Clipping: Notícias de Saúde Pública

Clipping – SE 38_2017

Chikungunya, América do Sul, Europa
No Ceará, Brasil, os casos de chikungunya já passam dos 13 mil, segundo o último boletim epidemiológico das arboviroses da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa). No último boletim epidemiológico das arboviroses (dengue, Zika e chikungunya), a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) contabilizou 13,3 mil casos de confirmados até a 19ª semana de 2017 e uma taxa de incidência de 465/100 mil habitantes. Em 2016, a Sesa classificou o cenário da doença como epidêmico: 31,4 mil casos foram confirmados em 139 dos 184 municípios cearenses.
As autoridades sanitárias da Itália permanecem com o alerta para a região de Lazio após o registro de 65 casos de Chikungunya: 55 em Anzio, 7 em Roma e 3 em Latina como confirmados. O surto da doença também está sendo avaliado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que emitiu um alerta para os cidadãos evitarem as principais áreas afetadas e o contato com mosquitos.
Fonte: http://noticias.r7.com/saude/italia-registra-mais-de-60-casos-de-chikungunya-oms-emite-alerta-19092017
http://noticias.r7.com/saude/chikungunya-passa-de-13-mil-casos-no-ceara-e-coloca-cidades-em-alerta-13052017

Sarampo, Venezuela
Depois de 3 anos, da declaração de território livre de sarampo concedida pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a Venezuela volta a registrar casos da doença. Um dos Distritos de Saúde confirmou 38 casos de sarampo em toda a cidade de Guayana , desde abril, e outros 88 permanecem como suspeitos.
Fonte: https://www.el-carabobeno.com/confirman-38-casos-sarampion-estado-bolivar/

Hepatite A, EUA e Ásia
No Nepal, uma equipe da Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças visitou Lamjung, após relatos de surto de hepatite. Foram coletadas 8 amostras e 5 positivaram para a hepatite A. Segundo Resham Lamichhane, oficial de saúde pública da divisão, os pacientes contraíram a doença devido à contaminação de água e alimentos.
Nos EUA, desde o início de 2017, a Divisão de Serviços de Saúde Pública, da Agência de Saúde e Serviços Humanos do Condado de San Diego, vem investigando um surto local de Hepatite A. A maioria das pessoas são ‘pessoas sem-teto’ e/ou usuários de substâncias ilícitas. Em 1 de setembro de 2017, o Diretor de Saúde Pública do Condado de San Diego declarou uma emergência local de saúde pública devido ao surto em curso no município. O Conselho de Supervisores do Condado ratificou esta declaração em 6 de setembro e novamente em 12 de setembro de 2017. A declaração será ratificada a cada duas semanas pela Junta de Supervisores do Condado até que seja rescindida.
Fonte:https://goo.gl/CJJZrz
https://thehimalayantimes.com/health/eight-test-positive-hepatitis/

Influenza A, Tasmânia
A Tasmânia vem enfrentando a temporada de gripe mais devastadora dos últimos anos. Do início do ano até 12 de setembro, havia 2337 casos confirmados de gripe e 21 mortes. No ano passado, apenas 969 casos de gripe foram relatados. O Ministro da Saúde, Michael Ferguson disse que a temporada de gripe deste ano já começou mais cedo e que o número de casos foi muito maior, pressionando os locais de trabalho a tomarem precauções.
Fonte: http://www.theadvocate.com.au/story/4928879/cases-of-flu-devastating/
Propagação de uma única linhagem de parasitas de malária resistente a múltiplos fármacos ( PfPailin ) para o Vietnã (artigo)
A disseminação da resistência à artemisinina no tratamento do Plasmodium falciparum é uma das maiores ameaças ao controle e à eliminação da malária. A resistência à artemisinina está associada a mutações no gene PfKelch dificultando o tratamento.
Fonte:http://www.thelancet.com/journals/laninf/article/PIIS1473-3099(17)30524-8/abstract
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 36 e 37 2017

