesmo período em 2017. Em função da realidade que a região vive, as autoridades administrativas e sanitárias realizam campanhas de fumigação em todos os bairros do município, no sentido de prevenir cada vez mais o aumento de casos de malária e eventualmente mais de óbitos.
Fonte: http://jornaldeangola.sapo.ao/provincias/casos_de_paludismo__tendem_a_aumentar

Febre de Lassa: Nigéria, África
As autoridades de saúde da Nigéria relataram 68 novos casos confirmados de febre de Lassa durante a SE 7 em sete estados: Edo (35), Ondo (19), Bauchi (1), Ebonyi (7), Anambra (4), Imo (1) e FCT (1 ) com 4 novas mortes. De 1 de janeiro a 18 de fevereiro de 2018, um total de 913 casos suspeitos e 73 óbitos foram relatados em 17 estados. A febre de Lassa é uma doença hemorrágica viral aguda causada pelo vírus Lassa, um membro da família de vírus Arenavirus. É transmitida aos seres humanos a partir de contatos com alimentos ou utensílios domésticos contaminados com excrementos de roedores. Os sintomas da febre de Lassa geralmente ocorrem entre a 1ª e a 3ª semana após o contato e incluem febre, dor retroesternal, dor de garganta, dor nas costas, tosse, dor abdominal, vômitos, diarréia, conjuntivite, inchaço facial, proteinúria e sangramento mucoso podendo haver problemas neurológicos. Não existe vacina atualmente disponível para a febre de Lassa.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/nigeria-lassa-outbreak-68-new-confirmed-cases-last-week-99646/

Febre Tifóide: Paquistão, Ásia
Pesquisadores do Instituto Wellcome Sanger da Grã-Bretanha, analisaram a genética da estirpe tifóide responsável pelo surto resistente a medicamentos que começou em Hyderabad, no Paquistão em novembro de 2016, ainda está se espalhando. Os relatórios locais da mídia paquistanesa dizem que as autoridades de saúde detectaram mais de 800 casos de febre tifóide resistente a drogas em Hyderabad em um período de 10 meses entre 2016 e 2017. A febre tifoide é uma infecção altamente contagiosa causada pela bactéria Typhi e salmonella enterica serovar. É contraída consumindo alimentos ou bebidas contaminadas, os sintomas incluem: náuseas, febre, dor abdominal e manchas cor de rosa no peito. Pode ser fatal se não tratada.
Fonte: https://www.reuters.com/article/us-health-typhoid/study-finds-new-superbug-typhoid-strain-behind-pakistan-outbreak-idUSKCN1G41E7

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 06 e 07/2018

Febre Amarela: Brasil
Brasil
No período de monitoramento referente aos meses de Julho de 2017 até Junho de 2018 (até SE 06) foram notificados 1.286 casos suspeitos de FA, dos quais 510 foram descartados, 423 permanecem em investigação e 353 foram confirmados. Os casos confirmados estão distribuídos nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, destes 98 evoluíram para o óbito (letalidade de 27,7%). Em relação as epizootias 3.481 foram notificadas, das quais 722 foram descartadas, 1.242 foram indeterminadas (s/ coleta de amostras), 1.018 permanecem em investigação e 499 foram confirmadas para FA, 99,4% na região Sudeste. Os estados de Tocantins (2), Mato Grosso (1) e Espírito Santo (1) também tiveram epizootias confirmadas.
São Paulo
Do início do período de monitoramento 2017/2018 até o momento, foram registrados 186 casos autóctones, destes 66 evoluíram a óbito, atingindo letalidade de 35,5%. A maior parte dos casos possui como provável local de infecção o município de Mairiporã (105 casos), seguido do município de Atibaia (29 casos). Foram confirmados também 34 casos importados que possuem como local provável de infecção municípios de Minas Gerais. Em relação as epizootias foram confirmados 571 em primatas não humanos (PNH), distribuídas nas regiões da Capital (105), Campinas (246), Franco da Rocha (115), Mogi das Cruzes (5), Osasco (52), São José dos Campos (3), Sorocaba (45) e Taubaté (1).
Minas Gerais
De julho/2017 até o momento foram confirmados 183 casos com 76 óbitos, a maioria registrado nos municípios de Mariana (22 casos, destes 6 óbitos) e Nova Lima (17 casos, destes 6 óbitos), 91,3% são do sexo masculino, e a letalidade de aproximadamente 41,5%. As epizootias em Primatas Não Humanos foram observadas em 255 municípios, com casos confirmados em 41 deles nas regiões de Barbacena, Belo Horizonte, Divinópolis, Itabira, Juiz de Fora, Leopoldina, Ponte Nova, Pouso Alegre, São João Del Rei, Sete Lagoas e Uberlândia.
Rio de Janeiro
Boletim da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro divulga o número de casos e óbitos registrados ​em 2018, a última atualização refere 55 casos, destes 16 são residentes de Valença (6 óbitos), 7 de Teresópolis (4 óbitos), 6 de Nova Friburgo (3 óbitos), 1 de Petrópolis, 1 de Miguel Pereira (1 óbito), 2 de Duas Barras, 2 de Rio das Flores (2 óbitos), 5 de Sumidouro (2 óbitos), 1 de Vassouras, 3 de Cantagalo (2 óbitos), 1 de Paraíba do Sul (1 óbito), 2 de Carmo (1 óbito), 1 de Maricá, 4 de Angra dos Reis (2 óbitos), 1 de Paty de Alferes, 1 de Engenheiro Paulo de Frontin (1 óbito) e 1 de Mangaratiba. Epizootias entre primatas não humanos foram confirmadas em Niterói, Angra dos Reis, Barra Mansa, Valença e Miguel Pereira.
Fonte:https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2018/02/informe-epidemiologico-febre-amarela-0802
http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/fevereiro/08/af_informe-febre-amarela_12_8fev18.pdf
http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-por-vetores-e-zoonoses/doc/famarela/fa18_boletim_epid_1402.pdf
http://www.saude.mg.gov.br/images/boletim15_02_18.pdf

Sarampo: Américas
Seis países da região das Américas reportaram casos entre Janeiro de 2017 e Janeiro de 2018 (Antígua e Barbuda -1 caso importado, Argentina – 3 casos, Canadá – 45 casos, Guatemala – 1 caso importado, Estados Unidos da América – 120 casos e Venezuela – 952 casos). Na Venezuela, os primeiros casos foram relatados na semana epidemiológica 26/2017, a maioria dos casos é do estado de Bolívar (82% do total confirmado), sendo o município de Caroni o epicentro do surto. Há casos relatados também em Apure, Anzoategui, Delta Amacuro, o Distrito Capital, Miranda, Monagas, Vargas e Zulia.
Em Boa Vista, Roraima, uma criança venezuelana está internada no Hospital da Criança com diagnóstico confirmado, ela chegou na cidade há 20 dias acompanhada da mãe e dois irmãos que ficaram em um abrigo na zona oeste da cidade e depois em uma Praça no centro, principais locais onde a secretaria de saúde realizará uma intensificação vacinal para evitar que a doença se espalhe.
Fonte:http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=43506&lang=en
https://oglobo.globo.com/brasil/roraima-fica-sob-alerta-para-possivel-surto-de-sarampo-apos-diagnostico-de-venezuelana-22396742

Malária: Américas, Ásia e África
OPAS publicou atualização epidemiológica com a situação nos países da região, desde de 2016 onze países relataram aumento no número de casos (Colômbia, Equador, El Salvador, Guiana, Haiti, Honduras, Nicarágua, Panamá, Venezuela, Brasil e México), além de Cuba e Costa Rica que notificaram casos entre indígenas. No Brasil, entre janeiro e novembro de 2017 foram notificados quase 60 mil casos a mais na região Amazônica do que no mesmo período em 2016, principalmente nos Estados do Amazonas, Pará e Acre, com aumento também das detecções do Plasmodium falciparum. No estado do Pará, os casos triplicaram nos últimos 2 anos, com os municípios de Bagre, Anajás, Oeiras do Pará, Curralinho, Itaituba e Portel, liderando em número de casos.
Na Ásia, a resistência às drogas antimaláricas registrada no Camboja preocupa especialistas, principalmente por conta da proximidade com a África. Pesquisadores verificaram que uma cepa do Plasmodium falciparum do sudeste asiático detectado entre amostras coletadas de 2007 a 2013, tornou-se resistente as duas drogas utilizadas, dihidroartemisinina e piperaquina (DHA-PPQ).
Na província de Benguela, Angola, 50 óbitos foram registrados nos último 10 dias e mais de 8 mil casos suspeitos. Entre Janeiro e Setembro de 2017 foram reportados mais de 310 mil casos na província de Benguela e mais 155 mil casos na província de Huambo.
Fonte:http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=43437&lang=es
https://www.theguardian.com/world/2018/feb/01/drug-resistant-malaria-will-spread-without-urgent-action-experts-warn
http://www.thelancet.com/journals/laninf/article/PIIS1473-3099(18)30068-9/fulltext
https://g1.globo.com/pa/para/noticia/em-apenas-dois-anos-casos-de-malaria-quase-triplicam-no-para.ghtml
https://www.voaportugues.com/a/surto-malaria-benguela-50-mortes-sete-dias/4251886.html
http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/260122/1/OEW5-2701222018.pdf

Chikungunya: Peru
Região de Piura, ao norte do país, registra os primeiros casos autóctones da doença. Até o momento foram registrados 4 casos, entre eles uma gestante de 28 anos. Os casos são provenientes dos distritos de Catacaos, Castilla, Chulucanas e Huancabamba. O número de casos de dengue também aumentou na região, com 206 casos notificados até a primeira semana de fevereiro. As autoridades de saúde locais afirmam que o orçamento é insuficiente para combater a infestação pelo Aedes Aegypti.
Fonte:https://elcomercio.pe/peru/piura/piura-confirman-primer-caso-autoctono-chikungunya-noticia-496886
https://peru21.pe/peru/suben-cuatro-casos-autoctonos-chikungunya-piura-395901

Hepatite A: San Diego (USA)
San Diego enfrenta um surto de Hepatite A com casos notificados desde Março de 2017, estratégias como a instalação de locais para a lavagem das mãos, banheiros móveis em locais com grande concentração de pessoas, lavagem das calçadas com solução alvejante, abordagem das pessoas em situação de rua e uma ampla campanha de vacinação foram adotadas para controlar o surto. Foram confirmados 578 casos e 20 óbitos até o momento, desde 3 de janeiro de 2018 não foram detectado novos casos.
Fonte:http://www.sandiegouniontribune.com/news/health/sd-no-hepatitis-redux-20180209-story.html

Hepatite E: Namíbia
Do início de Setembro de 2017 até o momento foram relatados 643 casos (50 confirmados laboratorialmente) e 3 óbitos. A maioria dos casos foi relatada em assentamentos informais na capital, Windhoek, com 332 (52%) casos notificados de Havana e 168 (26%) de Goreagab. Estima-se que 89% da população dessas duas áreas usam pontos de água comuns e 62% defecam ao ar livre.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/namibia-hepatitis-e-outbreak-tops-600/

Influenza H7N4: China
Mulher de 68 anos, residente na província de Jiangsu, leste da China, foi diagnosticada com o vírus Influenza H7N4, o primeiro caso humano reportado. A paciente foi internada em 1º de janeiro com pneumonia grave, medicada e liberada no dia 22 do mesmo mês. Segundo o Ministério da Saúde da China 28 contatos foram monitorados e não apresentaram sintomas até o momento. Provavelmente esta cepa, identificada em frangos na Austrália em 1997, não representa ameaça aos humanos, afirmam especialistas.
Fonte:http://www.tn8.tv/mundo/443821-nueva-cepa-gripe-aviar-provoca-primer-contagio-humano/
https://edition.cnn.com/2018/02/15/health/first-human-case-h7n4-avian-flu/index.html

Norovírus: Coréia do Sul
Doença atinge 41 membros da equipe de segurança dos Jogos de Inverno, o vírus se espalhou e em uma semana já foram confirmados 128 casos incluindo funcionários do comitê organizador e de uma cafeteria. O comitê organizador de Pyeongchang está investigando as fontes de transmissão na água, alimentos e entre as equipes de preparação dos alimentos.  
Fonte:https://www.debate.com.mx/salud/Aumentan-infecciones-por-norovirus-en-Olimpicos-de-Invierno-20180212-0157.html
http://www.koreaherald.com/view.php?ud=20180208000904

Conjuntivite: Goiás, Brasil 
O município de Caldas Novas registrou mais de 2 mil atendimentos com sintomas da doença desde dezembro, com pico de atendimentos no mês de Janeiro e registro de queda agora. Uma força tarefa foi formada para controlar o surto e reduzir os danos principalmente no Carnaval, com disponibilização de álcool gel em pontos de aglomerações da cidade (Hotéis, Bancos, Restaurantes, Rodoviária e Aeroporto), divulgação de orientações entre entidades religiosas e representantes de unidades escolares, capacitação de agentes comunitários e de endemias para multiplicar as medidas preventivas entre os moradores e orientação às equipes das unidades de saúde quanto a higienização rigorosa do pessoal e das instalações.
Fonte:https://www.emaisgoias.com.br/caldas-novas-registra-mais-de-2-mil-contaminacoes-por-conjuntivite-desde-dezembro/

Escarlatina: Inglaterra
Foi registrado aumento no número de casos de escarlatina, entre as semanas 37/2017 e 4/2018 foram notificados 6.225 casos, 719 delas somente na última semana, e no mesmo período da temporada anterior foram registrados 3.764 casos. Autoridades de saúde aconselham aos pais ficarem atentos aos sintomas da doença, em especial devido o aumento das notificações de doença invasiva estreptocócica do grupo A, com registro de 26% a mais de casos comparados aos dados dos últimos anos.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/scarlet-fever-substantial-increase-reported-cases-across-england-21123/
https://www.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/679428/hpr0518_sf-gas.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 05/2018

Febre Amarela: Brasil
Brasil
No período de monitoramento referente aos meses de Julho de 2017 até Junho de 2018 (até SE 04) foram notificados 1.080 casos suspeitos de FA, dos quais 432 foram descartados, 435 permanecem em investigação e 213 foram confirmados. Os casos confirmados estão distribuídos nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, destes 81 evoluíram para óbito (letalidade de 38,0%). Em relação as epizootias 3.073 foram notificadas, das quais 580 foram descartadas, 1.092 foram indeterminadas (s/ coleta de amostras), 919 permanecem em investigação e 482 foram confirmadas para Febre Amarela, 99,8% na região Sudeste.
São Paulo
Do início do período de monitoramento 2017/2018 até o momento, foram registrados 134 casos autóctones, destes 52 evoluíram a óbito, atingindo letalidade de 38,8%. A maior parte dos casos possui como provável local de infecção o município de Mairiporã (77 casos). Foram confirmados também 31 casos importados que possuem como local provável de infecção municípios de Minas Gerais. Em relação as epizootias foram confirmados 536 em primatas não humanos (PNH), sem ampliação da área em relação ao registrado no relatório anterior.
Minas Gerais
De julho/2017 até o momento foram confirmados 81 casos com 36 óbitos, a maioria registrado nos municípios de Mariana (14 casos, destes 4 óbitos) e Nova Lima (11 casos, destes 6 óbitos), 95,1% são do sexo masculino, e a letalidade de aproximadamente 44,4%. As epizootias em Primatas Não Humanos foram observadas em 211 municípios, com casos confirmados em 32 deles nas regiões de Barbacena, Belo Horizonte, Divinópolis, Itabira, Juiz de Fora, Leopoldina, Ponte Nova, Pouso Alegre, São João Del Rei e Sete Lagoas.
Rio de Janeiro
Boletim da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro divulga o número de casos e óbitos registrados em 2018, a última atualização refere 33 casos, destes 14 são residentes de Valença (4 óbitos), 4 de Teresópolis (2 óbitos), 1 de Nova Friburgo (1 óbito), 1 de Petrópolis, 1 de Miguel Pereira (1 óbito), 2 de Duas Barras, 1 de Rio das Flores (1 óbito), 4 de Sumidouro (1 óbito), 1 de Vassouras, 2 de Cantagalo (1 óbito), 1 de Paraíba do Sul (1 óbito) e 1 de Carmo. No dia D, realizado no dia 27/01 nos 92 municípios, cerca de 500 mil pessoas compareceram aos postos de vacinação.
Fonte:https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2018/01/dia-d-cerca-de-500-mil-foram-vacinados-contra-febre-amarela
http://www.febreamarelarj.com.br./comum/code/MostrarArquivo.php?C=MTE%2C
http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-por-vetores-e-zoonoses/doc/famarela/fa18_boletim_epid_2901.pdf
http://www.saude.mg.gov.br/images/noticias_e_eventos/000_2018/Boletim_Febre_Amarela__30.01.2018.pdf
http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/fevereiro/01/af-informe-febre-amarela-11-1fev18.pdf

Resistência aos antibióticos: Mundo
OMS publica relatório com dados do Sistema de Vigilância Antimicrobiana Global (GLASS) e revela altos níveis de resistência a uma série de infecções bacterianas graves em países de alta e baixa renda. As bactérias resistentes mais comumente relatadas foram Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Staphylococcus aureus e Streptococcus pneumoniae, seguidas de Salmonella spp.
Fonte: http://who.int/mediacentre/news/releases/2018/antibiotic-resistance-found/en/
http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/259744/1/9789241513449-eng.pdf

Influenza: Mundo
A temporada de gripe está intensa, países reportam maior gravidade entre os acometidos e um número de pessoas doentes maior do que esperado. Na Europa , ambos os tipos de vírus influenza A e B co-circulam com uma maior proporção do vírus tipo B. Os vírus da linhagem B/Yamagata superam em grande parte os da linhagem B/Victoria. Irlanda, França e Reino Unido relatam atividade da gripe generalizada e internações em níveis elevados. A maioria dos casos graves em adultos são pelos vírus influenza A (H1N1) ou vírus Influenza B .
Nos Estados Unidos, 11 estados ( Idaho, Alabama, Illinois, Kentucky, Michigan, Missouri, Oklahoma, Carolina do Sul, Tennessee, Texas e Flórida) suspenderam as aulas por conta da temporada de gripe que já registrou 37 mortes pediátricas. Todos os estados mais o Havaí continuam a reportar a atividade generalizada da gripe e em 39 deles é considerada “alta”, atividade superior a registrada na temporada 2014/2015, desde 1 de outubro de 2017 foram notificadas 11.965 hospitalizações associadas à gripe confirmadas por laboratório através da Rede de Hospitalização Influenza (FluSurv-NET). Até a semana epidemiológica 3 os laboratórios de saúde pública informaram que 84,2% dos testes positivos foram para Influenza A (86,4% H3N2;13,6% H1N1) e 15,8% para Influenza B.
A Córeia do Norte comunicou oficialmente a OMS da ocorrência de um surto de H1N1, foram confirmados 81.640 casos e quatro mortes – três crianças e um adulto, sendo mais de um quarto dos casos relatados em Pyongyang. O governo solicitou o apoio à vacinação contra a gripe visando indivíduos de alto risco.
Nenhum vírus da linhagem B/Yamagata está incluído na atual vacina trivalente da gripe sazonal. As estimativas de eficácia da vacina provisória ou em tempo real do Canadá , do condado de Estocolmo e da Finlândia sugerem eficácia geral da vacina de 17 a 31%, dependendo da proporção de subtipos circulantes. A eficácia contra a gripe B está na faixa de 37 a 55%, apesar de a linhagem circulante não estar incluída na vacina trivalente mais comumente utilizada, segundo o relatório Flu News, ECDC.
Fonte: https://www.cdc.gov/flu/weekly/summary.htm
https://www.infomotril.es/vida-y-estilo/fox-en-estados-unidos-a-causa-de-la-gripe-cancelado-las-clases-enlas-escuelas-con-11-estados.html
http://outbreaknewstoday.com/ireland-influenza-activity-remains-widespread-high-levels-35742/
http://flunewseurope.org/
http://www.prepare-europe.eu/Portals/0/Documents/PressReleases/PREPARE%20Influenza%20response_FINAL_1Feb.pdf
http://www.bbc.com/mundo/noticias-42845197
http://outbreaknewstoday.com/north-korea-reports-h1n1-influenza-outbreak-23798/

Sarampo: Ucrânia, Grécia e Filipinas
A Ucrânia registra aumento pela procura da vacina e escolas estendem o período de férias por conta do aumento no número de casos e óbitos suspeitos de Sarampo. No ano de 2017 foram registrados 4782 casos e 5 óbitos, com avanço da doença por todas as regiões. O país apresentou a menor cobertura vacinal da região nos últimos anos, e esforços empreendidos garantiram que pelo menos duas vezes mais crianças fossem vacinadas em 2017 em comparação a 2016.
Em Davao, sul das Filipinas uma campanha indiscriminada teve início em janeiro, após o aumento do número de casos desde novembro de 2017, com 13 óbitos registrados, e 49 casos reportados nos primeiros 20 dias de 2018.
O número de casos aumentou bruscamente na Grécia no último mês, com 922 casos reportados, totalizando 1362 casos suspeitos entre 2017 a 1º de fevereiro de 2018. A maior frequência foi observada no sul do país entre crianças e adultos na faixa etária de 25 a 44 anos.
Fonte:https://www.el-carabobeno.com/desconfianza-las-vacunas-desata-brote-sarampion-ucrania/
http://www.euro.who.int/en/countries/ukraine/news/news/2018/01/ukraines-efforts-to-stop-measles-outbreak-continue-as-case-total-increases
http://www.precisionvaccinations.com/measles-outbreak-philippines-requires-mandatory-children-vaccination
http://outbreaknewstoday.com/greece-measles-outbreak-tops-1300-cases-65544/

Hantavirose: Américas
Uruguai registra morte suspeita de uma mulher de 28 anos, agronoma, na área rural da cidade de Canelones, região sul do país. No Panamá, um homem de 68 anos, residente na província de Los Santos foi a óbito. Segundo as autoridades locais o aumento no número de casos é esperado devido a grande produção de grãos no período. Na província de Osorno, Chile, um caso suspeito é investigado.
Uma investigação realizada pelo CDC identificou a primeira transmissão conhecida do vírus Seoul, membro da família Orthohantavirus, de ratos de estimação para humanos nos Estados Unidos e Canadá. A investigação identificou 31 instalações de criação de ratos em 11 estados positivos para infecções do vírus em animais e/ou humanos. Os testes sorológicos em 183 pessoas identificou 13,1% com anticorpos contra o vírus e em 3 casos ocorreu (12,5%) hospitalização, sem óbitos registrados. Diante dos resultados encontrados, o CDC emitiu um alerta de saúde para notificar os departamentos de saúde e prestadores de cuidados de saúde das investigações de vírus de Seoul entre pacientes com clínica compatível, além de alertar os proprietários de ratos de estimação quanto ao potencial de infecção pelo vírus.
Fonte:https://www.tvn-2.com/nacionales/Reportan-primera-victima-hantavirus_0_4951754832.html
https://www.radiomontecarlo.com.uy/2018/01/29/nacionales/sospechan-hantavirus-como-causa-de-la-muerte-de-una-joven/
http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-los-lagos/2018/01/31/detectan-caso-sospechoso-de-contagio-por-virus-hanta-en-la-provincia-de-osorno.shtml
https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/67/wr/mm6704a5.htm?s_cid=mm6704a5_e#suggestedcitation

Febre do Vale do Rift: Sudão do Sul
No último mês 20 casos suspeitos foram reportados em Yirol. Os três casos iniciais relacionavam-se epidemiologicamente, ocorreram na aldeia de Thonabitkok em dezembro de 2017 com evidências de doença hemorrágica entre os animais de criação. Já foram confirmados 3 casos e outros 3 óbitos tinham relação com os casos confirmados.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/south-sudan-suspected-rift-valley-fever-cases-rise-20-39483/

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 04/2018

Febre Amarela: Brasil
Brasil
No período de monitoramento referente aos meses de Julho de 2017 até Junho de 2018 (até SE 03) foram notificados 601 casos suspeitos de FA, dos quais 309 foram descartados, 162 permanecem em investigação e 130 foram confirmados. Os casos confirmados estão distribuídos nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, destes 53 evoluíram para óbito (letalidade de 40,8%). Em relação as epizootias 2.653 foram notificadas, das quais 487 foram descartadas, 920 foram indeterminadas (s/ coleta de amostras), 793 permanecem em investigação e 453 foram confirmadas para FA, 99,7% na região Sudeste.
Na última quinta-feira (25) os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro deram início a campanha contra a Febre Amarela com doses fracionadas, o objetivo é vacinar o maior número de pessoas em um curto espaço de tempo, reduzindo a possibilidade de disseminação da doença. Segundo a OPAS essa será a maior campanha de vacinação do mundo utilizando as doses fracionadas, cerca de 23,8 milhões de pessoas deverão ser vacinadas durante a campanha. O Estado da Bahia irá dar início a campanha em 19 de fevereiro.
São Paulo
Do início do período de monitoramento 2017/2018 até o momento, foram registrados 81 casos autóctones, destes 36 evoluíram a óbito, atingindo letalidade de 44,4%. A maior parte dos casos possui como provável local de infecção o município de Mairiporã (41 casos). Em relação as epizootias foram confirmados 530 em primatas não humanos (PNH), com expansão do vírus para áreas do Município de São Paulo, região de Sorocaba, de São José dos Campos e oito Municípios da Grande São Paulo (Cajamar, Caieiras, Mairiporã, Franco da Rocha, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Cotia e Vargem Grande Paulista).
Minas Gerais
De julho/2017 até o momento foram confirmados 47 casos com 25 óbitos, 93,6% são do sexo masculino, e a letalidade de aproximadamente 53,2%. As epizootias em Primatas Não Humanos foram observadas em 176 municípios, com casos confirmados em 32 municípios das regiões de Barbacena, Belo Horizonte, Divinópolis, Itabira, Juiz de Fora, Leopoldina, Ponte Nova, Pouso Alegre, São João Del Rei e Sete Lagoas.
Rio de Janeiro
Boletim da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro divulga diariamente o número de casos e óbitos registrados em 2018, a última atualização refere 25 casos, destes 13 são residentes de Valença (4 óbitos), 4 de Teresópolis (2 óbitos), 1 de Nova Friburgo (1 óbito), 1 de Petrópolis (1 óbito), 1 de Miguel Pereira (1 óbito), 2 de Duas Barras, 1 de Rio das Flores, 1 de Sumidouro e 1 de Vassouras. No dia 25, municípios da região Metropolitana (Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, Rio de Janeiro, São Gonçalo, São João de Meriti e Seropédica) iniciaram a Campanha com fracionamento de doses. O dia D acontecerá em todo o Estado no dia 27/01 (sábado) e contará com apoio de 29 UPAs do estado, 10 unidades hospitalares da rede estadual, 8 tendas montadas pela SES, 30 quartéis do Corpo de Bombeiros Militar e 5 unidades da Polícia Militar.
Fonte:http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/janeiro/25/af-informe-febre-amarela-10-25jan18.pdf
http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_content&view=article&id=14065&Itemid=135
http://www.saude.mg.gov.br/images/noticias_e_eventos/000_2018/01-jan-fev-marc-abril/Boletins_AEDES/Boletim_-_Febre_Amarela_23_de_janeiro_de_2018.pdf
http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-por-vetores-e-zoonoses/doc/famarela/fa18_boletim_epid_2201.pdf
https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2018/01/informe-epidemiologico-febre-amarela
https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2018/01/ses-reforca-campanha-estadual-contra-febre-amarela-dando-inicio-ao-fracionamento

Febre de Lassa: África
O Ministério da Saúde da Nigéria ativou o Centro de Operações de Emergências para coordenar a resposta ao surto que se espalha por vários Estados da Nigéria, incluindo casos exportados para Benin, país fronteiriço. Somente em 2018, um total de 107 casos suspeitos foram registrados e estão dispersos em 10 estados (Edo, Ondo, Bauchi, Nasarawa, Ebonyi, Anambra, Benue, Kogi, Imo e Lagos) incluindo profissionais de saúde. Até 21 de Janeiro um total de 61 casos foram confirmados e 16 óbitos registrados.
A febre de Lassa é endêmica na Nigéria, este aglomerado de casos faz parte de um surto já está em curso desde dezembro de 2016, registrando 1022 casos suspeitos (127 óbitos) até dezembro de 2017, dispersos por 19 Estados. No entanto, o recente acumulado de casos no Estado Ebonyi sugere que as atividades atuais de prontidão e resposta, até o momento empregadas, são insuficientes para evitar morbidade e mortalidade significativas.
Benin registrou 4 casos entre indivíduos que residiam na Nigéria, 3 destes evoluíram a óbito. Até o momento foram identificados 144 contatos, incluindo 47 dos estabelecimentos de saúde, que estão sendo monitorados. Devido aos movimentos populacionais freqüentes entre a Nigéria e Benim a ocorrência de casos adicionais não é inesperada, exigindo o reforço na colaboração transfronteiriça e o intercâmbio de informações entre os dois países.
Fonte:http://www.ncdc.gov.ng/news/116/24-january-2018-%7C-abuja—lassa-fever-outbreak-update
http://outbreaknewstoday.com/lassa-fever-four-cases-reported-benin-via-nigeria-10631/
http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/259885/1/OEW03-1319012018.pdf

Febre Q: Chile
Na região de Los Lagos 32 casos de Febre Q foram confirmados na Província de Osorno (29) e Llanquihue (3), existem ainda 167 casos suspeitos. O surto na região de Osorno foi detectado em agosto do ano passado em uma empresa produtora de leite, Manuka, que levou a hospitalização de alguns trabalhadores.
Fonte:http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-los-lagos/2018/01/24/confirman-32-casos-de-fiebre-q-en-la-region-de-los-lagos-29-corresponden-a-osorno.shtml

Febre Tifóide: Índia
Pesquisadores da Aga Khan University afirmam que o distrito de Hyderabad está enfrentando um surto de febre tifóide resistente a antibioticoterapia de 3 ª geração. Os mais acometidos são as crianças entre 2 a 10 anos. Em resposta ao surto foi lançada uma campanha de vacinação com a vacina Typbar TCV para proteger as crianças da doença, cerca de 250.000 serão vacinadas na região de Latifabad e Qasimabad.
Fonte:https://www.thenews.com.pk/print/272217-hyderabad-facing-world-s-first-outbreak-of-drug-resistant-typhoid-aku

Sarampo: Américas
Um caso da doença foi registrado na Guatemala, segundo informações do Ministério da Saúde, que afirma tratar-se de um caso importado provavelmente da Alemanha. Um alerta foi emitido diante da confirmação do primeiro caso desde 1998, oferecendo a vacina gratuitamente e pedindo que a população leve as crianças aos postos de saúde.
Nesta semana, autoridades de saúde das Américas aprovaram um plano para impedir a importação e reintrodução do Sarampo e Rubéola. As ações se concentram em manter a imunidade alta da população através da vacinação (95%) e o fortalecimento dos sistemas de vigilância para detectar rapidamente, especialmente no diagnóstico diferencial de doenças com sintomas similares às causadas por Zika Vírus e Chikungunya.
Fonte:https://www.eluniverso.com/noticias/2017/09/28/nota/6404944/america-buscan-evitar-brotes-rubeola-sarampion-segun-ops
https://www.eluniverso.com/noticias/2018/01/20/nota/6576199/guatemala-confirma-primer-casosarampion-erradicado-hace-20-anos

Influenza: Mundo
A atividade sazonal da Influenza continua a aumentar no hemisfério Norte e mantêm níveis inter-sazonais no hemisfério Sul, alguns países relataram níveis de hospitalizações iguais ou mais altos quando comparados as temporadas dos anos anteriores. O vírus Influenza A (41,1% H1N1; 58,9% H3N2) foi encontrado na maioria das detecções (62%) com aumento proporcional do vírus Influenza B (89,2% B-YAMAGATA; 10,8% B-VICTORIA), detectado em 37,7% das amostras.
Fonte:http://www.who.int/influenza/surveillance_monitoring/updates/2018_01_22_surveillance_update_307.pdf?ua=1

Malária: Bahia, Brasil
Número de casos confirmados no município de Wenceslau Guimarães, Bahia, sobe para 22, destes 2 evoluíram a óbito. O surto ocorre no assentamento Chico Lopes, na zona rural do município, a 25 quilômetros do centro da cidade. Um laboratório foi montado no hospital da cidade para fazer testes, cujos resultados são colhidos na hora, já foram colhidas 304 amostras, todas negativas. Não há registro de casos em outros locais do Estado.
Fonte:https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/numero-de-casos-confirmados-de-malaria-na-bahia-sobe-para-22-diz-sesab.ghtml
https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/sesab-confirma-segunda-morte-por-malaria-na-bahia-vitimafoi-homem-de-33-anos.ghtml
http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/com-surto-de-malaria-estoque-de-repelentes-acaba-em-wenceslau-guimaraes/

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO SE 03/2018

Febre Amarela: Brasil
Brasil
No período de monitoramento referente aos meses de Julho de 2017 até Junho de 2018 (até SE 02) foram notificados 470 casos suspeitos de FA, dos quais 290 foram descartados, 145 permanecem em investigação e 35 foram confirmados. Os casos confirmados estão distribuídos nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, destes 20 evoluíram para o óbito (letalidade de 57,1%). Em relação as epizootias 2.442 foram notificadas, das quais 467 foram descartadas, 817 foram indeterminadas (s/ coleta de amostras), 747 permanecem em investigação e 411 foram confirmadas para FA, 99,7% na região Sudeste.
São Paulo
Do início do período de monitoramento 2017/2018 até o momento, foram registrados 40 casos autóctones, destes 21 evoluíram a óbito, atingindo letalidade de 52,5%. A maioria dos casos é do sexo masculino (87,5%). Em relação as epizootias foram confirmados 508 PNH, e observa-se a expansão do vírus para novas áreas como o Município de São Paulo, região de Sorocaba, de São José dos Campos e oito Municípios da Grande São Paulo (Cajamar, Caieiras, Mairiporã, Franco da Rocha, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Cotia e Vargem Grande Paulista). Em virtude do aumento da atividade do vírus, a Secretaria da OMS determinou que todo o estado de São Paulo deve ser considerado em risco de transmissão da febre amarela .
Minas Gerais
De julho/2017 até o momento foram confirmados 22 casos com 15 óbitos, 95,5% são do sexo masculino, e a letalidade de aproximadamente 68,2%. O Estado possui cobertura vacinal acumulada em torno de 82%, com ações de intensificação vacinal sendo realizadas em 248 municípios.
Rio de Janeiro
Boletim da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro divulga diariamente o número de casos e óbitos confirmados em 2018, a última atualização refere 13 casos, 7 residentes de Valença (7), Teresópolis (3), Nova Friburgo (1), Petrópolis (1), Miguel Pereira (1), do total 5 evoluíram a óbito. Epizootias foram confirmadas no município de Niterói. Desde o ano passado todos os municípios foram incluídos na área de recomendação de vacinação, sendo disponibilizada vacina para toda a população nos postos de saúde.
Fonte:http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/janeiro/16/informe-febre-amarela-9-16jan18.pdf
http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-por-vetores-e-zoonoses/doc/famarela/fa18_boletim_epid_1601.pdf
http://www.saude.mg.gov.br/images/noticias_e_eventos/000_2018/01-jan-fev-marc-abril/Boletins_AEDES/Boletim_-_Febre_Amarela_17_de_janeiro_de_2018_-_FINAL.pdf
https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2018/01/informe-epidemiologico-febre-amarela
http://www.who.int/ith/updates/20180116/en/
https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2018/01/ses-realiza-o-dia-d-de-vacinacao-contra-a-febre-amarela-no-proximo-dia-27

Influenza: Mundo
Em todo o mundo, o vírus Influenza A (H3N2) e Influenza B representaram a maioria das detecções, embora os vírus Influenza A (H1N1) tenham predominado em alguns países. Na Europa foram cerca de 37. 000 detecções dos vírus dos tipos A e B em proporções iguais, sendo o vírus Influenza A (H3N2) ligeiramente mais prevalente do que o vírus Influenza A (H1N1), e o vírus Influenza B / Yamagata sendo significativamente mais prevalente do que o vírus Influenza B / Victoria viruses.
No Camboja, casos em aves de H5N1 na Província de Phnom Penh levaram ao abate de mais de 500 aves na semana passada, esta é a quarta região com surto, sendo outros dois na província de Kampong Cham e um local no distrito de Stoung da província de Kampong Thom, registrados desde dezembro/17.
Fonte:http://www.who.int/influenza/surveillance_monitoring/updates/latest_update_GIP_surveillance/en/
https://ecdc.europa.eu/en/publications-data/influenza-virus-characterisation-summary-europe-december-2017

Conjuntivite: Mato Grosso do Sul, Goiás e Acre
A Secretaria Municipal de Saúde de Corumbá, Mato Grosso do Sul, informou que a cidade está vivenciando um surto com 70 casos, a maioria com características de conjuntivite viral, cujo calor e umidade ajudam na proliferação. A Secretaria de Saúde de Caldas Novas, Goiás, também divulgou um alerta após o aumento em 30% dos casos de conjuntivite apenas neste mês de janeiro. Em Rio Branco, Acre, o número de casos registrados passou de 350 nas duas primeiras semanas do ano e 860 casos foram registrados em Dezembro/17.
Fonte:http://capitalnews.com.br/cotidiano/cidade-de-ms-esta-em-surto-de-conjuntivite/313089
http://www.campograndenoticias.com.br/2018/01/17/surto-de-conjuntivite-gera-estado-de-alerta-em-caldas-novas/
https://g1.globo.com/ac/acre/noticia/rio-branco-enfrenta-surto-de-conjuntivite-com-mais-de-350-casos-registrados-em-16-dias-aponta-saude.ghtml
https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/prefeitura-de-caldas-novas-emite-alerta-contra-surto-de-conjuntivite-114961/

Malária: Brasil e Angola
O município de Wenceslau Guimarães, Bahia, registrou um óbito e sete casos de Malária, todos os casos foram registrados na zona rural. O último caso da doença registrado na Bahia foi em 2011.
Na província de Benguela, Angola, dois municípios do interior (Cubal e Ganda) estão passando por um surto de malária com registro de mais de 130 óbitos e 5.600 casos nos últimos meses. As crianças são o grupo mais afetado. As fragilidades no saneamento básico associadas a escassez de medicamentos estão gerando preocupação.
Fonte:http://atarde.uol.com.br/bahia/noticias/1928893-oito-casos-de-malaria-sao-confirmados-na-bahia-um-paciente-morreu
https://www.voaportugues.com/a/malaria-benguela/4213531.html

Febre Tifóide: Zimbabwe
A capital do Zimbabwe, Harare, registrou aproximadamente 200 casos de febre tifóide, uma crise hídrica é apontada como uma das principais causas. No ano passado foram registrados mais de 2.300 casos suspeitos e 12 óbitos em todo o país.
Fonte:https://www.news24.com/Africa/Zimbabwe/at-least-200-cases-reported-as-typhoid-hits-harare-report-20180118

Hepatite E: Namíbia
A cidade de Windhoek registra surto de Hepatite E, o primeiro caso foi identificado em outubro/17 e até 8 de janeiro/18, 237 casos foram reportados, destes 41 foram negativos para as demais hepatites porém apresentaram IgM positivo para hepatite E. O óbito de uma mulher de 26 anos foi registrado em novembro/17. Uma equipe de saúde ambiental do Ministério da Saúde e Serviços Sociais da Cidade de Windhoek estão atualmente realizando investigações ambientais para identificar as exposições que levaram ao surto, a maioria dos casos foram relatados a partir de assentamentos informais onde as condições de vida são ruins. Essas áreas estão superlotadas e têm acesso limitado a água potável, saneamento e higiene.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/15-january-2018-hepatitis-e-namibia/en/

Encefalite Japonesa: China
Publicação recente relata a primeira evidência de transmissão por transfusão sanguínea do vírus da encefalite japonesa (JEV). O JEV é um membro do gênero Flavivírus, que também inclui o vírus do Nilo Ocidental, é endêmico do Sudeste Asiático e da China, onde ocorrem aproximadamente 67.900 casos. A transmissão se dá através da mordida de Culex spp, e as manifestações neurológicas são observadas em <1% dos pacientes infectados, com uma taxa de mortalidade de 20% a 30%. O artigo descreve os achados de uma transmissão nosocomial do vírus através de produtos de transfusão de sangue de um doador virêmico assintomático para 2 pessoas imunocomprometidas, resultando em 1 caso de encefalite grave e outra infecção assintomática com soroconversão.
Fonte: https://wwwnc.cdc.gov/eid/article/24/1/17-1297_article

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO_SE_02/2018

Doenças de Chagas: Amazonas, Brasil
A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) registrou sete casos da Doença de Chagas Aguda de Transmissão Oral entre residentes da cidade de Lábrea. Segundo informações, os casos pertencem a uma mesma família e adquiriram a doença pelo consumo de açaí contaminado.
Fonte:http://www.portaldoholanda.com.br/noticia-hoje/sobe-para-sete-o-numero-de-pessoas-diagnosticadas-com-doenca-de-chagas-no-amazonas
https://www.acritica.com/channels/cotidiano/news/apos-sete-casos-confirmados-fvs-alerta-para-formas-de-prevencao-da-doenca-de-chagas

Raiva Humana: Amazonas, Brasil
Paciente de 14 anos diagnosticado com raiva em Dezembro, na cidade de Barcelos, passou a ser considerado o segundo sobrevivente a Raiva Humana no país, o quinto no mundo. O sucesso do tratamento se deve a precocidade com que foi implementado o protocolo de Milwaukee, sucesso não alcançado com a irmã que faleceu no mesmo mês. Outro irmão também foi a óbito em Dezembro, eles são da comunidade Tapiira, localizada na Reserva do Rio Unini, onde foram relatados ataques por morcegos. A SUSAM reforçou as estratégias de monitoramento da Raiva e sorovacinação nos 37 municípios da Região.
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-01/amazonas-registra-o-segundo-caso-de-sobrevivencia-por-raiva-humana-no-brasil
https://www.acritica.com/channels/manaus/news/milagre-diz-pai-de-primeiro-jovem-que-sobreviveu-a-raiva-humana-no-amazonas

Febre Amarela: Nigéria e Brasil
A Nigéria, África está passando por um surto de febre amarela, com sete estados registrando casos confirmados (Kwara, Kogi, Kano, Zamfara, Kebbi, Nasarawa e Níger). Um total de 16 estados relataram casos suspeitos. No segundo dia do ano, o surto já registrava um total de 358 casos suspeitos de febre amarela, com 230 (64,2%) tiveram amostras de sangue coletadas e enviadas ao laboratório para confirmação e 63 amostras testaram positivo. Os óbitos chegam a 45 entre os confirmados e suspeitos. Dos casos notificados, 67,8% são menores de 20 anos, 62% do sexo masculino.
No Brasil , o Ministério da Saúde anunciou nesta última terça o fracionamento de doses da vacina como uma das estratégias de enfrentamento contra a febre amarela nos estados da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo, durante a campanha. O fracionamento não tem a intenção de servir como estratégia de longo prazo nem de substituir as rotinas estabelecidas nas práticas de imunização.
Em Minas Gerais, a Secretaria Estadual de Saúde já confirmou 11 casos humanos, 9 deles evoluíram a óbito, registradas nas regiões de Belo Horizonte, Juiz de Fora, Divinópolis e Ponte Nova. Segundo o boletim epidemiológico do MS, foram registradas epizootias de PNH confirmadas no Mato Grosso [1]; no Rio de Janeiro [3], em Minas Gerais [32] e em São Paulo [322].
Fonte:http://www.ncdc.gov.ng/diseases/sitreps/?cat=10&name=An%20update%20of%20Yellow%20Fever%20outbreak%20in%20Nigeria
http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5575:brasil-anuncia-fracionamento-de-doses-de-vacina-contra-febre-amarela-em-tres-estados&Itemid=820
http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/story/10174-atualizacao-sobre-os-casos-de-febre-amarela-em-minas-gerais
http://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/Boletim%20-%20Febre%20Amarela%2010%20de%20janeiro%20de%202018%20(002).pdf

Ralstonia pickettii: Colômbia
O Departamento de Saúde do Valle del Cauca fechou temporariamente os serviços de hemodiálise de Davita SAS por conta da contaminação de Ralstonia pickettii que se iniciou em dezembro. A Secretária de Saúde do Vale, María Cristina Lesmes, explicou a medida por ser um grave evento de saúde pública, já que a clínica atende mais de 700 pacientes e mais de 130 apresentaram sintomas. Ainda está em investigação a origem da contaminação e se as mortes ocorridas entre os pacientes da clínica estão ligadas ao surto. O bacilo Gram-negativo, Ralstonia pickettii , é considerado de menor importância clínica, porém as infecções podem incluir bacteremia/ septicemia.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/colombia-ralstonia-pickettii-contamination-prompts-closure-davita-hemodialysis-service-11039/

Listeriose: África do Sul
Segundo as autoridades de saúde, o número de mortos do surto de listeriose na África do Sul aumentou muito desde dezembro. Este surto é considerado como o maior dos surtos, em número de casos, já documentado. Desde janeiro de 2016, início do monitoramento, foram 720 casos confirmados laboratorialmente, como informou Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis (NICD). O Departamento de Saúde disse que fechou um matadouro de aves de capoeira operado pela Sovereign Foods, na capital Pretória, depois de detectar listeria. A cepa não é resistente a drogas e avaliou que as mortes ocorridas,  em torno de 60 casos, foram por atrasos no diagnóstico.
Fonte:https://af.reuters.com/article/topNews/idAFKBN1EX13M-OZATP?feedType=RSS&feedName=topNews

Melioidose: Tailândia, Ásia
O Departamento de Controle de Doenças (DDC) prevê 100 óbitos por melioidose este ano e uma média 3.000 pessoas infectadas. A melioidose, também conhecida como doença de Whitmore e doença do jardineiro, é causada pela bactéria, Burkholderia pseudomallei e, embora algo rara, foi identificada anteriormente em áreas do Sudeste Asiático e no norte  da Austrália, particularmente após fortes chuvas. Na Tailândia é considerada uma doença dos produtores de arroz. As taxas de mortalidade da melioidose podem atingir 75%, mesmo com tratamento antibiótico apropriado, mais particularmente nos portadores de diabetes mellitus ou de doença renal. A prevenção é baseada em evitar a exposição de cortes eoutros traumatismos com solo e água em áreas endêmicas. O uso de botas e luvas é recomendado para pessoas cujo trabalho envolve contato com solo e água, como fazendeiros.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/thailand-health-officials-predict-100-melioidosis-deaths-2018/

Chikungunya: Quênia, África
O município de Mombaça confirmou 32 casos da doença, é a primeira vez que há confirmação laboratorial após a percepção de um aumento de pacientes relatando dores nas articulações e febre nas últimas semanas. O último surto no Quênia ocorreu na região de Mandera em 2016.
Fonte: https://www.standardmedia.co.ke/article/2001265230/number-of-people-infected-with-chikungunya-virus-climbs-to-40

Influenza: Europa
De acordo com o último relatório do Sistema de Vigilância Influenza da Espanha (análise dos dados da última semana de 2017), os casos estão aumentando nas Astúrias, Cantabria, Catalunha e Madri. Na última semana de 2017, a taxa de incidência passou de 120,9 para 208,3 casos/100 mil habitantes. A circulação está mais concentrada em torno do vírus B. Até o momento, 48 mortes por gripe já foram relatadas em dez comunidades, com 75% delas em idosos (mais de 65 anos) e em todos havia fatores de risco envolvidos e 67% não tinham sido vacinados.
Fonte:http://www.elmundo.es/ciencia-y-salud/salud/2018/01/04/5a4e1f3a46163f8c618b4616.html

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO_SE_01/2018

Doenças de Chagas: Amazonas, Brasil
A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), vinculada a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), confirmou o terceiro caso de Doença de Chagas Aguda de Transmissão Oral no Lábrea. Dois deles estão em tratamento na capital do estado e o terceiro permanece em Labrea. Outros dois suspeitos estão sendo investigados. Os casos estão em investigação para saber se a origem foi o consumo de açaí contaminado. A Vigilância Sanitária local já fez a inspeção no local de consumo e fez a coleta de amostras do produto. No momento, os resultados das análises estão sendo aguardados.
Fonte:http://d24am.com/saude/fvs-confirma-dois-casos-de-doenca-de-chagas-no-interior-do-amazonas/
http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-01/amazonas-confirma-tres-casos-de-doenca-de-chagas-no-estado

Febre Amarela: Brasil
Sobre Epizootias, diante da notificação da morte de um macaco da espécie Alouatta caraya na região dos condomínios da região Leste de Goiânia, Goiás, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) intensificou o trabalho de vigilância da febre amarela na capital. A orientação é para quem nunca se vacinou contra a doença ou quem tem dúvidas se há comprovação do registro da vacina no cartão de vacinação procure uma unidade de saúde para se imunizar. As doses estão disponíveis para maiores de nove meses de idade. A partir da necropsia realizada no animal, foi possível coletar fragmentos de órgãos para serem encaminhados para o Laboratório de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen). A previsão é de que o resultado seja liberado em 15 dias.
Fonte:http://www4.goiania.go.gov.br/portal/pagina/?pagina=noticias&s=1&tt=not&cd=14043&fn=true

Chikungunya: Américas, Oriente Médio
Segundo um estudo realizado pela Universidade George Washington, em Washington DC, encontrou que 25% dos casos permaneceram com dor articular crônica por 20 meses. O estudo acompanha transversalmente uma coorte prospectiva de 500 pacientes da Colômbia que haviam sido clinicamente diagnosticados com o vírus em 2014. Registaram sintomas entre 485 casos sorologicamente confirmados. De acordo com os pesquisadores, pequenas articulações foram as mais comumente afetadas, inclusive os pulsos, tornozelos e dedos. A dor nas articulações dos pacientes inicialmente durou uma mediana de 4 dias. A alta prevalência de dor articular crônica sublinha a importância dos esforços de prevenção e tratamento, disseram os pesquisadores.
Em 2017, de acordo com o relatório semanal emitido pelo Departamento de Saúde da Sindh, um total de 4.868 casos suspeitos de Chikungunya foram relatados em toda a província do Sindh, Paquistão, Oriente Médio, dos quais 4.138 surgiram de Karachi e 730 de outros distritos da província. Em dezembro de 2017, um total de 73 casos suspeitos foram relatados somente em Karachi. Não houve óbitos relatados.
Fonte:https://www.healio.com/rheumatology/infection/news/online/%7B0e27bd60-5ef1-4670-8f5f-05ec86a72865%7D/persistent-arthritis-reported-in-25-of-patients-after-chikungunya-infection
https://www.pakistantoday.com.pk/2017/12/28/10-more-chikungunya-cases-reported-in-karachi/

Hepatite A: Américas, EUA e Europa
O estado de Michigan, EUA enfrenta uma série de surtos contínuos de hepatite A que afetaram vários outros estados, incluindo Utah, Arizona, Kentucky e Califórnia. O Center for Disease Control (CDC) afirmou que o surto em Michigan não está relacionado com o da Califórnia, mas ambos foram semelhantes em termos de população afetada, os sem-teto e/ou usuários de drogas. De agosto de 2016 a 23 de dezembro deste ano, aproximadamente 630 casos de hepatite A foram relatados em todo o estado de Michigan, concentrados na parte sudeste do estado, incluindo Detroit. Mais de 500 destes casos ocorreram em 2017. As autoridades de saúde ainda não conseguiram determinar por que a atual cepa do vírus é particularmente virulenta e nem foram capazes de identificar a origem do surto.
Os surtos de hepatite A foram relatados em toda a Europa em 2017, com vários países relatando grandes aumentos nos casos de hepatite A em relação aos anos anteriores, afetando principalmente homens que fazem sexo com homens. Na Polônia, Europa, de acordo com um relatório da Radio Poland, havia 1.685 casos entre janeiro e o final de setembro de 2017, enquanto em 2016 foram registrados 35 casos e 49 em 2015. Na capital de Varsóvia, 551 casos de hepatite A foram relatados nos primeiros 11 meses de 2017.
No seguimento dos relatórios anteriores sobre os surtos de hepatite A na Europa e nas Américas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou alguns dados e informações atualizadas sobre as situações nessas duas regiões: entre junho de 2016 e meados de maio de 2017, um aumento incomum nos casos de hepatite A que afetou, principalmente, homens que fazem sexo com homens (MSM) foi relatado por países de baixa endemicidade na Região Européia e nas Américas (Chile e Estados Unidos Da América). Na região europeia, 15 países (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Países Baixos, Noruega, Portugal, Eslovênia, Espanha, Suécia e Reino Unido) relataram 1173 casos relacionados a surtos de hepatite A a partir de 16 de maio de 2017. No Chile, América do Sul, 706 casos de hepatite A foram relatados a nível nacional até 5 de maio de 2017. Nos Estados Unidos, o Departamento de Saúde da Cidade de Nova York observou um aumento nos casos de hepatite A entre HSH que não relataram viagens internacionais. Este evento é particularmente preocupante da perspectiva da saúde pública devido à atual disponibilidade limitada de vacina contra a hepatite A em todo o mundo. Além disso, vários festivais nacionais e internacionais de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) terão lugar entre junho e setembro de 2017.

Em São Paulo, Brasil, o número de casos registrados em 2017 chegam a quase 1000% a mais dos de 2016, somando 656 casos, incluindo duas mortes nos primeiros 11 meses do ano. O aumento da hepatite A na capital do estado está relacionado principalmente à população homossexual, de acordo com o Secretário Municipal de Saúde de São Paulo. Apenas em 11% dos casos a infecção foi por ingestão de alimentos contaminados.
Fonte: https://www.wsws.org/en/articles/2017/12/29/hepa-d29.html
http://outbreaknewstoday.com/poland-550-hepatitis-a-cases-reported-in-warsaw-72942/
http://outbreaknewstoday.com/hepatitis-outbreaks-affecting-gay-men-europe-americas-vaccine-availability-issues-19556/
http://outbreaknewstoday.com/hepatitis-cases-nearly-1000-percent-sao-paulo-72209/

Parotidite: México, América Central
Segundo o Ministério da Saúde, um grande aumento nos casos de parotidite (caxumba) foi registrado em Medellín em 2017, atingindo, principalmente, pessoas entre 20 e 29 anos. Os últimos registros consolidados até 31 de outubro indicaram um aumento de 97%, passando de 382 casos em 2016, para 754 em 2017, com média foi de 18 casos por semana.
Fonte: http://www.elcolombiano.com/colombia/salud/los-casos-de-papera-se-duplicaron-en-medellin-IK7936479

Gripe: EUA, África, Ásia
No final de 2017, autoridades sanitárias do Egito, África, determinaram o abate de mais de 17.500 aves de capoeira em uma fazenda onde os casos de gripe aviária foram relatados no governador de Dakahlia (Delta). Durante a inspeção veterinária, foram relatadas novas cepas H5N2, H8N2, H9N2 e IB. A situação é grave já que é a primeira vez que essas cepas aparecem no Egito.
No Irã, Ásia, onde as fazendas de aves de capoeira iranianas são atingidas pela gripe aviária todos os anos em torno desta época, mais de 17 milhões de galinhas foram abatidas devido ao recente surto de gripe aviária. A cepa H5N8 da gripe aviária que infecta fazendas iranianas é mortal para as aves de capoeira. A Organização Mundial de Saúde afirma que, embora a infecção humana com o vírus não possa ser excluída, a probabilidade é baixa.
Pela primeira vez foi detectado o subtipo H5N6 em cisnes na Suíça, Europa. As amostras foram enviadas para o Instituto Friedrich-Loeffler (FLI), na Alemanha. Os primeiros resultados preliminares sugerem uma relação com as cepas H5N8 / H5N6 do vírus HPAI recentemente detectadas na Europa.
Segundo CDC, o estado da Califórnia, EUA já está com uma atividade de gripe moderada, antes mesmo dos meses críticos como janeiro e fevereiro. Nos EUA, 13.000 casos já foram confirmados, 6 vezes o número registrado nessa época no ano passado. O alto número de casos tem sido relacionado a cepa dominante, Influenza A H3N2, que já é sabido que causa uma doença mais grave.
O Paquistão, Ásia também está passando por um aumento nos pacientes com gripe H1N1, Multan com 12 pacientes internados e cinco mortes nas duas últimas semanas sem confirmação das autoridades de saúde. O governo do Distrito Multan anunciou uma campanha de conscientização massiva contra a propagação da doença. A sala de Controle de Influenza Distrital para prevenção e controle da Influenza Sazonal A (H1N1) foi estabelecida no escritório do CEO da Autoridade Distrital de Saúde.
Fonte: https://www.egypttoday.com/Article/1/38991/Egypt-slaughters-17-5K-poultry-after-bird-flu-outbreak-reported
http://www.promedmail.org/post/20180102.5531903
http://www.promedmail.org/post/20160122.3956280
http://www.oie.int/wahis_2/public/wahid.php/Reviewreport/Review?page_refer=MapFullEventReport&reportid=25551
https://www.turnto23.com/news/local-news/13000-flu-cases-reported-across-us-more-than-6-times-amount-at-this-time-last-year
https://www.pakistantoday.com.pk/2017/12/29/rise-in-swine-flu-patients-in-multan-report/

Sarampo: Europa
Na Inglaterra, os casos de sarampo chegam a 99 e estão espalhados em diversas áreas, sendo 34 casos confirmados em West Yorkshire, 28 casos confirmados em Cheshire e Liverpool, 22 casos confirmados no West Midlands, 11 casos confirmados em Surrey e 4 casos confirmados no Grande Manchester.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/measles-outbreak-england-doubles-cities-reporting-cases-35670/

Listeriose: África do Sul, África
No seguimento do surto de Listerioses na África do Sul, desde o início do ano até 21 de dezembro, um total de 658 casos foram confirmados em laboratório, segundo o Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis (NICD), com 61 mortes. A maioria dos casos foram relatados nas províncias de Gauteng (62%), seguidas de Western Cape (13%) e KwaZulu-Natal (7%). A NICD acrescentou que os sul-africanos não devem entrar em pânico e reiterou que todos devem aderir a práticas alimentares seguras, incluir alimentos bem cozidos e usar apenas produtos pasteurizados. O consumo de alimentos contaminados com L. monocytogenes pode causar listeriose, uma infecção grave que afeta principalmente idosos, pessoas com sistema imunológico enfraquecido e mulheres grávidas e seus recém nascidos; pessoas fora desses grupos de risco, menos comumente, são afetadas.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/south-africa-listeriosis-death-toll-rises-15166/

Meningite: Níger, África
De acordo com um Relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) recentemente publicado, uma convergência de fatores, está ameaçando a região com grandes surtos que afetam milhões pessoas, à medida que a temporada de meningite bacteriana começa na África Ocidental. Uma combinação perigosa de uma nova estirpe hiper-invasiva de meningite meningocócica com sorogrupo C (Nm C) circula ao mesmo tempo que uma grave falta de vacina contra meningite C ameaça limitar severamente a capacidade da região para minimizar o número de pessoas afetadas. Os funcionários da saúde alertam para uma iminente epidemia. De acordo com as estimativas da OMS, validadas por especialistas internacionais em meningite, no pior cenário o número de afetados poderia chegar em até 70.000 nos próximos dois anos. Somente no ano passado, a cepa Nm C causou 18 mil casos na Nigéria e no Níger.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/meningitis-africa-risk-imminent-large-scale-epidemics-dangerously-high-16288/

Cólera: Oriente Médio e África
Além da malária, que vem atingindo Angola, África, um surto de cólera foi declarado em Úige, província de Angola. Até o momento, o surto já fez cinco mortes e está instalado em 3 principais bairros da província, segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, José Vieira Dias da Cunha.
Na Nigéria, África, o governo do estado de Borno, declarou o fim do surto de cólera, após mais de 14 dias sem casos novos. As notificações passaram de 5 mil casos desde agosto de 2017, incluindo 61 óbitos.
A crise humanitária no Iêmen, Oriente Médio, tem piorado os problemas com os surtos de doenças infecciosas. Em relação a cólera, 1.002.682 casos e 2.227 óbitos foram relatados desde o início do surto em 27 de abril, segundo Organização Mundial de Saúde (OMS). Metade dos casos foram de crianças com 14 anos ou menos.
O Malawi, África, também enfrenta um surto de cólera que começou no início da estação chuvosa em novembro. A doença matou quatro pessoas, e mais de 150 outros estão hospitalizados. Os distritos mais atingidos são Nkhatabay e Karonga, nas margens do lago Malawi. Mais de 130 casos foram registrados somente em Karonga, onde mais de 70% das pessoas usam água não tratada. O governo do Malawi desencadeou uma campanha nacional para lembrar as pessoas de lavar as mãos com sabão, especialmente depois de usar o banheiro e antes de comer qualquer alimento e está distribuindo cloro e outros produtos químicos para tratar a água potável.
Na vizinha Zâmbia, África, a cólera ja matou cerca de 40 pessoas na capital, Lusaka, e afetou mais de 1.500 outros desde setembro.
Fonte:http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/surto-de-colera-ja-fez-cinco-mortos-na-cidade-angolana-do-uige
http://outbreaknewstoday.com/nigeria-cholera-outbreak-declared-borno-state-47916/
http://outbreaknewstoday.com/yemen-cholera-cases-top-1-million-10-percent-suspected-diphtheria-cases-fatal-49702/
https://www.voanews.com/a/cholera-kills-four-people-malawi-one-hundred-fifty-infected/4190520.html

Febre Hemorrágica da Crimeia-Congo (CCHF): Afeganistão, Oriente Médio
As autoridades de saúde do Afeganistão relataram um aumento nos casos de CCHF em 2017, de acordo com o Monitor Epidemiológico Semanal da Organização Mundial de Saúde (OMS): em 2017, foram notificados 237 casos de CCHF, incluindo 41 mortes em 27 províncias. Quase 30% dos casos, incluindo 13 mortes associadas foram relatados na capital, Cabul. A maioria dos casos e óbitos da CCHF no Afeganistão foram registrados de junho a setembro em torno do tempo de Eid Al-Adha (festa de sacrifício no Islã). A maioria dos casos ocorreu em pessoas envolvidas na indústria pecuária, como trabalhadores agrícolas, trabalhadores de matadouros e veterinários. A CCHF é endêmica na África, nos países dos Balcãs, Oriente Médio e Ásia sendo os carrapatos do gênero Hyalomma são o vetor principal.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/crimean-congo-hemorrhagic-fever-afghanistan-increase-cases-2017/

Difteria: Ásia
A difteria, praticamente eliminada no mundo graças às altas coberturas de vacinação, está ressurgindo. Em Bangladesh, Ásia, onde há muitos refugiados de Myanmar, mais de 2 mil já foram identificados e está aumentando diariamente. A maioria dos pacientes tem entre cinco e 14 anos de idade. Para evitar a disseminação da doença, as equipes também estão fazendo rastreamento e tratamento de pessoas que possam ter entrado em contato com a doença na comunidade. Assim que um caso for identificado, uma equipe visita a família, oferece antibióticos e procura na área casos adicionais para encaminhamento e tratamento. O Ministério da Saúde e do Bem-Estar da Família, com o apoio de outras entidades como os Médicos Sem Fronteiras, se esforçam para conter a propagação pela garantia da cobertura da vacinação no menor tempo possível.
Fonte:http://www.msf.org/en/article/bangladesh-emergence-diphtheria-worsens-situation-rohingya-refugees
http://www.eldiario.es/sociedad/MSF-detecta-difteria-rohinyas-Bangladesh_0_723377989.html

Febre Tifóide: OMS
A Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovou a primeira vacina conjugada contra a febre tifóide Typbar-TCV da Bharat Biotech no final de dezembro, que é adequada para crianças de mais de seis meses em países endêmicos. As vacinas conjugadas contra a febre tifóide (TCV) são produtos inovadores que geram imunidade mais longa do que as vacinas mais antigas, requerem menos doses e podem ser administradas em crianças na rotina. Para milhões de pessoas em países de baixa e média renda, a febre tifóide é uma realidade, entre 11 e 20 milhões de casos ocorrem a cada ano e entre 128.000 e 161.000 mortes. Comunidades pobres e grupos vulneráveis, como crianças, são muitas vezes os mais suscetíveis. A urbanização e as mudanças climáticas têm o potencial de aumentar o fardo global da febre tifoide. Além disso, com o aumento da resistência ao tratamento com antibióticos, fica mais fácil a propagação da doença entre populações das cidades e em locais de sistemas inadequados e/ ou inundados de água e saneamento.
Fonte:http://www.eluniversal.com/noticias/estilo-vida/aprueban-primera-vacuna-conjugada-contra-fiebre-tifoidea-apta-para-bebes_682952
http://www.who.int/medicines/news/2017/WHOprequalifies-breakthrough-typhoid-vaccine/en/
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO_SE 52_2017

Arbovirose: Brasil
Três pessoas morreram com suspeita de dengue e febre amarela no intervalo de uma semana no Espírito Santo (ES). Os casos estão sendo investigados, sem confirmações laboratoriais até o momento. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) solicitou atenção das áreas técnicas dos municípios para notificação dos suspeitos e alerta para um possível aumento de casos com a possibilidade do retorno da circulação do vírus da febre amarela assim como a recirculação do vírus DEN-2. Até o momento, 85,40% da população do ES foi imunizada contra febre amarela.
Até dezembro, 86% dos municípios de Mato Grosso tiveram casos de dengue registrado, segundo boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT). Ao todo, o número de casos da doença notificados até o dia 9 de dezembro é de 11.343. O número de casos registrados deixa o estado com alta incidência da doença. Segundo o governo, são 343 registros a cada 100 mil habitantes. No período analisado, apenas 19 municípios disseram não ter registrado casos da doença. Os municípios que mais registraram casos de dengue foram: Cuiabá (3.432), Várzea Grande (2.223), Sinop (897) e Rondonópolis (416). Sobre a Chikungunya, 3.479 casos foram notificados até dezembro deste ano. A incidência da doença no estado é de 105 casos cada 100 mil habitantes. Uma morte por causa da doença foi confirmada em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. Para Zika, o número de notificações chegou a 2.448 em 2017. A incidência acumulada é de 74 casos por 100.000 habitantes.
Fonte:https://www.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2017/12/em-7-dias-tres-mortes-com-suspeita-de-dengue-e-febre-amarela-no-es-1014112277.htm
https://www.cenariomt.com.br/2017/12/21/86-dos-municipios-de-mato-grosso-tiveram-casos-de-dengue-em-2017-diz-secretaria/

Hepatite A: Brasil, EUA e Europa
Neste ano, a cidade de São Paulo, Brasil viveu um surto da doença, com aumento de 993% no número de casos confirmados entre janeiro e novembro. As crianças são propensas a ter a doença pelo contato frequente das mãos com a boca. Menos de 1% dos casos pode evoluir para quadros graves, mas os cuidados médicos são fundamentais, apesar do organismo se recuperar sozinho pois não há tratamento específico.
Desde início de setembro, o oficial de saúde pública do condado de San Diego, EUA declarou uma emergência local de saúde pública devido ao surto de hepatite A em curso no município. O surto está sendo transmitido de pessoa a pessoa pelo contato com ambientes contaminados. A maioria das pessoas que contraíram a hepatite A durante esse surto foram pessoas sem residência e / ou usuários de drogas ilícitas. Até 20 de dezembro, 574 casos foram identificados, com 20 mortes.
Autoridades de saúde estão investigando um aumento nos casos de hepatite A no Condado de Natrona, Wyoming, EUA. As autoridades até agora confirmaram cinco casos entre os residentes do município e normalmente, somente 2 casos são registrados anualmente em todo o estado (Wyoming), segundo o departamento de saúde.
Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), um surto de Hepatite A se alastrou por 22 países europeus, incluindo Inglaterra, País de Gales, França, Alemanha e Itália, desde o final de setembro e afetou quase 1.000 pessoas. Em toda a Europa, foram 950 casos confirmados desde o final de setembro. Desde o início do surto, em junho de 2016, foram confirmados 3.813 casos. A infecção viral afetou principalmente homens que fazem sexo com homens. Em setembro, a ECDC relatou nove vezes mais homens infectados pela hepatite A do que as mulheres, porém há um aumento considerável no número total de casos de hepatite A em mulheres.
Fonte:http://www.r7.com/retrospectiva-2017/sp-casos-de-hepatite-a-crescem-11-vezes-mas-surto-deve-se-estabilizar-22122017
http://www.sandiegocounty.gov/content/sdc/hhsa/programs/phs/community_epidemiology/dc/Hepatitis_A.html
http://trib.com/news/local/casper/officials-investigate-spike-in-hepatitis-a-cases-centered-in-natrona/article_64973670-01a5-5720-b891-853240416461.html
https://www.express.co.uk/life-style/health/896430/hepatitis-a-symptoms-outbreak-virus-infection

Monkeypox: Nigéria, África
O surto de monkeypox da Nigéria cresce para 61 casos confirmados, segundo o relatório da situação atualizado pelo Centro de Controle de Doenças da Nigéria (NCDC). Os casos registrados chegaram a 172, em 23 estados. Este é o maior surto de monkeypox da África.
Fonte: http://www.cidrap.umn.edu/news-perspective/2017/12/news-scan-dec-19-2017

Difteria: Américas, Europa, Oriente Médio
O diretor do Instituto de Saúde, Humberto Omaña, confirmou a morte de uma criança por difteria em Barcelona, Espanha, ao jornal regional El Tiempo . Ainda não se sabe se o caso é autóctone ou importado, mas as autoridades de saúde já ativaram vigilância no setor de Mesones em Barcelona.
Nas Américas, segundo o boletim divulgado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) em 15 de dezembro, foram relatados 609 casos suspeitos de difteria na Venezuela, 227 confirmados laboratorialmente, com 127 óbitos. A Venezuela é o país com a maioria dos casos de infecção nas Américas. O segundo país em número de casos é o Haiti, que registrou 64 pacientes entre 1 de janeiro e 9 de dezembro de 2017.
Após a epidemia de cólera (um milhão de casos e 2.225 mortes), no Iêmen, Oriente Médio enfrenta a epidemia de difteria. A doença estava praticamente erradicada devido às políticas de imunização e agora volta a preocupar as autoridades sanitárias, principalmente pela dificuldade de tratamento (logística de locomoção em meio a guerra). O representante da MSF no Iêmen, Marc Poncin, relata 312 casos desde outubro com 35 óbitos. Segundo a OMS, de 13 de agosto a 21 de dezembro de 2017, um total de 333 casos suspeitos, incluindo 35 mortes foram relatados. Na ausência de confirmação laboratorial, a situação atual está sendo tratada como um surto de suspeita de difteria com base no diagnóstico clínico. A maioria dos casos foi relatada na região de Ibb (187 casos suspeitos). A maioria dos casos, 79%, são crianças e jovens com menos de 20 anos. Em torno de 60% dos casos suspeitos nunca receberam vacinação contra a difteria.
Fonte:http://efectococuyo.com/principales/muere-una-nina-de-4-anos-de-edad-diagnosticada-con-difteria-en-anzoategui
http://lanacion.cl/2017/12/23/despues-del-colera-un-yemen-en-guerra-ahora-afronta-una-epidemia-de-difteria/
http://www.who.int/csr/don/22-december-2017-diphtheria-yemen/en/

Febre Amarela: Nigéria, África
O Centro de Controle de Doenças da Nigéria (NCDC) informou a OMS de um caso confirmado de febre amarela no estado de Kwara em setembro. O caso, uma criança, não teve histórico prévio de vacinação contra febre amarela e nenhuma história de viagem fora do estado nos dois anos anteriores ao início da doença. Sua amostra de sangue teve exame de (PCR positivo) no Hospital Universitário da Universidade de Lagos e confirmação por testes sorológicos realizados no laboratório de referência regional do Instituto Pasteur de Dakar (IPD). Entre julho e dezembro, 341 casos suspeitos foram reportados em 16 estados e em 6 os casos foram confirmados. Destes, 62,8% são do sexo masculino e 65,9% de pessoas com idade igual ou superior a 20 anos.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/22-december-2017-yellow-fever-nigeria/en/

Malária: Angola, África
Quase 276 mil casos de malária foram registados de Janeiro a Novembro na província do Uíge, região norte de Angola. As autoridades sanitárias registraram mais de 700 óbitos, em sua maioria crianças. O diretor clínico do Hospital Municipal do Uíge, Zola Gangale, disse que, semanalmente, são atendidos mais de 600 casos. A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, afirma que a situação merece uma intervenção urgente do governo, e pede a colaboração da sociedade civil no combate à malária.
Fonte:https://africa21digital.com/2017/12/24/provincia-do-norte-de-angola-registou-mais-de-200-mil-casos-de-malaria-de-janeiro-novembro/

Hepatite E: Namíbia, África
O Ministro da Saúde confirmou a morte de uma pessoa por vírus da Hepatite E e outros 26 casos confirmados em Windhoek, capital da Namíbia, África. Os casos, apesar de serem da mesma cidade, são de distintas áreas residenciais. Ainda há outros 8 casos suspeitos aguardando confirmação.
Fonte:https://www.namibian.com.na/62759/read/Outbreak-of-Hepatitis-E-virus-in-Windhoek

Atualização Meningite C: África
Com a temporada de meningite bacteriana, uma nova estirpe hiper-invasiva de meningite meningocócica do sorogrupo C está circulando ao mesmo tempo em que uma grave falta de vacina ameaça limitar severamente a capacidade da região para minimizar o número de pessoas afetadas. Somente no ano passado, a cepa C causou 18 mil casos na Nigéria e no Níger. As taxas de ataque podem ser muito altas (até 670 casos/ 100.000 hab), a imunidade da população é baixa e a cepa já está circulando em países vizinhos do cinturão de meningite africana (Burkina Faso, Mali) mostrando potencial para se espalhar fora do cinturão como observado na Libéria. Os afetados morrem em 10% dos casos e aqueles que sobrevivem correm o risco de graves conseqüências neurológicas. A nova cepa do sorogrupo C agora representa o maior risco de surtos de meningite na região. De acordo com as estimativas da OMS validadas por especialistas internacionais em meningite, o pior cenário de expansão poderia resultar em até 70.000 casos nos próximos dois anos. É necessária uma ação urgente para minimizar o impacto potencialmente devastador dos surtos na região. A OMS pede que parceiros técnicos e operacionais, fabricantes de vacinas e doadores atuem para aumentar a disponibilidade de vacinas meningocócicas que protejam contra o sorogrupo C. As epidemias de meningite no cinturão africano constituem um encargo para a saúde pública.
Fonte: http://www.who.int/emergencies/en/

Raiva: Malásia, Ásia
O surto de raiva em Sarawak, Malásia, em curso há seis meses, ainda não terminou. O Departamento de Saúde do Estado disse que o último caso humano de raiva foi relatado em agosto deste ano, mas ainda há incidências de agressões de cães ocorrendo, principalmente em Matang e Batu Kawa.
Fonte:http://www.theborneopost.com/2017/12/28/rabies-outbreak-not-over-yet-health-dept/

Antrax: Índia, Ásia
Cinco casos suspeitos de Antrax foram admitidos no Hospital King George (KGH) e suas amostras foram enviadas ao departamento de microbiologia para biópsia. As cinco pessoas são da aldeia de Pinapadu em Chintapalle Mandal, distrito de Visakhapatnam, no estado de Andhra Pradesh. Eles podem ter contraído Antrax pelo consumo da carne de algum animal infectado pois as toxinas foram identificadas em suas mãos.
Fonte:https://www.deccanchronicle.com/lifestyle/health-and-wellbeing/261217/visakhapatnam-5-in-hospital-with-anthrax.html

Sarampo: Mundo
Pela primeira vez na história, as mortes por sarampo caíram para menos de 100 mil por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. De acordo com o New York Times, essa diminuição em casos fatais é um triunfo para a saúde pública e foi alcançada graças às campanhas de vacinação generalizadas que começaram no início dos anos 2000. As mortes por sarampo em 2016 foram de 89.780, mas esse valor é baixo considerando a década de oitenta, quando a doença matou 2,8 milhões de pessoas por ano no mundo. As vacinas contra o sarampo foram inventadas na década de 1960. O relatório observa que, a partir de outubro de 2017, foram identificados 9.386 casos de sarampo em países europeus, como Itália, Romênia, Ucrânia, Alemanha e França. Nos países do “primeiro mundo”, as mortes por sarampo são 1 em 5.000. De acordo com a OMS, nos países em desenvolvimento a doença pode matar 6% das crianças com desnutrição, e metade das crianças não-vacinadas do mundo vivem em 6 países: Congo, Etiópia, Índia, Indonésia, Nigéria e Paquistão.
Fonte:https://www.elespectador.com/noticias/salud/las-muertes-por-sarampion-alcanzan-un-minimo-historico-articulo-730624
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO_SE 51_2017

Febre Amarela: Brasil
A cidade de Jundiaí , São Paulo, registrou um caso positivo de febre amarela em humano, não vacinado, confirmado no último dia 18. Em 2017 foram aplicadas 280 mil doses de vacina resultando em 92,9% da população imunizada. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo , até o momento, foram confirmados 23 casos autóctones de febre amarela silvestre em seres humanos, sendo que 10 dessas pessoas foram a óbito (Américo Brasiliense, Amparo, Batatais, Monte Alegre do Sul, Santa Lucia, São João da Boa Vista e Itatiba). Os demais casos ocorreram nos municípios de Águas da Prata, Campinas, Santa Cruz do Rio Pardo, Tuiti e Mococa.
Sobre as Epizootias , em 2017, 501 macacos contaminados por febre amarela já morreram no estado de São Paulo . Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a maior parte dos animais (74%) foi encontrado na região de Campinas, interior do estado.
Em Jundiaí , a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), por meio da Vigilância Epidemiológica e da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) informou, no Boletim 46, um total de 72 macacos mortos com febre amarela.
Fonte: https://www.jundiai.sp.gov.br/boletim-febre-amarela/
https://goo.gl/Pjzwd8
https://goo.gl/Th7WYh
https://goo.gl/iXecdx

Febre Maculosa: Minas Gerais, Brasil
A Vigilância Epidemiológica Regional de Ponte Nova, Minas Gerais, divulgou às autoridades de saúde da região, um alerta de Febre Maculosa. De acordo com o comunicado, quatro óbitos já foram registrados nas cidades de Rio Casca e São José do Goiabal sendo que dois deles foram confirmados por laboratório.
Fonte:http://primeiroasaber.com.br/2017/12/4-obitos-por-febre-maculosa-na-regiao-motivam-alerta-da-vigilancia-regional/

Arboviroses: Dengue e Chikungunya, Brasil
A Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa), divulgou o boletim da dengue que aponta que os casos de dengue aumentaram 28% em uma semana, com alta de 67 confirmações. Os números subiram de 238 para 305, sendo que dois são considerados graves. O município de Maringá, no noroeste do estado, registrou um a cada três novos casos da doença, subindo de 90 para 124 confirmações, o maior número em todo o estado. As cidades com mais casos suspeitos são Londrina, Maringá e Paranaguá.
O alerta de possibilidade de epidemia de dengue é dado pela Sesa em função de um estudo desenvolvido pela Universidade Federal do Paraná-UFPR (em parceria com a Sesa), que detectou um grande aumento de infestação de Aedes em Paranaguá , no litoral do estado. Foi verificada a presença do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya em 58%das 331 armadilhas instaladas entre os dias 7 e 11 de dezembro em todo o município.
Em Fortaleza , Ceará , foram registrados 139 óbitos por dengue e chikungunya. Nas ocorrências relacionadas a chikungunya, este é um aumento de 221% em relação aos óbitos de 2016. No total, quase 70 mil pessoas foram registradas por uma das duas doenças.
Fonte: http://paranaportal.uol.com.br/cidades/aumento-casos-dengue/
http://paranaportal.uol.com.br/cidades/paranagua-esta-infestado-de-aedes-aegypti-aponta-estudo/
https://goo.gl/iw5SsD

Leishmaniose Visceral Humana: Santa Catarina, Brasil
O Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen), confirmou o terceiro caso autóctone de leishmaniose visceral humana no Estado. A paciente de 14 anos é residente do Rio Tavares, em Florianópolis. A Vigilância em Saúde já iniciou a investigação ambiental e o inquérito sorológico nos cães encontrados na região. O primeiro caso foi identificado em agosto, quando um morador do Saco dos Limões foi internado após ter contraído a doença.
O outro caso registrado neste ano envolve um homem de 34 anos, que começou o tratamento em agosto. Segundo o levantamento da Secretaria Municipal de Saúde, a leishmaniose visceral canina, que antes se concentrava na região da Lagoa da Conceição, agora está distribuída em 34 bairros da Capital.
Fonte:https://goo.gl/qWGToQ

Difteria: Américas
O boletim da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) sobre difteria nas Américas, que relata os casos entre as SE 1 a 48, informou que, na Venezuela , um total de 609 casos
suspeitos foram notificados e 127 óbitos. O documento não especifica o número de mortes de casos confirmados com a doença. O número de dados disponíveis até agora, indica que, de setembro de 2016 a última semana de novembro de 2017, a Venezuela acumulou 933 casos suspeitos e 247 confirmados com difteria. O número de mortes relatadas pela Venezuela excede o número de letalidade reportado à OPAS pelo Haiti , que entre janeiro e dezembro de 2017, registrou 152 casos suspeitos com taxa de mortalidade de 10%.
No Brasil , até SE 49 de 2017, 42 casos suspeitos de difteria foram notificados, distribuídos em 14 estados dos quais 41 foram confirmados. No Haiti , até a SE 48 de 2017, 152 casos prováveis foram relatados com uma taxa de letalidade de 10%. Do total de relatados, 59% correspondem a mulheres e 76% a crianças com menos de 10 anos de idade e 89% deles desconheciam ou não tinham informações sobre seu status de imunização.
A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS / OMS) recomenda que os países continuem os esforços para garantir altas taxas de cobertura, usando estratégias que permitam atingir os níveis apropriados em todas as entidades territoriais.
Fonte: https://goo.gl/2ei3zg
http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=43202&lang=es

Norovírus, surto em navio: EUA
Os passageiros do cruzeiro Independence of the Seas da empresa Royal Caribbean adoeceram por infecção gastrointestinal por norovírus. A viagem pela costa da Flórida, EUA, foi por 5 dias com mais de 5.500 pessoas a bordo. A empresa de turismo informou que foram 220 passageiros e que os sintomas começaram a ser sentidos desde 2 dias depois do embarque com vômitos e diarréia, náuseas e dor estomacal. Os passageiros foram atendidos a bordo pelos únicos 3 enfermeiros. A equipe realizou um processo de limpeza e esterilização de acordo com os protocolos dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) em casos de norovírus.
Fonte:https://elcomercio.pe/mundo/actualidad/estados-unidos-crucero-vuelve-florida-200-pasajeros-enfermos-noticia-482176

Monkeypox: Nigéria, África
Na semana epidemiológica 49, o Centro de Controle de Doenças da Nigéria (NCDC), por meio do seu Centro de Operações de Emergência (EOC), informou um total de 172 casos registrados da doença, e desses 61 casos confirmados, entre as SE 35 e 47.
Fonte:http://ncdc.gov.ng/themes/common/files/sitreps/6bd3b9afa442c7ccd4f46478d965354b.pdf

Cólera: África
De acordo com o oficial de saúde ambiental do distrito de Kalonga , Malawi , Luis Tukula,
duas pessoas morreram durante o tratamento. Tukula disse que a doença está se espalhando rápido e que a área mais afetada é Ngala, que está na parte sul do distrito e solicitou ajuda de diferentes organizações. A doença teria começado na vizinha Tanzânia, no distrito de Kyela, onde muitos dos Malawianos tendem a fazer seus negócios. Em 2016, 13 pessoas morreram em Karonga.
Fonte:https://www.nyasatimes.com/two-die-22-hospitalised-cholera-outbreak-rages-karonga/

Listeriose, África do Sul, África
Segundo o Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis (NICD), o surto de listeriose na África estava com 602 casos confirmados por laboratório, incluindo 40 mortes até 13 de dezembro. Seis de cada 10 casos foram relatados na província de Gauteng. Mais de 15 inquéritos alimentares foram realizados entre os casos na província de Gauteng e vários alimentos comuns a todas as pessoas afetadas foram identificados. O consumo de alimentos contaminados com L. monocytogenes pode causar listeriose, uma infecção grave que afeta principalmente idosos, pessoas com sistema imunológico enfraquecido e mulheres grávidas e seus recém nascidos.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/south-africa-listeriosis-outbreak-cases-top-600-year-71626/

MERS-CoV: Oriente Médio
Entre 31 de outubro e 8 de dezembro de 2017, o Ponto Focal Nacional do RSI do Reino da Arábia Saudita informou 18 casos adicionais de infecção pelo coronavírus da síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV) em três regiões do país. E ntre os 18 casos relatados, cinco relataram contato com dromedários e um é contato próximo de outro caso. Globalmente, 2121 casos confirmados por laboratório de infecção por MERS-CoV, incluindo pelo menos 740 mortes foram relatados pela OMS.
O Irã , recentemente, identificou um caso suspeito de Síndrome Respiratória do Oriente
Médio (MERS).
O Centro de Proteção à Saúde, Departamento de Saúde de Hong Kong (CHP), recomenda
que viajantes evitem ir às fazendas, celeiros ou mercados com camelos e/ou contato com
pessoas doentes e animais, especialmente camelos, aves ou aves de capoeira e, ainda, que os agentes de viagens não ofereçam passeios e/ou atividades que envolvam contato direto com camelos. A recomendação para se evitar fatores de risco para MERS inclui, inclusive, a ida a centros de saúde sem necessidade específica para que, assim, se evite contato com doentes.
As áreas afetadas incluem a Península Arábica e seus países vizinhos (incluindo Bahrein, Irã, Iraque, Israel, Jordânia, Kuwait, Líbano, Omã, Reino da Arábia Saudita, Estado da Palestina, Síria, Emirados Árabes Unidos, Qatar e Iêmen). Até agora, mais de 85% dos casos confirmados foram reportados por países do Oriente Médio ou exportados para outros países diretamente do Oriente Médio. Os casos restantes fora do Oriente Médio adquiriram a infecção através do contato próximo com outro paciente confirmado (especialmente em instituições de saúde).
Fonte: http://www.who.int/csr/don/19-december-2017-mers-saudi-arabia/en/
http://www.military-technologies.net/2017/12/19/suspected-mers-case-reported/
http://www.chp.gov.hk/en/features/26511.html

Peste: China
As autoridades de saúde da província de Gansu confirmaram a morte de um paciente por peste septicêmica, doença rara na China. Medidas rigorosas de controle e prevenção estão sendo impostas. Especialistas disseram que testes confirmaram o óbito por peste septicêmica que evoluiu a partir da peste bubônica. As autoridades disseram que colocaram as 12 pessoas que tiveram contato íntimo com o paciente em quarentena e que não foram encontradas anormalidades. Apenas um caso de peste foi relatado no continente chinês em 2016, segundo a Comissão Nacional de Saúde.
Fonte: http://www.china.org.cn/china/2017-12/15/content_50105165.htm

Gripe aviária, novo vírus: HPAI H5N6
A Agência de quarentena animal e vegetal da República da Coreia e o Laboratório Internacional de Referência OIE-FAO-UE da APHA-Weybridge, no Reino Unido caracterizaram um novo vírus emergente de gripe aviária A (HPAI) isolado de aves selvagens e aves domésticas na República da Coréia. Houve um caso de HPAI H5N6 em uma fazenda de frango na província de Jeonbuk, Coréia do Sul. Além disso, um vírus H5N6 foi isolado de aves selvagens na Ilha de Jeju, Coréia do Sul, e as análises filogenéticas de um representante desses vírus mostraram que era diferente dos vírus H5N6 coreanos que circulavam anteriormente na temporada de inverno 2016-2017. Todos os genes, exceto a neuraminidase, eram da “linhagem H5N8 HPAI européia” que surgiram no inverno passado e continuam a ser detectados em alguns países europeus.
Fonte: http://www.promedmail.org/post/20171212.5498935

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO_SE 50_2017

Febre Amarela: Brasil
O Vale do Rio Pardo, Rio Grande do Sul, registrou no fim de novembro a primeira morte por febre amarela depois de oito anos. Desde 2009, quando houve um surto da doença, a região passou a ser considerada área de transmissão. Na época, foram 11 casos e duas mortes, ambas em Vera Cruz. De acordo com a coordenadora de Vigilância e Epidemiologia da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS), Beanir Lara, no início do ano o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs/RS) emitiu um alerta epidemiológico sobre a febre amarela, com recomendações aos municípios gaúchos. No mês passado, um segundo comunicado foi divulgado. No País, Minas Gerais e Espírito Santo são os estados com maiores índices de infecção e mortes pela doença. Juntos, somam 250 óbitos apenas neste ano.
Em Jundiaí, São Paulo, foi identificado a suspeita de um primeiro caso de febre amarela em 2017. O paciente, o único da sua família que não foi imunizado, está internado e é caso suspeito de febre amarela e, também, de leptospirose. Depois da notificação da suspeita, a imunização está sendo intensificada na região de Ivoturucaia, local de moradia do caso.
Em relação às epizootias, também em São Paulo, o Instituto Adolfo Lutz confirmou o primeiro caso de macaco morto por febre amarela em Guarulhos, Região Metropolitana. A secretaria informou que, diante do diagnóstico positivo, deve intensificar a vacinação na região, além de realizar ações preventivas. De acordo com a secretaria, a vacinação contra febre amarela em Guarulhos está disponível desde o dia 28 de outubro. Até agora foram imunizadas 134.162 pessoas.
Fonte:http://gaz.com.br/conteudos/regional/2017/12/09/109107-apos_8_anos_febre_amarela_volta_a_matar_na_regiao.html.php
http://www.jj.com.br/noticias-51698-jundia%C3%AD-tem-o-primeiro-caso-suspeito-de-febre-amarela-em-humanos
https://istoe.com.br/guarulhos-tem-morte-de-macaco-por-febre-amarela/

Rotavírus: Mato Grosso, Brasil
A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra, Mato Grosso, detectou um número alarmante de casos de diarréia causadas por rotavírus. Em entrevista à Rádio Pioneira a enfermeira Juliana Herrero, da Vigilância Epidemiológica, confirmou que o setor tem recebido mais de 200 notificações de pacientes com sintomas da doença semanalmente. Segundo ela, nesta semana, a Vigilância recebeu os primeiros resultados de exames confirmando que a causa é o rotavírus. O rotavírus é um vírus que causa forte diarreia e, muitas vezes, febre e vômitos, podendo levar a um quadro de desidratação, é extremamente contagioso e se espalha com facilidade através de contatos normais entre pessoas. Segundo Juliana, ainda não se pode afirmar que a via de transmissão está sendo pela água.
Fonte:https://www.tangaraemfoco.com/single-post/2017/12/09/Exames-confirmam-rotav%C3%ADrus-como-causador-de-surto-de-diarreia-em-Tangar%C3%A1-da-Serra