Febre Amarela, Brasil
O Brasil não registra casos de febre amarela desde junho, quando foi confirmado o último caso da doença no Espírito Santo. O anúncio do fim do surto foi feito no último dia 6 pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante a apresentação do novo boletim epidemiológico sobre a situação da doença no país. O diretor de vigilância das doenças transmissíveis do Ministério da Saúde, João Paulo Toledo, o fim do surto se dá pelo fim da sazonalidade da doença e pelo sucesso das ações de vigilância. Mesmo com a interrupção da transmissão, o Ministério da Saúde ressalta a importância de manter as ações de prevenção e ampliar a cobertura vacinal para a febre amarela para prevenir novos casos da doença no próximo verão, período com maior probabilidade de ocorrência. Desde o início do surto, em 1º de dezembro do ano passado, até 1º de agosto deste ano, foram confirmados 777 casos e 261 óbitos por febre amarela. Outros 2.270 casos foram descartados e 213 permanecem em investigação. Além disso, 304 casos foram considerados inconclusivos, pois não foi possível produzir evidências da infecção por febre amarela ou não se encaixavam na definição de caso. No total, foram 3.564 notificações. A região Sudeste concentrou a grande maioria dos casos. Foram 764 casos confirmados, seguida das regiões Norte (10 casos confirmados) e Centro-Oeste (3 casos). As regiões Sul e Nordeste não tiveram confirmações.
Fonte:
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs/noticias-svs/29503-ministerio-da-saude-declara-fim-do-surto-de-febre-amarela

Leishmaniose, Brasil
A cidade de Tocantinópolis, Tocantins, está em alerta depois de reportar mais de 400 casos em cães e 9 em seres humanos (cinco em adultos e quatro em crianças com menos de dez anos) desde o início do ano. Este ano, até agora, existem 50 notificações de suspeitas. A maior preocupação, de acordo com a Coordenação de Vigilância Epidemiológica é sobre os casos em animais, que são hospedeiros da doença. Isso porque os moradores não querem entregar os animais para serem sacrificados. Dos 407 que tiveram um diagnóstico positivo, apenas 277 foram sacrificados.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais de 90% dos casos de leishmaniose visceral ocorrem em seis países: Bangladesh, Brasil, Etiópia, Índia, Sudão do Sul e Sudão.
Em Macapá, Amapá, foi identificado o primeiro registro de cão com leishmaniose contraída de maneira autóctone em fevereiro. Realizado um inquérito epidemiológico na área onde o cão foi encontrado, outros 5 cães foram identificados. Assim, de janeiro a julho, 6 animais foram identificados como infectados. De acordo com o técnico de zoonoses, o Amapá já tinha registros da doença, mas a preocupação aumentou quando os exames deram positivo para a leishmaniose autóctone.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/brazil-visceral-leishmaniasis-outbreak-recorded-tocantinopolis-74988/
https://www.pragaseeventos.com.br/saude-publica/confirmacao-de-6-caes-com-leishmaniose-em-macapa-levanta-debate-sobre-doenca/

Chikungunya, Brasil, Europa e Oriente Médio
As notificações de febre chikungunya continuam aumentando no Piauí, Brasil chegando a 2.779 casos registrados em 2017 contra os 1.984 no mesmo período de 2016. Se comparados os dois anos, o crescimento chega a 140,9%. Os casos de 2017 foram notificados em 90 municípios, sendo que os municípios de Teresina, São Raimundo Nonato, Parnaíba, Luís Correia e Floriano notificaram mais casos prováveis. Os dados foram apresentados no último dia 6, pela Sala Estadual de Coordenação e Controle das Ações de Enfrentamento à Microcefalia, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi).
Na província de Sindh no Paquistão, Oriente Médio, o oficial de saúde do distrito de Tharparkar, Dr. Shafique Memon, disse que o surto de Chikungunya se espalhou para várias aldeias de Islamkot e que todos os esforços estão sendo colocados para superar a doença. Os casos chegam a mais de 2.500.
A cidade de Anzio, ao sul de Roma, na Itália, Europa, está em alerta após a confirmação de, ao menos, três casos de Chikungunya, sem antecedentes de viagem. Outros 3 casos foram detectados em uma família em Roma, também sem histórico de viagem recente ao exterior ou a Anzio, correspondendo a um segundo cluster de transmissão local. Ainda existem outros casos suspeitos em investigação, sugerindo que a transmissão local tem sido efetiva na propagação da doença.
É a segunda vez que se identifica a introdução de uma transmissão local do vírus chikungunya, resultando em um surto, na Itália. A primeira identificação foi na região de Emilia-Romagna em 2007. Outros eventos de transmissão autóctone foram detectados na França em 2010, 2014 e 2017.
Fonte:https://www.45graus.com.br/geral/casos-de-febre-chikungunya-aumentam-mais-140-no-piaui
https://www.pakistantoday.com.pk/2017/09/08/chikungunya-patients-in-tharparkar-exceed-2500/
http://istoe.com.br/casos-de-chikungunya-colocam-italia-em-alerta/
http://www.bbc.com/news/world-europe-41198774
https://ecdc.europa.eu/sites/portal/files/documents/14-Sep-2017-RRA-Chikungunya-Italy_0.pdf

Cólera, Nigéria
A Organização das Nações Unidas (ONU) emitiu um alerta informando que um surto de cólera na Nigéria, África, já matou 23 pessoas e que há mais de 500 casos suspeitos no país. A doença está atingindo as pessoas que atualmente vivem em acampamentos após fugirem da violência do grupo extremista Boko Haram e que moram no leste do país. A maior parte dos casos foram registrados no campo de refugiados de Muna Garage, onde vivem cerca de 20 mil pessoas, na periferia da cidade de Maiduguri.   
Fonte:http://istoe.com.br/onu-alerta-para-surto-de-colera-na-nigeria/

Hepatite A, Austrália
Nas últimas cinco semanas, foram confirmados 12 casos de hepatite A em Sydney, Austrália. As autoridades sanitárias investigaram os casos e descobriram que 10 dos casos contraíram a doença na Austrália. A média de registros na Austrália é de dois casos de hepatite A a cada ano. Nenhum alimento específico ainda foi conectado ao surto.
Fonte:http://www.news.com.au/national/nsw-act/sydney-hit-by-hepatitis-a-outbreak-with-12-news-cases/news-story/ebcaeb265a78a4b03e7df5d274a7db85

Malária, América do Sul, Europa e África
Na Itália, Europa, uma menina de quatro anos morreu de malária grave (malária P. falciparum grave) no norte da Itália, uma região livre da doença. Os médicos consideram um caso muito raro. Nessa região da Itália não é comum a circulação do mosquito Anopheles, vetor transmissor da malária, porém com a influência da temporada de muito calor, o situação climática torna o ambiente propício à habitação do vetor na região italiana.

Na Costa Rica, América do Sul, não havia casos de transmissão autóctone da malária desde 2012, mas em 2017 foram registrados nove casos: quatro em Matina, província de Limón (Caribe), três em Sarapiqui, na província de Heredia (nordeste), e dois em Pital, província Alajaula (norte). O Ministério da Saúde da Costa Rica emitiu um alerta para o risco de aumento de casos de malária, devido a focos que já foram detectados na vizinha Nicarágua.
Em Angola, África, mais de 33 mil casos de malária e 91 óbitos foram registrados na província de Cunene durante o segundo semestre de 2017. O chefe de Departamento da Saúde Pública e Controle de Endemias, Félix Belarmino Satyohamba, relatou que os casos estão distribuídos nos  municípios de Ombadja, Cuanhama, Cuvelai, Cahama, Namacunde e Curoca. Fonte:http://www.bbc.com/news/world-europe-41161133 https://www.telesurtv.net/news/Alerta-sanitaria-en-Costa-Rica-por-casos-de-malaria-20170913-0085. http://m.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/mobile/noticias/saude/2017/6/29/Cunene-Autoridades-sanitarias-registam-mais-mil-casos-malaria,7d5056bc-99f3-4f78-8422-a09618ddbe90.
html?version=mobile%20 Influenza H7N9, China” target=”_blank” rel=”noopener”>http://m.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/mobile/noticias/saude/2017/6/29/Cunene-Autoridades-sanitarias-registam-mais-mil-casos-malaria,7d5056bc-99f3-4f78-8422-a09618ddbe90.html?version=mobile