Hantavírus: Panamá, América Central
O Ministério da Saúde (MINSA) confirmou a morte de um paciente de 47 anos na província de Los Santos, tornando-se o 20º caso de 2017 e a primeira morte nos últimos 2 anos.
Fonte:http://www.panamaamerica.com.pa/provincias/confirman-la-muerte-de-un-paciente-de-47-anos-por-hanta-virus-en-los-santos-1090662

Vírus Sincicial Respiratório: México, América Central
Os casos do vírus sincicial respiratório aumentaram 900% nesta temporada de inverno no México. O vírus sincicial respiratório é o fator causador de doenças como pneumonia. De acordo com o Instituto Nacional de Doenças Respiratórias (INER), 100 pessoas foram tratadas, quando no ano passado 10 casos foram registrados. O INER indicou que eles não possuem estatísticas precisas a nível nacional, mas apontaram que esse vírus e o pneumococo são as doenças mais freqüentes durante o inverno. As recomendações dadas pelo INER são: lavagem de mãos com freqüência e não compartilhamento de utensílios para comer, como medidas de contenção do vírus.
Fonte: https://www.contramuro.com/alertan-virus-respiratorio-sincicial/

Leptospirose: América Central
O Vice-presidente da Nicarágua, Rosario Murillo, informou que, no ano de 2017, foram notificados 748 casos de leptospirose frente a 528 casos em 2016. Somente na última semana, 24 casos foram detectados. Murillo alerta para o perigo do agravo e diz que é necessário elevar o nível de alerta antes que o surto possa se tornar uma epidemia.
Na República Dominicana, cerca 62 pessoas morreram e quase 700 casos foram relatados em 2017, frente a 540 caos e 55 óbitos em 2016.
Fonte:http://www.elnuevodiario.com.ni/nacionales/449304-gobierno-nicaragua-pide-elevar-nivel-alerta-leptos/
http://www.7dias.com.do/portada/2017/12/13/i237922_suman-las-muertes-por-leptospirosis-este-ano-republica-dominicana.html#.WjQC9tKnHIV

Hepatite A: EUA, América do Norte
Desde setembro, o oficial de saúde pública do condado de San Diego declarou uma emergência local de saúde pública devido ao surto de Hepatite que, ainda, está em curso no município. O número de casos está aumentando progressivamente pelo contato ‘pessoa a pessoa’ e por meio de contato com ambientes contaminados. A maioria das pessoas infectadas são usuários de drogas ilícitas e/ou pessoas ‘sem teto’. Até início de dezembro, 567 casos foram identificados, com 20 mortes.
Fonte:http://www.sandiegocounty.gov/content/sdc/hhsa/programs/phs/community_epidemiology/dc/Hepatitis_A.html

Masburg: Uganda, África
Segundo a Organização Mundial da Saúde, Uganda controlou com sucesso um surto de doença do vírus Marburg (MVD) e impediu sua propagação apenas algumas semanas após a sua primeira detecção, liderando uma resposta exemplar, segundo Dr. Matshidiso Moeti, Diretor Regional da OMS para a África. Ao longo do surto, 3 pessoas morreram em dois distritos no leste do Uganda perto da fronteira do Quênia, Kween e Kapchorwa. Os trabalhadores de saúde acompanharam um total de 316 contatos próximos dos pacientes em Uganda e no Quênia para garantir que eles não haviam adquirido a doença. O surto MVD foi declarado contido pelo Ministério da Saúde depois que os contatos do último paciente confirmado completaram 21 dias de acompanhamento.
Fonte:http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2017/uganda-marburg-virus-disease/en/
http://outbreaknewstoday.com/marburg-outbreak-uganda-led-exemplary-response-77078/

Cólera: África
No Quênia, desde 1 de janeiro até 29 de novembro de 2017, o Ministério da Saúde informou o total de 3967 casos, incluindo 76 óbitos, em 20 de 47 município. Dos casos relatados, 596 foram confirmados em laboratório. A partir de 29 de novembro, sete municípios continuam a ter surtos ativos de cólera (Embu, Garissa, Kirinyaga, Mombasa, Nairobi, Turkana e Wajir).
O Ministro da Saúde da Zâmbia, declarou um surto de cólera na capital, Lusaka. De 28 de setembro a 7 de dezembro de 2017, foram 547 casos, incluindo 15 óbitos. A partir de 5 de novembro, observou-se um aumento no número de casos com um total de 136 casos relatados na SE 48. As principais áreas afetadas são os bairros densamente povoados de Lusaka, Chipata e Kanyama, onde o mau saneamento pode favorecer a propagação da doença e a estação chuvosa está por chegar.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/11-december-2017-cholera-kenya/en/
http://www.who.int/csr/don/11-december-2017-cholera-zambia/en/
http://www.dailymail.co.uk/wires/reuters/article-5170727/Cholera-resurges-Zambian-capital-Lusaka-WHO-says.html

Malária: África e Ásia
A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, confirmou haver um surto de malária no Cafunfo, província da Lunda Norte que tem mais de 130 mil habitantes. Ainda não há uma contagem concreta de casos na região. Contudo, o hospital de Cafunfo registou seis óbitos de menores até cinco anos de idade, desde 4 de Dezembro. A Ministra já fez entrega de ambulâncias, carros de fumigação e kits de medicamentos, para o combate da malária nos 10 municípios da Lunda Norte.
Os países da sub-região do Grande Mekong (um dos maiores rio do mundo, localizado no sudeste asiático) planejam uma ação para eliminar a malária até 2030 na região. Representantes do Camboja, da China, da República Democrática Popular do Lao, de Myanmar, da Tailândia e do Vietnã, chamaram a atenção em relação à resistência dos parasitas da malária aos melhores medicamentos antipalúdicos como a artemisinina e enfatizaram a necessidade urgente de uma ação conjunta se desejassem combater o problema. De acordo com a OMS, os resultados recentes têm sido bastante impressionantes na região do GMS diminuindo os casos de malária em 74% e as mortes em 91% entre 2012 e 2016.
Fonte:https://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/saude/2017/11/49/Lunda-Norte-Ministra-Saude-confirma-haver-surto-malaria-Cafunfo,4484c608-c8ac-44b6-83e6-19bafb9c264c.html
http://www.business-standard.com/article/news-ani/greater-mekong-subregion-pledges-to-fight-malaria-together-117120801118_1.html

Difteria: Ásia e Oriente Médio
As autoridades sanitárias da Indonésia, Ásia, vão iniciar período de imunização para conter um aumento acentuado nos casos de difteria, em que pelo menos 32 pessoas foram á óbito, incluindo crianças. O ministério da saúde disse que, pelo menos, 591 casos foram relatados desde janeiro, um aumento de 42% em relação ao ano passado. Segundo Dr. Mohamad Subuh, diretor-geral de prevenção e controle de doenças, um programa de imunização está sendo implementando para prevenir uma pandemia.
Depois da cólera, o sistema de saúde do Iêmen, Oriente Médio, abre luta contra uma nova ameaça: a difteria. Até 4 de dezembro, 318 casos suspeitos e 28 óbitos foram relatados. Metade dos casos suspeitos são crianças entre 5 e 14 anos e quase 95% das mortes são menores de 15 anos. Quase 70% de todos os casos suspeitos estão na cidade de Ibb. O coordenador de emergências de MSF em Ibb, Marc Poncin, lembrou que a difteria já foi erradicada na maioria dos países após campanhas sistemáticas de vacinação infantil, mesmo no Iêmen, onde o último caso da difteria tinha sido identificado em 1992 e o último surto em 1982. Porém, diante da situação de guerra civil em curso e a precariedade do abastecimento de água e do próprio sistema de saúde, a doença retornou ao país.
Fonte:http://www.straitstimes.com/asia/se-asia/indonesia-fights-extraordinary-diphtheria-outbreak-that-has-killed-32
https://reliefweb.int/report/yemen/cholera-diphtheria-yemen-s-shattered-health-system-battles-new-threat

Chikungunya: Paquistão, Oriente Médio
De acordo com um relatório emitido em Sindh (província do Paquistão) pelo Departamento de Saúde, um total de 4.808 casos suspeitos de Chikungunya foram relatados desde início de 2017, 4.078 em Karach (capital de Sindh), mas nenhuma morte foi relatada.
Fonte:https://www.brecorder.com/2017/12/09/385718/more-chikungunya-cases-reported-in-karachi/
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO_SE 49_2017

Raiva Humana: Amazonas, Brasil
O Ministério da Saúde determinou a vacinação imediata contra raiva humana em todos os moradores das nove comunidades do Rio Unini, no município de Barcelos, no Amazonas. A medida foi autorizada, pela Nota Técnica nº 7-SEI/MS, em resposta a solicitação Fundação de Vigilância do Estado do Amazonas avaliada como uma importante estratégia de prevenção. Serão, no total, mais de 3 mil doses entregues ao município. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Barcelos, 270 pessoas informaram ter sido agredidas por morcegos nos últimos 12 meses.
Fonte: http://www.portaldoholanda.com.br/noticia-hoje/ministerio-da-saude-determina-imunizacao-imediata-contra-raiva-humana-no-amazonas

Malária: Américas
O diretor do Programa de Malária da Organização Mundial da Saúde (OMS), Pedro Alonso, apresentou o Relatório Mundial sobre a Malária 2017, onde os casos passaram de 171.200 em 2015 para 300.900 no ano passado, na Venezuela, impulsionados pela situação política instável e econômica. Na Colômbia, o número de casos passou de 74.100 pacientes em 2015 para quase o dobro, 134 mil em 2016.
Na região das Américas (que inclui a América Latina, o Caribe, os Estados Unidos e o Canadá), o número de casos de malária em 2016 aumentou 22% em relação ao ano anterior, passando de 684 mil casos em 2015 para 875 mil no ano passado. O número de óbitos por malária também aumentou, atingindo 700 óbitos, mais 300 do que no ano anterior.
Além da Colômbia e da Venezuela, a Nicarágua também registrou um forte aumento nos pacientes: 12.460 em 2016 frente a 5 mil em 2015. No Equador foram 1.200 pacientes em 2016, o dobro de 2015.
Fonte: https://es-us.noticias.yahoo.com/oms-malaria-dispara-venezuela-colombia-razones-distintas-152600773.html

Sarampo: Américas e Europa
A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) informou, no último Boletim Epidemiológico, que os casos de sarampo deixaram de ser circunscritos no estado de Bolívar e se expandiram para Anzoátegui, também na Venezuela. Embora a maioria dos casos esteja focada em Bolívar, dois casos de sarampo foram confirmados em Anzoátegui, ambos possuem uma ligação epidemiológica com o estado Bolívar. De acordo com o boletim, de um total de 773 casos suspeitos de sarampo registrados no país, 431 foram confirmados. Outros 188 foram descartados e 154 estão atualmente sob investigação.
A Europa está em alerta e declarou a guerra contra os movimentos anti-vacinas. Mais de 40 mortes já foram notificadas em toda a União Européia devido ao sarampo. De acordo com estatísticas das agências de saúde, em alguns países, como a Romênia, já houve mais de 9 mil infecções devido à queda nas taxas de imunização, o que leva vários países a considerar a imposição de vacinação compulsória.
Na Grã-Bretanha, as autoridades sanitárias britânicas pediram aos cidadãos em suspeita de sarampo, que fiquem em casa e entrem em contato imediatamente com o médico/ Serviço Nacional de Saúde. O alerta foi declarado após se registrar dois surtos independentes da doença em Leeds e Liverpool, com cerca de trinta casos entre crianças e jovens não vacinados. Na Itália, em 2017, mais de 3.000 casos de sarampo foram relatados.
Em toda a Europa, os casos aumentaram de 3.805 no ano passado para mais de 10.000 nos primeiros nove meses de 2017, impulsionados por picos na Romênia e na Itália, de acordo com dados da OMS. De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, houve 30 óbitos entre janeiro e setembro, em comparação com 12 no ano passado.
A Romênia, que este ano sofreu mais de dois terços das mortes por sarampo na UE, tem uma taxa de vacinação inferior à média. A situação é uma preocupação séria para a Europa porque não só os casos se multiplicaram, mas o movimento anti-vacina tem causado queda na taxa de vacinação: 89% de todos os casos não foram vacinados e 6% só receberam a primeira dose da vacina. A OMS diz que os países devem ter 95% de taxas de imunização para proteger a população em geral. A Romênia e a Itália tomaram medidas para tornar as imunizações obrigatórias este ano.
Fonte:http://efectococuyo.com/principales/brote-de-sarampion-se-extiende-a-anzoategui-con-dos-casos-confirmados
https://buenavibra.es/movida-sana/salud/mas-de-40-muertos-por-sarampion-en-europa-por-culpa-de-los-antivacunas/
http://es.euronews.com/2017/12/07/las-muertes-por-sarampion-en-la-ue-en-curso-de-triplicarse

Rubéola: Europa
Desde novembro/2016 a Outubro/2017, o continente registrou 754 casos de rubéola. No período de 12 meses. Os países que mais relataram casos foram a Polônia (559), Alemanha (78) e Itália (66). Em outubro de 2017, foram 53 casos registrados, sendo 42 na Polônia. Apesar do grande número de registros, apenas 87 casos foram confirmados laboratorialmente nesse período.
Fonte:https://ecdc.europa.eu/sites/portal/files/documents/Monthly-Measles-Rubella-monitoring-report-December-2017_0.pdf

Peste: Madagascar, África
Segundo o relatório de 4 de dezembro de 2017, o surto atual de peste em Madagascar, que começou em agosto de 2017, foi contido. No dia 27 de novembro, o Ministério da Saúde de Madagascar anunciou oficialmente a contenção do surto de peste pneumônica urbano agudo. No entanto, como a peste é endêmica em Madagascar e a temporada de peste dura de setembro a abril, espera-se que mais casos de peste pneumônica, bubônica e esporádica sejam reportados até abril de 2018. A data de início do último caso bubônico confirmado foi 18 de novembro de 2017 e a data de início do último caso de peste pneumônica secundária (forma bubônica primária) foi 19 de novembro de 2017. De 1 de agosto a 26 de novembro de 2017, o total cumulativo de 2.417 casos confirmados, prováveis e suspeitos de peste, incluindo 209 óbitos (taxa de mortalidade de 9%), foram relatados em 57 dos 114 (50%) distritos em Madagascar. A maioria dos casos relatados (1.854, 77%) foram classificados clinicamente como peste pneumônica, 355 foram classificados como peste bubônica (15%), um foi septicêmico e 207 ainda não foram classificados. Por volta de 80 trabalhadores de saúde tiveram doença compatível com peste mas não foi observado nenhum óbito entre eles. Um total de 7.318 contatos identificados durante esse surto foram submetidos a um tratamento de antibióticos profiláticos.
Fonte: https://reliefweb.int/report/madagascar/madagascar-plague-outbreak-external-situation-report-14-4-december-2017

Encefalite Japonesa: Índia
Foram identificados mais dois casos na cidade de Keshoraipatan, Índia. Esse ano, foram notificados 3 casos, com um óbito. Após esse óbito em outubro, uma equipe do departamento de saúde foi enviada na primeira metade de novembro para avaliar. Houve coleta em larvas de mosquitos Culex e amostras de sangue de seis pessoas e enviados ao Instituto Nacional de Virologia (NIV), com alguns resultados positivos. A encefalite japonesa é um flavivírus transmitido por mosquitos (principalmente Culex tritaeniorhynchus), que afeta principalmente crianças e também idosos acima de 60 anos cuja imunidade permanece baixa. Geralmente se espalha nas áreas onde as plantações de arroz são irrigadas por inundação. Segundo Dr. Ravi Prakash Mathur, diretor adicional de saúde rural, “Uma vez que Keshoraipatan é conhecido por cultivo de arroz em campos agrícolas alimentados por canal, então poderia ser esse o motivo do surgimento da doença na área”.
Fonte: http://www.hindustantimes.com/jaipur/two-more-cases-of-japanese-encephalitis-detected-in-bundi/story-bwhMduArtD1u6X0hHT70dL.html

Influenza: China
O Centro de Proteção à Saúde (CHP) notificou um caso humano de gripe aviária A (H7N9) em Yunnan, Sudoeste da China. O paciente do sexo masculino, de 64 anos, em Kunming, conhecido por ter contato com aves mortas, teve início de sintomas em 21 de novembro e está em estado grave. “Este é o primeiro caso humano relatado no continente desde outubro de 2017. À medida que o inverno se aproxima, com base no padrão sazonal de vírus da gripe aviária (H7N9), sua atividade no continente deverá aumentar”, disse um porta-voz da CHP. Os viajantes para o continente, ou outras áreas afetadas, foram orientados a evitar mercados de aves vivas ou fazendas, a presença de aves de criação quando visitar parentes e amigos, a compra e o contato com aves de capoeira vivas ou recém-abatidas. Todos no continente estão sendo orientados a observar rigorosamente a higiene pessoal e das mãos ao visitar qualquer lugar com aves vivas.
Fonte: http://www.info.gov.hk/gia/general/201712/02/P2017120200371.htm
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping CIEVS RIO_SE 48_2017

Febre Amarela: São Paulo, Distrito Federal, Brasil
Entre julho e meados de outubro de 2017, um total de 71 casos suspeitos de febre amarela foram relatados no estado de São Paulo. Destes, 2 foram confirmados, 6 estão sob investigação e 63 foram excluídos. Os 2 casos confirmados, um dos quais foi fatal, foram reportados de Itatiba.
A Secretaria de Saúde do Distrito Federal investiga um caso suspeito de febre amarela. O paciente é um psicólogo de 43 anos. A suspeita é que ele possa ter contraído a doença na área rural do Jardim Botânico. Segundo a Secretaria, os exames clínicos realizados até agora não conseguiram concluir se ele tem a doença e o paciente segue em estado gravíssimo, com provável morte cerebral. Mas, nas redes sociais, amigos e familiares já postam mensagens de condolências pelo falecimento do psicólogo. Se confirmada a morte por febre amarela, este será o primeiro caso da doença contraída na capital federal. Em 2017, houve duas mortes confirmadas de febre amarela em residentes do DF mas não se configurou transmissão autóctone.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/24-november-2017-yellow-fever-brazil/en/
http://www.promedmail.org/post/20171107.5430709
http://radioagencianacional.ebc.com.br/geral/audio/2017-11/secretaria-de-saude-investiga-caso-suspeito-de-febre-amarela-no-distrito-federal

Raiva Humana: Manaus, Brasil
O Instituto Evandro Chagas (IEC), laboratório referência para doenças infecciosas no Brasil, divulgou resultado positivo para Raiva Humana para o paciente de 17 anos que morreu no dia 16 de novembro, no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, em Manaus. A suspeita de Raiva Humana foi levantada por conta do histórico do paciente para mordida de morcego. De acordo com familiares, o adolescente havia sido atacado pelo animal na comunidade Tapira, no rio Unini, zona rural de Barcelos, onde residia. A irmã do adolescente, uma criança de 10 anos, está internada com sintomas semelhantes. A menina também passou por exames, mas ainda não se sabe o resultado. De acordo com o boletim médico, a criança segue internada em coma, hemodinamicamente instável e com quadro clínico considerado gravíssimo. Outro paciente, de 44 anos, da mesma comunidade, está internado na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) sem apresentar sintomas de encefalite viral.
Segundo o pesquisador e médico Rodney E. Willoughby, um paciente com 3 anos de idade é o primeiro caso a sobreviver por raiva humana na República Dominicana. O representante do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos na República Dominicana, Dr. Nelson Arboleda, visitou o hospital infantil Arturo Grullón para monitorar o progresso do paciente.
Fonte:http://d24am.com/amazonas/apos-15-anos-casos-de-raiva-em-humanos-reaparecem-no-am/
http://elcaribe.com.do/2017/11/07/un-nino-que-sobrevivio-a-rabia-asombra-a-doctor/

Malária: Venezuela, América do Sul
A malária está se espalhando rapidamente pela Venezuela, onde um colapso econômico está provocando uma escassez de remédios e de médicos. Segundo uma divulgação recente do governo houve 240.613 casos de malária em 2016, 76% a mais do que em 2015, a maior parte deles em Bolívar. Em uma visita a Bolívar realizada no início de novembro, a vice-ministra da Saúde, Moira Tovar, disse que a epidemia no estado será controlada dentro de três meses. Segundo ela, 32 pessoas morreram em uma única semana no final de outubro.
Fonte: https://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKBN1DO1O2-OBRWD

Difteria: Venezuela, América do Sul
Um total de 37 casos suspeitos de difteria foram notificados e confirmados no estado Mérida. Além disso, no Hospital Universitário de Los Andes foram contabilizados 35 casos. De acordo com autoridades de saúde da região, já foram 6 óbitos. Os pacientes foram atendidos em meio da escassez de insumos e medicamentos.
Fonte:http://www.el-nacional.com/noticias/crisis-humanitaria/confirman-casos-difteria-merida_212638

Varicela: Peru, América do Sul
A varicela continua a fazer vítimas no Peru. Já se somam seis crianças com menos de 10 anos que morreram por causa de doença, número superior ao relatório anual anterior. De acordo com o médico Pedro Diaz Camacho, de todos os casos de varicela, cerca de 40% sofrem complicações hemorrágicas e infecção bacteriana, tornando-o difícil manejo do paciente. O especialista está preocupado com a não emissão de alerta nacional para 2017, já que houve em 2016 e a situação era menos grave do que até outubro deste ano.
Fonte:http://www.chimbotenlinea.com/salud-ancash/25/11/2017/la-libertad-tres-de-los-seis-menores-muertos-por-varicela-estan-en-esta

Hepatite A: Bulgária, Europa
Em Rakovski, os números de casos de hepatite A está em franco aumento. Há crianças doentes em várias escolas e jardins de infância. O primeiro caso foi relatado no início de setembro de 2017. A hepatite A é uma infecção transmitida por via fecal-oral e seu período de incubação é bastante longo, chegando a 45 dias. Há um total de 35 casos relatados de crianças infectadas.
Fonte:https://goo.gl/4Tm5gm

Legionelose: Espanha, Europa
Duas pessoas morreram como conseqüência do surto de Legionelose detectada em Blane, Espanha. Segundo a Agência de Saúde Pública da Catalunha, o foco afetou a 19 Pessoas, uma delas foi uma mulher de 83 anos que foi a óbito.
Fonte:http://www.lavanguardia.com/local/girona/20171123/433105833324/suben-dos-fallecidos-brote-legionelosis-blanes.html

Streptococcus grupo A: Inglaterra, Europa
Autoridades de saúde dizem que nove mortos já foram notificados no aglomerado de casos de estreptococos em Londres. A Unidade de Saúde Middlesex-London diz que mais de 132 casos foram relatados desde 1º de abril de 2016. Dos casos, 22% necessitam de tratamento em terapia intensiva, 15% tiveram síndrome de choque tóxico Streptococcal e 15% tiveram fascite necrotizante. Um alerta foi emitido porque está aumentando o número de casos entre pessoas que não tem vínculo com os casos anteriormente identificados no surto (usuários de drogas injetáveis e pessoas “sem teto”). O estreptococos do grupo A são bactérias comuns que podem causar infecções da pele e da garganta. Algumas pessoas podem transportar estreptococos do grupo A na garganta ou na pele sem ficarem doentes.
Fonte:https://www.thestar.com/news/canada/2017/11/27/nine-dead-in-streptococcus-outbreak-in-london-ont-area-health-officials-say.html
https://globalnews.ca/news/3883214/9-dead-london-group-a-strep-outbreak/

Sarampo: Europa
As autoridades de saúde britânicas deram um alerta a população depois que dois surtos distintos foram identificados em Leeds e Liverpool, Inglaterra, com cerca de trinta casos entre crianças e jovens não vacinados. O alarme foi dado apenas dois meses após o anúncio da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a eliminação do sarampo no Reino Unido, não registrando nenhum caso de contágio autóctone em três anos.
Na Europa, desde janeiro de 2016, a Romênia registrou 8.937 casos da doença devido à queda da taxa de vacinação relacionada às deficiências do sistema de saúde e ao avanço do movimento anti-vacinação. Até o momento, foram contabilizados 21 óbitos no país e também na Itália (3), na Alemanha (1), na Bulgária (1), na França (1) e em Portugal (1).
Fonte:http://www.diariodenavarra.es/noticias/vivir/2017/11/28/alerta-reino-unido-por-dos-brotes-sarampion-564200-3190.html

Febre do Valle do Rift: Uganda, África
O governo ugandês confirmou um surto de febre do Vale do Rift (RVF), nos distritos centrais de Mityana e Kiboga. Não há número de casos confirmados ou suspeitos definidos, mas 2 pessoas já foram á óbito. O diretor-geral interino de serviços de saúde no ministério da saúde, Charles Olaro, comunicou que amostras de sangue, que foram retiradas destes 2 pacientes, deram resultado positivo para RVF. A Equipe Nacional de Resposta Rápida foi enviada para apoiar as estruturas do distrito e conter o surto. A febre do Vale do Rift é uma zoonose viral que também pode infectar humanos. As infecções resultam do contato com o sangue ou órgãos infectados de animais.
Fonte: http://news.xinhuanet.com/english/2017-11/24/c_136777391.htm
http://outbreaknewstoday.com/uganda-reports-rift-valley-fever-outbreak-mityana-kiboga-districts-85575/

Chikungunya: Paquistão, Oriente Médio
Mais de nove casos suspeitos de chikungunya foram relatados em toda a cidade de Karachi, elevando o número de casos para 4.035 desde janeiro de 2017. De acordo com o relatório emitido pelo Departamento de Saúde da Sindh, um total de 4.765 casos suspeitos de chikungunya foram relatados em toda a província de Sindh, dos quais 4.035 surgiram de Karachi e 730 de outros distritos da província. Um total de 127 casos suspeitos de chikungunya foram relatados em Karachi este mês, dos quais 41 foram relatados na semana passada. Em 2016, um total de 405 casos suspeitos de chikungunya foram relatados em Karachi.
Fonte:https://www.pakistantoday.com.pk/2017/11/24/nine-more-chikungunya-cases-surface-in-karachi/

Peste: Madagascar, África
Segundo a OMS, entre agosto de 22 de novembro de 2017, um total de 2348 casos confirmados, prováveis e suspeitos de peste, incluindo 202 óbitos (taxa de mortalidade 8,6%), foram relatados pelo Ministério da Saúde de Madagascar. Havia 1791 casos de peste pneumônica, dos quais 22% foram confirmados, outros 341 casos de peste bubônica e um caso de praga septicêmica e 215 casos com tipo não especificado. No total, 81 profissionais de saúde tiveram doença compatível com a peste mas nenhum morreu. A região de Analamanga foi a mais afetada, com 68% dos casos registrados. Desde o início do surto, casos de peste pneumônica e bubônica foram detectados em 55 dos 114 distritos, incluindo áreas não endêmicas e grandes cidades.
A peste é uma doença infecciosa, causada por uma bactéria chamada Yersinia pestis, e seus principais sintomas são febre, fraqueza e dor de cabeça. Tem um período de incubação entre um a sete dias a partir do momento da infecção. Esta doença, que muitos podem acreditar erradicada e freqüentemente associada à Idade Média, continua a existir endemicamente em diferentes regiões do planeta, como em Madagascar. Existem duas formas principais da doença, dependendo da via de infecção: bubônica e pneumônica. Ainda há outra variante, a peste septicêmica, transmitida de animais para seres humanos, pela mordida de uma pulga ou pelo contato com um animal infectado, é a na qual a bactéria passa do sistema linfático para o fluxo sanguíneo e de lá para o todo organismo.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/27-november-2017-plague-madagascar/en/
http://www.heraldo.es/noticias/suplementos/tercer-milenio/divulgacion/2017/11/25/epidemia-peste-madagascar-riesgo-global-1209442-2121028.html

Influenza Aviária: África ,Europa e Ásia
Na África do Sul, o Departamento de Oportunidades Econômicas do Cabo Ocidental está atualmente explorando planos de gerenciamento de riscos para lidar com surtos da gripe aviária. Existem atualmente 68 casos confirmados em aves.
Na Alemanha, em novembro, foi detectado um surto com 43 aves que apresentaram clínica leve de sinais característicos da influenza. Informações preliminares indicaram que as aves de capoeira recentemente se mudaram para outras regiões da Alemanha, estados membros ou países terceiros.
O Japão apresentou um resumo epidemiológico sobre o agravo e foram encontrados 3 animais positivos para H5N6.
Na China, o Centro de Proteção à Saúde (CHP) do Departamento de Saúde local recebeu notificação de um caso humano da gripe aviária. O paciente teve contato com aves vivas e exposição a mercados de aves de capoeira vivas antes do início dos sintomas. Desde 2014, 17 casos humanos de gripe aviária A (H5N6) foram notificados pelas autoridades de saúde.
Na Coreia uma estirpe altamente patogênica da gripe aviária – H5N6 – foi confirmada na ilha Jeju. É a terceira confirmação desde a virada do inverno. O ministério do meio ambiente diz que o vírus, descoberto em fezes selvagens na semana passada, é altamente contagioso e diferente do detectado no surto passado.
Fonte:
www.oie.int/wahis_2/public/wahid.php/Reviewreport/Review?page_refer=MapFullEventReport&reportid=25284
https://www.iol.co.za/capeargus/news/plans-in-place-for-future-bird-flu-outbreaks-12165726
http://www.oie.int/wahis_2/public/wahid.php/Reviewreport/Review?page_refer=MapFullEventReport&reportid=25269
http://www.info.gov.hk/gia/general/201711/20/P2017112000784.htm
http://www.arirang.co.kr/News/News_View.asp?nseq=211175

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 47_2017

Raiva Humana: Manaus, Amazonas, Brasil
A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas está investigando 3 casos de encefalite aguda, sendo 1 óbito, na comunidade Tapira, região extrativista (Resex) Rio Unini, município de Barcelos. A suspeita gira em torno de raiva humana já que as 3 vítimas foram mordidas por morcego. Há informações de outras pessoas doentes na comunidade. É muito comum, na região, a incidência de acidentes com morcego. Mas há uma preocupação recente diante dos relatos do aumento do número de casos de mordidas: mais de 80 pessoas em uma comunidade de 700 pessoas. A Fundação de Vigilância do Amazonas (FVA) informou que uma equipe de controle de zoonoses, na calha do Rio Unini incluindo a comunidade Tapira, capturou alguns morcegos e todos testaram negativo para raiva, em setembro de 2016.
Fonte:
http://amazonasatual.com.br/susam-investiga-morte-de-adolescente-ha-suspeita-de-raiva-humana/
http://www.portalmarcossantos.com.br/2017/11/18/morcegos-atacam-comunitario-morre-e-dois-estao-no-hospital-foram-mais-de-300-mordidas-em-80-pessoas/#.WhGmrtMK_kw.facebook
http://d24am.com/amazonas/apos-15-anos-casos-de-raiva-em-humanos-reaparecem-no-am/

Difteria: Américas
Da semana epidemiológica (SE) 1 a 45 de 2017, cinco países da Américas relataram casos suspeitos e/ou confirmados de difteria, entre eles Brasil, Colômbia, Haiti e República Dominicana. No Brasil, até a SE 44 de 2017, 39 casos suspeitos de difteria foram notificados, distribuídos em 13 estados dos quais 5 foram confirmados. Na Colômbia, até a SE 43 de 2017, foram 14 casos notificados, porém todos descartados laboratorialmente. No Haiti, até a SE 43 de 2017, foram 120 notificações com 7 óbitos. Na República Dominicana, três casos foram notificados até a SE 43 de 2017, sem registros de mortes. Quanto à situação epidemiológica na Venezuela, durante o ano de 2017 e até a SE 42, 511 casos prováveis foram registrados. Foram obtidas amostras em 452 dos casos (88,5%), dos quais 146 (32,3%) foram confirmados por laboratório. O Ministério do Poder Popular para a Saúde de Venezuela está intensificando a vacinação contra a difteria como parte do plano nacional de vacinação, para os quais existem 9 milhões de doses de vacinas. Em Mérida, os casos de difteria vem aumentando, incluindo 6 óbitos. A diretora de Assistência Médica do principal centro de saúde, Marlene de Salcedo, informou que já foram registrados 35 casos de difteria, dos quais 13 foram confirmados pelo Instituto Nacional de Higiene em 2017. Dos 13 casos confirmados, pelo menos 11 pessoas vivem no estado de Mérida. Estas são informações que corroboram com a circulação do vírus no estado.Em 2016, 78 casos confirmados de difteria foram relatados em três países: Haiti (56 casos), República Dominicana (2 casos) e Venezuela (20 casos). Segundo a Organização Panamericana de Saúde (OPS), desde setembro de 2016 até a SE 42, a Venezuela já tinha somado 835 casos suspeitos.
Fonte:http://www.eluniversal.com/noticias/venezuela/ascienden-seis-los-casos-fallecidos-por-difteria-merida_678433
http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=42922&lang=es
https://www.el-carabobeno.com/la-ops-registra-epidemia-difteria-17-estados-venezuela/

Febre Q: Chile, América do Sul
Mais quatro novos casos de infecção por Febre Q foram confirmados na província de Osorno, Chile. Até agora, já são 60 casos em investigação. O alerta e o monitoramento continuam pois trata-se de uma doença na qual as pessoas não desenvolvem anticorpos imediatamente, então devem ser testados permanentemente ao longo do tempo.
Fonte:http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-los-lagos/2017/11/22/confirman-nuevos-contagios-por-fiebre-q-en-la-provincia-de-osorno.shtml

Hepatite A: EUA e Europa
Segundo os dados de final de outubro da Direção Geral da Saúde (DGS), Portugal tem pelo menos 505 casos de hepatite A confirmados desde o início do ano, entre os 530 notificados. A maioria dos casos continua sendo registrado na zona de Lisboa e Vale do Tejo. Este surge no contexto de um surto a decorrer na Europa, com início em 2016. A quase totalidade dos casos foi identificada em homens que fazem sexo com homens, durante o contato sexual, por transmissão fecal-oral. Em Portugal, essa proporção chega a 85% sendo homens e mais dessa metade por contaminação de contatos sexuais.
As autoridades de saúde pública e o Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Michigan, (MDHHS) continuam a identificar um número elevado de casos de hepatite A no sudeste do Michigan, EUA. Desde o início do surto, em agosto de 2016, a resposta da saúde pública incluiu o aumento dos esforços de conscientização em saúde, notificação e educação pública e divulgação com clínicas de vacinação para populações de alto risco. Nenhuma fonte comum de alimentos, bebidas ou drogas foi identificada como uma fonte potencial de infecção. A transmissão parece ser através da propagação direta de pessoa a pessoa e uso ilícito de drogas. Pelo menos 509 casos já foram registrados e 20 mortes.
O Departamento de Saúde Pública de Kentucky declarou um surto de hepatite A aguda com casos em vários municípios em Kentucky, EUA. No total, 31 casos de hepatite A aguda (início rápido com sintomas de doença) foram relatados em todo o Kentucky em 2017, um aumento de 50% acima da média de 20 casos por ano relatados nos últimos 10 anos. Fatores de risco comuns de pessoas ‘sem-abrigo’ ou o uso de drogas foram identificados entre 12 dos casos no condado na cidade de Jefferson. Nenhuma morte foi atribuída a este surto. Até agora, os resultados do teste combinam o genótipo associado a um surto agudo de hepatite A na Califórnia.
Fonte: http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/saude/confirmados-pelo-menos-505-casos-de-hepatite-a-em-portugal
http://www.michigan.gov/mdhhs/0,5885,7-339-71550_2955_2976_82305_82310-447907–,00.html
http://surfky.com/index.php/webster/179-news/kentucky/124579-acute-hepatitis-a-outbreak-reported-in-kentucky

Febre do Nilo Ocidental: Califórnia, EUA
De acordo com dados recentes do Departamento de Saúde Pública da Califórnia, o surto de febre do Nilo Ocidental, este ano, atingiu mais pessoas do que ano passado. Até agora foram 25 óbitos. Em todo o ano de 2016 foram 153 casos e 6 óbitos relatados. No Condado de Los Angeles, mais de 230 pessoas foram infectadas e 17 morreram: “O número de casos humanos com início da doença até setembro é maior do que a média de 5 anos anteriores”, disseram funcionários de saúde de Los Angeles no último relatório da agência. Do outro lado do Golden State, 454 pessoas foram infectadas este ano, um aumento de 17% em relação a 2016.
Fonte: http://www.dailynews.com/2017/11/13/california-sees-increase-in-west-nile-virus-deaths-this-year-compared-to-2016/

Peste: Madagascar, África
Pelo menos 174 pessoas morreram devido à epidemia de peste bubônica e pneumônica que atingiu Madagascar desde o final de agosto. Até o último relatório da ONU (SE 46), 2.185 casos foram identificados: 61 % da forma pulmonar (mais perigosa e difícil de tratar, podendo levar a morte em 24 horas). Na sua variante pulmonar, a doença pode ser transmitida de humano para humano através de excreções orais, como tosse ou saliva, algo que não ocorre com bubônica. De acordo com o Escritório de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA), quase todas as 7.270 pessoas que tiveram contato confirmado com pacientes com peste já completaram seu tratamento preventivo. Madagascar sofre regularmente de epidemia da praga, mas, ao contrário de outras ocasiões, este foco não se limita à peste bubônica, uma forma da doença em que o bacilo afeta o sistema linfático, mas a pneumônica, causada pela bactéria de Yersinia pestis. A OMS está preocupada com o alto número de pessoas afetadas desde o início da temporada de surto, que dura até abril.
Fonte:https://es-us.noticias.yahoo.com/ascienden-174-muertes-epidemia-peste-madagascar-102600548.html
http://www.eurosurveillance.org/content/10.2807/1560-7917.ES.2017.22.46.17-00710

Hepatite E: Nigéria, África
Desde fevereiro de 2017, a infecção pelo vírus da hepatite E (HEV) foi confirmada em 8 áreas do Estado de Borno, com transmissão ainda em curso em Rann Kala Balge. O número total de casos de icterícia relatados desde esse período é 1262. Sete mortes foram relatadas em casos de icterícia aguda e uma morte com HEV confirmado em Mobbar. A infecção por hepatite E é encontrada em todo o mundo e a transmissão se dá por contato fecal-oral. De acordo com a OMS, todos os anos, há cerca de 20 milhões de infecções por hepatite E em todo o mundo, levando a uma estimativa de 3,3 milhões de casos sintomáticos de hepatite E e 56,600 mortes relacionadas à hepatite E.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/nigeria-nearly-200-hepatitis-e-cases-confirmed-borno-state-69996/

Febre de Lassa: Nigéria, África
Desde dezembro de 2016, um total de 914 casos suspeitos de febre de lassa e 121 mortes foram relatados, de acordo com o Centro de Controle de Doenças da Nigéria (NCDC). Dois novos casos confirmados foram relatados na semana passada pelos estados Edo (1) e Ondo (1). O surto está ativo em 5 estados (Ondo, Edo, Lagos, Plateau e Bauchi) mas dezenove (19) Estados (Ogun, Bauchi, Plateau, Ebonyi, Ondo, Edo, Taraba, Nasarawa, Rios, Kaduna, Gombe, Cross-River, Borno, Kano, Kogi, Enugu, Anambra, Lagos e Kwara) relataram pelo menos um caso confirmado. A febre de Lassa é uma doença aguda da febre hemorrágica viral, transmitida aos seres humanos através do contato com alimentos ou itens domésticos contaminados com urina ou fezes de roedores. Infecções de pessoa a pessoa e transmissão de laboratório também podem ocorrer.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/lassa-fever-nigeria-outbreak-active-5-states-25015/

Monkeypox: Nigéria, África
Pelo menos 38 casos de Monkeypox já foram confirmados laboratorialmente em 8 estados da Nigéria, sem nenhuma morte registrada. Ao todo, mais de 110 casos já foram notificados em 21 estados. De acordo com o Relatório de Situação 006 de 2/11/17, o Centro de Controle de Doenças da Nigéria (NCDC) relatou que 103 amostras foram coletadas e que, pelo menos, 21 estados relataram ao menos um caso suspeito e em 19/11/2017 foi informado que houve um declínio no número de novos casos suspeitos nas últimas 3 semanas. Desde o início do surto, foram registrados 146 casos em 21 estados e no Território da Capital Federal (FCT). Nenhuma morte atribuível a monkeypox foi registrada até o momento.
Fonte: https://www.vanguardngr.com/2017/11/ncdc-confirms-38-monkeypox-cases-8-states/
https://goo.gl/YrQ6sr

Febre Amarela: Nigéria: África
Um surto de febre amarela está atualmente ativo na Nigéria com três estados registrando casos confirmados (Kwara, Kogi e Zamfara). No entanto, um total de sete estados relataram casos suspeitos (Abia Borno, Kogi, Kwara, Kebbi, Plateau e Zamfara) de acordo com o Centro de Controle de Doenças da Nigéria (NCDC). Desde setembro, quando o primeiro caso foi registrado, até início de novembro, quase 180 casos suspeitos foram relatados, com 98 amostras coletadas.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/nigeria-yellow-fever-update-15-confirmed-cases-since-september-71240/

Febre Hemorrágica Viral (VHF): Egito
O Ministério da Saúde e População do Egito declarou estado de emergência em 36 portos aéreos, marítimos e terrestres como parte dos esforços para proteger o país contra a febre hemorrágica viral (VHF). A imprensa sudanesa relatou que os casos de VHF aumentaram entre a população nesse ano, já atingiu mais de 70 casos até outubro. Na semana passada, fontes médicas afirmaram que 2 casos de febre hemorrágica foram a óbito no hospital de Kassala, elevando o número total de mortes para 3 em um mês.
Fonte:http://www.egypttoday.com/Article/1/33589/Egypt-fortifies-against-hemorrhagic-fever-threats

Encefalite Japones: Filipinas, Ásia
O Instituto Provincial de Saúde Integrado relatou oito casos de Encefalite Japonesa (JE). Os casos de doença, transmitida por mosquitos, foram confirmados pela Vigilância e Resposta de Doenças Integradas das Filipinas (PIDSR) do Departamento de Saúde (DOH). Os casos ocorreram de maio a agosto deste ano. A Encefalite Japonesa é uma doença grave que pode causar a morte, os sintomas se desenvolvem de cinco a 15 dias após a picada do mosquito, e incluem febre, dor de cabeça, vômitos, confusão e dificuldade em se mover, inchaço em torno de cérebro e coma. O DOH afirma que não há surto de JE no país, mas advertiu o público sobre os modos de disseminação e controle da doença.
Fonte:http://www.manilatimes.net/8-japanese-encephalitis-cases-recorded-nvizcaya/364119/

Doença Meningocócica: Austrália, Oceania
A Austrália registrou, em 2017, 38 casos de meningite, com quatro mortes pelo sorotipo do grupo W, segundo o Departamento de Saúde: “O número de casos de sorotipo W e Y está bem acima da média”, disse o departamento.
Fonte:http://www.sbs.com.au/news/article/2017/11/20/child-dies-after-contracting-meningococcal-wa
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 46_2017

Febre Q: Chile, América do Sul
Em Osorno, já foram registrados 59 casos suspeitos e três casos confirmados para Febre Q. A maioria, 82%, são trabalhadores de gado. A doença transmitida aos seres humanos por animais como vacas, ovelhas e cabras. Os sintomas da doença incluem febre, dor de cabeça e desconforto gastrointestinal e respiratório. Embora não tenha havido relatos de óbitos, 18 dos casos foram hospitalizados por pneumonia. O presidente da Agrollanquihue (uma associação de empresários agrícolas) explica que “O contato com a bactéria ocorre principalmente no manejo da entrega de uma vaca ou uma ovelha. As medidas segurança são sempre tomadas, como o uso de luvas, mas agora com o objetivo de reduzir ou evitar o máximo de contato possível, medidas adicionais estão sendo tomadas”, como a desinfecção freqüente dos bibs e os elementos utilizados durante esses processos. De acordo com Schwerter, a doença existe há anos no país, no entanto, não teria afetado as pessoas: “É uma situação que está em uma fase de baixa incidência, mas estamos interessados em estudar ao máximo, para transmitir tranquilidade aos trabalhadores e aos consumidores”.
Fonte: http://www.latercera.com/noticia/productores-toman-medidas-fiebre-q/

Hepatite A: EUA, Europa
A Direção Geral da Saúde (DGS) de Portugal relatou pelo menos 505 casos confirmados de hepatite desde o início do ano. Ao todo, são 530 registros até final de outubro. Este surge no contexto de um surto que se disseminou na Europa desde 2016. A quase totalidade dos casos foi identificada em homens que fazem sexo com homens, durante o contato sexual, por transmissão fecal-oral. Em Portugal, 85% dos casos eram de homens e mais da metade dos contágios aconteceram em contatos sexuais. A maioria dos casos continua a ser registados na zona de Lisboa e Vale do Tejo.
Desde 1 de setembro de 2017, o oficial de saúde pública do condado de San Diego, Califórnia, EUA, declarou uma emergência local de saúde pública devido ao surto de hepatite A em curso no município. O surto está sendo transmitido de pessoa a pessoa através do contato com ambientes contaminados. A maioria das pessoas que contraíram a hepatite A durante esse surto foram pessoas sem residência e/ ou usuários de drogas ilícitas. Os casos atualizados em 8 de novembro somam 546, com 20 óbitos e mais de 360 internações.
Fonte:http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/saude/confirmados-pelo-menos-505-casos-de-hepatite-a-em-portugal
https://goo.gl/i9c6Hk