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 36, casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 757 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 2 de setembro de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk35.pdf

Clipping – SE 35 2017

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 34 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 14.220 amostras, destas 11.595 foram processadas e 30,5% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 2.137 (60,4%) foram detectados vírus influenza e 1.407 (39,7%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.553 (72,7%) e Influenza B com 515 (24,1%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 892 (63,4%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 2.233 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 13,2% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 361 (16,2%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,5%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 40 (11,1%) influenza A não subtipado, 80 (22,2%) por influenza B e 232 (64,3%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,1%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/30/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-34.pdf

Febre Amarela, Cuiabá
A Secretaria de Saúde de Cuiabá está reforçando, mais uma vez, o chamamento da população para que compareça às unidades de saúde a fim de regularizar seus cartões de vacinação quanto à febre amarela (FA). O município é considerado área afetada, ou seja, existe circulação viral para febre amarela e a vacina é a medida mais importante para prevenção e controle da doença.
De acordo com o CIEVS desde fevereiro, foram encaminhados 17 cadáveres de macacos para exames laboratoriais, cinco somente nesse mês de agosto. Um desses exemplares, recolhido no mês de março, no bairro Novo Esperança III, na região Sul, foi notificado como positivo para FA. Em relação aos demais, dois resultaram negativo, dois estavam em estado de decomposição, impossibilitando a coleta de material para diagnóstico, um deu resultado detectável e aguarda resultado final, dois tiveram resultado não detectável, mas o diagnóstico não está finalizado e nove casos aguardam investigação laboratorial.
Fonte:http://www.cuiaba.mt.gov.br/secretarias/saude/secretaria-de-saude-alerta-populacao-para-atualizar-cartao-de-vacina/15432

Leishmaniose visceral, Santa Catarina
Após o primeiro caso catarinense de leishmaniose visceral em humanos registrado em Florianópolis, relatado no Clipping da semana epidemiológica 33, a Secretaria Municipal de Saúde local realizou testes em cães no bairro Saco dos Limões, região da residência do caso humano notificado. Os resultados dos 99 cães examinados até o momento, confirmaram 10 animais contaminados pela leishmaniose visceral canina (LVC).
A Sala de Situação da Leishmaniose, criada após a confirmação do primeiro caso, discute as próximas ações educativas, de prevenção e de controle da zoonose.
Fonte:http://www.pmf.sc.gov.br/entidades/saude/index.php?pagina=notpagina&noti=18778
http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2017/08/dez-caes-sao-diagnosticados-com-leishmaniose-em-bairro-onde-pessoa-foi-contaminada-em-florianopolis-9882730.html

Febre Amarela, Guiana Francesa
Pela primeira vez desde 1998, foi confirmado um caso de infecção humana pelo vírus da febre amarela na Guiana Francesa. O Instituto Pasteur da Guiana Francesa confirmou o caso na segunda-feira passada, 21 de agosto de 2017, e em 29 de agosto a paciente veio a óbito. Ela tem local provável de infecção na zona fronteiriça de Oiapoque, no Brasil, de acordo com investigações da Agência Santé Regional.
Após a identificação do caso, autoridades sanitárias iniciaram trabalhos de controle de vetores em torno dos locais identificados que foram visitados pela paciente falecida. Recomenda-se que as pessoas não vacinadas apresentando sintomas e que visitaram recentemente a área, devam consultar o seu médico.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/french-guiana-reports-fatal-yellow-fever-case-1st-two-decades-69984/

Hepatite A, San Diego
Segundo registros do CDC em San Diego, o surto de Hepatite A se iniciou em novembro passado atingindo na semana epidemiológica 35 um total de 378 casos, com 263 (70%) hospitalizados, aproximadamente 70% dos casos eram pessoas sem-teto. De acordo com os registros, 9 das 15 mortes ocorreram desde meados de julho, este é o surto de Hepatite A mais expressivo nos Estados Unidos nos últimos 20 anos.
Fonte:https://www.enlacejudio.com/2017/08/28/san-diego-hepatitis-decadas/
https://goo.gl/EPijTJ

Febre da Criméia-Congo, África e Oriente Médio
Duas pessoas morreram da Febre Hemorrágica da Crimea-Congo (CCHF), conhecidas como vírus do Congo em Loralai, Paquistão. De acordo com fontes do Departamento de Saúde a vítima foi a óbito quando se deslocava para Quetta para tratamento. Várias pessoas infectadas já foram hospitalizadas. Os moradores das áreas afetadas exigiram do governo provincial e das autoridades de saúde medidas para evitar uma maior disseminação da doença.
Em maio, funcionários de saúde, relataram dois casos de CCHF no Senegal importados da Mauritânia, África. Um terceiro caso importado foi relatado em junho.
Em 24 de agosto, o Ministério da Saúde da Mauritânia notificou a OMS de um caso confirmado de CCHF em um pastor de 47 anos, da Aldeia Arafat em Mohammedia, Prefeitura de Boutilimit, localizada a cerca de 150 km ao sudeste da capital Nouakchott. A Mauritânia experimentou um surto bastante grande de CCHF em 2003, envolvendo 38 casos com uma taxa de letalidade de 28,6%.
De acordo com a OMS, a febre hemorrágica da Crimeia-Congo é uma doença generalizada causada por um vírus transmitido por carrapatos (Nairovirus) da família Bunyaviridae. O vírus CCHF causa surtos graves de febre hemorrágica viral, com uma taxa de letalidade de 10 a 40%.
Fonte:https://www.pakistantoday.com.pk/2017/08/27/two-die-of-congo-virus-in-loralai/
http://outbreaknewstoday.com/mauritania-reports-confirmed-crimean-congo-hemorrhagic-fever-case-21416/

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento da Organização Mundial de Saúde, o compilado de dados desde janeiro deste ano até dia 28 de agosto somaram 188 casos. Do total de casos, a é do sexo masculino (71,3%), com faixa etária predominante entre 41 a 60 anos (39,4%) e com maior ocorrência na Arábia Saudita (95,2%). Em relação a investigação de transmissão, 43,1% dos casos foram expostos a contatos sintomáticos, 26,1% expostos a contato com camelo e 21,8% consumiram leite de camelo. Destes 51 foram a óbito (27,1%) e 77,7% do total de casos não procurou assistência médica.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/28-august-2017-mers-uae/en/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 34, dois casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 755 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 26 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk33.pdf

Malária, Rio de Janeiro, Brasil
Um estudo liderado por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que um parasita que causava malária apenas em macacos está relacionado a casos humanos ocorridos na região de Mata Atlântica do Rio de Janeiro. Publicado ontem (31/8) na revista científica The Lancet Global Health, o trabalho demonstra que o estado do Rio de Janeiro é o segundo foco encontrado no mundo com transmissão desse tipo de malária. O primeiro local em que o protozoário foi encontrado em humanos foi na Malásia, na Ásia.
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/pesquisa-e-inovacao/noticia/2017-08/pesquisa-mostra-que-parasita-que-causa-malaria-em-macacos-pode

Surto em andamento de Parotidite (caxumba) em Israel, janeiro a agosto 2017 (artigo científico):
Em Israel, 262 casos de caxumba foram registrados entre 1 de Janeiro e 28 de agosto de 2017, apesar de uma cobertura vacinal de ≥ 96%. A maioria (56,5%) dos casos eram adolescentes e adultos jovens entre 10 e 24 anos de idade. Quase o dobro de casos foram notificados em homens em relação ao número de mulheres. No surto, a maioria dos casos em Jerusalém foram relatados na comunidade muçulmana (95,3%) . No distrito sul, beduínos (árabe habitante dos desertos) foram mais afetados (90%) e em Tel Aviv e distritos centrais, a maioria dos casos estavam entre judeus (91%). Curiosamente, três cadeias do genótipo G do vírus (variante 1, 3 e 4) estão principalmente restritas a membros do mesmo grupo étnico (muçulmanos, beduínos e judeus), com pouca diferença entre eles, sugerindo que a cadeia de transmissão do vírus da parotidite está relacionada aos grupos étnicos. As variantes 5 e 6 foram associadas a casos independentes aos três grupos étnicos mencionados.
Em conclusão, o controle da caxumba continua a ser um desafio em Israel, apesar da cobertura muito elevada da vacina. Dados moleculares obtidos durante o surto em curso provou ser importante para ajudar a distinguir cadeias de transmissão diferentes.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22867
(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 34 2017