Doença de Lyme: Ohio, EUA
O Departamento de Saúde de Ohio está relatando casos de doença de Lyme no estado, que chegam a 33% acima do que foi registrado em 2016. Segundo este departamento em 2017, 241 casos de doença de Lyme foram relatados em 60 condados do estado de Ohio e 201 em 2016. O aumento dos casos coincide com o aumento de carrapato com asas pretas no estado. A doença é bacteriana e transmitida aos seres humanos pela mordida de um carrapato de alces infectado.
Fonte: http://www.promedmail.org/direct.php?id=20171111.5438018

Febre Hemorrágica: Sudão, África
Chegam a 3 o número de óbitos registrados por febre hemorrágica no hospital de Kassala. Outros cinco casos estavam sendo tratados em hospital e mais dezenas de outros pacientes estão sendo tratados em casa. As febres hemorrágicas virais (VHFs) são um grupo de doenças causadas por quatro famílias de vírus. Estes incluem os vírus Ebola e Marburg, Lassa e febre amarela. Os VHFs têm características comuns, afetam muitos órgãos, danificam os vasos sanguíneos e afetam a capacidade do organismo de se regular.
Fonte: http://allafrica.com/stories/201711070142.html

Febre Amarela: Nigéria, África
Em setembro, foi relatado o primeiro caso de febre amarela foi relatado em Kwara, na Nigéria e desde então, tem se espalhado para outros estados, de acordo com o Centro Nigéria de Controle de Doenças (NCDC). O surto de febre amarela está atualmente ativo na Nigéria com três estados (Kwara, Kogi e Zamfara) registrando casos confirmados e outros 7 estados relataram casos suspeitos (Abia Borno, Kogi, Kwara, Kebbi, Plateau e Zamfara). Em 7 de novembro de 2017, um total de 179 casos de suspeitos foram relatados. Foram coletadas 98 (54,7%) amostras destes casos e 38 (38,7%) apresentaram resultado positivo para a febre amarela. O número total de mortes é de 24 e 2 já confirmadas.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/nigeria-yellow-fever-update-15-confirmed-cases-since-september-71240/

Febre Viral: Índia, Oriente Médio
De acordo com o Escritório de Controle de Doenças Borneas Distritais, a cidade de Mysuru (Carnataca, Índia) vem registrando casos de uma doença febre viral ainda sem diagnóstico, nem detecção mesmo por exames de sangue. Os sintomas se apresentam similares aos de dengue e chikungunya, com febre nos primeiros dias e dor no corpo, dores nas articulações e etc pelos seguintes 15, 20 dias. Falando ao Times of India, o agente de controle de doenças transmitidas por vetores, Dr. S Chidambara, disse que esta febre ainda não receberá nenhum nome específico: “Esta febre viral não é dengue nem chikungunya ou qualquer outro tipo conhecido de febre viral.”
Fonte:https://timesofindia.indiatimes.com/city/mysuru/new-viral-fever-enters-mysuru-district/articleshow/61562030.cms

Difteria: Iêmen, Oriente Médio
Além da fome e destruição provocada por anos de guerra e um atual bloqueio, o cólera tornou-se quase sinônimo do Iêmen, com mais de 900 mil casos registrados desde abril deste ano. Agora, retornando ao Iêmen pela primeira vez desde 2012, a difteria, doença mortal evitável por vacina, está de volta. De acordo com o porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), Christian Lindmeier, o Iêmen já viu registrou mais de 100 casos de difteria desde o início do mês: “No dia 8 de novembro no Iêmen foram registrados 118 casos em que a difteria foi suspeita e 11 mortes por essa doença em dez províncias, é uma doença endêmica para o Iêmen, mas o foco atual é diferenciado por um alto nível de mortalidade e sua disseminação generalizada.”.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/diphtheria-returns-war-torn-yemen-100-cases-recorded-71115/

Ross River Vírus: Austrália, Oceania
Observou-se um aumento nos casos relatados de infecção pelo vírus Ross River (RRV) na Austrália. A circulação desse vírus é comum no país e os sintomas típicos são articulações dolorosas e inchadas, músculos doloridos, febre e linfonodos inchados. O diretor sênior de saúde ambiental, Martin Shurlock, relata que, até agora, foram registrados 12 casos da doença no ano de 2017, número superior aos 9 casos informados em 2015 e 1 caso informado em 2016.
Fonte: http://www.promedmail.org/direct.php?id=20171114.5443770
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 44 e 45_2017

Chikungunya: Ceará, Brasil
Segundo o último Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde do Ceará, o estado já alcança quase 100 mil casos confirmados de chikungunya em 2017. Destes, 130 foram a óbito. A capital Fortaleza é o município com o maior número de confirmados, com quase 56 mil dos casos (58,4%) e 99 dos óbitos.
Fonte:http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/cidade/casos-de-chikungunya-ja-sao-quase-cem-mil-1.1846971

Leishmaniose Visceral: Minas Gerais, Brasil
O grande número de casos de leishmaniose visceral em Minas Gerais está chamando a atenção. Até agosto de 2017, foram 31 casos notificados da doença em humanos em Belo Horizonte, dos quais quatro resultaram em óbito. Em 2008, a cidade registrou 161 casos e 18 óbitos. O acúmulo de matéria orgânica nos quintais das casas favorece a proliferação do mosquito-palha (flebótomo), por isso, são muito importantes as ações de conscientização da população e as ações de controle vetorial.
Fonte: https://www.revistaencontro.com.br/canal/atualidades/2017/11/grande-numero-de-casos-de-leishmaniose-em-belo-horizonte-merecem-atenc.html

Zika-Microcefalia: Peru, América do Sul
Foi identificado na província de Chincha um bebê nascido recentemente com microcefalia. De acordo com uma fonte oficial, a mãe do menor aparece entre os pacientes confirmados para Zika.
Fonte: https://diariocorreo.pe/edicion/ica/reportan-primer-caso-de-bebe-con-microcefalia-por-el-virus-del-zika-en-chincha-784116/

Hepatite A: EUA
Desde o início de agosto, as autoridades de saúde pública e o Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Michigan (MDHHS) vem verificando um número elevado de casos de hepatite A no sudeste do Michigan. Nenhuma fonte comum de alimentos, bebidas ou drogas foi identificada como uma fonte potencial de infecção. A transmissão parece mesmo ser por contato direto pessoa-pessoa e uso de drogas ilícitas injetáveis Até de novembro já haviam 486 casos registrados com 409 hospitalizações.
Fonte:http://www.michigan.gov/mdhhs/0,5885,7-339-71550_2955_2976_82305_82310-447907–,00.html

Cólera, Moçambique, África
Segundo as autoridades de Memba (Nampula, Moçambique) a cólera matou pelo menos 10 pessoas e contaminou outras 432 nos distritos de Memba, Liúpo, Mogovolas e Malema. Há menos de um ano, as autoridades sanitárias de Nampula promoveram uma campanha de vacinação contra a cólera, implementada de forma experimental na cidade de Nampula. Porém, hoje, Indignada com a situação, a população acusou as autoridades sanitárias de estarem a propagar a referida enfermidade nas comunidades, o que gerou revolta e agressão física de alguns técnicos de saúde, líderes comunitários e destruição de uma unidade sanitária.
Fonte: http://www.verdade.co.mz/nacional/63958-colera-mata-10-pessoas-e-contamina-outras-centenas-em-nampula

Peste: Madagascar, África
Desde agosto de 2017, Madagascar está enfrentando uma grande epidemia de peste afetando as principais cidades e outras áreas não endêmicas. Até 3 de novembro, um total de 1947 casos já foram registrados, incluindo 143 mortes. Destes, 1437 (74%) foram classificados clinicamente como peste pneumônica, incluindo 295 (15%) confirmados para peste bubônica, um caso de peste septicêmica e 211 casos sem classificação. A confirmação laboratorial da peste está sendo realizada pelo Instituto Pasteur de Madagascar. Autoridades sanitárias informaram que o número de novos casos está em declínio em todo o país. No entanto, espera-se que mais casos de peste sejam reportados em Madagascar até o final de abril de 2018, temporada típica de pragas.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/02-november-2017-plague-madagascar/en/
http://outbreaknewstoday.com/plague-outbreak-update-1947-cases-143-deaths-madagascar-69245/

Marburg: Uganda, África
Ministério da Saúde do Uganda (MoH) notificou a OMS de um surto confirmado da doença de vírus de Marburg no distrito de Kween, no leste da Uganda em 17 de outubro, tornando-se oficial em 19 de outubro de 2017. Os 3 casos já notificados, foram a óbito e estão epidemiologicamente ligados e provêm de uma família. O rastreamento de contatos e a pesquisa ativa de casos estão em andamento em Kween, no distrito de Kapchorwa, em Uganda, bem como no distrito de Kitale e no West Pokot no Quênia.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/7-november-2017-marburg/en/

Dengue: Burkina Faso, África
Desde setembro, o país vem registrando um aumento significativo nos casos de dengue. Em duas semanas os registros (suspeitos e confirmados) saltou de 2.298 para mais de 6.600 e os óbitos de 9 para 13. Três sorotipos de dengue foram caracterizados no surto (DEN-1, 2 e 3). Isso poderia levar à ocorrência de casos mais graves, que podem não ser capturados pelo sistema de vigilância devido a subnotificação de clínicas privadas e centros de saúde em distritos periféricos. Os casos são relatados atualmente em 12 das 13 regiões de saúde do país, com 64% dos casos relatados na região central, particularmente na cidade de Ouagadougou, capital do país.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/dengue-fever-skyrockets-burkina-faso-95733/

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 43_2017

Febre Amarela, São Paulo, Brasil
O maior parque da cidade de São Paulo, o Anhanguera, foi fechado por tempo indeterminado por conta da febre amarela. Além de outros dois que já haviam sido fechados (Horto Florestal e o Parque da Cantareira), a Secretaria do Verde e Meio Ambiente ainda fez uma recomendação de não visitação aos parques lineares Canivete e Córrego do Bispo. Todos os parques estão localizados na zona norte da cidade. Estas são medidas preventivas após um primata do tipo sagui ter sido encontrado morto e ter seus primeiros resultados laboratoriais a confirmação para febre amarela.
Fonte: http://m.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/10/1929888-suspeita-de-febre-amarela-fecha-outro-parque-e-amplia-vacinacao-em-sp.shtml

Dengue, Paraná, Brasil
De início de agosto a 24 de outubro, os casos de dengue aumentaram em 71% no Paraná, somando 122 casos. A cidade de Maringá continua sendo a cidade com maior número de casos chegando a 48 confirmados. Dos 399 municípios, 31 já confirmaram casos.
Fonte: http://maringa.odiario.com/parana/2017/10/em-duas-semanas-casos-de-dengue-aumentam-71-no-parana/2427687/

Chikungunya e Zika, Brasil
O Estado do Paraná já soma 97 notificações e 2 casos confirmados de chikungunya e 52 casos notificados de Zika, mas ainda nenhum foi confirmado.
Em Minas Gerais, a probabilidade de grave temporada para chikungunya preocupa as autoridades: “A gente prevê que a chikungunya ainda tem muito espaço para crescer. A expectativa para este ano é que doença se dissemine, pois ainda não se espalhou por todo o país, como aconteceu com a zika e a dengue. Essa é uma previsão que tem base em evidências”, explica o diretor do Instituto Evandro Chagas, o médico Pedro Fernando da Costa Vasconcelos. Esse ano, os casos registrado mostraram evolução com gravidade, levando a 10 mortes. Os casos prováveis registrados até meados de outubro somam mais de 17.400, um salto de 3.375% em relação ao ano passado.
Fonte: http://maringa.odiario.com/parana/2017/10/em-duas-semanas-casos-de-dengue-aumentam-71-no-parana/2427687/
https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2017/10/17/interna_gerais,909099/temporada-severa-de-chikungunya-se-anuncia-para-2018-em-minas.shtml

Febre Maculosa, Minas Gerais, Brasil
A Prefeitura de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte confirmou a segunda morte causada por febre maculosa na cidade, em quatro dias. Um dos casos havia apresentado os sintomas após fazer uma cavalgada na orla da Lagoa da Pampulha. Testes laboratoriais descartaram arbovirose e confirmaram a febre maculosa. O outro era morador de Florestal e era dono de uma criação de animais e tinha contato com bichos que são hospedeiros do carrapato estrela, que transmite febre maculosa.
Fonte:http://www.otempo.com.br/cidades/morte-de-morador-de-contagem-pode-ter-sido-causada-por-febre-maculosa-1.1533949
https://noticias.r7.com/minas-gerais/grande-bh-registra-segunda-morte-por-febre-maculosa-em-quatro-dias-25102017

Marburg, Uganda, África
A Organização Mundial da Saúde (OMS) está engajada, em conjunto com as autoridades locais, no combate a um surto do vírus de Marburg (MVD), no distrito de Kween, no leste de Uganda, fronteira com o Quénia. São 5 casos suspeitos com 2 óbitos. A confirmação laboratorial para MVD só foi detectada, ainda, em um dos óbitos. Entre os casos, 3 são irmãos: um homem que foi a óbito, depois a irmã que já tem o óbito confirmado e o terceiro irmão, caso suspeito, está desaparecido. Os outros dois casos são profissionais de saúde que prestaram atendimento aos casos. O ministro da saúde disse que um total de 155 pessoas que entraram em contato com o caso do índice estão sendo monitoradas. O vírus de Marburg causa uma enfermidade rara, similar ao Ebola, com uma alta taxa de mortalidade, ainda sem cura. Um caso com MVD apresenta um início súbito de febre alta e dor de cabeça, vômitos, dores articulares e musculares e sangramento inexplicável.
O vírus de Marburg pertence à família Filoviridae, que contém três géneros – Ebolavirus, Marburgvirus e Cuevavirus. O género Marburgvirus contém somente uma espécie: Marburgvirus de Marburg, denominado mais comumente vírus de Marburg. Este agente foi reconhecido inicialmente em 1967, em Marburg, Alemanha. As manifestações do vírus de Marburg ocorrem esporadicamente na África e são caracterizadas pela alta da transmissão nosocomial e alta mortalidade. O último surto de Marburg em Uganda foi relatado em partes do centro e oeste do país africano em 2014.
Fonte: https://www.news-medical.net/health/Marburg-Virus-(Portuguese).aspx
http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2017/9/42/Uganda-OMS-combate-surto-Marburgo-zona-oriental-pais,5297aa45-d25c-461f-892a-0c583eaf8033.html
https://www.voanews.com/a/uganda-confirms-one-death-from-marburg-virus/4077445.html
http://www.who.int/csr/don/25-october-2017-marburg-uganda/en/
http://news.xinhuanet.com/english/2017-10/25/c_136703369.htm
http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2017/virus-uganda-kenya/en/

Peste, Madagascar, África
Um surto de peste já infectou mais de mil pessoas desde agosto em Madagascar. O Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários e o Gabinete Nacional de Gestão de Riscos e Desastres de Madagáscar informou mais de 120 óbitos. A maioria dos casos, 67%, eram da forma pneumônica da doença. A peste pneumônica é mais virulenta/prejudicial que a forma bubônica (transmitida pela picada de pulga): é uma forma avançada caracterizada por uma infecção pulmonar grave que pode ser transmitida de pessoa para pessoa por gotículas no ar, como por meio de tosse ou espirros. O período de incubação é curto e uma pessoa infectada pode morrer dentro de 12 a 24 horas.
Fonte: http://edition.cnn.com/2017/10/25/health/madagascar-pneumonic-plague-outbreak/index.html

Cólera, Iêmem
O Ministério da Saúde Pública e População do Iêmen publicou uma atualização sobre a epidemia recente de cólera. Os casos suspeitos chegaram a 862.858 incluindo 2.177 mortes. Atualmente, há uma diminuição moderada no número de casos e óbitos e a tendência geral parece estar estável. A cólera é endêmica no Iêmen, mas o país sofreu um aumento considerável nos casos de cólera desde abril deste ano, com cerca de 5.000 casos relatados por dia. O conflito de guerra civil em curso, a infraestrutura destruída de saúde, água e saneamento e a desnutrição fizeram com que as pessoas fossem mais vulneráveis a doenças, incluindo cólera e outras doenças infecciosas endêmicas.
Fonte: https://reliefweb.int/report/yemen/outbreak-update-cholera-yemen-26-october-2017

H7N9, China
Cientistas chineses, que estudam a evolução dos vírus da gripe H7N9, descobriram que as mutações do vírus representam maiores ameaças para os seres humanos. Os cientistas passaram quatro anos pesquisando, com mais de 110 mil amostras coletadas em mercados de aves e matadouros em mais de 20 províncias. “Nosso estudo indicou que as novas mutações H7N9 são letais para as galinhas e representam uma ameaça maior para os seres humanos, ressaltando a necessidade de controlar e erradicar os vírus H7N9 para prevenir uma possível pandemia”, disse à Xinhua Chen Hualan, diretor do National Avian Influenza Reference Laboratory.
Fonte: http://news.xinhuanet.com/english/2017-10/25/c_136704883.htm

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 41 e 42_2017

Leishmaniose Visceral Humana, Brasil
Após três casos confirmados de calazar (LVH) em Porto Alegre (RS), a Vigilância Epidemiológica de Florianópolis, Santa Catarina, confirmou o segundo caso autóctone da doença. De acordo com o professor do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Mário Steindel, a expansão das leishmanioses vem sendo observada nas últimas décadas com tendência a urbanização: “A leishmaniose visceral pode ser considerada o novo ‘pesadelo’ para a saúde pública nas próximas décadas. Os profissionais de saúde devem incluir a leishmaniose visceral no diagnóstico diferencial de pacientes com febre, emagrecimento e visceromegalia. É necessário que a vacina para uso em cães já aprovada pelo MAPA seja efetivamente utilizada em escala. Os testes de diagnóstico em caninos precisam ser melhorados assim como a notificação de casos”, advertiu o professor.
A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre confirmou a quarta morte causada por leishmaniose visceral humana, no período de um ano. A vítima, uma menina de dois anos e oito meses, residia nos altos do Morro da Embratel, no bairro Cascata, e faleceu no último dia 1, dois dias após a notificação da suspeita pelo Hospital de Clínicas. De acordo com a prefeitura da Capital, medidas estão sendo tomadas, desde o último dia 6, na área onde residia a vítima, incluindo busca ativa de casos suspeitos e aplicação de inseticida nas proximidades da residência da criança. Ainda se realizará coleta de sangue em cães da região, que podem ser hospedeiros da doença, transmitida pelo mosquito-palha.
Fonte: http://www.sbmt.org.br/portal/segundo-caso-autoctone-de-calazar-e-confirmado-em-florianopolis/?locale=pt-BR
http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/10/geral/590516-capital-confirma-morte-de-crianca-de-dois-anos-por-leishmaniose-a-quarta-neste-ano.html

Malária, Brasil
O número de casos de malária voltou a crescer de forma preocupante no País, depois de anos de queda. Segundo o Ministério da Saúde, até julho deste ano, 88.757 pacientes foram contabilizados com a doença, 28% a mais do que o registrado no mesmo período de 2016. O Pará foi o estado que assistiu ao maior avanço da malária no último ano. O número de casos mais do que dobrou em relação ao ano passado. Até julho, foram contabilizados 14.904 pacientes com a infecção. No Amazonas, a expansão também foi muito expressiva. Até julho, foram 39.558 casos, 43% a mais do que no mesmo período do ano anterior. Segundo o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Marcos Boulos, “O fato preocupa bastante. A malária estava em constante declínio, o sistema estava relativamente organizado, os municípios trabalhavam de forma adequada”.
Fonte: http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,casos-de-malaria-voltam-a-crescer-no-brasil,70002036979

Hepatite A, Califórnia, EUA
O governo da Califórnia declarou estado de emergência devido ao surto de hepatite A na região. A medida tem como objetivo aumentar o fornecimento de vacinas para imunizar a população. O surto começou em novembro de 2016 na área de San Diego, no sul do estado. Até meados de outubro, já tinham sido registrados mais de 500 casos, com 19 mortes e 351 internações. O surto em Santa Cruz, no norte da Califórnia, contabiliza mais de 70 casos.
Fonte: https://www.dn.pt/lusa/interior/california-eua-declara-estado-de-emergencia-devido-a-surto-de-hepatite-a-8842597.html
https://goo.gl/XLL6WK
http://www.sandiegored.com/es/noticias/151893/Ya-hay-19-muertos-por-Hepatitis-A-en-San-Diego

Meningite, EUA
Em Susanville, Califórnia, onde o foco foi inicialmente atribuído ao time de futebol da escola secundária, já soma 50 casos possíveis relatados. Desses, 22 são suspeitos, 18 são clinicamente diagnosticados e 10 foram descartados. A meningite viral pode ser causada por vários vírus diferentes. Neste caso, há provas iniciais de que o surto está sendo causado por um enterovírus específico conhecido como eco30.
Fonte: http://www.kolotv.com/content/news/Meningitis-outbreak-continues-in-Washoe-Lassen-counties-451186963.html

Sarampo, Itália
A Itália está passando por uma epidemia de sarampo sem precedentes. A maioria dos casos (269) está na região do Lazio, segundo o epidemiologista Antoni Trilla, da Clínica Hospitalar de Barcelona, isso de deve à baixa cobertura vacinal que existe em muitas partes da Europa. No último relatório (a partir de 15 de outubro), concluiu-se que havia mais de 500 infecções por mês e 4.048 pacientes não tinham sido vacinados.
Fonte: http://www.huffingtonpost.es/2017/10/18/las-alarmantes-cifras-del-sarampion-en-italia-haran-que-reflexiones-sobre-la-vacunacion_a_23247694/

Varíola, Nigéria, África
As autoridades nigerianas confirmaram que, pelo menos, três dos casos suspeitos de varíola registrados no país foram confirmados com testes laboratoriais, após o envio das amostras para a Organização Mundial de Saúde (OMS). O Ministro da Saúde, Isaac Adewole, detalhou que até agora foram detectados 43 casos em oito estados do país, sendo Bayelsa o mais afetado: “Esperamos que muitos dos casos que estão sendo relatados em outros estados na Nigéria não sejam do vírus da varíola, mas continuaremos a investigar todos aqueles que se enquadram na definição do caso”.
Fonte: https://goo.gl/rEjvTY

Cólera, Zaire, África
As autoridades sanitárias do Zaire declararam que um surto de cólera que já matou pelo menos 15 pessoas, atingiu mais da metade das comunidades, somando mais de 200 casos registados. A falta de água potável e as condições precárias de habitabilidade, são apontadas pelas autoridades sanitárias da província do Zaire, como as causas do surto.
Fonte: http://angola-online.net/noticias/surto-de-colera-mata-mais-de-14-pessoas-no-zaire

Peste Humana, Oceano Índico
A peste humana está ganhando terreno no Oceano Índico. Após os mais de 600 casos com 63 óbitos em Madagascar, dois casos com uma morte em Seychelles, agora é a vez de Maurícias registrar seu primeiro caso. O paciente foi admitido em 16 de outubro no Hospital Souillac, uma cidade localizada no sul da ilha irmã. Foram realizadas análises e os resultados estão sendo esperados.
Em últimas notícias, a OMS declarou que as amostras de pacientes suspeitos testadas em laboratório parceiro da OMS em Paris, deram resultados negativos.
Fonte: http://www.zinfos974.com/%E2%80%8BSuspicion-de-peste-Un-homme-place-en-quarantaine-a-Maurice_a120145.html
http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2017/seychelles-plague-negative/en/

Alerta Epidemiológico: Intoxicação por PSP, Santa Catarina, Brasil
A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina publicou uma Nota Técnica em 19/10 sobre a evidência de presença da toxina paralisante (PSP-Paralytic Shellfish Poisoning) em organismos marinhos no litoral do estado catarinense, principalmente os moluscos bivalves (ostras, vieiras, mexilhões e berbigões). Essas toxinas, se ingeridas por humanos, podem causar sintomas em cerca de 5 a 30 minutos após consumo, tais como diarreia, náuseas, vômitos, dores abdominais, perda de sensibilidade nas extremidades do corpo e, em casos severos, paralisia generalizada e óbito por falência respiratória. Os casos graves devem ser monitorados em ambiente hospitalar. As toxinas são estáveis e não são degradadas com o cozimento ou processamento dos moluscos que, embora contaminados, não apresentam alterações na aparência ou sabor. Considerando o risco de intoxicação alimentar, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado de Santa Catarina alerta para as as possíveis condutas a serem adotadas pelos serviços de saúde em situações de DTA.
Fonte:http://www.dive.sc.gov.br/index.php/d-a/item/doenca-de-transmissao-hidrica-e-alimentar-dtha
http://www.dive.sc.gov.br/conteudos/publicacoes/NotaTecnicaConjn012017.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 40, 2017

Hepatite​ ​A,​ ​Brasil​ ​e​ ​EUA
Desde o início deste ano, a cidade de São Paulo registrou mais de 510 casos de hepatite A, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. Um aumento de mais de 700% em relação a todo o ano de 2016, quando foram registrados 64 casos. O contágio aconteceu, predominantemente, entre homens que fazem sexo com outros homens. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, esta relação está em torno de 43%.
Em San​ ​Diego​, Califórnia, EUA, o número de casos continua aumentando. A agência de Saúde do condado divulgou mais de 460 casos e mais de 300 casos internados e 40 óbitos em investigação. A maioria da população acometida está relacionada a usuários de drogas e/ou moradores de rua.
Fonte:http://noticias.r7.com/saude/sao-paulo-vive-surto-de-hepatite-a-duas-mortes-sao-confirmadas-05102017
https://www.metrojornal.com.br/foco/2017/10/03/capital-passa-por-surto-de-hepatite.html
http://www.sandiegouniontribune.com/news/hepatitis-crisis/sd-me-hepatitis-update-20171003-story.html

Raiva,​ ​Bolívia,​ ​América​ ​do​ ​Sul
A Bolívia está em alerta por conta do aumento de casos de raiva canina e uma morte humana por raiva. A cidade de Cochabamba tem concentrado esforços para o controle de sua superpopulação de animais de estimação e a realização da vacinação maciça de cães. Enquanto a OMS preconiza 1 cão para cada 29 habitantes, a cidade tem, 1/ 4. Até final de  Setembro, 681 casos de raiva canina foram registrados na Bolívia, 466 em Santa Cruz e  ma morte por raiva humana (menino de 3 anos) no município de Sacaba. Há outro caso  suspeito, em Sipe Sipe, de um adolescente de 17 anos. Em 2016, foram relatados 83 casos  e raiva canina e sem óbitos por raiva humana.
Fonte:http://www.lostiempos.com/actualidad/local/20170929/toman-acciones-contener-brote-rabia

Meningite,​ ​Nevada,​ ​EUA
Os oficiais de saúde do Condado de Washoe, Nevada, estão preocupados com o número de casos de meningite viral registrados em 2017. Mais de 30 casos já foram registrados, número maior do que o habitual. A maioria dos acometidos são adolescentes de 13 anos, na média.
Fonte:http://mynews4.com/news/local/unusually-high-number-of-viral-meningitis-cases-reported-in-washoe-county

Chikungunya,​ ​Itália,​ ​Europa
Entre final de junho e final de setembro, 183 casos de Chikungunya foram notificados na Região do Lácio da Itália, que inclui as áreas costeiras de Anzio e Latina. Destes, 109 estão confirmados e 74 casos estão sendo investigados.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/29-september-2017-chikungunya-italy/en/
http://outbreaknewstoday.com/italy-chikungunya-outbreak-prompts-cdc-travel-notice-32299/

Peste,​ ​Madagascar,​ ​África
Desde final de agosto, mas de 70 casos casos (suspeitos e confirmados) de peste pneumônica, incluindo em torno de 30 óbitos, foram relatados em Madagascar. Dados do oficial de saúde, Manitra Rakotoarivony, falam sobre 194 suspeitos. O surto começou após a morte de um homem de 31 anos do distrito de Ankazobe, uma área de peste endêmica. Desde então, o Ministério da Saúde Pública de Madagascar aumentou as investigações de campo, o rastreamento de contatos, a vigilância e o monitoramento de todos os contatos próximos. Ao todo, 10 cidades já relataram casos de peste pneumônica. Além dos casos de peste pneumônica, foram relatados mais de 50 casos de peste bubônica, incluindo sete mortes. Um caso adicional de peste séptica também foi relatado e um caso em que o tipo não está especificado. A peste pneumônica pode matar rapidamente, dentro das 18/24 horas da infecção se não for tratada, mas pode ser curada pelo uso precoce de antibióticos. Madagáscar tem uma história de surtos de peste quase todos os anos desde 1980, muitas vezes provocada por ratos que fogem de incêndios florestais. O surto atual é incomum, pois afetou as áreas urbanas, aumentando o risco de transmissão, segundo afirma a Organização Mundial da Saúde.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/02-october-2017-plague-madagascar/en/
http://www.thejournal.ie/madagascar-plague-death-toll-climbs-to-30-3630275-Oct2017/
http://www.news24.com/Africa/News/plague-closes-2-madagascan-universities-20171005

Sarampo,​ ​Libéria,​ ​África
O Ministério da Saúde da Libéria relatou um surto de sarampo no condado de Bong, no norte da região da Libéria. Desde final de setembro de 2017, já foram registrados 16 casos (4 confirmados e 12 epidemiologicamente relacionados). Uma campanha de mini-vacinação de 4 dias foi lançada na área afetada, visando crianças de 6 meses a 10 anos e atingiu uma cobertura administrativa de 97% da população alvo (971 crianças).
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/measles-outbreak-bong-county-liberia-85669/

Febre​ ​Amarela,​ ​Nigéria,​ ​África
Embora o Governo do Estado de Kwara tenha confirmado apenas 2 casos de febre amarela, residentes de 9 áreas do estado estão preocupados com a propagação da doença. O coordenador da Clínica Móvel Igbomina, Sr. Olaitan Oyin-Zubair, disse que há, pelo menos, 19 óbitos.
Fonte:http://punchng.com/residents-kwara-govt-differ-on-yellow-fever-deaths/

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 39, 2017

Conjuntivite,​ ​Panamá,​ ​América​ ​Central
Mais de 68 mil casos de conjuntivite viral foram registrados pelo Ministério da Saúde da República do Panamá (Minsa). As áreas onde a maioria dos casos foram relatados são Colón, San Miguelito, Panamá Oeste e Metro do Panamá. O diretor-geral de saúde do Ministério da Saúde, Itza Barahona de Mosca, espera que, em breve, os casos diminuam a nível nacional.
Fonte:http://www.panamaamerica.com.pa/nacion/van-mas-de-68-mil-casos-de-conjuntivitis-1082926

Febre​ ​Tifoide,​ ​Europa
Alguns países da Europa têm relatado casos de febre tifóide que podem pertencer a um surto com, pelo menos, 4 casos ligados a um evento ocorrido no verão na Itália. Até a SE 38, as autoridades francesas relataram três casos e a Alemanha reportou um caso. As autoridades europeias dizem que casos adicionais podem ser associados a este evento. A febre tifóide, uma doença rara na Europa, é causada pela bactéria Salmonella typhi, é uma infecção bacteriana que ameaça a vida.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/europe-typhoid-outbreak-reported-linked-european-rainbow-gathering-italy-70039/

Peste​ ​Pneumônica,​ ​Madagascar,​ ​África
A peste pneumônica afeta os pulmões e é transmitida pelas secreções orais, podendo ser fatal se não tratada, foi detectada em várias cidades de Madagascar. Essa situação, segundo a OMS, pode ser a iminência de uma epidemia. A peste bubônica se caracteriza pela infecção do sistema linfático, mas em alguns casos, as bactérias passam do sistema linfático para o pulmão e, assim, a transmissão de humano para humano através de secreções orais, como tosse e saliva, pode ocorrer. Além disso, a versão pulmonar é mais perigosa e mais difícil de tratar do que a linfática. Em relatório, o Ministério de Saúde Pública declarou quase 100 casos e 5 mortes, desde início de agosto. O último surto de peste em Madagascar ocorreu em dezembro de 2016, afetou 68 pessoas e matou 27. A peste é causada pela bactéria Yersina pestis que normalmente é encontrada em pequenos mamíferos, geralmente roedores e nas pulgas, que, por sua vez, as transmitem aos seres humanos.
Fonte:http://www.elperiodico.com/es/sanidad/20170929/-oms-teme-una-epidemia-de-peste-neumonica-por-un-brote-en-madagascar-6319813
http://outbreaknewstoday.com/plague-spreading-madagascar-17-districts-affected-41330/

Sarampo,​ ​África
Autoridades de saúde da ONU afirmam que Uganda ​já registrou 552 casos e uma morte por sarampo desde abril, a maioria dos casos são entre crianças. Em Kampala foram 309 casos, seguidos de 243 em Wakiso. O Ministério da Saúde desenvolveu um plano de resposta ao sarampo fortalecendo os serviços de vacinação de rotina e uma mobilização social efetiva na comunidade.
O governo de Kebbi, Nigéria​, informou na SE 38 que 656 casos suspeitos de sarampo foram registrados em 21 áreas de governo local do estado. O Secretário Executivo da Agência Estatal de Assistência e Saúde Primária, o Dr. Mannir Jega, refere que foi, em grande parte, devido à recusa dos residentes em fazerem a vacinação de rotina de campanhas anteriores.
Fonte:http://thenewsnigeria.com.ng/2017/09/kebbi-govt-confirms-656-cases-of-measles/
http://outbreaknewstoday.com/uganda-measles-outbreak-tops-550-cases-since-april-44668/

Encefalite​ ​Japonesa,​ ​Índia,​ ​Oriente​ ​Médio
Além dos casos de dengue e chikungunya, a cidade de Pune (Maharashtra, Índia) vem tentando combater a encefalite japonesa (JE). Desde dezembro de 2016, Pune já soma 4 casos. O oficial de vigilância do estado, Pradip Awate, disse que a vigilância no entorno da casa do último caso registrado já foi intensificada.
Fonte:http://timesofindia.indiatimes.com/city/pune/woman-with-je-citys-fourth-case-in-11-months/articleshow/60861880.cms

Meningococcemia,​ ​Austrália,​ ​Oceania
Foram notificados, em 2017, 17 casos de infecção meningocócica na Austrália. A maioria dos casos ocorreu em crianças aborígenes em regiões de Katherine, Austrália Central e Barkly. A confirmação do sorotipo W já foi possível em 10 dos casos. Em comparação a anos anteriores, o número total de casos relatados foi de 3 em 2016, 1 em 2015 e 4 em 2014. O Departamento de Saúde está montando um programa de imunização para oferecer vacinação contra os meningococócicos A, C, W, Y para todos os aborígenes entre 12 meses e 19 anos nas regiões de Katherine West, Austrália Central e Barkly e para todas as crianças de 12 meses no período de vacinação do início de 2018.
Fonte:http://www.katherinetimes.com.au/story/4950048/outbreak-of-deadly-disease/

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 38_2017

Chikungunya, América do Sul, Europa
No Ceará, Brasil, os casos de chikungunya já passam dos 13 mil, segundo o último boletim epidemiológico das arboviroses da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa). No último boletim epidemiológico das arboviroses (dengue, Zika e chikungunya), a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) contabilizou 13,3 mil casos de confirmados até a 19ª semana de 2017 e uma taxa de incidência de 465/100 mil habitantes. Em 2016, a Sesa classificou o cenário da doença como epidêmico: 31,4 mil casos foram confirmados em 139 dos 184 municípios cearenses.
As autoridades sanitárias da Itália permanecem com o alerta para a região de Lazio após o registro de 65 casos de Chikungunya: 55 em Anzio, 7 em Roma e 3 em Latina como confirmados. O surto da doença também está sendo avaliado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que emitiu um alerta para os cidadãos evitarem as principais áreas afetadas e o contato com mosquitos.
Fonte: http://noticias.r7.com/saude/italia-registra-mais-de-60-casos-de-chikungunya-oms-emite-alerta-19092017
http://noticias.r7.com/saude/chikungunya-passa-de-13-mil-casos-no-ceara-e-coloca-cidades-em-alerta-13052017

Sarampo, Venezuela
Depois de 3 anos, da declaração de território livre de sarampo concedida pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a Venezuela volta a registrar casos da doença. Um dos Distritos de Saúde confirmou 38 casos de sarampo em toda a cidade de Guayana , desde abril, e outros 88 permanecem como suspeitos.
Fonte: https://www.el-carabobeno.com/confirman-38-casos-sarampion-estado-bolivar/

Hepatite A, EUA e Ásia
No Nepal, uma equipe da Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças visitou Lamjung, após relatos de surto de hepatite. Foram coletadas 8 amostras e 5 positivaram para a hepatite A. Segundo Resham Lamichhane, oficial de saúde pública da divisão, os pacientes contraíram a doença devido à contaminação de água e alimentos.
Nos EUA, desde o início de 2017, a Divisão de Serviços de Saúde Pública, da Agência de Saúde e Serviços Humanos do Condado de San Diego, vem investigando um surto local de Hepatite A. A maioria das pessoas são ‘pessoas sem-teto’ e/ou usuários de substâncias ilícitas. Em 1 de setembro de 2017, o Diretor de Saúde Pública do Condado de San Diego declarou uma emergência local de saúde pública devido ao surto em curso no município. O Conselho de Supervisores do Condado ratificou esta declaração em 6 de setembro e novamente em 12 de setembro de 2017. A declaração será ratificada a cada duas semanas pela Junta de Supervisores do Condado até que seja rescindida.
Fonte:https://goo.gl/CJJZrz
https://thehimalayantimes.com/health/eight-test-positive-hepatitis/

Influenza A, Tasmânia
A Tasmânia vem enfrentando a temporada de gripe mais devastadora dos últimos anos. Do início do ano até 12 de setembro, havia 2337 casos confirmados de gripe e 21 mortes. No ano passado, apenas 969 casos de gripe foram relatados. O Ministro da Saúde, Michael Ferguson disse que a temporada de gripe deste ano já começou mais cedo e que o número de casos foi muito maior, pressionando os locais de trabalho a tomarem precauções.
Fonte: http://www.theadvocate.com.au/story/4928879/cases-of-flu-devastating/

Propagação de uma única linhagem de parasitas de malária resistente a múltiplos fármacos ( PfPailin ) para o Vietnã (artigo)
A disseminação da resistência à artemisinina no tratamento do Plasmodium falciparum é uma das maiores ameaças ao controle e à eliminação da malária. A resistência à artemisinina está associada a mutações no gene PfKelch dificultando o tratamento.
Fonte:http://www.thelancet.com/journals/laninf/article/PIIS1473-3099(17)30524-8/abstract

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 36 e 37 2017

Febre Amarela, Brasil
O Brasil não registra casos de febre amarela desde junho, quando foi confirmado o último caso da doença no Espírito Santo. O anúncio do fim do surto foi feito no último dia 6 pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante a apresentação do novo boletim epidemiológico sobre a situação da doença no país. O diretor de vigilância das doenças transmissíveis do Ministério da Saúde, João Paulo Toledo, o fim do surto se dá pelo fim da sazonalidade da doença e pelo sucesso das ações de vigilância. Mesmo com a interrupção da transmissão, o Ministério da Saúde ressalta a importância de manter as ações de prevenção e ampliar a cobertura vacinal para a febre amarela para prevenir novos casos da doença no próximo verão, período com maior probabilidade de ocorrência. Desde o início do surto, em 1º de dezembro do ano passado, até 1º de agosto deste ano, foram confirmados 777 casos e 261 óbitos por febre amarela. Outros 2.270 casos foram descartados e 213 permanecem em investigação. Além disso, 304 casos foram considerados inconclusivos, pois não foi possível produzir evidências da infecção por febre amarela ou não se encaixavam na definição de caso. No total, foram 3.564 notificações. A região Sudeste concentrou a grande maioria dos casos. Foram 764 casos confirmados, seguida das regiões Norte (10 casos confirmados) e Centro-Oeste (3 casos). As regiões Sul e Nordeste não tiveram confirmações.
Fonte:
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs/noticias-svs/29503-ministerio-da-saude-declara-fim-do-surto-de-febre-amarela

Leishmaniose, Brasil
A cidade de Tocantinópolis, Tocantins, está em alerta depois de reportar mais de 400 casos em cães e 9 em seres humanos (cinco em adultos e quatro em crianças com menos de dez anos) desde o início do ano. Este ano, até agora, existem 50 notificações de suspeitas. A maior preocupação, de acordo com a Coordenação de Vigilância Epidemiológica é sobre os casos em animais, que são hospedeiros da doença. Isso porque os moradores não querem entregar os animais para serem sacrificados. Dos 407 que tiveram um diagnóstico positivo, apenas 277 foram sacrificados.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais de 90% dos casos de leishmaniose visceral ocorrem em seis países: Bangladesh, Brasil, Etiópia, Índia, Sudão do Sul e Sudão.
Em Macapá, Amapá, foi identificado o primeiro registro de cão com leishmaniose contraída de maneira autóctone em fevereiro. Realizado um inquérito epidemiológico na área onde o cão foi encontrado, outros 5 cães foram identificados. Assim, de janeiro a julho, 6 animais foram identificados como infectados. De acordo com o técnico de zoonoses, o Amapá já tinha registros da doença, mas a preocupação aumentou quando os exames deram positivo para a leishmaniose autóctone.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/brazil-visceral-leishmaniasis-outbreak-recorded-tocantinopolis-74988/
https://www.pragaseeventos.com.br/saude-publica/confirmacao-de-6-caes-com-leishmaniose-em-macapa-levanta-debate-sobre-doenca/

Chikungunya, Brasil, Europa e Oriente Médio
As notificações de febre chikungunya continuam aumentando no Piauí, Brasil chegando a 2.779 casos registrados em 2017 contra os 1.984 no mesmo período de 2016. Se comparados os dois anos, o crescimento chega a 140,9%. Os casos de 2017 foram notificados em 90 municípios, sendo que os municípios de Teresina, São Raimundo Nonato, Parnaíba, Luís Correia e Floriano notificaram mais casos prováveis. Os dados foram apresentados no último dia 6, pela Sala Estadual de Coordenação e Controle das Ações de Enfrentamento à Microcefalia, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi).
Na província de Sindh no Paquistão, Oriente Médio, o oficial de saúde do distrito de Tharparkar, Dr. Shafique Memon, disse que o surto de Chikungunya se espalhou para várias aldeias de Islamkot e que todos os esforços estão sendo colocados para superar a doença. Os casos chegam a mais de 2.500.
A cidade de Anzio, ao sul de Roma, na Itália, Europa, está em alerta após a confirmação de, ao menos, três casos de Chikungunya, sem antecedentes de viagem. Outros 3 casos foram detectados em uma família em Roma, também sem histórico de viagem recente ao exterior ou a Anzio, correspondendo a um segundo cluster de transmissão local. Ainda existem outros casos suspeitos em investigação, sugerindo que a transmissão local tem sido efetiva na propagação da doença.
É a segunda vez que se identifica a introdução de uma transmissão local do vírus chikungunya, resultando em um surto, na Itália. A primeira identificação foi na região de Emilia-Romagna em 2007. Outros eventos de transmissão autóctone foram detectados na França em 2010, 2014 e 2017.
Fonte:https://www.45graus.com.br/geral/casos-de-febre-chikungunya-aumentam-mais-140-no-piaui
https://www.pakistantoday.com.pk/2017/09/08/chikungunya-patients-in-tharparkar-exceed-2500/
http://istoe.com.br/casos-de-chikungunya-colocam-italia-em-alerta/
http://www.bbc.com/news/world-europe-41198774
https://ecdc.europa.eu/sites/portal/files/documents/14-Sep-2017-RRA-Chikungunya-Italy_0.pdf

Cólera, Nigéria
A Organização das Nações Unidas (ONU) emitiu um alerta informando que um surto de cólera na Nigéria, África, já matou 23 pessoas e que há mais de 500 casos suspeitos no país. A doença está atingindo as pessoas que atualmente vivem em acampamentos após fugirem da violência do grupo extremista Boko Haram e que moram no leste do país. A maior parte dos casos foram registrados no campo de refugiados de Muna Garage, onde vivem cerca de 20 mil pessoas, na periferia da cidade de Maiduguri.   
Fonte:http://istoe.com.br/onu-alerta-para-surto-de-colera-na-nigeria/

Hepatite A, Austrália
Nas últimas cinco semanas, foram confirmados 12 casos de hepatite A em Sydney, Austrália. As autoridades sanitárias investigaram os casos e descobriram que 10 dos casos contraíram a doença na Austrália. A média de registros na Austrália é de dois casos de hepatite A a cada ano. Nenhum alimento específico ainda foi conectado ao surto.
Fonte:http://www.news.com.au/national/nsw-act/sydney-hit-by-hepatitis-a-outbreak-with-12-news-cases/news-story/ebcaeb265a78a4b03e7df5d274a7db85