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 32 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 13.271 amostras, destas 10.908 foram processadas e 31,4% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 2.069 (60,3%) foram detectados vírus influenza e 1.364 (39,8%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.537 (74,3%) e Influenza B com 464 (22,4%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 877 (64,3%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 2.056 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,8% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 341 (16,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,6%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 40 (11,7%) influenza A não subtipado, 71 (20,8%) por influenza B e 221 (64,8%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,6% (111/341), em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/21/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-32.pdf

Chikungunya, Ceará
No boletim epidemiológico de arbovirose da SE 32 do Estado do Ceará, informou que foram notificados 116.804 casos suspeitos da doença, destes, 75.452 (64,4%) foram confirmados e 14.102 (12,1%) descartados. Existe a diferença de quase 26 mil casos a mais neste ano comparando com 2016, onde o número de casos suspeitos atingiu 49.516, sendo que 31.482 (63,6%) confirmados.
A taxa de incidência dos casos suspeitos de chikungunya no Ceará em 2017 é de 1.303,1 casos por 100 mil habitantes. Dos casos confirmados, 53,4% ocorreram em pessoas nas faixas etárias entre 20 e 49 anos. O sexo feminino foi predominante em todas as faixas etárias, à exceção dos menores de 14 anos. Foram confirmados casos da doença em 631 crianças com menos de um ano de vida. Atualmente, 97,3% dos municípios cearenses já notificaram casos suspeitos de chikungunya, e 86,6% têm casos confirmados.
Em 2017, foram confirmados 70 óbitos por chikungunya, sendo 28 (40,0%) do sexo feminino e 42 (60,0%) do sexo masculino, com idades entre 10 dias e 102 anos (mediana de 77 anos, média de 72 anos e moda de 85 anos), residentes nos municípios de Acopiara (02), Aracati (01), Beberibe (02), Caucaia (03), Fortaleza (56), Maranguape (02), Marco (01), Morada Nova (01), Pacajus (01) e Senador Pompeu (01).
Fonte:http://www.saude.ce.gov.br/index.php/boletins#

Parotidite (caxumba), Manaus
Com 230 casos de caxumba em Manaus em 19 locais, registrados desde abril deste ano, principalmente, em escolas, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) faz alerta aos pais que mantenham a caderneta de vacinação atualizada das crianças e adolescentes.
Até 2016, não havia registros oficiais de surtos de caxumba em Manaus. Neste ano de 2017, até o dia 18 de agosto, já foram notificados 19 surtos envolvendo 230 pessoas, sendo a grande maioria deles em escolas, o que sugere baixa cobertura vacinal em crianças e adolescentes. O primeiro surto foi notificado no mês de abril e a ocorrência de casos vem se mantendo até o mês de agosto.
A vacinação e a manutenção de elevadas coberturas vacinais são a principal medida de controle da Semsa e os esquemas recomendados são: vacinação aos 12 meses de idade com uma dose da tríplice viral, aos 15 meses de idade uma dose da vacina tetraviral, podendo essa dose ser administrada até os 4 anos, 11 meses e 29 dias. Depois dessa idade, completar o esquema com a vacinação utilizando a tríplice viral.
Fonte:http://semsa.manaus.am.gov.br/semsa-alerta-sobre-cuidados-devido-a-surto-de-caxumba-em-manaus/