Malária,​ ​América​ ​do​ ​Sul,​ ​Europa​ ​e​ ​África
Na Itália​, Europa​, uma menina de quatro anos morreu de malária grave (malária P. falciparum grave) no norte da Itália, uma região livre da doença. Os médicos consideram um caso muito raro. Nessa região da Itália não é comum a circulação do mosquito Anopheles, vetor transmissor da malária, porém com a influência da temporada de muito calor, a situação climática torna o ambiente propício à habitação do vetor na região italiana.
Na Costa Rica​, América do Sul​, não havia casos de transmissão autóctone da malária desde 2012, mas em 2017 foram registrados nove casos: quatro em Matina, província de Limón (Caribe), três em Sarapiqui, na província de Heredia (nordeste), e dois em Pital, província Alajaula (norte). O Ministério da Saúde da Costa Rica emitiu um alerta para o risco de aumento de casos de malária, devido a focos que já foram detectados na vizinha Nicarágua.
Em Angola​, África​, mais de 33 mil casos de malária e 91 óbitos foram registrados na província de Cunene durante o segundo semestre de 2017. O chefe de Departamento da Saúde Pública e Controle de Endemias, Félix Belarmino Satyohamba, relatou que os casos estão distribuídos nos municípios de Ombadja, Cuanhama, Cuvelai, Cahama, Namacunde e Curoca.
Fonte:http://www.bbc.com/news/world-europe-41161133
https://www.telesurtv.net/news/Alerta-sanitaria-en-Costa-Rica-por-casos-de-malaria-20170913-0085.html
http://m.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/mobile/noticias/saude/2017/6/29/Cunene-Autoridades-sanitarias-registam-mais-mil-casos-malaria,7d5056bc-99f3-4f78-8422-a09618ddbe90.html?version=mobile

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 36, casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 757 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 2 de setembro de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk35.pdf

Clipping – SE 35 2017

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 34 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 14.220 amostras, destas 11.595 foram processadas e 30,5% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 2.137 (60,4%) foram detectados vírus influenza e 1.407 (39,7%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.553 (72,7%) e Influenza B com 515 (24,1%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 892 (63,4%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 2.233 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 13,2% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 361 (16,2%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,5%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 40 (11,1%) influenza A não subtipado, 80 (22,2%) por influenza B e 232 (64,3%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,1%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/30/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-34.pdf

Febre Amarela, Cuiabá
A Secretaria de Saúde de Cuiabá está reforçando, mais uma vez, o chamamento da população para que compareça às unidades de saúde a fim de regularizar seus cartões de vacinação quanto à febre amarela (FA). O município é considerado área afetada, ou seja, existe circulação viral para febre amarela e a vacina é a medida mais importante para prevenção e controle da doença.
De acordo com o CIEVS desde fevereiro, foram encaminhados 17 cadáveres de macacos para exames laboratoriais, cinco somente nesse mês de agosto. Um desses exemplares, recolhido no mês de março, no bairro Novo Esperança III, na região Sul, foi notificado como positivo para FA. Em relação aos demais, dois resultaram negativo, dois estavam em estado de decomposição, impossibilitando a coleta de material para diagnóstico, um deu resultado detectável e aguarda resultado final, dois tiveram resultado não detectável, mas o diagnóstico não está finalizado e nove casos aguardam investigação laboratorial.
Fonte:http://www.cuiaba.mt.gov.br/secretarias/saude/secretaria-de-saude-alerta-populacao-para-atualizar-cartao-de-vacina/15432

Leishmaniose visceral, Santa Catarina
Após o primeiro caso catarinense de leishmaniose visceral em humanos registrado em Florianópolis, relatado no Clipping da semana epidemiológica 33, a Secretaria Municipal de Saúde local realizou testes em cães no bairro Saco dos Limões, região da residência do caso humano notificado. Os resultados dos 99 cães examinados até o momento, confirmaram 10 animais contaminados pela leishmaniose visceral canina (LVC).
A Sala de Situação da Leishmaniose, criada após a confirmação do primeiro caso, discute as próximas ações educativas, de prevenção e de controle da zoonose.
Fonte:http://www.pmf.sc.gov.br/entidades/saude/index.php?pagina=notpagina¬i=18778
http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2017/08/dez-caes-sao-diagnosticados-com-leishmaniose-em-bairro-onde-pessoa-foi-contaminada-em-florianopolis-9882730.html

Febre Amarela, Guiana Francesa
Pela primeira vez desde 1998, foi confirmado um caso de infecção humana pelo vírus da febre amarela na Guiana Francesa. O Instituto Pasteur da Guiana Francesa confirmou o caso na segunda-feira passada, 21 de agosto de 2017, e em 29 de agosto a paciente veio a óbito. Ela tem local provável de infecção na zona fronteiriça de Oiapoque, no Brasil, de acordo com investigações da Agência Santé Regional.
Após a identificação do caso, autoridades sanitárias iniciaram trabalhos de controle de vetores em torno dos locais identificados que foram visitados pela paciente falecida. Recomenda-se que as pessoas não vacinadas apresentando sintomas e que visitaram recentemente a área, devam consultar o seu médico.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/french-guiana-reports-fatal-yellow-fever-case-1st-two-decades-69984/

Hepatite A, San Diego
Segundo registros do CDC em San Diego, o surto de Hepatite A se iniciou em novembro passado atingindo na semana epidemiológica 35 um total de 378 casos, com 263 (70%) hospitalizados, aproximadamente 70% dos casos eram pessoas sem-teto. De acordo com os registros, 9 das 15 mortes ocorreram desde meados de julho, este é o surto de Hepatite A mais expressivo nos Estados Unidos nos últimos 20 anos.
Fonte:https://www.enlacejudio.com/2017/08/28/san-diego-hepatitis-decadas/
https://goo.gl/EPijTJ

Febre da Criméia-Congo, África e Oriente Médio
Duas pessoas morreram da Febre Hemorrágica da Crimea-Congo (CCHF), conhecidas como vírus do Congo em Loralai, Paquistão. De acordo com fontes do Departamento de Saúde a vítima foi a óbito quando se deslocava para Quetta para tratamento. Várias pessoas infectadas já foram hospitalizadas. Os moradores das áreas afetadas exigiram do governo provincial e das autoridades de saúde medidas para evitar uma maior disseminação da doença.
Em maio, funcionários de saúde, relataram dois casos de CCHF no Senegal importados da Mauritânia, África. Um terceiro caso importado foi relatado em junho.
Em 24 de agosto, o Ministério da Saúde da Mauritânia notificou a OMS de um caso confirmado de CCHF em um pastor de 47 anos, da Aldeia Arafat em Mohammedia, Prefeitura de Boutilimit, localizada a cerca de 150 km ao sudeste da capital Nouakchott. A Mauritânia experimentou um surto bastante grande de CCHF em 2003, envolvendo 38 casos com uma taxa de letalidade de 28,6%.
De acordo com a OMS, a febre hemorrágica da Crimeia-Congo é uma doença generalizada causada por um vírus transmitido por carrapatos (Nairovirus) da família Bunyaviridae. O vírus CCHF causa surtos graves de febre hemorrágica viral, com uma taxa de letalidade de 10 a 40%.
Fonte:https://www.pakistantoday.com.pk/2017/08/27/two-die-of-congo-virus-in-loralai/
http://outbreaknewstoday.com/mauritania-reports-confirmed-crimean-congo-hemorrhagic-fever-case-21416/

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento da Organização Mundial de Saúde, o compilado de dados desde janeiro deste ano até dia 28 de agosto somaram 188 casos. Do total de casos, a é do sexo masculino (71,3%), com faixa etária predominante entre 41 a 60 anos (39,4%) e com maior ocorrência na Arábia Saudita (95,2%). Em relação a investigação de transmissão, 43,1% dos casos foram expostos a contatos sintomáticos, 26,1% expostos a contato com camelo e 21,8% consumiram leite de camelo. Destes 51 foram a óbito (27,1%) e 77,7% do total de casos não procurou assistência médica.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/28-august-2017-mers-uae/en/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 34, dois casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 755 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 26 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk33.pdf

Malária, Rio de Janeiro, Brasil
Um estudo liderado por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que um parasita que causava malária apenas em macacos está relacionado a casos humanos ocorridos na região de Mata Atlântica do Rio de Janeiro. Publicado ontem (31/8) na revista científica The Lancet Global Health, o trabalho demonstra que o estado do Rio de Janeiro é o segundo foco encontrado no mundo com transmissão desse tipo de malária. O primeiro local em que o protozoário foi encontrado em humanos foi na Malásia, na Ásia.
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/pesquisa-e-inovacao/noticia/2017-08/pesquisa-mostra-que-parasita-que-causa-malaria-em-macacos-pode

Surto em andamento de Parotidite (caxumba) em Israel, janeiro a agosto 2017 (artigo científico):
Em Israel, 262 casos de caxumba foram registrados entre 1 de Janeiro e 28 de agosto de 2017, apesar de uma cobertura vacinal de ≥ 96%. A maioria (56,5%) dos casos eram adolescentes e adultos jovens entre 10 e 24 anos de idade. Quase o dobro de casos foram notificados em homens em relação ao número de mulheres. No surto, a maioria dos casos em Jerusalém foram relatados na comunidade muçulmana (95,3%) . No distrito sul, beduínos (árabe habitante dos desertos) foram mais afetados (90%) e em Tel Aviv e distritos centrais, a maioria dos casos estavam entre judeus (91%). Curiosamente, três cadeias do genótipo G do vírus (variante 1, 3 e 4) estão principalmente restritas a membros do mesmo grupo étnico (muçulmanos, beduínos e judeus), com pouca diferença entre eles, sugerindo que a cadeia de transmissão do vírus da parotidite está relacionada aos grupos étnicos. As variantes 5 e 6 foram associadas a casos independentes aos três grupos étnicos mencionados.
Em conclusão, o controle da caxumba continua a ser um desafio em Israel, apesar da cobertura muito elevada da vacina. Dados moleculares obtidos durante o surto em curso provou ser importante para ajudar a distinguir cadeias de transmissão diferentes.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22867

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 34 2017

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 32 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 13.271 amostras, destas 10.908 foram processadas e 31,4% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 2.069 (60,3%) foram detectados vírus influenza e 1.364 (39,8%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.537 (74,3%) e Influenza B com 464 (22,4%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 877 (64,3%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 2.056 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,8% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 341 (16,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,6%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 40 (11,7%) influenza A não subtipado, 71 (20,8%) por influenza B e 221 (64,8%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,6% (111/341), em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/21/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-32.pdf

Chikungunya, Ceará
No boletim epidemiológico de arbovirose da SE 32 do Estado do Ceará, informou que foram notificados 116.804 casos suspeitos da doença, destes, 75.452 (64,4%) foram confirmados e 14.102 (12,1%) descartados. Existe a diferença de quase 26 mil casos a mais neste ano comparando com 2016, onde o número de casos suspeitos atingiu 49.516, sendo que 31.482 (63,6%) confirmados.
A taxa de incidência dos casos suspeitos de chikungunya no Ceará em 2017 é de 1.303,1 casos por 100 mil habitantes. Dos casos confirmados, 53,4% ocorreram em pessoas nas faixas etárias entre 20 e 49 anos. O sexo feminino foi predominante em todas as faixas etárias, à exceção dos menores de 14 anos. Foram confirmados casos da doença em 631 crianças com menos de um ano de vida. Atualmente, 97,3% dos municípios cearenses já notificaram casos suspeitos de chikungunya, e 86,6% têm casos confirmados.
Em 2017, foram confirmados 70 óbitos por chikungunya, sendo 28 (40,0%) do sexo feminino e 42 (60,0%) do sexo masculino, com idades entre 10 dias e 102 anos (mediana de 77 anos, média de 72 anos e moda de 85 anos), residentes nos municípios de Acopiara (02), Aracati (01), Beberibe (02), Caucaia (03), Fortaleza (56), Maranguape (02), Marco (01), Morada Nova (01), Pacajus (01) e Senador Pompeu (01).
Fonte:http://www.saude.ce.gov.br/index.php/boletins#

Parotidite (caxumba), Manaus
Com 230 casos de caxumba em Manaus em 19 locais, registrados desde abril deste ano, principalmente, em escolas, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) faz alerta aos pais que mantenham a caderneta de vacinação atualizada das crianças e adolescentes.
Até 2016, não havia registros oficiais de surtos de caxumba em Manaus. Neste ano de 2017, até o dia 18 de agosto, já foram notificados 19 surtos envolvendo 230 pessoas, sendo a grande maioria deles em escolas, o que sugere baixa cobertura vacinal em crianças e adolescentes. O primeiro surto foi notificado no mês de abril e a ocorrência de casos vem se mantendo até o mês de agosto.
A vacinação e a manutenção de elevadas coberturas vacinais são a principal medida de controle da Semsa e os esquemas recomendados são: vacinação aos 12 meses de idade com uma dose da tríplice viral, aos 15 meses de idade uma dose da vacina tetraviral, podendo essa dose ser administrada até os 4 anos, 11 meses e 29 dias. Depois dessa idade, completar o esquema com a vacinação utilizando a tríplice viral.
Fonte:http://semsa.manaus.am.gov.br/semsa-alerta-sobre-cuidados-devido-a-surto-de-caxumba-em-manaus/

Difteria, Américas
A atualização epidemiológica das Américas da Organização Panamericana de Saúde, compreendido pelo período da 1 a 32 SE de 2017, três países nas Américas têm relatado casos suspeitos e confirmados de difteria: Brasil (1 caso), Haiti (80 casos) e da República Bolivariana da Venezuela (123 casos).
No Brasil, na SE 30 de 2017, um caso de difteria foi confirmado no estado de Roraima, que tem como lugar provável de infecção a Venezuela. Há casos secundários registrados relacionada com este caso.
No Haiti, foram relatados entre a SE 1 a 30 de 2017, 72 casos prováveis de difteria. A maioria (81%) desses casos tem distribuição por idade entre 0 e 10 anos e 60% são mulheres. Do total de casos, 22 foram confirmadas por laboratório, três óbitos (taxa de mortalidade de 13,6%). Entre os casos confirmados, 54,5% o estado de vacinação é desconhecido, 18,2% foram vacinados e 27,3% não foram vacinados.
Na Venezuela, entre a SE 28 de 2016 e a 24 de 2017, foram relatados 447 casos suspeitos de difteria (324 em 2016 e 123 em 2017). Foram confirmados por laboratório 51 casos incluindo 7 mortes (Anzoátegui (2), Bolivar (1), Monagas (3), e Sucre (1); a taxa de mortalidade cumulativa entre os casos confirmados é de 20%. Entre os 51 casos confirmados em laboratório, 55% são mulheres e 47% corresponde à faixa etária dos 5-19 anos de idade. Em relação ao estado de imunização de casos confirmados, 78% tinha esquema incompleto, 15% não foram vacinados e 7% não tinha a informação.
Fonte:http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=41631&lang=es

Febre do Nilo Ocidental, Europa
Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) na semana epidemiológica 34, foram reportados na Grécia 37 casos novos humanos de febre do nilo ocidental, na Itália foram reportados 3 novos casos confirmados, na Romênia 6 novos casos, 4 casos na Áustria, 2 na Hungria, 4 casos em Israel e 4 novos casos na Sérvia. Fonte:https://ecdc.europa.eu/en/publications-data/west-nile-fever-europe-2017-and-previous-transmission-seasons-8

Sarampo, Europa
Esta semana, Áustria, Dinamarca, França, Alemanha, Romênia e Reino Unido forneceram a contagem de casos atualizados e vários outros países da Europa têm relatado surtos. De acordo com as autoridades nacionais de saúde pública, em 2017, foram relatados 27 óbitos, Roménia (20), Itália (3), Bulgária (1), Alemanha (1), Portugal (1) e França (1).
Fonte:https://ecdc.europa.eu/en/news-events/epidemiological-update-measles-monitoring-european-outbreaks-18-august-2017

Chikungunya, França
Em 11 de agosto de 2017, a França notificou um caso autóctone de infecção pelo vírus Chikungunya, diagnosticado na região sudeste da França. O início dos sintomas foi em 2 de agosto de 2017. A infecção foi confirmada por RT-PCR. Em 14 de agosto, um segundo caso foi confirmado em um vizinho do primeiro caso, com início dos sintomas em 8 de agosto de 2017. A partir de 22 de agosto de 2017, foram identificados 2 casos confirmados adicionais e 1 caso provável. Entre os casos confirmados e prováveis, 1 vive na mesma residência que o segundo caso e 2 vivem no mesmo bairro que os outros casos confirmados. As datas de início destes 4 casos confirmados e prováveis variam de 2 de agosto a 17 de agosto de 2017.
As autoridades francesas ativaram a resposta nacional chikungunya/dengue ao nível de risco 3, o que resultou em medidas de controle de transmissão muito rigorosas como: Medidas de controle vetorial em torno das casas, busca ativa (porta a porta) com exame laboratorial de caso suspeito, orientação para a não doação de sangue de moradores da área do surto e comunicação local sobre esclarecimentos da doença para população.
Fonte:https://ecdc.europa.eu/sites/portal/files/documents/RRA-Chikungunya-France-revised-Aug-2017.pdf

Hepatite A, Portugal
De acordo com o Boletim Epidemiológico da SE 33 (14 – 20 agosto) divulgado pela Direção Geral de Saúde de Portugal, o número de casos de Hepatite A desde janeiro até 20 de agosto de 2017, atingiu 435 casos, dos quais: 88% em homens , 52% adquiridos através do contacto sexual, 26% adquiridos por via desconhecida e 74% na região de Lisboa e Vale do Tejo.
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/hepatite-a.aspx

Cólera, Iêmen
De acordo com o boletim epidemiológico da semana 33 o total acumulado de 27 abril a 20 de Agosto 2017 foi de 542.278 casos e 2.003 mortes (Taxa de letalidade 0,37%). Do total, 27.766 casos foram relatados na semana 33 e na mesma semana 17 óbitos. Crianças menores de cinco anos representam 23% dos casos e crianças menores de 18 anos representam 53% dos casos. No total, 22/23 (96%) províncias e 300/333 distritos (90%) são afectadas pelo surto. O distrito de Raymah permanece com a maior taxa de letalidade acumulada (1.1%) e um total de 86 distritos foram selecionados para a priorização das ações, baseado na taxa de letalidade, tendência do número de casos e tamanho da população.
Fonte:http://www.emro.who.int/images/stories/yemen/Yemen_Cholera_Response_-_Weekly_Epidemiological_Bulletin_-_W33_2017_Aug_14-Aug_20.pdf

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 34 foram confirmados mais 3 casos da doença. A maior distribuição de casos foi por sexo masculino (66,66%), com faixa etária média predominante entre 44 anos, todos apresentaram sintomas característicos da doença, um teve contato com camelos e os outros dois casos estão em investigação. A situação de saúde de dois casos é estável e um dele está grave.
Fonte:http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 33, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 753 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 19 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk33.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 33 2017

Febre Amarela, Brasil:
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 26 casos. Do total de confirmados, 09 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia e 01 residente em Nova Friburgo), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 02 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana e 01 o município de Conceição de Macabu localizados no estado do RJ. Desses, 09 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim, 01 Santa Maria Madalena e 01 Nova Friburgo).
Fonte:http://www.riocomsaude.rj.gov.br/Publico/MostrarArquivo.aspx?C=rQdCl63%2buMI%3d
(Informe Epidemiológico 080/2017 – SES RJ)

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 31 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 12.891 amostras, destas 10.531 foram processadas e 31,6% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 2.030 (60,9%) foram detectados vírus influenza e 1.304 (39,1%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.522 (75,0%) e Influenza B com 439 (21,6%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 847 (65,0%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.989 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,7% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 331 (16,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,7%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 39 (11,8%) influenza A não subtipado, 70 (21,1%) por influenza B e 213 (64,4%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,6%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/16/Informe-Epidemioogico_Influenza-2017-SE-31.pdf

Leishmaniose visceral humana, Santa Catarina
O primeiro caso autóctone de leishmaniose visceral humana de Santa Catarina foi confirmado nesta quarta-feira (16/08) pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen). Trata-se de um homem de 53 anos, morador do Saco dos Limões, em Florianópolis, que está internado desde o dia 9 de agosto, no Hospital Universitário, em estado estável.
No total foram identificados 17 casos suspeitos de leishmaniose visceral canina em 2016. Seis cães receberam diagnóstico positivo, todos casos com transmissão fora do estado (importados). Desses, três foram eutanasiados. Em 2015, 10 casos suspeitos foram notificados, com 3 confirmações (importados) e nenhuma eutanásia. Neste mesmo ano, houve registro de dois casos importados de leishmaniose visceral humana, de pessoas que contraíram a doença em outros estados – uma em Minas Gerais e outra no Maranhão. Em 2015, não houve registro de casos importados da doença.
Fonte:http://www.dive.sc.gov.br/index.php/arquivo-noticias/579-dive-sc-orienta-sobre-medidas-de-da-leishmaniose-visceral

Sarampo, Europa
De acordo com o boletim da semana epidemiológica 32 do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), do dia 06 de agosto até o dia 12 de agosto, a Áustria relatou 80 casos, a Finlândia 10 casos, a Alemanha 818 casos, a Grécia 08 casos, a Itália 86 e a Romênia 108 casos.
A Romênia é o país com maior número de casos acumulados desde o monitoramento iniciado em janeiro de 2016 com 8455 casos incluindo 32 óbitos.
Fonte:https://ecdc.europa.eu/sites/portal/files/documents/Communicable-disease-threats-report-12-aug-2017.pdf

Febre do Nilo Ocidental, Europa
Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) na semana epidemiológica 32, foram reportados na Grécia 15 casos novos, em uma área previamente afetada. Até o momento, a Grécia informou 01 óbito em 2017. A Romênia e Sérvia relataram seus primeiros casos este ano. A Romênia informou 01 caso confirmado, no sudeste do país e a Sérvia 02 casos confirmados.
E ainda foram notificados 08 casos em equinos através do Sistema de Notificação das Doenças Animais (SNDA) da Comissão Europeia, todos os casos ocorreram na Itália, 02 em Veneza e 06 em Padova.
Fonte:https://ecdc.europa.eu/en/publications-data/west-nile-fever-europe-2017-and-previous-transmission-seasons-6

Peste Bubônica, Arizona, EUA
Esta semana as autoridades de saúde pública do Arizona confirmaram testes positivos para peste bubônica em pulgas na área de Doney Park, Arizona. Os moradores da região estão sendo notificados sobre a situação local, bem como, estão sendo intensificadas as medidas de educação em saúde e de prevenção de contaminação humana e em animais domésticos. A área está sendo monitorada para determinar se serão necessárias mais ações.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/plague-positive-fleas-detected-near-flagstaff-51699/

Hepatite A, San Diego, EUA
A Divisão de Serviços de Saúde Pública de San Diego continua monitorando e investigando os casos do surto de Hepatite A (VHA), ainda não foi identificada a fonte provável do início do surto. Até a semana epidemiológica 33 foram somados 333 casos, 11 óbitos (3%) e 232 (70%) hospitalizações. Os casos variam em idade de 19 a 87 anos (mediana = 44 anos) e 227 (68%) são do sexo masculino, com 2 (1%) auto-identificados como homens que fazem sexo com homens (HSH); 131 (39%) dos casos de VHA são desabrigados e relataram uso de drogas ilícitas injetáveis e não injetáveis, 53 (16%) eram sem residência, 36 (11%) eram apenas usuários de drogas ilícitas, 76 (23%) não eram sem-teto nem usuários de drogas, e 37 (11%) tinham um status desconhecido para sem-abrigo e uso de drogas.
As autoridades de saúde informam a população americana que a doença pode ser prevenida com a vacina contra VHA, e esta é confirmadamente segura e eficaz.
Fonte:https://goo.gl/dPzgwf

Cólera, Iêmen
O número total de casos suspeitos de cólera no Iêmen este ano, atingiu a marca de 500.000 até o dia 13 de agosto e cerca de 200.000 pessoas morreram desde que o surto começou a se espalhar rapidamente no final de abril deste ano. É estimado que sejam infectados 500 pessoas por dia, configurando a maior epidemia de cólera no mundo atualmente.
Fonte:http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2017/cholera-yemen-mark/en/

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 33 foram confirmados mais 3 casos da doença com 1 óbito. Todos os casos são do sexo masculino, com faixa etária média predominante entre 62 anos com maior ocorrência na cidade de Jeddah (66,67%), dos casos sintomáticos, um teve contato com camelos e os outros dois estão em investigação. A situação de saúde de dois casos é grave e um estável.
Fonte:http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx

Dengue, Macau, China
Os Serviços de Saúde de Macau confirmaram, na quarta-feira, um sexto caso de febre de dengue importado, o que eleva para 10 o total de ocorrências desde o início do ano. O caso chegou recentemente das Filipinas para visitar a família em Macau. Estes casos somam-se a outros 4 em que a doença foi contraída localmente (autóctone), um motivo de preocupação das autoridades, dado que desde 2014 só tinham sido sinalizados casos importados. No ano passado, foram registrados 11 casos de febre de dengue, todos importados.
Fonte:http://observador.pt/2017/08/17/sexto-caso-de-febre-de-dengue-em-macau/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 32, nenhum caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 752 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 12 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk32.pdf

Surto de Sarampo ligado a casos importados, Finlândia 2017 (artigo científico)
Um adulto jovem italiano foi diagnosticado com sarampo na Finlândia, em junho de 2017. Durante a estadia na Finlândia, o caso esteve em contato com centenas de pessoas expondo-as ao sarampo. A partir de 11 de agosto, 5 casos de sarampo foram detectados. O viajante desenvolveu febre e sintomas respiratórios em 16 de junho e erupção cutânea em 21 de Junho, sendo internado no hospital da cidade da Finlândia. Na investigação epidemiológica o caso ficou em instalações de um acampamento, viajou para Helsíquea de carona em um comboio (3,5 horas) e de trem para Tallinn (2,5 horas) antes de voar de volta a Itália. Após esse percurso de exposição, foram diagnosticados mais 5 casos, 4 com relação ao acampamento, a viagem no comboio, a lanchonete onde o viajante comeu e ao trem em que viajou, 1 caso continua em investigação sobre a relação da cadeia de transmissão.
Na Finlândia, um país com alta cobertura vacinal contra o sarampo, torna-se improvável surtos extensos. No entanto, correntes de transmissão entre indivíduos não imunizados ligados a um caso importado são possíveis.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22857

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 32 2017

Febre Amarela, Brasil:
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 25 casos. Do total de confirmados, 09 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia e 01 residente em Nova Friburgo), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 02 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ. Desses, 09 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim, 01 Santa Maria Madalena e 01 Nova Friburgo).
Fonte:http://riocomsaude.rj.gov.br/Publico/MostrarArquivo.aspx?C=g8NJTAu1lmE%3d
(Informe Epidemiológico 079/2017 – SES RJ)

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 30 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 12.475 amostras, destas 10.002 foram processadas e 32,4% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.976 (61%) foram detectados vírus influenza e 1.264 (39,0%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.494 (75,6%) e Influenza B com 417 (21,1%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 837 (66,2%) .
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.895 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,5% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 314 (16,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,9%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 33 (10,5%) influenza A não subtipado, 65 (20,7%) por influenza B e 207 (65,9%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 33,1%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/09/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-30.pdf

Vírus do Nilo Ocidental, Canadá
Em Ottawa foi confirmado laboratorialmente o primeiro caso humano do vírus do Nilo Ocidental em 2017. As autoridades de Saúde Pública local recomendam a todos os moradores para se protegerem de picadas de mosquito com uso de repelente e para remover a água parada de recipientes domésticos, onde mosquitos depositam seus ovos. As autoridades sanitárias da saúde ambiental colocaram armadilhas para captura de vetores urbanizados. A equipe de saúde ambiental capturaram mosquitos do tipo Culex pipiens infectados pelo vírus do Nilo Ocidental, indicando que os residentes em todas as áreas de Ottawa estão em risco de exposição a doença através de picadas desses mosquitos.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/canada-ottawa-reports-1st-human-west-nile-virus-case-2017/

Hepatite A, San Diego, EUA
A Divisão de Serviços de Saúde Pública de San Diego continua monitorando e investigando os casos do surto de Hepatite A em que ainda não foi identificada a fonte provável de infecção. Até a semana epidemiológica 31 são somados 312 casos, 10 óbitos e 215 (69%) hospitalizações.
Fonte:https://goo.gl/MvnZet

Dengue, Vietnã e Costa do Marfim
A província de Ha Nam localizada no Vietnã declarou estado de emergência no dia 03 de agosto para lidar com a epidemia de dengue, a velocidade de transmissão atinge 10 casos novos por dia, tornando-se uma das maiores epidemias de dengue na história da província. O cenário na província de Hanói não é diferente, cerca de 9 mil casos de dengue foram notificados desde o início do ano, com 2.300 casos notificados só nos meses de julho.
Na Costa do Marfim a partir de 11 de julho até a semana epidemiológica 31, um total de 623 casos suspeitos, incluindo dois óbitos (taxa de letalidade: 0,3%). Um total de 192 casos foram confirmados por PCR, dos quais 66% eram DENV-2, 29% eram DENV-3 e 5% eram DENV-1. A maioria dos casos foram relatados na cidade de Abidjan responsável por 78% dos casos notificados e 80% de todos os casos confirmados laboratorialmente.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/vietnam-dengue-news-emergency-declared-ha-nam-hanoi-outbreak-32326/
http://outbreaknewstoday.com/dengue-outbreak-abidjan-ivory-coast-99335/

Chikungunya, Paquistão
As autoridades de saúde no Paquistão registraram 516 casos de chikungunya, 72 casos estão confirmados laboratorialmente. Do total de casos registrados, 104 foram notificados nos meses de julho e agosto com 12 casos confirmados laboratorialmente. Segundo as autoridades sanitárias o número que se apresenta ainda não configura uma epidemia, porém ações de educação em saúde precisam ser realizadas, pois é de costume das famílias paquistanesas armazenarem água da chuva para consumo humano e animal devido ao baixo poder aquisitivo. Essa condição contribui para o criadouro de vetores, agravando a situação epidemiológica de casos de chikungunya e outras arboviroses.
Fonte:https://www.dawn.com/news/1350212/fears-of-chikungunya-outbreak-loom-over-thar-in-wake-of-rains

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 32 foram confirmados mais 16 casos da doença com 4 óbitos. A distribuição por sexo apresentou maioria dos casos do sexo masculino (56,3%), com faixa etária predominante entre 41 a 60 anos (43,8%), maior ocorrência de casos em Domat Aljandal (50%), com 53,3% assintomáticos e sem contato com camelos (75%). A situação de saúde da maioria dos casos está estável (68,8%).
Fonte: http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx

Febre de Lassa, Nigéria
Nas últimas 3 semanas a transmissão ativa de febre de lassa foi relatado em 5 estados (Bauchi, Edo, Ogun, Ondo e Plateau) da Nigéria. Nesse período 13 novos casos suspeitos foram notificados, incluindo dois óbitos. Foi a partir de dezembro de 2016 que as autoridades sanitárias da Nigéria declararam surto da doença, do início do surto até o início de agosto foram registrados 681 casos suspeitos, 112 óbitos atingindo a taxa de letalidade de 16,4%. Especialistas justificam o prolongamento de novos casos fora da sazonalidade da doença por conta da grande crise humanitária que o país vem enfrentando.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/nigeria-lassa-fever-transmission-reported-five-states-54923/

Difteria, Singapura
O Ministério da Saúde de Singapura relatou um caso autóctone de um trabalhador de Bangladesh, o indivíduo desenvolveu febre e inchaço no pescoço no dia 30 de julho, procurou assistência médica no dia 31 e foi internado. No dia 04 de agosto veio a óbito com teste positivo para Corynebacterium diphteriae (agente infeccioso da Difteria), na anamnese médica o paciente não relatou histórico recente de viagem para fora de Singapura e atestaram que o paciente não estava imunizado pela vacina. Estão sendo investigados 48 contactantes do paciente, dois deles, apresentaram dor de garganta desde o dia 3 de agosto e foram internados. Foram coletadas amostras respiratórias de todos os contatos e fizeram quimioprofilaxia e o reforço da vacina.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/singapore-reports-1st-local-diphtheria-case-25-years-92370/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 31, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 752 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 5 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk31.pdf

Replicação do Zika Vírus nos mosquitos Culex quinquefasciatus no Brasil: Pernambuco, Brasil (artigo científico)
A equipe do Departamento de Entomologia da Fiocruz de Pernambuco detectou a presença do vírus zika em amostras naturais de Culex colhidas na Região Metropolitana do Recife e também comprovou, em laboratório, que esse vírus consegue se replicar no interior do mosquito e alcançar a glândula salivar. Estas descobertas estão descritas no artigo Zika virus replication in the mosquito Culex quinquefasciatus in Brazil, publicado na revista Emerging microbes & infections, do grupo Nature.
Fonte: https://agencia.fiocruz.br/estudo-sequencia-genoma-do-virus-zika-encontrado-em-culex

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 31 2017

Febre Amarela, Brasil:
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 24 casos. Do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 02 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ. Desses 09 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 02 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 30) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
No estado do Mato Grosso, a Secretaria de Saúde de Cuiabá está chamando a população para comparecer às salas de vacinação e regularizar o Cartão de Vacina em relação à Febre Amarela. Na capital, a prioridade é a Regional Sul e área rural, onde desde fevereiro, cadáveres de 12 macacos foram recolhidos e encaminhados para exame laboratorial. Só um teve resultado positivo para o vírus.  Dos demais animais encaminhados para exames, três apresentaram resultados negativos, cinco estão com resultados pendentes, um deles deu resultado preliminar detectável e  em dois o exame foi inviável.
Segundo a médica veterinária e gestora do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) com a localização do primeiro animal morto, a Vigilância em Saúde deu início às ações de orientação da população da região, de bloqueio vetorial, vacinação, monitoramento e investigação epidemiológica.
Fonte:http://www.riocomsaude.rj.gov.br/Publico/MostrarArquivo.aspx?C=CRZ35o1an1U%3d
(Informe Epidemiológico 078/2017 – SES RJ)
http://www.cuiaba.mt.gov.br/saude/secretaria-convoca-populacao-para-atualizar-a-vacinacao-contra-a-febre-amarela/15249

Difteria, Venezuela
Desde setembro de 2016 foram notificados 440 casos, 123 deles somente em 2017. Bolívar é um dos estados com mais acometidos, registrando mais de 280 casos, o que equivale a um aumento de 63,08%. Destes 30 óbitos foram registrados.
Fonte:http://www.eluniversal.com/noticias/estilo-vida/ano-aumentaron-447-los-casos-difteria-venezuela_663701

Hepatite A, Europa e EUA
Em Portugal, desde de o início do ano até final de julho, 402 casos foram confirmados. A maioria dos casos ocorreu nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo. Em sua grande maioria, afetou pessoas do sexo masculino (88%) e, mais da metade foi por contaminação sexual (52%). A vacinação foi reforçada antes dos principais festivais de verão e a Direção Geral de Saúde fez recomendações para que medidas preventivas fossem tomadas durante esses eventos, assim como, o alerta dos profissionais de saúde com a vigilância de sintomas compatíveis com hepatite A. Este surto vêm acometendo pessoas em toda a Europa.
Nos Estados Unidos, os surtos de hepatite A entre as pessoas sem-teto nos municípios de San Diego e Santa Cruz, levaram um alerta das autoridades de saúde de Los Angeles pedindo aos médicos e aos profissionais de saúde que busquem e relatem quaisquer casos confirmados. O alerta foi emitido porque a doença tem o potencial de se espalhar por Los Angeles. Até a semana passada, havia 275 casos notificados e oito mortes em San Diego e em Santa Cruz, 38 casos foram confirmados.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/portugal-hepatitis-outbreak-tops-400-cases-72562/
http://www.dailynews.com/health/20170731/la-county-on-alert-after-hepatitis-outbreaks-among-homeless-in-california-counties

Zika Vírus transmissão sexual, Flórida
O Departamento de Saúde da Flórida relatou o primeiro caso confirmado de Zika transmitida sexualmente na Flórida em 2017. A investigação do caso apontou para esse desfecho, pois não há evidências de casos de Zika transmitidas por mosquitos em qualquer lugar da Flórida e o caso não apresentava histórico de viagem, porém o parceiro contactante esteve recentemente em Cuba e voltou com sintomas característicos de Zika. Ambos apresentaram teste laboratorial positivo, confirmando a hipótese de transmissão pessoa-pessoa por relação sexual.
Fonte:http://www.floridahealth.gov/newsroom/2017/08/080117-zika-update.html

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 31 foram confirmados mais 4 casos da doença, um deles teve contato direto com camelo e apresentou sintomas característicos e encontra-se estável, dois continuam em investigação e estão em estado crítico de saúde e o último caso registrado é contactante de um sintomático em estado crítico, o contactante encontra-se em estado estável de saúde.
Fonte: http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx?PageIndex=1

Cólera, Filipinas
O Departamento de Saúde de Filipinas junto com a Vigilância Epidemiológica local identificou um aglomerado de casos de diarréia na semana epidemiológica (SE) 29 na província de Misamis Oriental. No início desta SE 31, o total de casos suspeitos de cólera atingiu 557, desses, 50% dos casos eram do sexo feminino, a distribuição por faixa etária variaram de 6 meses a 86 anos de idade, com uma média de 21 anos. Além de diarréia, os pacientes também apresentaram outros sinais e sintomas que incluem dor abdominal, vômito, dor no corpo e anorexia. Dezenove (19) casos testaram positivo para Vibrio cholerae.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/cholera-cluster-reported-misamis-oriental-philippines-41221/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 29, nenhum caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 751 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 29 de julho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk30.pdf

Síndrome de Haff, Recife, PE, Brasil
A Secretaria Estadual de Saúde está investigando uma notificação do Real Hospital Português, de dois pacientes que deram entrada com dor muscular intensa e suspeita de Síndrome de Haff. Uma das possíveis causas da mialgia aguda é a ingestão de peixes contaminados por toxinas, porém outros agentes podem causar os mesmos sintomas (chikungunya, influenza e citomegalovírus). A SES coletou material diagnóstico para encaminhar ao Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE). Já foi encaminhado um alerta com recomendação aos serviços locais para a notificação e investigação imediata em 24 horas além do informe do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde da Bahia por ocasião de um surto registrado em dezembro de 2016.
Fonte:http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/cadernos/vida-urbana/2017/08/02/interna_vidaurbana,172938/estado-investiga-casos-de-urina-preta.shtml

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 30, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos. Do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do Rio de Janeiro. Desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 30) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO CIEVS SES RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 29 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 12.095 amostras, destas 9.578 foram processadas e 32,7% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.937 (61,8%) foram detectados vírus influenza e 1.200 (38,3%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.477 (76,3%) e Influenza B com 394 (20,3%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 801 (66,8%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.817 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,3% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 305 (16,8%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (3,0%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 32 (10,5%) influenza A não subtipado, 61 (20,0%) por influenza B e 203 (66,6%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,8%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/julho/26/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-29.pdf

Hepatite A, San Diego, EUA
Desde o início de 2017, a Divisão de Serviços de Saúde Pública, no Condado de San Diego Saúde e Agência de Serviços Humanos, vem investigando um surto de Hepatite A. Até o momento, nenhuma fonte comum de alimentos, bebidas, ou outra causa foi identificada como resultado, a fonte do surto permanece indeterminada. Desde o início até o dia 25 de julho houve 275 casos, 15 óbitos e 194 hospitalizações (71%).
Fonte:http://www.sandiegocounty.gov/content/sdc/hhsa/programs/phs/community_epidemiology/

Vírus Powassan, Nova Iorque, EUA
O escritório de Saúde Pública do condado de Schuyler informou 3 casos recentes do vírus Powassan identificados no Condado de Saratoga, Nova York. O vírus Powassan (POW) é transmitido aos humanos por carrapatos infectados. Os sintomas mais frequentes incluem febre, dor de cabeça, perda de coordenação e convulsões, e pode levar a sintomas mais graves como inchaço do cérebro e da medula espinhal e até levar à morte. O vírus POW é raro, com apenas 26 casos observados em Nova York de 2004 a 2016.
Fonte:http://www.observer-review.com/rare-tick-virus-is-now-in-state-cms-5800

Cólera, Ásia e África
O primeiro surto de 2017 no Quênia foi controlado em abril na cidade de Tana River County, porém uma segunda onda de surto iniciou também em 02 abril da cidade de Garissa County se espalhando para outras 9 cidades, inclusive em campos de refugiados, até 17 de Julho 2017, um total de 1216 casos suspeitos incluindo 14 mortes (letalidade – 1,2%) foram relatados. Do total de casos, 124 testaram positivo para Vibrio cholerae e 18 para Vibrio cholerae Ogawa.
Até 25 de julho, o número de casos de cólera notificados no Iêmen atingiu 402.484 casos suspeitos, incluindo 1.880 óbitos (letalidade – 0,5%) em três meses de surto (desde 27 de abril). Especialistas esperam que o número atual de casos suspeitos de cólera pelo menos dobre até o final de 2017 para mais de 600.000 – ou um em cada 45 iemenitas.
Na Somália​, o surto de cólera se espalhou para 16 das 18 regiões do país, registrando 69.948 casos desde o início de 2017 com 1.119 óbitos (letalidade – 1,6%). Os surtos de cólera também são confirmados nos países fronteiriços da Etiópia e Sudão do Sul.
No Sudão​, casos relatados em 15 estados em agosto de 2016 a 09 de julho de 2017, registrando 21.781 casos suspeitos com 418 óbitos (letalidade – 1,9%).
Fonte: http://www.who.int/csr/don/21-july-2017-cholera-kenya/en/
http://outbreaknewstoday.com/yemen-cholera-outbreak-eclipses-400000-cases-3-months-32341/
http://applications.emro.who.int/docs/epi/2017/Epi_Monitor_2017_10_29.pdf

Doença mão-pé-boca, Japão (ERRATA)
As autoridades de saúde do Japão alertaram para os frequentes registros de crianças infectadas pela doença mão-pé-boca. Do final de junho até a primeira semana de julho, 18.100 novos casos foram notificados no arquipélago japonês. A doença mão-pé-boca é uma doença viral caracterizada pela ocorrência de erupções nos três pontos do corpo, e que afeta principalmente crianças ​pequenas. A maioria dos afetados na região, foram crianças entre 1 e 2 anos e as cidades onde mais casos foram registrados recentemente é o de Tottoti (oeste), Miyazaki (sul), Shiga (centro) e Kochi (sul). O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas considera que o surto poderia atingir um pico em duas a três semanas e as autoridades aconselharam que as crianças lavem bem as mãos com sabão e orientou as creches e outras instalações para desinfectar itens utilizados por mais de uma criança.
Fonte:http://www.alternativa.co.jp/Noticia/View/70584/Japao-teme-epidemia-de-doenca-mao-pe-boca-18-mil-criancas-ja-foram-infectadas

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 29, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 751 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 22 de julho de 2017. Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk29.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 29, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos. Do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ. Desses, 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro, até a semana epidemiológica 28, apresentou 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO CIEVS SES RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 28 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 11.692 amostras, destas 9.271 foram processadas e 32,6% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.866 (61,8%) foram detectados vírus influenza e 1.155 (38,2%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do vírus influenza A (H3N2) com 1.430 (76,6%) e Influenza B com 372 (19,9%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 67,5% (780).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.726 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,2% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 285 (16,5%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (3,2%) decorrentes de influenza (H1N1)pdm09, 28 (9,8%) influenza A não subtipado, 54 (18,9%) por influenza B e 194 (68,1%) influenza A (H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 31,9%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/julho/19/Informe-Epidemiologico_Influenza-2017-SE-28.pdf

Febre Maculosa, Piracicaba, SP, Brasil
O município de Piracicaba já soma 4 casos com 2 óbitos para febre maculosa, números semelhantes de todo o ano de 2016 (4 casos e 2 óbitos). Em 2015 foram registrados 4 casos com 3 óbitos. Durante o período seco do ano (inverno) na região, a tendência é aumentar a proliferação de carrapato nas áreas verdes e margens de rios, córregos e lagoas. A Secretaria de Saúde alerta sobre o risco de contaminação para quem costuma visitar as áreas de risco da cidade. Estes lugares se tornam destino certo dos principais hospedeiros do carrapato-estrela (responsável pela doença) , as capivaras, em busca de alimento.
Fonte:http://www.piracicaba.sp.gov.br/secretaria+da+saude+orienta+sobre+febre+maculosa.aspx

Sarampo, Itália
Na Itália, 3501 casos foram relatados até agora, incluindo 2 mortes, 89% dos casos não foram vacinados e 7% receberam apenas uma dose de vacina. A distribuição de casos por idade média, foi de 27 anos. A maioria dos casos (73%) tem sido relatado em pessoas de idade maior ou igual a 15 anos; 210 casos em pessoas menores de um ano de idade. Do total de casos relatados, 255 são trabalhadores de saúde.
Fonte:http://www.epicentro.iss.it/problemi/morbillo/bollettino/Measles_WeeklyReport_N16eng.pdf

Febre Aftosa Humana, Japão
Um surto de febre aftosa no Japão preocupa as autoridades. Do final de junho até a primeira semana de julho, 18.100 novos casos foram notificados no arquipélago japonês. A febre aftosa humana, também conhecida como doença de mão, pé e boca, é uma doença viral caracterizada pela ocorrência de erupções nos três pontos do corpo, e que afeta principalmente crianças pequenas. A maioria dos afetados na região, foram crianças entre 1 e 2 anos e as cidades onde mais casos foram registrados recentemente é o de Tottoti (oeste), Miyazaki (sul), Shiga (centro) e Kochi (sul). O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas considera que o surto poderia atingir um pico em duas a três semanas e as autoridades aconselharam que as crianças lavem bem as mãos com sabão e orientou as creches e outras instalações para desinfectar itens utilizados por mais de uma criança.
Fonte:http://www.eldiario.es/sociedad/afectados-fiebre-aftosa-humana-Japon_0_666683363.html

Cólera, Iêmen
Segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) do dia 19 de julho de 2017, a situação do surto de cólera no Iêmen vem sendo controlada com ações em parceria com entidades de saúde. Os números absolutos até o momento atingem 362.545 casos suspeitos com 659 casos confirmados laboratorialmente e 1817 óbitos relatados e 21 estados e 121 distritos afetados. A taxa de letalidade reduziu desde os primeiros meses de surto, hoje encontra-se em 0,5%, portanto 99,5% dos casos suspeitos de cólera sobrevivem.
Fonte:http://www.emro.who.int/images/stories/20170719_WHO_cholera_SitRep_4_v2.pdf?ua=1

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 28, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 750 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 15 de julho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk28.pdf

Raiva, Malásia
O Departamento de Serviços Veterinários do Estado deve aplicar rigorosamente um processo de quarentena para animais como cães e gatos que entram no país como medida preventiva para conter a propagação da raiva. Outras 3 áreas foram declaradas como novas áreas infectadas pela raiva, mostrando que a doença se espalhou para Sri Aman e Siburan. A população foi convocada a vacinar seus animais e sendo informada quanto as possibilidades outras de contaminação além das mordidas, como contato imediato de olhos, boca ou nariz com a saliva dos animais infectados.
Fonte:http://www.theborneopost.com/2017/07/20/strictly-enforce-quarantine-process-for-animals-department-urged/

Dengue, Siri Lanka
A Unidade de Epidemiologia do Ministério da Saúde (MS) Sri Lanka relatou 80.732 casos de dengue, incluindo 215 mortes, no período entre 1 de Janeiro a 7 de julho de 2017. Este número de casos é 4,3 vezes mais elevada do que a média do número de casos para o mesmo período entre 2010 e 2016. Aproximadamente 43% dos casos de febre de dengue foram relatados na Província de Western com maior número de casos em Colombo Distrito (18.186) seguido por Gampaha (12.121), Kurunegala (4.889), Kalutara (4.589), Bacaloa (3.946), Ratnapura (3.898), e Kandy (3.853).
Fonte:http://www.who.int/csr/don/19-july-2017-dengue-sri-lanka/en/

Casos de Hepatite A em homens que fazem sexo com homens em Israel associados ao surto da Europa (dezembro 2016 – junho 2017):
Entre dezembro de 2016 e junho 2017, 19 casos de hepatite A (VHA) foram confirmados por exame sorológico em Israel, 17 dos quais estavam entre homens que fazem sexo com homens (HSH), a maioria dos casos foram identificados na área de Tel Aviv com distribuição de idade média de 31 anos e história de viagem para países da Europa 2 meses antes do início dos sintomas. Duas das três cepas circulantes em HSH na Europa foram identificados em Tel Aviv. O estudo demonstrou que, apesar de um programa de vacinação eficiente, HAV pode ainda ser transmitida para uma população de alto risco não vacinada nascidas em Israel antes de 1999.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22840

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 28, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 27) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Imunização: Os moradores do Estado do Rio de Janeiro que não receberam nenhuma dose da vacina contra a febre amarela devem ser vacinados contra a doença. Isso porque, a partir de agora, o estado faz parte da Área com Recomendação de Vacinação Permanente para Febre Amarela. Assim, quem mora ou viaja ao Rio de Janeiro deve ser vacinado. O Ministério da Saúde recomenda a imunização para pessoas na faixa etária de seis meses a 59 anos de idade, que nunca tenham tomado alguma dose da vacina.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs

Parotidite (Caxumba), Minas Gerais
A chegada das férias escolares e a intensificação das viagens acende o alerta entre autoridades de saúde mineiras, diante do aumento dos casos de caxumba. De janeiro a junho deste ano, 1.883 pessoas foram infectadas pela doença no estado, o que representa aumento de 80% em relação ao mesmo período de 2016, quando foram computados 1.043 diagnósticos. O ano passado houve o maior número de casos da doença nos últimos 15 anos, com 3.011 pacientes infectados. Em relação a esse total, o acumulado de 2017 já representa 62,5%. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais informou que nos casos deste ano a maioria acometeu jovens e adultos, justificado pela cobertura vacinal da tríplice viral para crianças de um ano ser de 98,93% com uma dose da vacina, número considerado adequado para primeira dose e para a segunda dose, a partir dos 15 meses, a cobertura é de 88,38%, abaixo da meta mínima de 95% recomendada.
Fonte:http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2017/07/07/interna_gerais,881979/caxumba-ataca-adultos-em-minas-gerais-por-falta-de-vacinacao.shtml
http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/story/9519-ses-mg-reforca-importancia-da-imunizacao-contra-o-sarampo

Febre do Nilo, Toronto, Canadá
A Saúde Pública do Canadá confirmou o primeiro caso positivo para vírus do Nilo Ocidental deste ano. Outros 2 casos suspeitos ainda estão em investigação. A Agência de Saúde Pública de Toronto informou que o risco de infecção é baixo mas que a população deve se manter atenta aos possíveis criadouros de mosquito e as formas de proteção da doença.
Fonte:http://www.cbc.ca/news/canada/toronto/toronto-west-nile-1.4192721
http://www.correiodamanhacanada.com/toronto-relata-primeiro-caso-humano-de-virus-do-nilo-ocidental/

Sarampo, Europa
Na Itália, 3346 casos foram relatados até agora este ano, incluindo 2 mortes, quase todas as regiões (18/21) relataram casos, mas 90% tem ocorrência em Piedmont, Lazio, Lombardia, Toscana, Abruzzo, Veneto e Sicília, 88% dos casos não foram vacinados e 7% receberam apenas uma dose de vacina. A distribuição de casos por idade média, foi de 27 anos. A maioria dos casos (73%) tem sido relatado em pessoas de idade maior ou igual a 15 anos; 200 casos em pessoas menores de um ano de idade. Do total de casos relatados, 252 são trabalhadores de saúde.
Na Romênia o número total de casos confirmados, até o dia 07 de julho, atinge 7647 com 31 óbitos. De todos os casos, a distribuição dos casos por idade prevalecem na faixa etária de 1 a 4 anos (3010 casos).
Fonte:http://www.epicentro.iss.it/problemi/morbillo/Infografica2017.asp
http://www.cnscbt.ro/index.php/informari-saptamanale/rujeola-1/723-situatia-rujeolei-in-romania-la-data-de-07-07-2017/file

Ebola, República Democrática do Congo, África
A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou oficialmente o fim do surto de Ebola que acometeu recentemente o Congo, após mais de 40 dias sem casos novos (referente a dois ciclos de incubação do vírus). O surto infectou 8 indivíduos, dos quais 4 morreram. Em torno de 583 contatos dos infectados foram registrados e monitorados de perto, mas nenhum desenvolveu sinais ou sintomas da doença. Contudo, a vigilância reforçada no país continuará, bem como o fortalecimento da preparação e prontidão para os surtos de Ebola.
Fonte:http://www.contagionlive.com/news/ebola-outbreak-officially-over-in-drc

Cólera, Iêmen (Ásia), Nigéria (África)
O número de casos suspeitos de cólera no Iêmen de 27 de abril a 07 de julho de 2017, somam 297.438 casos registrados com 1706 óbitos, atingindo a taxa de letalidade 0.6% e uma taxa de ataque de 10%. Os locais com maior incidência de casos foram os quatro distritos Amanat Al Asimah, Al Hudaydah, Hajjah e Amran com 47,3% dos casos relatados. O distrito de Amran apresentou a maior taxa de ataque 20.5%, e ainda, um total de 31.424 casos e 147 óbitos.
No início da SE 28, a OMS confirmou o total de 1.732 óbitos entre os 313.538 casos suspeitos espalhados 21 províncias iemenitas.
Na Nigéria o surto identificado em 1 de maio soma o total de 1558 casos suspeitos, incluindo 11 óbitos (taxa de mortalidade por caso: 0,7%). Treze destes casos foram confirmados por cultura em laboratório, 50% dos casos suspeitos relatados são do sexo masculino e 49% do sexo feminino. Os casos estão distribuídos em todas as faixas etárias.
Um importante fator de risco local é a falta de acesso à água potável e precárias condições de higiene.
Fonte:http://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/Yemen_epi_d_update_20170708.pdf
http://aa.com.tr/en/middle-east/cholera-epidemic-kills-1-732-in-yemen-who/858697
http://www.who.int/csr/don/12-july-2017-cholera-nigeria/en/

Dengue, Sri Lanka, Ásia
O Sri Lanka passa pela pior epidemia de dengue somando mais de 200 óbitos em 2017. O governo já contratou mais de quinhentos militares e médicos para lidar com a epidemia. Somente no primeiro semestre de 2017 os casos já chegam a mais de 77 mil contra os 55.150 em 2016. Além de atacar os pontos susceptíveis de reprodução do mosquito, as autoridades vão pulverizar as áreas afetadas para matar insetos adultos.
Fonte:https://es-us.noticias.yahoo.com/sri-lanka-sufre-peores-epidemias-dengue-225-muertos-141000584.html

Influenza H7N9, China
O Centro de Proteção à Saúde (CHP) do Departamento de Saúde confirmou um caso humano de H7N9 na região de Xinjiang. O paciente do sexo masculino, de 35 anos, que estava em monitoramento e foi a óbito em final de junho, trabalhava com venda de frangos vivos no mercado. Com este caso, o total de casos confirmados chega a 749 na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 08 de julho de 2017, de acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 27.
Fonte:http://www.info.gov.hk/gia/general/201707/07/P2017070700865.htm
http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk26.pdf

Risco internacional de Febre Amarela a partir do surto no Brasil, em dezembro de 2016 a maio de 2017 (Artigo científico):
Os estados do sudeste do Brasil foram recentemente afetados pelo maior surto de Febre Amarela (FA) visto nesta década na América Latina. Foi feita uma avaliação quantitativa do risco de propagação internacional relacionada com viagens para regiões do sudeste do Brasil. Concluiu-se que os Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Espanha, Itália e Alemanha podem ter recebido pelo menos um caso FA relacionados com viagens ao Sudeste Brasil capazes de iniciar com o ciclo de transmissão local, principalmente aos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22834

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 27, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 27) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 72 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 26 as unidades sentinelas de SG coletaram 10.954 amostras, destas 8.664 foram processadas e 32,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.760 (61,8%) foram detectados vírus influenza e 1.090 (38,3%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 1.360 (77,3%) e Influenza B com 338 (19,2%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 740 (67,9%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2).
Foram notificados 1.560 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 12,0% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 261 (16,7%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (3,4%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 24 (9,2%) influenza A não subtipado, 50 (19,2%) por influenza B e 178 (68,2%) influenza A(H3N2) . O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 33,3% (87/261), em relação ao país.
O Hospital Maternidade de Campinas suspendeu por tempo indeterminado a internação e o recebimento de grávidas acima de 20 semanas. Já as gestantes em trabalho de parto estão sendo atendidas. Foi necessária ainda a adoção de medidas restritivas na UTI, como a permissão exclusiva apenas para pais nas visitas na unidade. A suspensão acontece para o controle dos casos do vírus sincicial respiratório, na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e será mantida até que o problema seja resolvido.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/julho/05/Informe-Epidemiologico_Influenza%202017-SE-26.pdf
http://www.portalcbncampinas.com.br/2017/06/maternidade-de-campinas-suspende-internacoes-por-conta-de-surto-viral/

Leishmaniose Visceral Canina, SP, Brasil
A Prefeitura de Valinhos confirmou 24 casos de leishmaniose visceral em cachorros. Quatro animais morreram e um foi submetido a eutanásia devido ao estado avançado. Outras 114 ocorrências são investigadas. A cidade ainda não havia registrado a doença, embora o mosquito vetor já circulasse desde 2013, segundo a Superintendência de Controle de Endemias. A primeira confirmação foi em maio, no Jardim Paraná. As demais foram nos bairros Nova Suíça e Clube de Campo.
Já em Campinas, a situação da leishmaniose é considerada controlada. Neste ano, houve um caso confirmado em cão, mas outros três estão sendo investigados.
No estado de São Paulo, no ano passado foram 114 ocorrências, com nove mortes. Não há confirmações em pessoas.
A doença é causada pelo protozoário Leishmania chagasi e é transmitida pela picada do mosquito flebótomo. Pode atacar o ser humano e cães e é sem cura completa, podendo levar à morte em mais de 90% dos casos se não tratada.
Fonte:http://www.portalcbncampinas.com.br/2017/06/valinhos-confirma-16-casos-de-leishmaniose-canina/
https://goo.gl/rB5RmL

Chikungunya, MG, Brasil
Distribuição dos casos de Chikungunya no estado de Minas Gerais em 2017, até o momento, totalizam em 16.995 casos prováveis. Deste total de casos prováveis, 101 são gestantes e 34 são confirmadas para chikungunya pelo critério laboratorial. Foram registrados 22 óbitos com suspeita de chikungunya: 19 estão em investigação, 2 foram descartados e 1 foi confirmado no município de Governador Valadares. Esse óbito confirmado teve início dos sintomas em março deste ano.
Fonte:http://www.saude.mg.gov.br/images/icones/Boletim_Aedes_03-07-2017.pdf
http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/story/9571-ses-mg-confirma-obito-por-chikungunya

Raiva Humana, PE, Brasil
A causa da morte da paciente que foi a óbito no Hospital Universitário Oswaldo Cruz, no bairro de Santo Amaro, no Recife, na semana passada (29/06/2017), foi confirmada como infecção de Raiva Humana.
O Centro de Vigilância Ambiental (CVA) informou que a transmissão ocorreu quando o gato de rua contaminado pelo vírus mordeu a paciente, que era dona de um pet shop no bairro da Boa Vista.
Fonte:https://goo.gl/3Kgam7

Hepatite A, Europa
Agência Regional de Saúde foi alertada sobre 6 casos de hepatite A em adultos e outros 3 em crianças atendidos no Hospital em Limoges, França. As autoridades ainda não falam em epidemia, mas se colocaram em alerta sobre aparecimento de novos casos. A origem do vírus ainda é desconhecida e as análises estão em andamento. As medidas de higiene tem sido incentivada na região assim como evitar o consumo da água de origem duvidosa.
Em Portugal, 322 casos já foram confirmados entre os 378 notificados desde o início do ano, segundo o último balanço da Direção Geral da Saúde (DGS). De acordo com os dados da DGS, este surto, que começou no início do ano e afeta outros países europeus, atingiu sobretudo homens (89%) e em mais de metade dos casos (52%) o contágio deu-se por contacto sexual. A DGS, em decorrência do surto de hepatite A, reforçou a vacinação antes dos grandes festivais de verão e está aconselhando a adoção de medidas de prevenção durante esses eventos.
Fonte:http://www.dn.pt/sociedade/interior/confirmados-322-casos-de-hepatite-a-em-portugal-desde-o-inicio-do-ano-8596640.html
http://www.lanouvellerepublique.fr/Indre/Actualite/Faits-divers-justice/n/Contenus/Articles/2017/07/04/Le-Magny-Indre-neuf-cas-declares-d-hepatite-A-3155913

Tétano, Itália, Europa
Um menino, não vacinado, de 10 anos desenvolveu o tétano depois de cair da bicicleta e cortar a cabeça na Sardenha no final de junho. Este é o 1º caso em crianças na Itália em 30 anos, de acordo com um porta-voz do Instituto Nacional de Saúde do país. Durante o atendimento, os médicos sugeriram a vacinação contra o tétano como uma precaução, mas os pais, aparentemente, recusaram. Este caso reforça a lei recente de vacinação obrigatória para inscrição nas escolas. De acordo com a nova lei, as famílias que não vacinam seus filhos entre 6 e 16 anos serão multadas e dirigidas para marcar uma consulta no centro de saúde mais próximo.
Fonte:https://www.vanityfair.it/news/approfondimenti/2017/06/29/10-anni-prende-il-tetano-burioni-il-vaccino-non-e-unopinione
http://www.ansa.it/english/news/general_news/2017/06/28/first-tetanus-case-in-30-years_afb31c37-713f-4623-90bf-384dad9fd460.html

Sarampo, Portugal, Europa
De acordo com o Serviço Nacional de Saúde de Portugal, a epidemia do sarampo, iniciada em fevereiro de 2017, é considerada, agora, controlada, visto que foram ultrapassados mais de dois períodos de incubação sem novos casos (o último caso ocorreu em 10 de maio). Porém, uma vez que continuam a existir surtos de sarampo na Europa, deve ser mantido o nível de alerta elevado, tendo em conta a possibilidade de importação de casos.
Fonte: https://www.sns.gov.pt/noticias/2017/07/05/fim-da-epidemia-do-sarampo/

Meningite, Romênia, Europa
Um estudante romeno de 17 anos, diagnosticado com meningite bacteriana, morreu na semana passada e outros 18 adolescentes foram hospitalizados com sintomas semelhantes. No total, em torno de 200 casos suspeitos foram atendidos até 18 de junho. Os casos suspeitos, inclusive o óbito, confirmado, haviam participado de uma festa na vila de Purcareni uma semana antes do início dos sintomas.
Fonte:https://www.romania-insider.com/romanian-teenager-meningitis-dies-hospital-2017/

Febre de Lassa, Nigéria, África
A partir de 9 de junho de 2017, um total de 501 casos suspeitos, incluindo 104 óbitos, foram relatados desde o início da atual temporada de surtos de febre de Lassa em dezembro de 2016. Dos casos relatados, 175 foram confirmados em laboratório, incluindo 59 dos óbitos. Durante o surto atual da febre de Lassa, 17 estados nigerianos (Anambra, Bauchi, Borno, Cross-River, Ebonyi, Edo, Enugu, Gombe, Kaduna, Kano, Kogi, Nasarawa, Ogun, Ondo, Planalto, Rios e Taraba) relataram pelo menos um caso confirmado. A febre de Lassa é conhecida por ser endêmica em vários países da África Ocidental, incluindo a Nigéria.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/28-june-2017-lassa-fever-nigeria/en/

Raiva Humana, Sarawak, Malásia
O diretor-geral da saúde divulgou na última sexta-feira que há 3 crianças infectadas com vírus da raiva no distrito de Serian. Inicialmente o diagnóstico era encefalite viral, porém, durante a investigação, descobriu-se que duas das vítimas haviam sido mordidas por um cachorro cerca de um mês ou dois antes da manifestação dos sintomas, mas não há confirmação de agressão para a terceira vítima. O resultado para raiva foi confirmado laboratorialmente para os 3 casos. Diante da situação, o Ministério da Saúde tomou uma série de medidas de controle e prevenção, incluindo investigação abrangente e identificação ativa e passiva, emissão de alertas para todas as instalações públicas e privadas de saúde na região de ocorrência dos casos.
Fonte:http://www.theborneopost.com/2017/07/01/three-children-infected-with-rabies-in-sarawak/

Influenza A(H7N9), China, Ásia
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 26, seis casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 748 casos registrados e confirmados na China Connental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 01 de julho de 2017.
Em Taiwan, os casos continuam aumentando, de acordo com CDC (Centers for Disease Control and Prevenon), no último período anual de gripe (30 de junho de 2016 a 1 de julho de 2017 ), foram 859 casos graves com 79 mortes.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk26.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 26, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 22 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 04 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 24) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 68 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Leptospirose, Alagoas, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde – SESAU por meio desta NOTA INFORMATIVA apresenta as informações disponíveis sobre o registro de casos de leptospirose, no pós-enchente, por meio do monitoramento realizado pelo CIEVS/SES/AL, a partir da informação oriunda dos serviços de saúde e da busca ativa. Até o momento, considerando o período de 30/05 a 22/06 foram identificados 57 casos suspeitos de leptospirose, desses, 10 (17,5%) evoluíram para óbito. Dentre os 47 casos notificados (excluídos os óbitos), têm-se 11 confirmados e 36 em processo de investigação com maior número de notificações registrado em Atalaia (42%), mas o maior número de confirmações é de Maceió (8). Dentre os 10 óbitos conhecidos, tem-se 6 confirmados e 4 em investigação.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/2017/06/22/nota-informativa-casos-de-leptospirose-pos-enchentes_22-06-2017/

Raiva Humana, Recife, Brasil
A paciente com suspeita de raiva humana que estava internada na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, no bairro de Santo Amaro, no Recife, morreu no início da noite desta quinta-feira (29/06/2017). A unidade de saúde confirmou a morte, no entanto, a causa primária ainda não foi divulgada oficialmente, mas a principal suspeita é a de raiva. Como causa secundária, foi registrada a falência múltipla dos órgãos. Agora, o corpo será encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito (SVO) para que, através de perícias específicas no cérebro da paciente, seja constatada a real causa da morte.
Fonte:http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/saude/noticia/2017/06/29/moradora-do-recife-com-suspeita-de-raiva-humana-morre-no-hospital-292547.php

Coxsackie, México
O Ministério da Saúde emitiu um alerta para o vírus Coxsackie, responsável pela Síndrome mão-pé-boca. A transmissão do vírus é de forma direta, por meio da saliva, fezes e secreções respiratórias, assim, altamente contagioso, principalmente entre as crianças menores de 5 anos. Apesar de não haver comparação com anos anteriores, as autoridades de saúde relatam que casos vem aumentando muito em 2017.
Fonte:https://www.debate.com.mx/salud/ALERTA-Virus-Coxsackie-amenaza-a-bebes-en-estos-estados-20170629-0060.html

Sarampo, EUA e Europa
Segundo o Departamento de Saúde de Minnesota, EUA​, foram confirmados 78 casos de sarampo de janeiro até junho de 2017. Esse quantitativo é maior do que o observado na série histórica de 1997-2016, que somam 56 casos. De todos os casos desse ano, 88,5% aconteceram em Hennepin County, 94,9% crianças (com idades entre 0-17 anos) e 83,3% de raça/etnia somali de Minnesota.
Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle das Doenças (ECDC), a Romênia é o país com maior número de casos de Sarampo desde o ano passado até o atual momento. De acordo com o informe situacional da Romênia, de janeiro de 2016 até a SE 25 foram registrados 7282 casos com 30 óbitos e 1 ainda em investigação, a faixa etária mais afetada são crianças menores de 1 ano até os 9 anos (75,7%).
Em resumo, surtos de sarampo continuam ocorrendo em países da Europa. Existe o risco de propagação e de transmissão sustentada em áreas com populações susceptíveis. A cobertura nacional de vacinação continua a ser inferior a 95% para a segunda dose da vacina na maioria dos países da Europa. Dos 53 países da Região Européia, 24 conseguiram a meta de eliminação do sarampo, 13 de interromper a transmissão endêmica entre 12 e 36 meses e 6 países julgados ainda ter transmissão endêmica: Bélgica, França, Alemanha, Itália, Polônia e Romênia.
Fonte:http://www.health.state.mn.us/divs/idepc/diseases/measles/stats.html#1
https://ecdc.europa.eu/en/news-events/epidemiological-update-measles-monitoring-european-outbreaks-22-june-2017
http://www.cnscbt.ro/index.php/informari-saptamanale/rujeola-1/718-situatia-rujeolei-in-romania-la-data-de-23-06-2017/file

Hepatite A, Portugal, Europa
Em Portugal​, desde início de 2017 até a semana epidemiológica 26, de acordo com o Boletim Epidemiológico da Direção Geral de Saúde, 378 casos de Hepatite A foram  notificados, com 322 confirmados. Os principais acometidos são homens (89%), maior proporção de contaminação foi por contato sexual (52%) e a maioria dos casos foram identificados na Região de Lisboa e Vale do Tejo (76%).
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/hepatite-a.aspx

Cólera, Iêmen, Ásia
A epidemia de cólera se espalha rapidamente no Iêmen excedeu 200.000 casos suspeitos, aumentando a uma média de 5.000 por dia. A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o pior surto de cólera no mundo. Em apenas dois meses, a cólera se espalhou para quase todas as governadoria deste país devastado pela guerra. mais de 1.300 pessoas já morreram – um quarto delas crianças – e o número de mortos deve subir.
Fonte:http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2017/Cholera-Yemen/en/

Influenza A(H7N9), China, Ásia
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 24, dez casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 742 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 24 de junho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk25.pdf

Coronavírus (MERS-CoV), Arábia Saudita, Ásia
Entre 16 a 23 de junho foram confirmados mais 7 novos casos de coronavírus na Arábia Saudita, a distribuição por sexo foi de (85,7%) do sexo masculino e (14,3%) feminino, ocorreram 2 óbitos, atingindo a taxa de letalidade de 28,57%. De todos os casos, 42,9% residiam na cidade de Riyodh. O Ministério da Saúde da Arábia Saudita está avaliando cada caso e seus contatos e implementando medidas para limitar ainda mais a transmissão de humano para humano e controlar esses surtos.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/13-june-2017-mers-saudi-arabia/en/
http://www.who.int/csr/don/28-june-2017-mers-saudi-arabia/en/

Febre de Lassa, Nigéria, África
A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que desde o início do surto de Febre de Lassa na Nigéria (dezembro de 2016 até 09 de junho 2017), já foram notificados 501 casos, incluindo 104 óbitos, deste total foram confirmados laboratorialmente 189 incluindo 59 óbitos, atingindo a letalidade de 31,2% entre os confirmados. A Febre de Lassa atingiu até agora 17 estados nigerianos, com o surto estando ativo em 9 estados.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/28-june-2017-lassa-fever-nigeria/en/

Infecção prévia por dengue não agrava o quadro de Zika (Artigo científico)
A pessoa que contraiu o vírus Zika depois de já ter tido dengue aparentemente não apresenta uma enfermidade mais severa do que pessoas sem contato prévio com o vírus da dengue. Essa conclusão decorre de um estudo publicado no dia 20 de junho na revista Clinical Infectious Diseases, realizado com 65 pessoas que moravam em São José do Rio Preto, no norte do Estado de São Paulo, região em que a dengue é endêmica e na qual o Zika se disseminou durante a epidemia de 2016.
A equipe de pesquisadores examinou a quantidade de cópias do Zika no sangue de pessoas infectadas anteriormente com dengue e comparou com a encontrada no sangue daquelas jamais expostas ao vírus da dengue. Se a infecção prévia por dengue facilitasse a multiplicação do Zika, a quantidade de vírus Zika deveria ser bem mais elevada no organismo do primeiro grupo de pacientes. Não foi o que observaram: a concentração de vírus foi semelhante nos dois grupos. Se o incremento mediado por anticorpos ocorresse nessa situação, seria esperado que a concentração fosse dezenas de milhares de vezes maior. Os achados do estudo têm implicações de longo alcance, tanto epidemiológicas quanto para o desenvolvimento de vacinas.
Fonte: https://academic.oup.com/cid/article-abstract/doi/10.1093/cid/cix558/3872368/Viral-load-and-cyto

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 24 e 25, 2017

Febre Amarela,Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 22 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 04 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 24) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 56 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 24 as unidades sentinelas de SG coletaram 10.001 amostras, destas 7.496 foram processadas e 33,0% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.509 (61,1%) foram detectados vírus influenza e 963 (39,0%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 1.149 (76,1%) e Influenza B com 296 (19,6%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 648 (67,3%). As regiões Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2). Foram notificados 1.284 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,5% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 219 (17,1%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (4,1%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 20 (9,1%) influenza A não subtipado, 44 (20,1%) por influenza B e 146 (66,7%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,9%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/junho/21/Informe-Epidemiologico_Influenza-2017-SE-24.pdf

Leptospirose, Alagoas, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde – SESAU por meio desta NOTA INFORMATIVA apresenta as informações disponíveis sobre o registro de casos de leptospirose, no pós-enchente, por meio do monitoramento realizado pelo CIEVS/SES/AL, a partir da informação oriunda dos serviços de saúde e da busca ativa. Até o momento, considerando o período de 30/05 a 19/06 foram identificados 55 casos suspeitos de leptospirose, desses, 9 (17%) evoluíram para óbito. Dentre os 46 casos notificados (excluídos os óbitos), têm-se 11 confirmados e 36 em processo de investigação com maior número de notificações registrado em Atalaia (43%), mas o maior número de confirmações é de Maceió (9). Dentre os 9 óbitos conhecidos, tem-se 5 confirmados e 4 em investigação.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/wp-content/uploads/2017/06/NOTA-INFORMATIVA-CIEVS-n%C2%BA-26-3-2017-VIGIL%C3%82NCIA-LEPTOSPIROSE-20-jun-2017-1.pdf

Febre do Nilo Ocidental, Piauí, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) informou em nota dez casos suspeitos de Febre do Rio Nilo Ocidental (RNO). Os casos referem-se a resultados de exames laboratoriais realizados em 2017, no Instituto Evandro Chagas (IEC), laboratório referência do Ministério da Saúde. Em todos os exames, verificou-se reação cruzada (positividade simultânea) com pelo menos um outro flavivírus, dentre eles: zika, dengue e vírus da encefalite de Saint Louis (VESL). Dessas notificações, houve um óbito suspeito de paciente residente em Teresina/PI. Todos os casos têm sido acompanhados pela Secretaria de Estado da Saúde, que já adotou as providências pertinentes à Vigilância deste agravo.
Fonte:http://www.saude.pi.gov.br/noticias/2017-06-15/8057/nota-febre-do-nilo-ocidental.html

Leishmaniose Visceral Canina, Brasil
A Secretaria de Saúde de Valinhos, São Paulo ​divulgou essa semana, a confirmação de 16 casos de Leishmaniose Visceral canina no município. Deste, 4 foram a óbito e outros animais aguardam resultados para iniciar, ou não, o tratamento. O primeiro caso foi registrado em maio, no bairro Jardim Paraná. Outros casos posteriores foram confirmados nos bairros de Nova Suíça e Clube de Campo. Desde 2013, a Superintendência de Controle de Endemias vem registrando a presença do mosquito vetor no município.
A Coordenadoria de Vigilância em Saúde confirmou o primeiro caso autóctone de Leishmaniose Visceral Canina no município de Macapá, Amapá​. As secretarias de saúde estadual e municipal iniciaram uma ação de vigilância, conforme o protocolo do Ministério da Saúde, no bairro Jardim Marco Zero, possível área de transmissão da doença. A ação consiste em um inquérito sorológico censitário nos cães do bairro, além de uma pesquisa entomológica para capturar o vetor flebotomíneo também conhecido como mosquito palha, responsável pela transmissão da Leishmaniose visceral.
Fonte:http://www.valinhos.sp.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=9412:valinhos-registra-primeiros-casos-de-leishmaniose-visceral-canina&catid=34:noticias&Itemid=93
http://www.saude.ap.gov.br/conteudo.php?id=15471

Tentativa de suicídio, Colômbia
Na semana epidemiológica 23 de 2017, foram notificados 910 casos de tentativa de suicídio, no mesmo período em 2016 tinham sido notificados apenas 344 casos. O total de notificações de 2017 somam 10.833 casos de tentativa de suicídio. Dos casos notificados, 46,4% ocorreram nos estados de Antioquia, Valle del Cauca, Bogotá, Cundinamarca e Nariño. A distribuição dos casos tem maior proporção no sexo feminino (62,2%) e se destaca a distribuição pela faixa etária de 15 a 19 anos (29,4%). Sobre fatores relacionados a tentativa de suicídio, em 55,3% dos casos relatados apresentaram conflitos recentes entre casal, sintomas depressivos, problemas econômicos e perda de laços afetivos.
Fonte:https://goo.gl/TDESJf

Hepatite E, África e Ásia
A epidemia de Hepatite E, declarada desde abril passado na região de Diffa, no sudeste do Níger, África, já deixou 34 mortes de um total de mais de 876 casos notificados. As mulheres estão sendo particularmente mais afetadas e a maior parte dos casos estão entre as populações refugiadas. Para combater a epidemia, os trabalhadores de saúde em Diffa e trabalhadores humanitários realizaram campanhas de prevenção constantes, particularmente higiene, e melhora nos pontos de acesso para sistemas de água potável e saneamento.
Na Índia​, Ásia estão confirmando um surto de Hepatite E na aldeia de Ahmedabad, no distrito de Kulgam, por fornecimento de água altamente contaminada. A partir de 8 casos de icterícia registrados, 5 já estão testados positivamente.
Fonte:https://kashmirobserver.net/2017/local-news/hepatitis-e-outbreaks-kulgam-village-19065
http://outbreaknewstoday.com/hepatitis-e-outbreak-update-in-diffa-niger-32434/

Hepatite A, mundo
Em Portugal , desde início de 2017 até a semana epidemiológica 23, de acordo com o Boletim Epidemiológico da Direção Geral de Saúde, 327 casos de Hepatite A foram notificados, com 280 confirmados. Os principais acometidos são homens (91%) e a maioria dos casos foram identificados na Região de Lisboa e Vale do Tejo (159). Segundo a Organização Mundial da Saúde, 15 países europeus (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Países Baixos, Noruega, Portugal, Eslovênia, Espanha, Suécia e Reino Unido) relataram 1.173 casos. No Chile , 706 casos de hepatite A foram relatados a partir de 5 de maio até 7 de junho de 2017. Nos Estados Unidos , o Departamento de Saúde da Cidade de Nova York observou um aumento nos casos de hepatite A sem relatos de viagens internacionais. De acordo com as características de fonte de infecção que vem sendo identificados nesses surtos, a OMS recomenda a vacinação contra a hepatite A para grupos de alto risco, como viajantes para áreas endêmicas, homens que mantêm relação sexual com outros homens, pessoas que usam drogas injetáveis e pacientes com doença hepática crônica.
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/hepatite-a.aspx
http://www.who.int/csr/don/07-june-2017-hepatitis-a/en/

Coronavírus (MERS-CoV), Arábia Saudita
Entre 1 e 10 de junho foram confirmados 35 novos casos de coronavírus na Arábia Saudita, a distribuição por sexo foi de (51,4%) do sexo masculino e (48,6%) feminino, ocorreram 3 óbitos, atingindo a taxa de letalidade de 8,5% . De todos os casos, 91,4% residiam na cidade de Riyodh. O Ministério da Saúde da Arábia Saudita está avaliando cada caso e seus contatos e implementar medidas para limitar ainda mais a transmissão de humano para humano e controlar esses surtos.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/13-june-2017-mers-saudi-arabia/en/

Sarampo, Portugal
Em Portugal , desde primeiro de janeiro até 5 de junho (SE 23) deste ano, foram notificados 158 casos de sarampo com 31(19,6%) casos confirmados. Do total de casos confirmados, 20 (65%) com idade ≥ 18 anos, 19 (61%) não vacinados, 13 (42%) em profissionais de saúde, 14 (45%) foram internados e 1 (3%) óbito. A região de Lisboa e Vale do Tejo, tiveram 71% incidência dos casos confirmados.
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/sarampo.aspx

Influenza A(H7N9), China:
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 24, doze casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 732 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 17 de junho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk24.pdf

Doença de Haff, aglomerado de casos, Salvador, Brasil (Artigo científico):
O artigo aborda os dados clínicos e epidemiológicos dos primeiros 15 casos dos 67 casos totais detectados de doença de Haff na cidade de Salvador, no Brasil, de dezembro de 2016 até abril de 2017. A doença é rara e acredita-se que seja causada por uma toxina, foram propostas diversas etiologias tóxicas para a doença, no entanto nenhuma foi confirmada. Normalmente o paciente apresenta início súbito de grave rigidez muscular, acompanhada de urina escura e associada a ingestão de peixe.
O primeiro caso do surto em Salvador foi relatado em 1 de dezembro de 2016. Em 14 de dezembro, após a identificação dos seis primeiros casos, as autoridades de saúde pública iniciaram uma pesquisa ativa de novos casos nas unidades de saúde e hospitais em Salvador e também pesquisaram registros médicos para identificar retrospectivamente os casos compatíveis com a doença de Haff. O aglomerado de casos foi relacionado ao consumo dos mesmos peixes de 12 a 72 horas antes do início dos sintomas, dores musculares difusas e enzimas musculares elevadas, compatíveis com rabdomiólise.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22816

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 23, 2017

Febre Amarela, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 18 casos, do total de confirmados, casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu, 03 o município de Macaé, 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Maricá, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de Santa Maria Madalena, e 01 o município de Cachoeiras de Macacu, localizados no estado do RJ, destes 07 evoluíram para óbito (01 Casimiro de Abreu, 02 Porciúncula, 01 Maricá, 01 Macaé, 01 Silva Jardim, e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 23) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 55 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 22 as unidades sentinelas de SG coletaram 9.161 amostras, destas 6.814 foram processadas e 32,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.384 (61,7%) foram detectados vírus influenza e 861 (38,4%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 1.059 (76,5%) e Influenza B com 269 (19,4%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 566 (65,7%). A região Sudeste, Sul, Centro‐Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos corre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2).
Foram notificados 1.066 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,1% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 188 (17,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 8 (4,3%) decorrentes de influenza (H1N1)pdm09, 18 (9,6%) influenza A não subtipado, 42 (22,3%) por influenza B e 120 (63,8%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 33,3% (62/188), em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/junho/08/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-22.pdf

Influenza A(H7N9), China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 22, nove casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 715 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 3 de junho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk22.pdf

Hantavirose, Venezuela
A febre hemorrágica da Venezuela continua a avançar no país. O surto de 2016 foi o mais grave entre os 5 já ocorridos desde o primeiro caos em 1989. É esperado que 2017 seja outro ano de grave epidemia, de acordo com a Organização Pan‐Americana de Saúde desde 2016 até abril de 2017, foram notificados 142 casos suspeitos da doença, dos quais 21 vieram a óbito.
Fonte:http://www.el-nacional.com/noticias/sociedad/reportaron-fallecidos-por-fiebre-hemorragica_186221

Peste Humana, México
O Departamento de Saúde do estado reportou o primeiro caso humano de peste no Novo México este ano. A equipe do Departamento de Saúde visitando a vizinhança do caso a fim de educar a população para a redução de riscos. Até agora, houve nove cães e cinco gatos confirmados.
Fonte:https://www.abqjournal.com/1013490/plague-case-reported-in-santa-fe-county.html

Caxumba, Havaí, EUA
O Departamento de Saúde do Estado do Havaí (DOH) confirmou mais 16 casos de caxumba, incluindo crianças e adultos. Os casos já chegam a 81 em 2017, não havia casos registrados na região há muitos anos. A população está sendo encorajada a se vacinar com pelo menos 1 dose se não tiver registro comprovado.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/mumps-cases-top-80-hawaii-38614/

Surto de sarampo em Portugal após 12 anos sem transmissão endêmica, fevereiro a maio de 2017 (Artigo científico):
O artigo mostra atualizações do surto de sarampo em duas regiões de saúde portuguesas (Algarve e Lisboa e Vale do Tejo) de fevereiro até o final de maio foram confirmados 28 casos de sarampo. Treze casos eram trabalhadores de saúde. Um adolescente não vacinado foi a óbito. Este surto ocorreu após 12 anos sem transmissão endêmica do sarampo no país e em um contexto de alta cobertura vacinal contra o sarampo.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22812

Cólera, África e Oriente Médio
No Quênia , nos primeiros 21 dias de maio, Ministério da Saúde relatou 4 óbitos por cólera entre os 146 casos registrados. O Sudão do Sul está enfrentando o mais longo e mais difuso surto de cólera até o momento e há preocupações de possa ainda se intensificar durante o período de chuvas. As dificuldades pela falta de saneamento, de água potável e deslocamentos, desde 2016 há mais de 7200 casos de cólera com 229 óbitos, segundo Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde do Sudão do Sul.
No Iêmen, a cólera continua a avançar. Os números de casos suspeitos passam de 91 mil e os óbitos chegam a 728. No final de maio, a OMS levou 67 toneladas de suprimentos (fluidos intravenosos e kits de cólera) como medida para conter a epidemia.
Fonte:http://www.the-star.co.ke/news/2017/05/24/cholera-outbreak-kills-four-146-cases-reported-in-kenya_c1567529
http://www.thehindu.com/sci-tech/health/a-resurgent-cholera/article18715238.ece

Ebola, República Democrática do Congo
O último relatório de Ebola referente a República Democrática do Congo da Organização Mundial de Saúde, apresentou a situação epidemiológica desde o início do surto até 05 de junho de 2017. No total foram 8 casos registrados, 3 prováveis e 5 confirmados (04 Nambwa e 01 Mabongo). Foram a óbito, 3 entre os casos prováveis (02 Nambwa e 01 Ngayi) e 1 entre os confirmados (Nambwa), atingindo a taxa de letalidade de 50% entre os registrados e 20% entre os confirmados. Segue o exaustivo trabalho de acompanhamento dos contatos dos casos, ao todo foram registrados 598 contatos, 390 completaram o período de 21 dias de acompanhamento. Deste total, 2 testaram PCR posi*vo para o vírus Ebola incluídos na análise dos casos confirmados.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255630/1/EbolaDRC-06062017.pdf?ua=1

Meningite, África
No último boletim do Programa de Emergência da Saúde da Região Africana compreendendo a SE 22, desde o início do surto (13 de dezembro de 2016) a meningite afeta de maneira preocupante 5 países da África: Nigéria, Níger, Togo, Benin e Camarões. Particularmente em Nigéria e Níger se destaca o número de casos registrados e óbitos. A Nigéria soma 13,943 casos registrados, 1112 óbitos atingindo taxa de letalidade de 8%, o sorogrupo C representa 72,7% dos casos testados positivos no país. Níger soma 3292 casos registrados, 189 óbitos atingindo taxa de letalidade de 5,7%, há um número significativo do sorogrupo NmX (18%) na região, porém ainda não existe vacina para combater esse sorogrupo.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255624/1/OEW22-270262017.pdf?ua=1

Dengue, Ásia
Desde janeiro até o final de maio, um total de 1760 casos e 3 mortes por dengue foram registrados em Laos. As maiores taxas registradas foram na capital, Vientiane. Em 2016, nesse mesmo período, foram registrados pouco mais de 200 casos.
Em Hanoii, capital do Vietnã, os casos de dengue estão aumentando, até 4 de junho, um caso foi a óbito entre os 1.281 casos que foram registrados o que representa 2,6 vezes mais do que o mesmo período de 2016. Os distritos de Dong Da, Hoang Mai, Hai Ba Trung e Thanh Xuan relataram o maior número de casos de dengue.
Fonte:http://news.xinhuanet.com/english/2017-06/07/c_136346566.htm
http://en.vietnamplus.vn/dengue-fever-rises-in-hanoi/112972.vnp

Febre da Criméia-Congo, Irã
O Ministério da Saúde do Irã confirmou 31 casos de febre hemorrágica da Crimeia‐Congo. A doença já causou a morte de três pessoas. A febre hemorrágica da Crimeia‐Congo (CCHF) é uma doença viral disseminada por carrapatos que é endêmica na África, nos Balcãs, no Oriente Médio e na Ásia. O Ministério da Saúde do Irã recomendou que os criadores de gado utilizem meios preventivos, como luvas, botas, etc.
Fonte:http://en.apa.az/world-news/asia-news/31-diagnosed-with-crimean-congo-hemorrhagic-fever-in-iran.html

Semana Epidemiológica 22, 2017

Febre Amarela, Brasil
No último Informe de Febre Amarela nove estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Tocantins, Goiás,Distrito Federal e Mato Grosso). Foram notificados 3.240 casos em 407 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 792 casos e 1.929 foram descartados. Evoluíram a óbito 435 casos (124 descartados e 274 confirmados). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 31 de maio de 2017, foi de (83,1%) do sexo masculino e (16,9%) feminino, a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,5%. Até o momento foram notificadas 3850 epizootias (642 confirmadas e 96 descartadas).
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 17 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu, 03 o município de Macaé, 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Maricá, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Silva Jardim, e 01 o município de Santa Maria Madalena, localizados no estado do RJ, destes 07 evoluíram para óbito (01 Casimiro de Abreu, 02 Porciúncula, 01 Maricá, 01 Macaé, 01 Silva Jardim, e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 22) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos
municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME MS – COES Nº43
INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 50 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 21 as unidades sentinelas de SG coletaram 8.709 amostras, destas 6.198 foram processadas e 32,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.247 (61,1%) foram detectados vírus influenza e 795 (39,0%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 943 (75,6%) e Influenza B com 252 (20,2%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 513 (64,5%). A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2). Foram notificados 956 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,0% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 163 (17,1%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 8 (4,9%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 17 (10,4%)influenza A não subtipado, 37 (22,7%) por influenza B e 101 (62,0%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 34,4%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/31/Informe-Epidemiol–gico-Influenza-2017-SE-21.pdf

Leptospirose, Alagoas
O Programa de Combate às Zoonoses da Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas (SESAU) divulgou os dados da Gerência Estadual de Vigilância e Controle das Doenças Transmissíveis, que somou 8 casos confirmados de leptospirose em 2017. Esse número representa mais que o dobro dos casos confirmados no mesmo período de 2016.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/2017/05/27/sesau-alerta-sobre-o-risco-de-contrair-leptospirose-com-o-aumento-das-chuvas/

Hantavírus, Uruguai
Após suspeitas de leptospirose, exames comprovaram infecção por hantavírus em um professor, 24 anos, no Uruguai. O paciente está internado em CTI e segue com infecção generalizada. O primeiro caso de hantavirose foi diagnosticado em 1997 no Uruguai.
Fonte:http://www.elpais.com.uy/informacion/maestra-grave-contraer-hantavirus.html

Influenza A(H7N9), China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 21, nove casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 706 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 27 de maio de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk21.pdf

Zika, Índia
O Ministério da Saúde e Bem Estar Familiar do Governo da Índia (MoHFW) relatou três casos de Zika vírus confirmados por resultados laboratoriais, portanto caracterizando o primeiro surto da doença no país. Entre os casos, uma é mulher de 22 anos, na 37ª semana gestacional. Os esforços da vigilância deve ser mantido, a fim de melhor caracterizar a intensidade da circulação viral e a dispersão geográfica pelo país, e monitorar as complicações relacionadas ao vírus Zika.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/26-may-2017-zika-ind/en/

Cólera, Iêmen
Os casos suspeitos de cólera continuam a aumentar a níveis sem precedentes no Iêmen. De 27 abril a 24 maio 2017, um total de 42.207 casos suspeitos de cólera foram notificados e 420 óbitos confirmados, com taxa de letalidade de 1%. O número de mortes relatadas nas últimas quatro semanas é quase três vezes maior do que as mortes registradas a partir de outubro 2016 a março 2017. A Organização de Saúde (OMS) continua trabalhando na distribuição de medicação no Iêmen fazendo cooperações entre os países em conflito civil armado para conseguir autorização de sobrevoo e pouso de aeronaves que transportam a medicação sobre esses territórios em guerra. Na quinta-feira (25/05) houve sucesso no transporte e entrega de suprimentos para o tratamento de 10.000 pacientes.
Fonte:https://goo.gl/oabjzJ
http://www.emro.who.int/yem/yemen-news/jumbo-jet-lands-in-war-torn-yemen-carrying-67-tonsof-cholera-response-supplies.html

Doença Diarreica Aguda (DDA), Etiópia, África
No último boletim do Programa de Emergência da Saúde da Região Africana foram relatados 556 casos de DDA em 6 regiões da Etiópia durante a SE 20. Desde o início de 2017, um total de 33.631 casos e 780 mortes foram relatados no país, atingindo taxa de letalidade de 2,3%.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255579/1/OEW21-202652017.pdf?ua=1

Meningite, Nigéria, África
Da SE 19 até a 20, foram reportados 523 casos e 43 óbitos de meningite atingindo a taxa de letalidade de 8,2%. Sendo 250 casos novos somente na SE 20. A situação epidemiológica de 2017 no país é preocupante, até 17 de maio de 2017, foram notificados 14.500 casos suspeitos e 1.114 óbitos (taxa de letalidade 8%) em 24 estados. Dos casos relatados, 901 (6,4%) foram testados em laboratório e 423 (46,9%) dos espécimes testados foram confirmados positivos para meningite bacteriana, principalmente Neisseria meningitidis sorogrupo C (73%) entre aqueles que são positivos.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255579/1/OEW21-202652017.pdf?ua=1

Ebola, República Democrática do Congo, África
De acordo com o último relatório de Ebola da Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO) publicado no dia 29 de maio: há 2 casos confirmados, 3 casos prováveis e 14 suspeitos. Os casos confirmados e prováveis foram notificados de Nambwa (dois confirmados e dois prováveis) e Ngayi (um provável). Os casos suspeitos são relatados em quatro áreas (Nambwa, Muma, Ngayi e Ngabatala). O foco atualmente permanece na região de Likati. Os 101 contatos de pessoas que apresentaram sinais e sintomas de Ebola permanece sob observação clínica. Quanto a avaliação de risco, a OMS considera baixo a nível global devido ao afastamento e a dificuldade na acessibilidade da região afetada.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255600/1/EbolaDRC-30052017.pdf?ua=1

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 21, 2017

Febre Amarela, Brasil
No último Informe de Febre Amarela sete estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Tocantins e Goiás). Foram notificados 3.210 casos em 403 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 778 casos e 1.869 foram descartados. Evoluíram a óbito 429 casos (123 descartados e 267 confirmados). Até o momento foram notificadas 3850 epizootias (642 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 25 de maio de 2017, foi de (83,3%) do sexo masculino e (16,7%) feminino, a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,3%. O estado do Rio de Janeiro já soma 79 casos notificados, destes 16 confirmados e 55 descartados. Quanto aos óbitos já foram confirmados 7 casos nos municípios de Casimiro de Abreu, Porciúncula, Maricá, Macaé, Silva Jardim e Santa Maria Madalena. Além dos óbitos, 9 casos de febre amarela silvestre em humanos foram confirmados no estado, sendo 6 casos em Casimiro de Abreu, 1 em São Fidélis, 1 caso em São Pedro da Aldeia (paciente contraiu a doença em viagem à zona rural de Casimiro de Abreu) e 1 em Macaé.
Fonte:INFORME MS – COES Nº 42
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/rj-tem-a-6-morte-causada-por-febre-amarela-confirmada-diz-secretaria-de-saude.ghtml
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/rj-registra-setima-morte-causada-por-febre-amarela.ghtml

Leishmaniose, Espírito Santo, Brasil
Em Povoação, no litoral de Linhares, 14 pessoas foram identificadas com a doença e outros 8 casos estão sendo investigados. Em todo ano passado, 22 casos foram confirmados. Um bloqueio sanitário está sendo feito com dois carros fumacê com inseticida. De acordo com a Vigilância em Saúde, casos pontuais da doença são comuns, porém, houve um aumento de registros devido à proximidade do ser humano em regiões de mata.
Fonte:http://www.gazetaonline.com.br/noticias/norte/2017/03/linhares-tem-14-casos-confirmados-e-8-sob-investigacao-de-leishmaniose-1014037030.html

Esquistossomose, Alagoas, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU), iniciou a investigação de casos em 24 das 69 comunidades quilombolas do estado devido aos novos casos de esquistossomose que estão sendo relatados. Em Santa Luzia do Norte foram 8 casos novos registrados. Localizadas em 16 municípios, essas comunidades, são áreas endêmicas para esquistossomose e muito vulneráveis para várias doenças por deficiência em saneamento básico. Nos últimos 4 anos, 266 pessoas morreram por esquistossomose.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/2017/05/16/sesau-investiga-ocorrencia-da-esquistossomose-em-24-comunidades-quilombolas/

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 19 (SE 19) as unidades sentinelas de SG coletaram 7.755 amostras, destas 5.204 foram processadas e 31,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.017 (61,3%) foram detectados vírus influenza e 644 (38,7%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 74,4% e Influenza B com 20,4%. Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 62,1%. A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2). Foram notificados 756 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,1% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 118 (15,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 8 (6,8%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 12 (10,2%) influenza A não subtipado, 33 (28,0%) por influenza B e 65 (55,1%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 36,4% ,em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/19/Informe%20Epidemiolgico_Influenza%202017-SE-19.pdf http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/19/Informe%20Epidemiolgico_Influenza%202017-SE-19.pdf

Febre do Nilo Ocidental, EUA
Foram detectadas três aves (um peru e 2 corvos) positivas para o vírus do Nilo Ocidental em Michigan, nos Condados de Barry, Kalamazoo e de Saginaw. Este achado pode prever um risco maior para casos humanos no final do verão, e uma disseminação precoce de mosquitos. No ano passado, foram identificados 43 casos graves e três mortes relacionadas ao vírus do Nilo Ocidental em Michigan.
Fonte:http://www.mlive.com/news/saginaw/index.ssf/2017/05/first_cases_of_west_nile_virus.html

Sarampo, Europa
Casos de sarampo continuam a ser relatadas na Europa desde fevereiro de 2016, principalmente na Romênia, apesar de contínuas medidas de resposta que têm sido implementadas. Entre Janeiro de 2016 e 12 de Maio de 2017, a Romênia notificou 5 728 casos, incluindo 26 mortes. Na Áustria​, desde o início de 2017 a 12 de Maio, foram registrados 76 casos. Na República Checa ​a região da Morávia-Silésia relatou 104 casos de sarampo, com 95 confirmados, 14 entre trabalhadores de saúde. Na Itália​, foram registrados 2.395 casos em 18 regiões, destes 197 ocorreram entre trabalhadores de saúde. Em Portugal​, até 16 de Maio, 29 casos foram confirmados (1 evolui a óbito) nas Regiões do Norte (1 caso), Lisboa e Vale do Tejo (20 casos) e Algarve (7 casos).
Fonte:http://ecdc.europa.eu/en/press/news/_layouts/forms/News_DispForm.aspx?ID=1623&List=8db7286c-fe2d-476c-9133-18ff4cb1b568&Source=http%3A%2F%2Fecdc%2Eeuropa%2Eeu%2Fen%2FPages%2Fhome%2Easpx

Ebola, República Democrática do Congo
Atualmente há 2 casos confirmados, 3 casos prováveis e 30 suspeitos no surto localizado na região de Likati, segundo a última atualização da Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO). Não foram relatados novos óbitos além dos 4 informados anteriormente. Foram rastreadas 520 pessoas que tiveram contato com pessoas infectadas, parte delas já completaram o período de observação e 294 seguem sendo acompanhadas. Quanto a avaliação de risco, a OMS considera baixo a nível global devido ao afastamento e inacessibilidade da região afetada.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255565/1/EbolaDRC-24052017.pdf?ua=1

Meningite, África
Surtos de Meningite vêm afetando pelo menos 3 países na África, a República do Níger ​já contabiliza mais de 3 mil casos e 179 mortes desde o ínicio do ano em todo o país, principalmente na parte ocidental. Mais de 350 mil pessoas já foram vacinadas nas áreas mais afetadas. Na Nígéria há informações de 13.400 casos suspeitos e mais de mil óbitos desde novembro de 2016 até 9 de maio, em 23 estados. Na Libéria​, o surto de doença infecciosa que vinha acometendo várias pessoas e que ainda não tinha etiologia estabelecida, foi confirmada para meningite tipo C, segundo a OMS. Treze das 24 amostras analisadas confirmaram Neisseria meningitidis sorotipo C. Além disso, quatro dos cinco casos que manifestaram características clínicas típicas da doença meningocócica foram confirmados.
Fonte:https://www.newsghana.com.gh/meningitis-outbreak-niger-records-3037-and-179-deaths/
http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2017/4/19/Nigeria-Meningite-pais-mata-mais-mil-pessoas,02c60fe5-d070-4bac-9014-1cba2fb308e2.html
http://outbreaknewstoday.com/meningitis-established-cause-liberia-cluster-99790/

Cólera, Moçambique, Iêmen e Sudão
O Ministério da Saúde de Moçambique declarou na última sexta-feira, que a epidemia de cólera no país está controlada, sem casos novos nos últimos 29 dias, e anunciou a desativação dos centros de tratamento da doença. Entre 5 de janeiro e 22 de abril foram registrados 2.131 casos, destes 4 óbitos. Já no Iêmen​, a Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que o número de casos saltou para 35.217 suspeitos desde 27 de abril até 22 de maio, com 361 óbitos confirmados, principalmente nas províncias ocidentais. O número total de casos registrados desde dezembro situa-se em 61 mil. A OMS alerta que o país pode atingir até 300 mil casos em 6 meses e um número de óbitos “extremamente alto”. O país empobrecido foi devastado por uma disputa de poder entre um governo apoiado pela Arábia Saudita e rebeldes aliados com o Irã desde o final de 2014. A violência contínua do Iêmen tem afetado seus centros de saúde que tem mais de metade das instalações médicas não funcionando. Na semana passada, foi declarado estado de emergência de cólera na capital rebelde Sana’a. De acordo com a estimativa da ONU, cerca de 7,6 milhões de pessoas vivem em áreas de risco a exposição de cólera no Iêmen. No leste do Sudão​, a cólera também continua a se espalhar, com mais mortes e infecções relatadas em todo o estado do Nilo Branco, Kordofan do Norte e Sennar. O governador do Nilo Branco, afirmou que 53 pessoas já morreram e 2.755 pessoas em 129 aldeias foram infectadas.
Fonte:http://observador.pt/2017/05/19/governo-mocambicano-diz-que-epidemia-de-colera-esta-controlada/
https://www.reuters.com/article/us-yemen-cholera-idUSKBN18J2QL
http://www.aljazeera.com/news/2017/05/cholera-outbreak-claims-315-lives-yemen-170521142405447.html
http://allafrica.com/stories/201705250418.html

Febre Tifóide, Nova Zelândia e Síria
Foi confirmado um caso em Palmerston North, Nova Zelândia​, por febre tifóide. Acredita-se que a criança, que está internada, tenha ligação familiar com o surto notificado em abril em Auckland, que infectou 18 pessoas e chegou a matar uma mulher. Na província de Aleppo, na Síria​, além da guerra, enfrentam dezenas de casos de febre tifóide notificados diariamente. As causas estão sendo atribuídas ao acesso de água por poços cavados pela própria população pois há falta de água potável por contaminação de solo, esgoto escoando para fontes potáveis e destruição de estações de água pela guerra.
Fonte:http://www.newshub.co.nz/home/health/2017/05/typhoid-confirmed-in-palmerston-north.html
http://syriadirect.org/news/contaminated-well-water-in-al-bab-leads-to-typhoid-outbreak%C2%A0/

Influenza A(H7N9), China
Dezessete novos casos foram confirmados na última semana, totalizando 697 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016, segundo o último relatório de Influenza Aviária da China, até a semana epidemiológica 20.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk20.pdf

Surto de ​Síndrome Hemolítico Urêmica (SHU) na Alemanha (​Artigo científico)
Estudo publicado em 25 de maio, investigou um prolongado surto de Síndrome Hemolítico Urêmica e Gastroenterite causados pela Escherichia coli Shiga toxigênica (STEC) disperso geograficamente entre 10 cidades da Alemanha. Foi contabilizado 30 surtos entre o período de dezembro de 2016 a maio de 2017, com fonte provável de alimentos contaminados de origem bovina e suína. Apesar dos esforços intensivos de autoridades de saúde e segurança alimentar, os pesquisadores apontaram que a fonte da infecção ainda não está bem definida e portanto podem aparecer novos casos e surtos na região.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22805

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 20, 2017

Febre Amarela
No último Informe de Febre Amarela no Brasil sete estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Tocantins e Goiás). Foram notificados 3.192 casos em 398 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 758 casos e 1.812 foram descartados. Evoluíram a óbito 426 casos (120 descartados e 264 confirmados). Até o momento foram notificadas 3660 epizootias (565 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 18 de maio de 2017, foi de (83,6%) do sexo masculino e (16,4%) feminino, a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,8%. O estado do Rio de Janeiro já soma 77 casos notificados, destes 14 confirmados e 55 descartados. Há registro de 5 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula, Maricá, Macaé e Silva Jardim).
Fonte:INFORME MS – COES Nº 41
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Mutação do vírus da Febre Amarela, Brasil
Pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz descobriram que o vírus do mais recente surto de Febre Amarela no Brasil, tem uma seqüência genética que nunca foi encontrada antes. Foram investigadas duas amostras de macacos oriundos do Espírito Santo, mortos no final de fevereiro de 2017. A análise apontou que os microrganismos pertencem ao subtipo genético conhecido como linhagem Sul Americana 1E, que é predominante no país desde 2008. No entanto, a partir da análise da sequência completa do genoma do vírus foi possível constatar a presença de variações que estão associadas a proteínas envolvidas na replicação viral. Não há registro anterior dessas mutações na literatura científica mundial. Segundo Ricardo Lourenço, chefe do Laboratório de Hematozoários e Transmissão de Mosquitos do Instituto Oswaldo Cruz, não se sabe se é o vírus predominante registrado no atual curso do surto. A equipe de cientistas informa, no entanto, que a vacina usada atualmente protege contra diferentes genótipos do vírus, incluindo o sul americano e o africano, e que as alterações detectadas no estudo não tiram a eficácia de quem tomou uma dose.
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/pesquisa-e-inovacao/noticia/2017-05/pesquisadores-da-fiocruz-identificam-oito-mutacoes-no-virus-da
https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/febre-amarela-pesquisadores-divulgam-mutacao-do-virus
http://www1.folha.uol.com.br/internacional/en/scienceandhealth/2017/05/1884442-mutation-of-yellow-fever-virus-may-be-responsible-for-outbreak-in-brazil.shtml

Influenza, Rio Grande do Sul, Brasil
Porto Alegre registrou os dois primeiros óbitos causados por gripe neste ano no Rio Grande do Sul. De acordo com o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), ambos não foram vacinados este ano, pertenciam aos grupos prioritários e apresentavam comorbidades. O Secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, explica que nos dois casos foi confirmada a infecção pelo vírus Influenza A, que é prevenido pela vacina. Outros dados da Secretaria Estadual da Saúde mostram que o Rio Grande do Sul registrou, até a primeira quinzena de maio deste ano, 33 casos de gripe. Os números são bem menores do que na mesma época no ano passado quando se registrou 824 casos e 111 óbitos. Foram aplicadas 1.482.871 doses, o que representa imunização de 47,4% do público alvo.
Fonte:http://www.rs.gov.br/conteudo/258080/rio-grande-do-sul-confirma-duas-primeiras-mortes-porgripe-em-2017

Doença Diarreica, Alagoas, Brasil
O município de Palmeira dos Índios, no Agreste de Alagoas, está enfrentando um surto de diarreia que, só na última semana, foram 617 novos casos. Entre janeiro e maio os registros chegam a 3,1 mil. A chuva é apontada como um dos principais fatores para o surgimento dos novos casos, já que ela carrega as fezes de animais para os mananciais da região. A Superintendência Estadual da Funasa (SUEST/AL) deslocou uma Unidade Móvel de Controle de Qualidade da Água para analisar a água de diversas fontes de abastecimento. A Vigilância em Saúde do município e a Defesa Civil estão atuando nas localidades com maior incidência de casos, realizando a fiscalização dos poços e cisternas e, ainda, distribuindo cloro à população e realizando ações contínuas de educação em saúde.
Fonte:http://www.funasa.gov.br/site/funasa-atua-para-conter-surto-de-doencas-diarreicas-agudas-em-palmeira-dos-indiosal/

Ataques de morcego a humanos, Salvador, Brasil
As ações de combate e controle de morcegos em Salvador foram intensificadas nos últimos dias, após a constatação de aumento no número de casos de ataques do mamífero a seres humanos. A Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB) informou hoje que somente o Hospital Couto Maia, no bairro de Monte Serrat, em Salvador, registrou 40 atendimentos a pessoas feridas por morcegos, desde março deste ano. Do total de atendimentos, 36 eram de moradores da capital baiana e quatro do interior do estado. O primeiro caso resultou na morte de um paciente, que foi atacado por um morcego na zona rural do município de Paramirim, sudoeste da Bahia, e só procurou atendimento 21 dias depois que foi mordido.O caso assustou a população baiana, que tem procurado as unidades de saúde para fazer a profilaxia.
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-05/aumentam-casos-de-ataques-de-morcego-humanos-em-salvador

Ebola, República Democrática do Congo
A Organização Mundial da Saúde continua a monitorar o surto de doença por vírus Ebola (EVD) na Província de Bas-Uele, localizada no nordeste da República Democrática do Congo. Entre 15 e 16 de Maio de 2017, 2 novos casos suspeitos de EVD foram notificados em áreas de saúde (Azande e Nambwa) na zona de saúde de Lakati. Em 16 de Maio, 21 casos suspeitos de EVD, incluindo três mortes (taxa de letalidade de 14,3%). A maioria dos casos apresentava febre, vômitos, diarréia sangüínea e outros sinais e sintomas de sangramento. Os casos foram notificados em quatro áreas de saúde: Nambwa (13 casos e 2 óbitos), Mouma (3 casos e 1 óbito), Ngayi (4 casos) e Azande (1 caso). Desde a declaração do surto, o Escritório Regional da OMS para a África, bem como os outros níveis da OMS, estão proporcionando um alto nível de apoio ao país, a fim de garantir uma resposta eficaz a este evento.
Fonte: https://goo.gl/l8EOgP

Dengue, Peru
A Organização Mundial de Saúde, por meio de seu representante, Raúl Gonzáles, esteve presente na região de Piura, a fim de verificar o trabalho que está sendo feito pelo pessoal de saúde de vários hospitais para controlar a propagação da dengue em área. O representante da OMS acredita que a região enfrenta um surto e uma propagação não controlada. Os registros chegam a média de 400 casos por semana. As autoridades sanitárias confirmaram 19 óbitos e há mais 7 em investigação. O total de registros ultrapassam mais de 15 mil suspeitos com mais de 3 mil deles já confirmados.
Fonte:http://elcomercio.pe/peru/muertes-dengue-aumentan-19-piura-420521 http://larepublica.pe/impresa/sociedad/876178-oms-habla-de-una-epidemia-por-dengue-en-la-region-piura

Cólera, Iêmen (Oriente Médio) e Sudão (África)
A Agência das Nações Unidas para a infância (UNICEF) confirmou um “aumento alarmante” nas mortes relacionadas ao cólera e no aumento do número dos casos no Iêmen. O surto de cólera continua avançando e já matou 209 pessoas nas últimas semanas, registrando 17.200 casos suspeitos em todo o país. O porta-voz da Agência no Iêmen, Mohammed Al-Asaadi, afirmou que estão sendo registrados uns 3.000 novos casos de cólera por dia. Em 11/5, a Organização Mundial da Saúde havia relatado 2752 casos com 51 óbitos desde 27 de abril. No Sudão, assolado pela guerra, o surto de cólera já matou mais de 20 pessoas no estado de Kapoeta, no sudeste do país, que faz fronteira com o norte do Quênia. Segundo as autoridades de saúde, “os casos de cólera estão aumentando diariamente em Kapoeta North County, especialmente quando chove”. Em abril, o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) relatou que 172 pessoas havia morrido em 14 municípios no sul do Sudão desde que o surto inicial foi relatado em junho de 2016.
Fonte:http://english.alarabiya.net/en/News/gulf/2017/05/17/UNICEF-Yemen-cholera-death-toll-mounts-to-209-.html
http://www.emro.who.int/media/news/who-responds-to-resurgent-cholera-in-yemen.html
http://aa.com.tr/en/africa/cholera-continues-to-hit-war-torn-south-sudan/818771

Influenza, China
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 13 de maio deste ano, 23 casos novos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 19° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 19, somou um total de 680 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016. O total de casos conhecidos e 3 confirmados no mundo somam 1486. Sobre a Influenza Sazonal, desde a ativação da vigilância reforçada para infecção grave por influenza em 05 de maio de 2017, um total de 30 casos graves (incluindo 14 óbitos) foram registrados cumulativamente (até 17 de maio): 27 casos em pacientes com idade igual ou superior a 18 anos (incluindo 14 óbitos). Entre eles 15 pacientes tiveram infecção com influenza A (H3N2), 8 com A (H1N1) pdm09, 3 com influenza B e um paciente com influenza A sem identificação de subtipo. Entre os casos, em 5 havia histórico de vacinas, inclusive entre os fatais (2); entre as crianças, 11 casos e 2 óbitos foram relatados.
Fonte: http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk19.pdf http://www.chp.gov.hk/files/pdf/fluexpress_web_week19_18_5_2017_eng.pdf

Artigo científico: Transmissão simultânea de arboviroses pelo Aedes aegypti
Um estudo publicado 19 de maio (hoje) na renomada revista Nature, buscou identificar se o mosquito Ae. aegypti é capazes de transmitir CHIKV, DENV-2 e ZIKV simultaneamente como combinações de dois ou todos os três vírus. Em conclusão, o estudo proporcionou provas de que CHIKV, DENV-2 e ZIKV podem ser co-transmitido pelo mosquito, após a exposição simultânea. O impacto da co-infecção sobre a biologia dos agentes e da saúde humana serão prioridades para futuros estudos. Fonte:https://www.nature.com/articles/ncomms15412#results

Semana Epidemiológica 19, 2017

Febre Amarela
Desde a semana epidemiológica 1 a 17 de 2017, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Suriname relataram casos suspeitos e confirmados de febre amarela. No último Informe de Febre Amarela no Brasil seis estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Tocantins). Foram notificados 3.175 casos em 393 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 756 casos e 1.797 foram descartados. Evoluíram a óbito 421 casos (115 descartados e 259 confirmados). Até o momento foram notificadas 3660 epizootias (474 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 10 de maio de 2017, apresentou a proporção de sexo masculino (83,6%) e Feminino (16,4%), a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,2%. O estado do Rio de Janeiro já soma 77 casos notificados, destes 12 confirmados e 57 descartados. Há registro de 3 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula e Maricá.
Fonte​:​ INFORME MS – COES Nº 40
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Ebola, República Democrática do Congo
Primeiro caso de Ebola é confirmado após o fim do surto de 2014-2015 na África. O caso foi detectado na Província de Bas-Uele, ao Norte do país. Desde 22 de Abril, 9 casos suspeitos foram notificados, entre eles 3 óbitos. Ainda há 6 pessoas hospitalizadas.
Fonte:​http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2017/ebola-drc/en/ http://outbreaknewstoday.com/ebola-confirmed-democratic-republic-congo-94295/

Zika-microcefalia, Brasil e ​Equador
O Ministério da Saúde declara fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência do vírus Zika e sua associação com a microcefalia e outras alterações neurológicas. A medida ocorre devido à queda no número de casos de Zika e microcefalia. Ações de enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti e a assistência às crianças e mães serão mantidas. O Ministério da Saúde do Equador informou hoje três casos confirmados de “malformações congênitas relacionadas com o vírus zika” em recém-nascidos. A partir de 2016 até a semana epidemiológica 16 de 2017, entre as 400 mulheres grávidas com zika, houve 9 casos de transmissão vertical: três com malformações congênitas relacionadas com o vírus, três com diagnóstico inconclusivo e três que não têm malformações.
Fonte:​http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/28347-ministerio-da-sa ude-declara-fim-da-emergencia-nacional-para-zika-e-microcefalia
http://www.efe.com/efe/espana/sociedad/confirmados-en-ecuador-los-primeros-tres-casos-de-malformaci ones-por-el-zika-bebes/10004-3257136

Chikungunya, Peru
No Peru, Centro de Operações de Emergência Nacional (COEN) informou que Piura, tem o maior número de casos de Chikungunya em todo o país. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2017 foram registrados na região 89 casos confirmados e 267 casos suspeitos. Estes números representam mais de metade do total do país, que, até 22 de abril, atingiu 99 confirmados e 556 casos prováveis.
Fonte:​http://elcomercio.pe/sociedad/piura/piura-reporta-mayor-numero-casos-chikunguna-pais-noticia-19 88395?ref=portada_home
https://arynews.tv/en/cases-chikungunya-reported-karachi-hospitals/

Raiva Humana, Bolívia
Na região oriental de Santa Cruz foi registrado o primeiro óbito por raiva humana esse ano. O adolescente teve contato com cães e gatos que teriam contraído raiva. Já foram detectados mais de vinte casos de raiva canina em Santa Cruz esse ano. A campanha de vacinação anual de cães e gatos vai avançar a 14 de maio com mais de 300.000 vacinas para prevenir novos casos.
Fonte:http://www.20minutos.es/noticia/3027035/0/muere-adolecente-bolivia-rabia-humana/

Leishmaniose, Paquistão
Um surto de leishmaniose na região noroeste do Paquistão, Khyber Pakhtunkhwa, levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a realizar um workshop no mês passado em Peshawar para instruir sobre o diagnóstico, tratamento e controle da doença. Desde janeiro de 2014, a região de Khyber Pakhtunkhwa já relatou 22.112 casos de leishmaniose. Também serão organizadas oficinas de formação em outras províncias.
Fonte:​http://outbreaknewstoday.com/pakistan-22000-leishmaniasis-cases-reported-khyber-pakhtunkhwa-s ince-2014/

Sarampo, Portugal
A Direção Geral da Saúde revelou que o número de casos confirmados de sarampo em Portugal subiu para 29, num total de 134 notificações desde 1 de Janeiro de 2017. Destes 29 confirmados, 18 casos são de adultos e 17 casos não eram vacinados.
Fonte:​http://www.sabado.pt/vida/detalhe/-numero-de-casos-confirmados-sobe-para-29

Meningite C, Nigéria
Quase seis meses após os primeiros casos terem sido registrados no estado de Zamfara, o Ministério da Saúde da Nigéria ainda está lutando para combater o pior surto de Meningite C registrado desde 2008 em sete estados do país, com mais de 9.400 casos suspeitos e 839 óbitos. A maioria dos acometidos têm entre 5 e 20 anos. A Organização Humanitária Internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) tem apoiado as autoridades de saúde com vigilância e gestão de casos nas áreas mais afetadas desde fevereiro, quando o surto foi oficialmente declarado. No entanto, a lenta reação do país e uma escassez global de vacinas dificultaram a resposta.
Fonte:​http://www.msf.org/en/article/nigeria-fighting-worst-meningitis-c-outbreak-2008

Meningite C , Libéria
O aglomerado de casos em investigação, anteriormente publicado como doença misteriosa na Libéria, que somou 31 suspeitos e 13 óbitos, iniciou-se no dia 23 de abril associado a um ritual funerário começou a ser desvendado. No dia 8 de maio, a OMS foi informada pelo Ministério da Saúde da Libéria que as amostras de quatro dos pacientes que foram á óbito foram positivas para meningite C (Neisseria meningitidis). A investigação ainda está em curso para determinar se esta bactéria é responsável pelo adoecimento de todas as outras pessoas envolvidas no surto.
Fonte:​http://www.who.int/hac/crises/lbr/update-deaths-liberia/en/

Síndrome Gripal, Brasil
O Ministério da Saúde divulgou a pouca adesão por parte da população na campanha de vacinação de gripe deste ano, iniciada no dia 17 de abril. A cobertura vacinal atinge apenas 27,5% em todo país, portanto é imprescindível a adesão dos grupos prioritários, são eles: crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores que são a novidade deste ano.
Fonte:​http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/28276-apenas- 27-5-do-publico-alvo-se-vacinou-contra-gripe-ate-o-momento

Síndrome Gripal, Manaus, Brasil
Manaus está vivendo um surto de gripe e as complicações podem ser a causa das mortes, registradas em abril, de 10 crianças menores de 5 anos de idade. Medidas preventivas já foram reforçadas nas unidades de saúde e a rede hospitalar está orientada a dar atendimento prioritário a pacientes com os sintomas da Síndrome Respiratória Aguda Grave e colher material biológico. Das crianças que vieram a óbito, infelizmente não foi colhido material biológico, porém no mesmo período foram colhidos de outras crianças internadas e os resultados identificaram vírus Sincicial Respiratório e o Influenza B.
Fonte:​http://radioagencianacional.ebc.com.br/geral/audio/2017-05/surto-de-gripe-em-manaus-jamatou-dez-criancas-menores-de-5-anos

Gripe Aviária – Influenza A(H7N9) caso humano, China e Camboja
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC-traduzido) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 06 de maio deste ano, mais 24 casos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 18° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 18, somou um total de 657 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016. O total de casos conhecidos e 3 confirmados no mundo somam 1463. Em Camboja, Mondulkiri, no último final de semana foi registrado um surto de gripe com 211 casos de moradores da aldeia de Norng Buor, de Mondulkirique, quase metade da população local. Autoridades de saúde atribuem a propagação do surto à falta de higiene da população. Além do tratamento médico na aldeia, ações de educação em saúde e higiene foram oferecidas aos moradores da região.
Fonte:​http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk18.pdf http://www.phnompenhpost.com/national/flu-outbreak-afflicts-mondulkiri-village

Gripe Aviária – Influenza A(H7N3), México
O México informou um surto de H7N3, de alta patogenicidade, da gripe aviária em uma fazenda comercial no estado de Jalisco. A fazenda, localizada na cidade de Tepatitlán de Morelos, está sob quarentena e as aves foram enviadas para serem sacrificadas perto do local, disse que a OIE. O país latino-americano, grande exportador de carne de frango, relatou um surto de H7N3 em junho de 2012, que levou mais de seis milhões de galinhas a serem abatidas.
Fonte:http://www.aviculturaindustrial.com.br/imprensa/mexico-informa-surto-de-gripe-aviaria-h7 n3-de-alta-patogenicidade/20170505-162005-X837

Influenza A(H3N2v) caso humano, Texas, EUA
De acordo com relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a variação do vírus influenza A (H3N2) conhecido como A (H3N2v), teve o primeiro caso humano detectado do ano 2017 dos nos EUA. A primeira identificação do vírus no EUA foi detectado em agosto de 2011. Em análise temporal de 2011 até abril de 2017, foi contabilizado 1 óbito em 2012, 21 hospitalização sendo 16 no ano de 2012. Esse novo caso infectado de 2017 relatou contato com suínos em um evento agrícola na semana anterior ao início dos sintomas.
Fonte:​http://outbreaknewstoday.com/texas-reports-novel-h3n2v-case-contact-swine-reported-58505/
https://www.cdc.gov/flu/swineflu/h3n2v-case-count.htm

Cólera, Iêmem e Sudão
Entre 27 de abril e 7 maio, a Organização Mundial da Saúde relatou 2.022 casos suspeitos e 34 óbitos de cólera no Iêmen, em 9 de suas províncias. Desde outubro de 2016, com cerca de 26 mil pessoas afetadas. Em 39 amostras de fezes o resultado foi positivo para cólera. A taxa de mortalidade desta epidemia está atualmente em 1,65%, segundo a mesma fonte, uma cifra bastante alta dado que a ONU considera 1% o limite do que é considerada uma emergência. O representante da OMS diz que dados são alarmantes e que o Iêmem passa pela reativação da doença. A guerra tem trazido enorme impacto sobre a infra-estrutura, eletricidade, estações de bombeamento que repercutem na qualidade da água. Mais de 8 milhões de pessoas não têm acesso a água potável. Em relação às unidades de saúde, a OMS afirma que menos de 45% estão funcionando com quase 300 deles danificados ou destruídos pela guerra. No sul do Sudão, em Ayod, região do Alto Nilo, trabalhadores humanitários das Nações Unidas estão respondendo a um crescente surto de cólera. A agência da ONU iniciou suas ações depois que 140 casos suspeitos de cólera foram relatados em Ayod durante as primeiras semanas de abril, ameaçando a população de cerca de 175 mil pessoas. O acesso a Ayod é difícil durante a estação das chuvas e a sua proximidade com o rio Nilo aumenta sua vulnerabilidade aos surtos de doenças transmitidas pela água, como a cólera. De acordo com a Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde do Sul do Sudão, desde que o surto de cólera foi declarado em junho de 2016, mais de 7.200 casos de cólera foram relatados, incluindo 229 mortes.
Fonte:​http://uk.reuters.com/article/us-yemen-security-cholera-idUKKBN1841CT http://www.bbc.com/news/world-middle-east-39856642
https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/epidemia-de-colera-no-iemen-causou-34-mortes-em-11-diasdiz-oms,439ee410359961e6a6672c023bf2546bwupnj3lg.html http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=56720#.WRRrlZLyvIW

Parotidite, Curitiba, Brasil
A Secretaria Municipal de Curitiba está em alerta para o número alto de casos de caxumba no início do ano. A doença costuma ter picos maiores no inverno e na primavera, e não no outono. Segundo dados da secretaria, durante todo o ano passado foram 4.500 casos. Nesse ano, já foram registrados 1.542 casos só na rede pública de saúde. Por ser um agravo em que a notificação individual não é obrigatória, é possível que esse número ainda seja maior.
Fonte:​http://www.bemparana.com.br/noticia/501370/numero-de-casos-de-caxumba-em-curitiba-deixa-sec retaria-de-saude-em-alerta

Hepatite A, Portugal
Em Portugal há 242 casos registrados desde o início do ano. Segundo informações do Programa das Hepatites Virais da Direção Geral da Saúde, 93% dos casos foram de homens e 57% por contaminação via sexual.
Fonte:​http://www.dn.pt/portugal/interior/portugal-com-242-casos-de-hepatite-7589534.html

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 18, 2017

Febre Amarela:
Desde a semana epidemiológica 1 a 17 de 2017, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Suriname relataram casos suspeitos e confirmados de febre amarela.
No último Informe de Febre Amarela no Brasil seis estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Tocantins). Foram notificados 3.140 casos em 386 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 729 casos e 1.748 foram descartados. Evoluíram a óbito 410 casos (116 descartados e 249 confirmados). Até o momento foram notificadas 3660 epizootias (474 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 04 de maio de 2017, apresentou a proporção de sexo masculino (84%) e Feminino (16%), a  taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,2%.
O estado do Rio de Janeiro já soma 77 casos notificados, destes 11 confirmados e 57 descartados. Há registro de 3 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula e Maricá).
Fonte: INFORME MS – COES Nº 39
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ
http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_topics&view=article&id=69&Itemid=40784&lang=pt

Malária, Angola
Nos últimos 12 meses, mais de 4 milhões de casos de malária com 15 mil óbitos foram registrados em 18 províncias do país. A malária continua sendo a maior causa de morbidade e mortalidade no país, afetando mais as crianças menores de cinco anos e as mulheres grávidas.
Fonte: http://reliefweb.int/report/angola/cunene-angola-registers-four-million-cases-malaria-twelve-months

Leptospirose, América e Ásia
Na República Dominicana, desde o início de 2017 até 1º de abril, pelo menos 20 pessoas morreram entre os mais de 200 notificados para leptospirose.
Nas Filipinas, nos primeiros três meses de 2017, o número de notificações aumentou 67,7% em relação ao período de 2016. Até 25 de março, foram 337 casos registrados incluindo 30 mortes. Durante o mesmo período em 2016, foram 201 casos.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/leptospirosis-cases-68-percent-philippines-2017/
http://almomento.net/reportan-al-menos-20-muertes-por-leptospirosis-este-ano-en-r-dominicana/311049

Microcefalia por Zika, Honduras
O Ministério da Saúde de Honduras relata que, em nove meses, 200 crianças nasceram com microcefalia por consequência da infecção por Zika. Anteriormente a epidemia, 45 casos de microcefalia eram registrados por ano. As autoridades de saúde relataram 16.500 casos de Zika em 2016 para 155 casos esse ano, assim, projeta-se que no final do ano podem nascer de 175 a 200 crianças com microcefalia em Honduras.
Fonte:http://spanish.china.org.cn/international/txt/2017-05/01/content_40723395.htm

Vírus respiratórios, Brasil
No Brasil, segundo o último informe epidemiológico do Ministério da Saúde, até a semana epidemiológica 17, 1.283 amostras apresentaram resultado positivo para vírus respiratórios, das quais 777(60,6%) foram positivos para influenza e 507 (39,5%) para outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Houve predomínio 74,8% do vírus Influenza A (H3N2) com 43 óbitos . Entre os outros vírus respiratórios observou-se maior circulação 57% de vírus sincicial respiratório (VSR).
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/04/Informe_Epidemiolgico_Influenza-2017-SE-17.pdf

H7N9, China
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 21 de abril deste ano, mais 28 casos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 17° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 17, somou um total de 633 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016. O total de casos conhecidos e confirmados no mundo somam 1439. Após a data de publicação do 17º Relatório (SE 17), mais 15 casos novos foram relatados em distintas províncias na China.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/01-may-2017-ah7n9-china/en/
http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk17.pdf
http://www.flu.org.cn/en/news-19357.html
http://www.hebwst.gov.cn/index.do?id=367416&templet=content&cid=326
http://www.flu.org.cn/en/news-19358.html
http://www.flu.org.cn/en/news-19350.html
http://www.flu.org.cn/en/news_detail?action=ql&uid=&pd=&newsId=19317

Coronavírus (MERS-CoV), Mundo
Com base na situação atual e as informações disponíveis, a OMS divulgou a tendência temporal em gráfico¹ e a distribuição espacial em mapa temático² dos casos confirmados de MERS-CoV pelo mundo, compreendido pelo período de janeiro de 2012 até 28 de abril de 2017. Neste período, a OMS foi notificada de 1.952 casos confirmados em laboratório da infecção com MERS-CoV, sendo 693 óbitos e um total de 27 países com o vírus circulante.


Fonte:​ http://www.who.int/emergencies/mers-cov/epicurve-28-april-2017.png
http://www.who.int/emergencies/mers-cov/en/

Dengue, Peru
De acordo com o Departamento de Epidemiologia do Ministério da Saúde, na cidade de Piura, há mais de 1500 casos confirmados, 10 óbitos e outros 7.249 prováveis de dengue. As áreas com maior presença de dengue são Castilla, Veintiséis de Octubre, Sullana, Talara e Sechura.
Fonte:http://elcomercio.pe/sociedad/piura/piura-ascienden-10-victimas-mortales-dengue-noticia-1988426?flsm=1
http://www.dge.gob.pe/portal/docs/vigilancia/boletines/2017/15.pdf

Hepatites, Mundo
Novos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que cerca de 325 milhões de pessoas no mundo vivem com infecção crônica pelo vírus da hepatite B (VHB) ou pelo vírus da hepatite C (VHC). O Relatório Global sobre Hepatites de 2017 indica que a grande maioria dessas pessoas não têm acesso a testes e tratamentos que podem salvar vidas. Assim, milhões de pessoas estão em risco de uma lenta progressão para doença hepática crônica, câncer e morte. A Estratégia Global do Setor da Saúde da OMS sobre as hepatites virais tem o objetivo de testar 90% e tratar 80% das pessoas com hepatites B e C até 2030.
Fonte:http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5404:novos-dados-sobre-hepatites-destacam-necessidade-de-uma-resposta-global-urgente&Itemid=816
http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255016/1/9789241565455-eng.pdf

Antraz, Zimbabwe, África
A autoridade de Parques e Vida Selvagem de Zimbabwe (Zimparks) implantou equipes de guardas florestais para ajudar no monitoramento e contenção do surto de antraz. O monitoramento também tem sido estratégico para evitar que pessoas utilizem as carcaças de animais mortos para consumo. Até agora, o surto já matou 17 hipopótamos além de uma pessoa. Na última semana, peixes têm sido encontrados mortos no rio Mlibizi, mesma região dos óbitos dos hipopótamos.
Fonte:http://www.chronicle.co.zw/rangers-deployed-to-help-contain-anthrax/

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 17, 2017

Febre Amarela
Desde a semana epidemiológica 1 até a 16 de 2017, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Suriname relataram suspeita e confirmação de Febre Amarela. No Peru, até a SE 15 de 2017, 14 casos confirmados e outros casos prováveis foram relatados, incluindo dois óbitos. No último Informe de Febre Amarela no Brasil, seis estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Tocantins) e 123 municípios. Foram notificados 3131 casos, destes foram confirmados laboratorialmente 715 casos e 1589 foram descartados. Evoluíram a óbito 392 casos (113 descartados e 240 confirmados). Até o momento foram notificadas 3467 epizootias (474 confirmadas e 88 descartadas). O estado do Rio de Janeiro já soma 76 casos notificados, destes 11 confirmados e 41 descartados. Há registro de 3 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula e Maricá). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 a 65 anos (n= 9), 82% do total. Todos do sexo masculino.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/28/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME-38.pdf
http://www.febreamarelarj.com.br/site/arq/Boletim-Epidemiologico-Febre-Amarela-27-04-2017.pdf
http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=39639&lang=en

Hantavirose, Chile
Outro caso suspeito de Hantavirose foi registrado na região de Los Lagos, Chile. O número de infectados chega a 9 casos. Em Concepción, uma mulher foi a óbito entre as 10 pessoas admitidas com hantavírus no Hospital Regional.
Fonte:http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-los-lagos/2017/04/23/autoridades-descartancaso-sospechoso-por-virus-hanta-en-region-de-los-lagos.shtml
http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-del-bio-bio/2017/04/25/mujer-de-29-anos-muere-trascontagio-de-virus-hanta-en-la-region-del-bio-bio.shtml

Sarampo, Europa
Os casos de sarampo já chegam a mais de 7500 na Europa. A Romênia é o país com o maior surto registrado da Europa. Desde janeiro de 2016, soma quase 5 mil casos e 22 dos 25 óbitos registrados na Europa. Em Portugal já foram notificados mais de 40 casos de sarampo, dos quais 21 estão confirmados. Nos primeiros quatro meses do ano houve mais casos de sarampo em Portugal do que na última década anterior. Um balanço do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) demonstra estabilização no número de casos devido às taxas de vacinação. 2 De acordo com o ECDC, já foram reportados casos de sarampo na Áustria, Bélgica, Bulgária, República Checa, Dinamarca, França, Alemanha, Hungria, Islândia, Itália, Portugal, Espanha, Suécia, Suíça e Romênia.
Fonte: http://www.dn.pt/sociedade/interior/dezoito-paises-europeus-com-transmissao-endemica-desarampo-6239248.html
https://www.publico.pt/2017/04/23/sociedade/noticia/casos-de-sarampo-na-europa-ja-ultrapassam-os-%207500-1769767

Cólera, África
Na Somália, desde início de janeiro, mais de 500 pessoas já morreram por cólera. A agência de saúde da ONU diz que a epidemia deixou mais de 25.000 pessoas doentes, alertando que o número provavelmente dobrará até o final de junho. No Sudão do Sul morreram mais de 170 pessoas em 14 municípios dentre os mais de 6000 casos relatados desde junho do ano passado, início do surto. Novos casos continuam a ser registrados e há preocupações de que se intensifique.
Fonte: http://pulse.ng/health/in-somalia-diarrhoea-kills-more-than-500-since-january-id6525791.html
http://pulse.ng/health/cholera-outbreak-kills-172-in-south-sudan-un-id6559399.html

Hepatite E, República do Níger
O Ministério da Saúde do Níger declarou uma epidemia de hepatite E na região de Diffa, onde morreram 25 pessoas entre os 86 casos registrados desde o início de abril. As autoridades bloquearam as estradas que levam à área infectada e estão ajudando os doentes. A situação está agora sob controle, mas a população deve continuar vigilante e a reportar-se ao centro de saúde para tratamento gratuito se eles têm sintomas.
Fonte: http://thegardenisland.com/news/world/niger-declares-hepatitis-e-epidemic-in-diffaregion/article_390166ee-585e-51cc-9e0e-359d87e68022.html http://www.msf.org/en/article/niger-hepatitis-e-outbreak-linked-water-shortages-and-poor-sanitation

Meningite C, Nigéria
A Nigéria está enfrentando um surto de meningite C que tem preocupado as autoridades de saúde diante do crescimento acelerado. Os casos suspeitam chegam a 8 mil e os óbitos já somam 745 pessoas. A maioria dos infectados são crianças e o surto está concentrado no norte/nordeste do país: Zamfara, Sokoto, Katsina, Kebbi e Níger.
Fonte: http://www.prensalatina.com.br/index.php?o=rn&id=7001&SEO=chamado-dramatico-a-deter-osurto-de-meningite-na-nigeria
http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/mundo/internacional/noticia/2017/04/19/epidemia-de-meningite-deixa-mais-de-700-mortos-na-nigeria-279253.php

Malária, República do Burundi, África
O Ministério da Saúde do Burundi declarou, desde março, devido ao aumento do número de casos. Apenas nos primeiros 3 meses de 2017 já foram relatados quase 2 milhões de casos com 869 óbitos. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) emitiram um aviso de viagem ao Buriti recomendando medidas preventivas. O Escritório Regional da OMS para a África (OMS/ AFRO) anunciou que Gana, o Quénia e o Malawi participarão de um programa piloto de implementação coordenado pela OMS que disponibilizará a primeira vacina contra a malária no mundo a partir de 2018. A África tem o maior número de acometidos por malária em todo o mundo. Os esforços globais nos últimos 15 anos conduziram a uma redução de 62% nos óbitos de malária entre 2000 e 2015.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/cdc-travel-notice-issued-burundi-due-malaria-outbreak-55915/
http://www.afro.who.int/en/media-centre/pressreleases/item/9533-ghana-kenya-and-malawi-to-take-partin-who-malaria-vaccine-pilot-programme.html

Vírus respiratórios, Brasil
No Brasil, segundo o informe epidemiológico do Ministério da Saúde, até a semana epidemiológica 16, 1.176 amostras apresentaram resultado positivo para vírus respiratórios, das quais 700 (59,5%) foram positivos para influenza e 477 (40,5%) para outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Houve predomínio 73,9% do vírus Influenza A (H3N2) com 33 óbitos . Entre os outros vírus respiratórios observou-se maior circulação 57,23% de vírus sincicial respiratório (VSR).
Fonte: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/26/Informe-Epidemiologico_Influenza-2017-SE-16.pdf

Influenza A(H7N9), China
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC-traduzido) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 20 de abril deste ano, mais 15 casos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 13° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 16, somou um total de 29 novos casos em humanos, acumulando um total de 616 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/20-april-2017-ah7n9-china/en/
http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk16.pdf”

Coronavírus (MERS-CoV), Oriente Médio
Entre 9 e 11 de Abril de 2017, o Ponto Focal Nacional de Emirados Árabes Unidos (EAU) relatou mais dois casos de MERS-CoV. Desde a semana epidemiológica 1 até a 16 deste ano, são totalizados 59 casos de coronavírus em humanos no Oriente Médio, com letalidade atingindo 37,29% (22 óbitos). A maior incidência de casos foi em pessoas do sexo masculino (69,49%), com idade entre 40 e 88 anos (81,36%), residentes da Arábia Saudita (94,9%)*.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/24-april-2017-mers-uae/en/
*Análise feita por meio dos dados disponíveis na planilha da OMS (MERS-CoV cases reported between 9 April and 11 April 2017)

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 15 e 16, 2017

Febre Amarela
No último Informe de Febre Amarela no Brasil cinco estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Pará). Foram notificados 2422 casos em 359 municípios, destes evoluíram a óbito 326 casos (53 descartados e 209 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 623 casos e 1128 foram descartados. Até o momento foram notificadas 2949 epizootias (473 confirmadas e 82 descartadas). O estado do Rio de Janeiro já soma 64 casos notificados, destes 10 confirmados e 32 descartados. Há registro de 3 óbitos, sendo 2 confirmados (Casimiro de Abreu e Porciúncula). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 a 65 anos (n= 8) 80% do total. Todos do sexo masculino.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/13/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME-36-Atualizacao-em-12abril2017.pdf

Zika, Microcefalia, Brasil
Nos primeiros meses de 2017, o Brasil registrou pelo menos 165 casos de bebês com microcefalia relacionada ao vírus Zika, mais de 540 notificações ainda a serem confirmadas. Além disso, 14 mortes fetais ou neonatais e 16 quadros de abortos espontâneos, malformações e problemas no sistema nervoso estão sendo relacionadas ao vírus. Desde 2015, quando o Brasil declarou uma emergência de saúde, 2.205 casos de microcefalia e 259 óbitos foram confirmados.
Fonte:https://es-us.noticias.yahoo.com/brasil-registr%C3%B3-165-casos-microcefalia-zika-trimestre-2017-154400884.html 

Dengue, MG, Brasil
O estado de Minas Gerais registrou mais de 19 mil e 700 casos prováveis de dengue só este ano. Desses, um caso veio a óbito e outros dezessete seguem em investigação. Atualmente, 29 municípios estão em situação de risco para ocorrência de surto e 78 estão em situação de alerta.
Fonte: http://hojeemdia.com.br/horizontes/minas-tem-mais-de-19-mil-casos-de-dengue-29-cidades-estão-em-situação-de-risco-para-surto-1.457943

Influenza, Paraná, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde confirmou a primeira morte por gripe no Paraná em 2017. A vítima tinha 79 anos, morava em Maringá e faleceu no mês de fevereiro em decorrência da Influenza B. Até março, foram registrados 12 casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves, sendo oito de Influenza H3, três de Influenza B e um de H1N1. A campanha de vacinação contra a gripe na rede pública de saúde do Paraná começou no dia 17 de abril e vai até 26 de maio.
Fonte: http://paranaportal.uol.com.br/cidades/parana-registra-primeira-morte-por-gripe-em-2017/

Vírus Sincicial Respiratório (VRS), SP, Brasil
Casos graves de complicações respiratórias em crianças, decorrentes do Vírus Sincicial Respiratório (VRS), cresceram nas últimas semanas em hospitais privados em São Paulo. O VSR é o maior responsável por bronqueolite em menores de 2 anos.
Fonte: http://www.reportersaopaulo.com.br/casos-graves-de-virus-respiratorio-em-criancas-aumentam-em-hospitais-de-sp/
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/04/1875247-virus-potente-atinge-criancas-e-cria-fila-de-ate-24-h-para-leito-particular-em-sp.shtml.shtml

Hantavirose, Chile
Foi registrado o nono caso de infecção com o vírus Hanta na região de Los Lagos. O paciente de 19 anos foi transferido para Santiago e está, em condição grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O treinamento para os funcionários têm sido intensificado e os testes rápidos estão disponíveis em diferentes centros de saúde de baixa complexidade da rede de cuidados de saúde e o sistema de referência é em Santiago, que é bastante rápido.
Fonte:http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-la-araucania/2017/04/06/noveno-caso-de-virus-hanta-en-region-de-los-lagos-en-2017-afectado-es-un-joven-de-19-anos.shtml

Caxumba, Estado de Washington, EUA
O número de casos de caxumba tem aumentado, com pelo menos 367 pessoas diagnosticadas ou suspeitas de ter a doença, de acordo com o Departamento de Saúde do Estado de Washington. A maioria dos infectados são crianças em idade escolar e 87% delas já vacinadas.
Fonte: http://abcnews.go.com/Health/mumps-outbreak-reaches-367-cases-washington-state-numbers/story?id=45320986

Hepatite A, Europa e EUA
Atualmente, Portugal soma 138 casos de hepatite A diagnosticados de um surto que está ainda longe de se considerar controlado. O surto está afetando, também, a Espanha. Representantes de saúde dos dois países têm acompanhado e analisado a situação. Estratégias de vacinação estão sendo definidas.
Na Califórnia, EUA, 2 pessoas morreram de hepatite A e 36 pessoas foram hospitalizadas. Em 29 desses casos têm história de abuso de substâncias e 27 são desabrigados. Cinco pessoas ficaram doentes com hepatite A depois de viajar para fora dos Estados Unidos. Não foram identificadas fontes comuns de infecção e as investigações estão ainda em curso. O surto atual já conta com 42 casos, acima dos números já registrados nos últimos anos que compreendeu entre 15 a 40 casos/ ano entre 2011 a 2015.
Fonte:https://www.msn.com/pt-pt/noticias/portugal/portugal-tem-138-casos-de-hepatite-a-e-surto-est%C3%A1-longe-de-ser-controlado-dgs/ar-BBzlviF
http://www.nbcsandiego.com/news/local/2-Hepatitis-Deaths-Reported-Virus-on-the-Rise-in-San-Diego-418660883.html

Sarampo, Europa e África
Portugal já soma 46 casos de sarampo, dos quais 21 são confirmados e 10 excluídos. A maioria dos casos são adultos e crianças acima de 2 anos e se concentram na região de Lisboa e Vale do Tejo. A maioria não está vacinada. Entre os internados, há adultos e crianças com menos de 12 meses. As autoridades de saúde assumem que o nível de alerta é elevado. Foi emitida uma norma com instruções para médicos e enfermeiros para isolarem os doentes e vacinarem os que tiveram contato com eles. Uma adolescente, que estava internada, foi a óbito por uma pneumonia bilateral, como complicação respiratória do sarampo. Na Guiné, em menos de um ano após o fim oficial da epidemia de Ébola, o sistema de saúde registra um aumento significativo de casos de sarampo. Desde o início do ano foram mais de 3400 casos confirmados e 14 óbitos na Guiné. Conakry e Nzérékoré são os distritos mais afetados. A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está lançando uma campanha de vacinação contra o sarampo em grande escala em Conakry, em conjunto com o Ministério da Saúde da Guiné. A vacinação de rotina na Guiné foi drasticamente reduzida durante a epidemia de Ebola 2014/15, o que deixou milhares de crianças pequenas desprotegidas contra doenças facilmente evitáveis.
Fonte:http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-04-19-Maioria-dos-doentes-com-sarampo-tem-mais-de-20-anos
https://www.rtp.pt/noticias/pais/confirmados-mais-quatro-casos-de-sarampo-em-portugal_v995380
https://www.rtp.pt/noticias/pais/morreu-adolescente-internada-com-sarampo-em-lisboa_n996167
http://reliefweb.int/report/guinea/guinea-battling-large-scale-measles-epidemic

Norovírus, cepa incomum, França
Um aumento precoce dos surtos de gastroenterite por norovírus foi observado pelo Centro Nacional de Referência Francês durante a temporada de inverno. Da semana 40 de 2016 à semana 3 de 2017, 350 amostras de fezes correspondentes a 114 surtos de gastroenterite foram investigadas e destes 87 surtos foram positivos para norovírus. Este incremento foi associado à co-circulação incomum de três cepas de norovírus, incluindo duas estirpes recombinantes emergentes nunca antes detectadas na França.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22768

Meningite, Nigéria (atualização)
Pelo menos cerca de 500 pessoas morreram nos últimos 5 meses em decorrência da epidemia de Meningite que acomete 20 estados da Nigéria. A epidemia já atingiu mais de 2500 pessoas. As autoridades nigerianas esperam cerda de 820 mil doses de vacinas provenientes da Grã-Bretanha para continuar a campanha lançada no início de abril. O Estado de Zamfara (norte) é o mais afetado pela epidemia acumulando cerca de 70% do total dos casos. Cerca de 3 milhões de doses de vacinas seriam necessárias para a população deste estado. O número de óbitos por Meningite Espinhal de Cerebral (CSM) no estado do Níger chega a 33, dos 116 casos suspeitos registrados. Entre os óbitos, 9 foram por meningite tipo C e 24 morreram do tipo 4 A e B. Logo após a primeira morte, o estado iniciou uma campanha de sensibilização e conscientização para educar as pessoas sobre medidas preventivas e, assim, a incidência está diminuindo.
Fonte:http://www.nigeriatoday.ng/2017/04/meningitis-kills-33-in-niger/
http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2017/3/15/Nigeria-Epidemia-meningite-mata-500-pessoas-Estados-Pais,a59fe4ba-724e-4a58-9879-49f05a63f082.html

Cólera, Somália
Um surto de cólera em regiões da Somália já matou mais de 85 pessoas. Em Somaliland foram 28 óbitos nos últimos dez dias e 167 outras hospitalizadas. Em Puntland mais de 1.600 casos de cólera e 57 mortes foram registrados desde janeiro.
Fonte: http://www.newtimes.co.rw/section/article/2017-04-14/210661/

Raiva, Angola
A raiva matou nove dos dez pacientes que se encontravam internados no Hospital Provincial do Zaire em março. A situação é considerada alarmante e preocupa as autoridades sanitárias locais, que enfrentam a falta de vacinas contra a doença. Diante da situação, cerca de 1700 animais estão sendo vacinados.
Fonte: https://www.abola.pt/africa/ver.aspx?id=665912

Enterovírus, Taiwan
O Departamento de Saúde da cidade de Taipei alertou para um surto de enterovírus. Em Taiwan, esses surtos acontecem, aproximadamente, a cada 3 a 4 anos. Em 2005 houve 142 casos com complicações graves, em 2008 foram 373 e 2012 foram 152 casos relatados. Somente na semana passada, 419 pessoas foram atendidas em emergência, registrando um aumento de 70% do que o número médio das ultimas semanas de 2017.
Fonte: http://www.taiwannews.com.tw/en/news/3142634

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 14, 2017

Febre Amarela
A Organização Mundial da Saúde incluiu 88 novos municípios brasileiros como áreas com recomendação de vacina contra febre amarela, incluindo as cidades do Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), Salvador (BA) e a área urbana de Campinas (SP). Com isso, todo o Estado do Rio de Janeiro, passa a ser área com recomendação de vacina contra a febre amarela. O Ministério da Saúde passa a adotar dose única da vacina contra a febre amarela para as áreas com recomendação de vacinação em todo o país. A medida é válida a partir deste mês de abril e está de acordo com orientação da OMS. No último Informe de Febre Amarela no Brasil cinco estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro e Pará). Foram notificados 1987 casos em 330 municípios, destes evoluíram a óbito 282 casos (43 descartados e 190 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 586 casos e 951 foram descartados. Até o momento foram notificadas 2.712 epizootias (466 confirmadas e 74 descartadas). O estado do Rio de Janeiro já soma 64 casos notificados, destes 10 confirmados e 21 descartados. Há registro de 2 óbitos confirmados (Casimiro de Abreu e Porciúncula). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 a 65 anos (n= 8) 80% do total. Todos do sexo masculino.
Fonte:https://goo.gl/iztXJL
http://oglobo.globo.com/rio/descartada-febre-amarela-em-paciente-internada-em-duque-de-caxias-21167000
http://u.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/28003-febre-amarela-brasil-adota-dose-unica-da-vacina-por-recomendacao-da-oms

Parotidite, Vitória/ES, Brasil
Desde julho do ano passado, somente nas unidades de saúde e pronto-atendimentos da rede municipal, foram registradas mais de 1100 notificações, entre surtos e casos isolados. Para evitar que o vírus da caxumba seja disseminado, a Secretaria Municipal de Saúde enviou uma nota técnica para as instituições de ensino públicas e particulares com orientações, já que os casos da doença podem aumentar por conta da aglomeração de pessoas.
Fonte:http://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2017/03/mais-de-mil-casos-de-caxumba-sao-registrados-em-nove-meses-em-vitoria.html

Cólera, Somália
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou hoje que os casos de cólera e doenças diarreicas agudas detectado na Somália durante os primeiros três meses de 2017 ascendeu a 18.400 contra 15.600 registrados em 2016. Os mais afetados por estas doenças intestinais são crianças. A cepa atual da doença é inusitadamente mortal, matando cerca de 1 em 45 pacientes.
Fonte:https://es-us.noticias.yahoo.com/unicef-alerta-registrado-casos-c%C3%B3lera-somalia-2016-114900477.html
http://www.sabc.co.za/news/a/cea05100409fb37b8021f3ae345a5fb2/Cholera-spreads-in-faminethreatened-Somalia-20170401

Febre Tifóide, África e Nova Zelândia
Em Zimbabué, ocorreu mais 1 óbito por febre tifoide e quase 100 pessoas ficaram doentes em apenas uma semana. O Ministério da Saúde diz que pelo menos 10 pessoas morreram e mais de 1.800 foram infectadas com a doença desde que o surto começou em outubro do ano passado. O Serviço Regional de Saúde de Auckland da Nova Zelândia confirmou ontem que um surto da doença havia levado 10 pessoas a serem internadas. Fonte:http://www.newstalkzb.co.nz/news/health/outbreak-of-rare-disaease-strikes-auckland/
http://ewn.co.za/2017/03/30/zimbabwe-another-typhoid-death-reported

Febre de Lassa, Nigéria
Oito pessoas morreram de suspeita de febre de Lassa na aldeia Taka-Lafiya (Kano). A doença foi detectada na aldeia cerca de três semanas atrás, após a misteriosa morte de quatro pessoas. Outro caso foi detectado na comunidade de Angwan Kura (Lakoja, Kogi). O paciente tem histórico de viagem a cidade de Illorin (Kwara), onde permaneceu por 2 semanas e somente dois dias após o seu retorno é que desenvolveu sinais e sintomas, deixando incerta a origem da sua contaminação.
Fonte:http://ewn.co.za/2017/03/30/zimbabwe-another-typhoid-death-reported
https://www.dailytrust.com.ng/news/health/kogi-confirms-lone-lassa-fever-case/191788.html

Meningite, Nigéria
Surto de Meningite Meningocócica se propaga em 5 estados do Noroeste e Norte (Zamfara, Katsina, Kebbi, Níger e Sokoto), no período de Dezembro de 2016 a 03 de Abril, 2.997 casos foram notificados, destes 336 evoluíram a óbito. Em 83% das amostras testadas foi encontrada a Neisseria Meningitidis sorotipo C. Na tentativa de combater a ameaça de propagação da doença o Grupo Internacional de Coordenação para a Provisão de Vacinas (ICG) concedeu 500.000 doses de vacina.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/nigeria-meningitis-outbreak-update-3000-cases-336-deaths-16048/

Sarampo, África
Surtos dispersos pelo continente africano são relatados em Guiné, com o maior número de casos até o momento (3468 já confirmados e 14 óbitos), sendo os distritos de Conakry e Nzérékoré os mais afetados; Somália onde foram detectados aproximadamente 40 casos em 10 dias, principalmente em crianças provenientes das áreas rurais afetadas pela seca de Buhodle, na região de Togdheer, ao norte do país; Nigéria com a confirmação de 15 casos no estado de Nasarawa; e África do Sul que registrou, até o momento 29 casos em 3 localidades (Joanesburgo, Rustenburg e Cabo Ocidental) somente neste ano.
Fonte:http://reliefweb.int/report/guinea/guinea-battling-large-scale-measles-epidemic https://radioergo.org/en/blog.php?article_id=2806 https://www.informationng.com/2017/04/nasarawa-5-cases-measles-detected.html
http://outbreaknewstoday.com/johannesburg-six-confirmed-measles-cases-reported-23486/

Antraz, Austrália e Filipinas
Foi confirmado outro caso de antraz na Austrália, e com isso a quinta propriedade na região de Swan Hill a ser infectada. Desde o início do surto, há um mês, 28 mortes de ovinos já foram notificadas na região. Destas, 20 já foram confirmadas laboratorialmente e as outras 8 amostras ainda estão em análise. O antraz é tratado seriamente na Austrália devido ao seu risco para a saúde humana e animal, mercados de exportação e produtividade agrícola. Nas Filipinas, Lagangilang, na Região Administrativa da Cordilheira (DoH-CAR) identificou 53 casos de antraz. As vítimas são predominantemente de sexo masculino, com mediana de 18 anos de idade.
Fonte:http://www.weeklytimesnow.com.au/agribusiness/sheep/anthrax-outbreak-spreads-to-fifth-victorianproperty/news-story/71b7e11b8f4a1eabf12dc467b6b9f034 http://www.abc.net.au/news/2017-04-04/anthrax-kills-25-sheep-on-fifth-farm-in-north-westvictoria/8413766
http://tempo.com.ph/2017/04/06/anthrax-in-car/

Raiva Humana, Filipinas
Um menino de 7 anos morreu de raiva na cidade de Mandaue após ser mordido pelo cachorro, não vacinado, do seu vizinho. Os registros do Departamento de Saúde local revelam que, todo ano, morrem de raiva cerca de 200 a 300 pessoas.
Fonte: http://www.gmanetwork.com/news/story/605563/news/regions/boy-dies-of-rabies-in-mandaue-citynbsp

Chikungunya, Paquistão
A Organização Mundial de Saúde e o Departamento de Saúde de Balochistan confirmaram, em relatório conjunto, a detecção de Chikungunya desde janeiro desde ano. Até meados de março, os números de suspeitos chegam a mais de 400 e a incidência continua aumentando.
Fonte: https://tribune.com.pk/story/1366254/balochistan-coastal-towns-hit-chikungunya/

Monkeypox, Congo
Até 28 de março, 26 casos suspeitos, incluindo 4 mortes (letalidade de 15%), foram relatados desde o início do surto em 21 de janeiro de 2017: Betou (6 casos), Dongou (13 casos, 2 óbitos), Enyelle (4 casos e 1 óbito) e Impfondo (3 casos, 1 óbito). Os roedores são reservatórios suspeitos, assim como macacos e seres humanos. A transmissão se dá por mordedura de animal infectado ou contato com a erupção do animal, sangue ou fluidos corporais, por transmissão de pessoa a pessoa através de contato respiratório ou contato com roupa contaminada. A doença geralmente dura de 2 a 4 semanas e não há tratamento específico. O caso índice deste surto pode ter sido em Manfouété, distrito de Dongou (cidade isolada com uma rede de comunicação limitada, transporte rodoviário, falta de eletricidade, número insuficiente de profissionais de saúde treinados e baixa cobertura de serviços de saúde). O elevado movimento populacional representa um risco elevado de propagação do surto para outras províncias do Congo e dos países vizinhos.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/congo-monkeypox-continues-6-additional-cases-reported-56109/

Influenza (H7N9), China
O número de infecções humanas com a gripe aviária A (H7N9) na quinta onda epidêmica (desde outubro de 2016) é maior do que o número de casos humanos relatados em ondas anteriores. As infecções humanas com o vírus da gripe aviária A (H7N9), contudo, permanecem incomuns. A maioria dos casos humanos está relacionada por contato com aves infectadas ou ambientes contaminados, incluindo mercados de aves vivas. Nos últimos 17 casos notificados, entre 6 e 24 de março, somente um não teve história de exposição de aves.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/05-april-2017-ah7n9-china/en/

Mortalidade por influenza, Europa
Na temporada de inverno 2016/17, o vírus influenza A (H3N2) predominou e circulou amplamente. Os países europeus verificaram níveis de mortalidade aumentados, particularmente em suas populações idosas. De fato, alguns países foram afetados por um clima muito frio em janeiro de 2017, o que pode ter tido um impacto no excesso de mortalidade por todas as causas, e, portanto, nos óbitos atribuíveis à gripe. Neste contexto, com o incremento de pessoas doentes, a procura aos serviços de saúde em muitos países europeus também aumentou no período.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22766

Leishmaniose Cutânea, Camarões
A investigação epidemiológica retrospectiva dos casos anteriormente relatados como uma febre eruptiva cutânea misteriosa evidenciou que tratava-se de Leishmaniose Cutânea. Até Março foram identificados 48 casos, incluindo 17 óbitos, originários de 7 distritos (Bourha, Mokolo, Mogode, Hina, Maroua, Soulede Roua e Mayo-Oulo), mesmas áreas onde a crise humanitária está ocorrendo.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/leishmaniasis-outbreak-reported-cameroon-58045/

Zika, estudo OMS
O vírus zika é o primeiro vírus conhecido por ser transmitido aos seres humanos por meio da picada de um mosquito infectado e de relação sexual com uma pessoa infectada. Ao longo de 2016, a OMS, juntamente com a comunidade global de pesquisa, solidificou evidências de que a transmissão do vírus zika por meio de relação sexual não era apenas possível, mas mais comum do que se supunha. A partir dessa constatação, será realizado um estudo sobre a persistência do vírus zika em fluidos corporais em três cidades brasileiras: Rio de Janeiro, Manaus e Recife.
Fonte:http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5392:estudo-sobre-apersistencia-do-virus-zika-em-fluidos%20corporais&catid=1272:noticiasdtent&Itemid=816

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 13, 2017

Febre Amarela
A Organização Mundial da Saúde (OMS) enviará ao Brasil 3,5 milhões de doses da vacina contra febre amarela pelo Grupo de Coordenação Internacional para Fornecimento de Vacinas para conter o surto da doença no país. O Ministério da Saúde divulgou no último Informe de Febre Amarela no Brasil que cinco estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro e Pará). Foram notificados 1987 casos em 330 municípios, destes evoluíram a óbito 282 casos (24 descartados e 187 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 574 casos e 926 foram descartados. Até o momento foram notificadas 2.712 epizootias (466 confirmadas e 74 descartadas). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 e 65 anos (78,1%), sendo 86% do sexo masculino.
O Estado do Rio de Janeiro registra nove casos confirmados de febre amarela, 07 casos de Casimiro de Abreu, um caso de São Fidelis e um caso de São Pedro da Aldeia (fonte provável de infecção no município de Casemiro de Abreu), o primeiro na Região dos Lagos.
Desde o início do ano, 537.626 pessoas foram vacinadas contra a febre amarela no município do Rio. Dessas, 223.216 receberam a dose no sábado dia 25 de março, dia de mobilização contra a doença.
O Ministério da Saúde irá liberar R$ 19,2 milhões para ações de intensificação da vacinação contra a febre amarela. Os recursos serão repartidos entre Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo.
Fonte: http://www.who.int/csr/disease/yellowfev/vaccination-in-Brazil/en/
http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/marco/31/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME-34.pdf
http://oglobo.globo.com/rio/febre-amarela-sobe-para-nove-numero-de-casos-no-estado-do-rio-21137307
http://prefeitura.rio/web/sms/exibeconteudo?id=6829765
http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-03/governo-libera-r-19-milhoes-para-vacinacao-contra-febre-amarela-em-5-estados

Malária, Petrópolis, RJ
Cinco moradores de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, foram diagnosticados com malária. Os pacientes, homens entre 16 e 54 anos, são moradores dos bairros Independência, Quitandinha, Valparaíso e Siméria. Segundo informações da Prefeitura divulgadas nesta segunda-feira (27), eles foram medicados e seguem em tratamento. Em 2016, dois casos da doença foram registrados.
Fonte:http://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/2017/03/petropolis-rj-registra-cinco-casos-de-malaria.html

Chikungunya, Minas Gerais
Os casos de chikungunya em 2017 já superam em oito vezes os números do ano passado. A Secretaria de Saúde registrou 3.808 casos prováveis da doença no estado e um óbito está sendo investigado. Em Belo Horizonte, 12 casos foram confirmados.
Fonte:http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2017/03/24/interna_gerais,856845/casos-de-chikungunya-em-mg-de-2017-superam-em-oito-vezes-2016.shtml

Salmonela, Brasil
Uma pesquisa publicada na última edição da revista “Infection, Genetics and Evolution” revela um subtipo mais invasivo e mais patogênico de salmonela no Brasil. Até hoje, esse subtipo só havia sido registrado quase que exclusivamente na África Subsaariana. Ao contrário de outros subtipos da Salmonella enterica sorovariedade Typhimirium, que provocam gastroenterite com febre, náuseas, vômitos e diarreia, essa variação consegue quebrar a barreira gastrointestinal e cair na corrente sanguínea.
Fonte:http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/pesquisa-aponta-presenca-de-salmonela-maisinvasiva-e-mais-resistente-no-brasil.ghtml

Influenza, Brasil
A cidade de Corumbá está em alerta devido a um surto de gripe que acomete a população desde o inicio de março. Mais de 4000 atendimentos suspeitos foram registrados antes da chegada do outono, início da temporada onde se observa aumento dos casos.
Em Taubaté (SP) foram registrados 19 casos. Destes, 3 evoluíram a óbito (2 por Influenza B e um por Influenza A H3N2) e outros estão sendo investigados. A Secretaria de Saúde colocou o município em alerta e já identificou 3 vírus circulantes: Influenza A H1N1 (1), Influenza A H3N2 (7) e Influenza B (11), os mais circulantes no país. No estado do Rio de Janeiro 1 óbito por Influenza B foi confirmado em adolescente residente em Barra do Piraí.
Fonte:http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/bom-dia-ms/videos/v/corumba-esta-em-alerta-por-causado-surto-de-gripe/5719475/
http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2017/03/tres-mortes-por-gripe-poem-taubate-emalerta-contra-virus-da-doenca.html
http://g1.globo.com/rj/sul-do-rio-costa-verde/noticia/2017/03/secretaria-de-saude-afirma-que-morte-dejovem-foi-por-gripe-tipo-influenza-b.html

Sarampo, Europa
Um alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi emitido após a notificação de mais de 500 casos em países europeus desde janeiro, comprometendo todo o progresso feito para alcançar sua erradicação no continente. O escritório regional da agência das Nações Unidas acredita que entre as causas dos surtos está a cobertura vacinal abaixo do limiar de 95% necessário para controlar a doença.
Na Romênia os casos continuam a ser relatados apesar da vacinação estar em curso. De setembro/2016 a 17 de Março/2017 já foram reportados 3.799 casos. Na Itália mais de 1000 casos foram registrados, na Alemanha são pelo menos 200 casos e na Bélgica mais de 100. Outros casos estão sendo identificados na França, Espanha, Hungria e Áustria.
Na Itália, o aumento considerável de casos tem preocupado as autoridades de saúde, principalmente pela resistência dos pais à vacina.
Fonte: http://www.phmk.es/oms-advierte-nuevos-brotes-sarampion-europa/
http://outbreaknewstoday.com/europe-measles-update-romania-outbreak-now-3800-cases-92581/
http://istoe.com.br/italia-ja-registra-mais-de-mil-casos-de-sarampo-em-2017/
http://www.euro.who.int/en/media-centre/sections/press-releases/2017/measles-outbreaks-across-europethreaten-progress-towards-elimination

Febre de Lassa, África Ocidental
Surtos de Febre de Lassa foram confirmados em cinco países da África Ocidental (Nigéria, Benin, Serra Leoa, Togo e Burkina Faso). Desde dezembro de 2016, 322 casos suspeitos foram informados, 113 já tiveram a confirmação laboratorial e até o momento 66 evoluíram a óbito. A maior parte dos casos ocorreram na Nigéria (88%), distribuídos em 13 estados: Ogun, Bauchi, Plateau, Ebonyi, Ondo, Edo, Taraba, Nasarawa, Rivers, Kaduna, Gombe, Cross-River e Borno. A Febre de Lassa é endêmica em países da África Ocidental e sua ocorrência é observada anualmente com maior concentração nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/lassa-fever-west-africa-outbreaks-confirmed-5-countries-58633/

Influenza Aviária, Vietnã
Um surto de gripe aviária foi identificado em um rebanho de aves de capoeira na província central de Ha Tinh, mais de 1600 animais foram acometidos. Outras províncias, que também registraram casos, já realizaram o abate sanitário e estão em quarentena. Especialistas alertam que há um alto risco de propagação da doença no Vietnã por nova cepa de vírus, tais como H7N9, H5N2 e H5N8 por meio das vendas, transporte, consumo das aves e outros produtos avícolas.
Fonte: http://www.saigon-gpdaily.com.vn/Health/2017/3/123761/

Raiva Humana, Filipinas
Um surto de raiva foi declarado no município de Cauayan após a morte de duas pessoas, ambas foram mordidas pelos seus próprios animais. Uma campanha de vacinação antirrábica foi iniciada na região para conter a propagação da doença.
Fonte: http://news.abs-cbn.com/news/03/29/17/negros-town-declares-rabies-outbreak

Vírus Zika
Estudo recente, publicado na revista Science, aponta para um possível complicador no desenvolvimento de vacinas para a Febre do Nilo Ocidental, Dengue e Zika. Segundo a pesquisa, realizada em camundongos, a severidade da doença causada pela contaminação por um desses flavivírus é aumentada quando já há anticorpos de infecções anteriores: um efeito conhecido como “antibody-dependent enhancement” (ADE), demonstrado, por exemplo, nas infecções subsequentes por diferentes subtipos do vírus da Dengue.
Fonte: http://www.sciencemag.org/news/2017/03/dengue-may-bring-out-worst-zika

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 12, 2017

Febre Amarela
A OMS alerta para uma possível mudança no ciclo de transmissão da febre amarela neste surto atual devido aos casos confirmados e suspeitos em regiões próximas a grandes áreas urbanas, às confirmações de epizootias. No entanto, até o momento, não foi relatado que o vetor Aedes aegypti (circulante em áreas urbanas) tenha um papel na transmissão. Relatos de epizootias estão sendo investigados nos estados de Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Pará que fazem fronteira com países da América do Sul. Se confirmadas, há grande risco de disseminação do vírus para esses países limítrofes, especialmente em áreas com ecossistemas semelhantes. No Peru já foram notificados 14 casos de febre amarela, dos quais três já foram confirmados, incluindo duas mortes. Dada a atual situação de febre amarela no Brasil e o surgimento de casos em áreas não endêmicas, a Organização Pan-Americana da Saúde e o Escritório Regional da Organização Mundial da Saúde (OPAS / OMS) recomendam esforços para detecção, confirmação oportunas, capacitação dos profissionais e a vacinação para a toda a população das regiões afetadas e dos viajantes para as áreas de risco. A vacina contra a febre amarela é segura e acessível e proporciona imunidade eficaz. De acordo com o Informe Especial Febre Amarela no Brasil, nº01, do Ministério da Saúde, os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Norte, Tocantins, Goiás e Rio de Janeiro possuem casos em investigação ou já confirmados. Foram notificados 1561 casos em 188 municípios destes evoluíram a óbito 264 casos (10 descartados e 144 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 448 casos e 263 foram descartados. Até o momento foram notificadas 1249 epizootias (389 confirmadas e 12 descartadas). No estado do Rio de Janeiro, mais dois casos de febre amarela foram confirmados em Casimiro de Abreu, totalizando 5 casos.
Fonte:http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_topics&view=article&id=69&Itemid=40784&lang=pt
http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/marco/18/Informe-especial-COES-FA.pdf
http://oglobo.globo.com/rio/dois-novos-casos-de-febre-amarela-no-estado-do-rio-sao-confirmados-
21105232

Zika nas Américas e no mundo, 2016
A Organização Mundial da Saúde publicou um resumo da situação da Zika nas Américas. Até a Semana Epidemiológica 44 de 2016, 48 países do território das Américas confirmaram a transmissão autóctone, entre eles Brasil, Colômbia e Argentina. A infecção congênita a partir do vírus Zika foi confirmada em 24 países.
Fonte:http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_content&view=article&id=12390&Itemid=42090 http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=38610

Antraz, Índia e Peru
Novos surtos de Antraz humano têm sido identificados em distintas áreas do planeta. Na Índia foram registrados 2 óbitos e mais 9 casos internados. No Peru, o Serviço Nacional de Sanidade Sanitária alertou para um eventual surto de antraz em humanos, com dois casos confirmados em Piura e ainda há outros 6 em investigação.
Fonte:https://odishatv.in/odisha/body-slider/anthrax-scare-in-bisra-2-dead-9-admitted-to-hospitals-200980/
http://www.newindianexpress.com/states/odisha/2017/mar/19/anthrax-scare-in-bisra-1583087.html
http://larepublica.pe/sociedad/857842-confirman-dos-casos-de-antrax-en-seres-humanos-en-piura

MERS-CoV, Qatar
O Ministério da Saúde Pública (MOPH) anunciou a confirmação de um novo caso de Síndrome Respiratória por Corona Vírus no Médio Oriente (MERS-CoV) em um residente de 62 anos no Qatar, marcando o primeiro caso de MERS-CoV a ser confirmado no país.
Fonte:https://www.moph.gov.qa/news/moph-announces-new-mers-cov-case?backArt=326

Cólera, África
A Cólera parece estar avançando no continente Africano, com relatos de surtos em distintos países. A Somália está enfrentando um surto de cólera em grande escala, com cerca de 11 mil casos e 268 mortes notificadas em 11 regiões desde o início de 2017, o que significa mais da metade do número de casos relatados em 2016. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o governo da Somália lançaram uma campanha de vacinação oral contra o cólera que busca alcançar mais de 450 mil somalis em sete áreas de alto risco no país. O governo de Moçambique também deve introduzir a vacina contra cólera no país. Em Malawi, 11 casos suspeitos de cólera foram registrados no Ndamera Health Center, fronteira com Moçambique. Porém, nenhum paciente mencionou ter tido contato com um cidadão moçambicano. No Sudão, mais de 700 famílias deixaram suas casas em áreas pantanosas de Shambe, onde 37 pessoas já morreram de cólera e ainda há outros 13 já notificados.
Fonte:https://nacoesunidas.org/somalia-campanha-de-vacinacao-contra-colera-apoiada-pela-onu-quer-alcancar-450-mil-pessoas/
https://noticias.mmo.co.mz/2017/03/governo-mocambicano-introduz-vacina-contra-a-colera.html
http://www.maravipost.com/nsanje-registers-new-cases-cholera/
https://radiotamazuj.org/en/article/over-700-families-move-higher-ground-due-cholera-outbreak-yirol-east-county

Febre Eruptiva Atípica, Camarões
Pelo menos 16 pessoas, na sua maioria crianças com menos de 5 anos, morreram no extremo norte de Camarões com uma misteriosa doença que já somou 54 casos. Suas manifestações clínicas mais frequentes são: febre persistente, erupções cutâneas, anemia, hepatoesplenomegalia e linfadenopatia.
Fonte:http://www.cameroononline.org/spotted-fever-claims-16-lives-cameroon/ 

Candida Auris, EUA
Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA deram o sinal de alerta para disseminação de infecção fúngica por ‘Candida Auris’. Sua taxa de mortalidade pode chegar a 60%. Nota-se que várias de suas cepas são resistentes à maioria dos medicamentos existentes e sua identificação laboratorial é difícil. O fungo já infectou dezenas de pacientes hospitalizados, a maioria em Nova York. Porém há lugares onde se detecta a infecção em pessoas não hospitalizadas. As principais vítimas da ‘Candida Auris’ são pessoas com o sistema imunológico debilitado, como bebês prematuros, pacientes com diabetes ou pacientes submetidos a diálise ou transplante de órgãos.
Fonte: https://actualidad.rt.com/actualidad/233885-eeuu-propagacion-infeccion-hongos

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 11, 2017

Febre Amarela
A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) divulgou uma atualização do alerta epidemiológico sobre febre amarela nas Américas. Neste ano, Colômbia, Bolívia (1), Equador (1), Peru (3), Suriname (1) e Brasil (vários casos em áreas sem registros há anos) têm notificado casos da doença. A publicação aponta para o risco da transmissão urbana no Brasil– ou seja, causada pelo Aedes aegypti – devido à confirmação de casos em humanos e macacos em áreas próximas a grandes aglomerados urbanos. No entanto, até o momento não há evidências de que esse mosquito esteja envolvido na transmissão. Equipes da OPAS/OMS estão em diversas áreas afetadas para apoiar o país na resposta ao surto. De acordo com o informe 32 do Ministério da Saúde, os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Norte, Tocantins, Goiás e Rio de Janeiro possuem casos em investigação ou já confirmados. Foram notificados 1558 casos em 184 municípios destes evoluíram a óbito 259 casos (10 descartados e 137 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 424 casos e 201 foram descartados. Até o momento foram notificadas 1228 epizootias (386 confirmadas e 11 descartadas). Nesta semana, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro confirmou os dois primeiros casos de febre amarela autóctones, um deles foi a óbito e o outro está hospitalizado no Hospital dos Servidores do RJ. O governo estadual já iniciou uma ação conjunta nos 12 municípios do entorno de Casimiro de Abreu para imunizar a população nos próximos dias. Foi montado um hospital de campanha e outros 40 locais farão a imunização.
Fonte:http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5367:seis-paises-sulamericanos-registram-casos-de-febre%20amarela-aponta-alerta-epidemiol%C3%B3gico-da-opasoms&Itemid=816
http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/marco/16/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME32-Atualizacao-em-16mar2017.pdf
http://g1.globo.com/rj/regiao-dos-lagos/noticia/2017/03/estado-do-rj-confirma-dois-casos-de-febre-amarelaem-casimiro-de-abreu.html
http://extra.globo.com/noticias/rio/estado-organiza-acao-conjunta-entre-12-municipios-para-vacinacaocontra-febre-amarela-21069119.html

Raiva Humana, Bahia
A Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (SESAB) confirmou o óbito de um homem de 46 anos, residente da área rural de Paramirim. O paciente buscou atendimento médico 21 dias depois da agressão por morcego. Logo após a confirmação do caso foi emitido o “Alerta Epidemiológico” para intensificação das ações de prevenção e controle da raiva humana e animal, o estado não registrava casos desde 2004.
Fonte: http://www.lfnews.com.br/morte-por-raiva-humana-e-confirmada-na-bahia-e-sesab-emite-alerta/
http://www.correio24horas.com.br/detalhe/bahia/noticia/homem-morre-vitima-de-raiva-apos-sermordido-por-morcego-na-bahia/?cHash=d82158a49f3ccf621db0e04af1125290

Influenza
O vírus Influenza A (H3N2) continua circulando de forma predominante, no leste asiático e Europa. Há uma tendência de queda da atividade da doença, já na zona temperada do Hemisfério Norte continua elevada. Na China, 58 novos casos de Influenza A (H7N9) foram notificados entre 24/02 e 07/03, destes 4 casos não estão relacionados a exposição a aves de capoeira ou mercado de aves vivas No Brasil, o número acumulado de casos que geraram hospitalização até a SE 9 foi maior que os registrados em 2015 e 2016, destes 9,7% evoluíram a óbito. A maior parte dos casos concentra-se na região Sudeste, sendo 25% em Minas Gerais, e o predomínio entre as amostras identificadas refere-se ao vírus Influenza A (H3N2). Em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, um surto de gripe está sendo investigado, mais de 4 mil pessoas foram atendidas na rede de urgência do município nos primeiros 10 dias de março com sintomas de gripe. A campanha contra Influenza 2017 será antecipada para o inicio de Abril.
Fonte:http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=38658%20&lang=en http://www.who.int/csr/don/15-march-2017-ah7n9-china/en/
http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2017/03/secretaria-de-saude-esta-em-alerta-por-surto-degripe-no-pantanal-de-ms.html

Vírus Zika, Venezuela
Danos cardíacos foram observados em 9 pacientes que apresentaram sintomas de infecção pelo vírus Zika, entre eles 8 desenvolveram perturbações importantes no ritmo cardíaco e em 6 houve evidências de insuficiência cardíaca.
Fonte:https://medlineplus.gov/spanish/news/fullstory_164045.html
https://medlineplus.gov/spanish/news/fullstory_164045.html

Malária, Venezuela
O presidente do Colégio de Médicos de Nueva Esparta, relatou 15 casos de malária confirmados distribuídos em Mariño, Antolin del Campo e municípios Garcia, áreas não endêmicas do agravo. Os casos são autóctones, entre indígenas, caracterizando a entrada do agravo em outras regiões.
Fonte:http://www.analitica.com/actualidad/actualidad-nacional/se-eleva-a-15-los-casos-de-malaria-entres-municipios-neoespartanos/

Cólera, Moçambique
Duas pessoas morreram e mais de 1.200 outras foram afetadas na sequência de um surto de cólera que eclodiu em janeiro em Moçambique. As mortes foram registadas na província de Tete, centro do país, e na cidade Maputo, no sul. Porém o maior número de casos de cólera foi registado em Nampula, somando 454 doentes dos 1.222.
Fonte:http://observador.pt/2017/03/14/dois-mortos-e-1-222-doentes-devido-a-um-surto-de-colera-emmocambique/
http://portocanal.sapo.pt/noticia/116868

Caxumba
A caxumba é uma doença viral, contagiosa, que causa febre e inchaço das glândulas salivares. A disseminação da doença pode acontecer até mesmo antes do aparecimento dos sintomas. A circulação da doença se dá em todo o mundo, principalmente no outono e inverno. Na Austrália, o surto de caxumba já chega a 89 casos só em 2017. Ano passado os casos chegaram a 804. A situação causa preocupação e desconfiança da efetividade prolongada da vacina, já que 27% dos casos eram jovens já vacinados na infância. No Brasil, hoje, temos o sul de Minas Gerais como a região com o maior índice de caxumba em Minas Gerais. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, foram registrados 419 casos da doença este ano no estado, sendo que 232 foram notificados somente na região. Em todo o ano de 2016, foram registrados 165 casos e agora, nos dois primeiros meses do ano, já são 100 novos casos.
Fonte:https://www.whitsundaytimes.com.au/news/worst-virus-outbreak-20-years-affecting-youngpeop/3154400/
http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2017/03/sul-de-minas-e-regiao-com-maior-indice-decaxumba-em-minas-gerais.html

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Anúncios