Difteria, Américas
A atualização epidemiológica das Américas da Organização Panamericana de Saúde, compreendido pelo período da 1 a 32 SE de 2017, três países nas Américas têm relatado casos suspeitos e confirmados de difteria: Brasil (1 caso), Haiti (80 casos) e da República Bolivariana da Venezuela (123 casos).
No Brasil, na SE 30 de 2017, um caso de difteria foi confirmado no estado de Roraima, que tem como lugar provável de infecção a Venezuela. Há casos secundários registrados relacionada com este caso.
No Haiti, foram relatados entre a SE 1 a 30 de 2017, 72 casos prováveis de difteria. A maioria (81%) desses casos tem distribuição por idade entre 0 e 10 anos e 60% são mulheres. Do total de casos, 22 foram confirmadas por laboratório, três óbitos (taxa de mortalidade de 13,6%). Entre os casos confirmados, 54,5% o estado de vacinação é desconhecido, 18,2% foram vacinados e 27,3% não foram vacinados.
Na Venezuela, entre a SE 28 de 2016 e a 24 de 2017, foram relatados 447 casos suspeitos de difteria (324 em 2016 e 123 em 2017). Foram confirmados por laboratório 51 casos incluindo 7 mortes (Anzoátegui (2), Bolivar (1), Monagas (3), e Sucre (1); a taxa de mortalidade cumulativa entre os casos confirmados é de 20%. Entre os 51 casos confirmados em laboratório, 55% são mulheres e 47% corresponde à faixa etária dos 5-19 anos de idade. Em relação ao estado de imunização de casos confirmados, 78% tinha esquema incompleto, 15% não foram vacinados e 7% não tinha a informação.
Fonte:http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=41631&lang=es

Febre do Nilo Ocidental, Europa
Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) na semana epidemiológica 34, foram reportados na Grécia 37 casos novos humanos de febre do nilo ocidental, na Itália foram reportados 3 novos casos confirmados, na Romênia 6 novos casos, 4 casos na Áustria, 2 na Hungria, 4 casos em Israel e 4 novos casos na Sérvia. Fonte:https://ecdc.europa.eu/en/publications-data/west-nile-fever-europe-2017-and-previous-transmission-seasons-8

Sarampo, Europa
Esta semana, Áustria, Dinamarca, França, Alemanha, Romênia e Reino Unido forneceram a contagem de casos atualizados e vários outros países da Europa têm relatado surtos. De acordo com as autoridades nacionais de saúde pública, em 2017, foram relatados 27 óbitos, Roménia (20), Itália (3), Bulgária (1), Alemanha (1), Portugal (1) e França (1).
Fonte:https://ecdc.europa.eu/en/news-events/epidemiological-update-measles-monitoring-european-outbreaks-18-august-2017

Chikungunya, França
Em 11 de agosto de 2017, a França notificou um caso autóctone de infecção pelo vírus Chikungunya, diagnosticado na região sudeste da França. O início dos sintomas foi em 2 de agosto de 2017. A infecção foi confirmada por RT-PCR. Em 14 de agosto, um segundo caso foi confirmado em um vizinho do primeiro caso, com início dos sintomas em 8 de agosto de 2017. A partir de 22 de agosto de 2017, foram identificados 2 casos confirmados adicionais e 1 caso provável. Entre os casos confirmados e prováveis, 1 vive na mesma residência que o segundo caso e 2 vivem no mesmo bairro que os outros casos confirmados. As datas de início destes 4 casos confirmados e prováveis variam de 2 de agosto a 17 de agosto de 2017.
As autoridades francesas ativaram a resposta nacional chikungunya/dengue ao nível de risco 3, o que resultou em medidas de controle de transmissão muito rigorosas como: Medidas de controle vetorial em torno das casas, busca ativa (porta a porta) com exame laboratorial de caso suspeito, orientação para a não doação de sangue de moradores da área do surto e comunicação local sobre esclarecimentos da doença para população.
Fonte:https://ecdc.europa.eu/sites/portal/files/documents/RRA-Chikungunya-France-revised-Aug-2017.pdf

Hepatite A, Portugal
De acordo com o Boletim Epidemiológico da SE 33 (14 – 20 agosto) divulgado pela Direção Geral de Saúde de Portugal, o número de casos de Hepatite A desde janeiro até 20 de agosto de 2017, atingiu 435 casos, dos quais: 88% em homens , 52% adquiridos através do contacto sexual, 26% adquiridos por via desconhecida e 74% na região de Lisboa e Vale do Tejo.
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/hepatite-a.aspx

Cólera, Iêmen
De acordo com o boletim epidemiológico da semana 33 o total acumulado de 27 abril a 20 de Agosto 2017 foi de 542.278 casos e 2.003 mortes (Taxa de letalidade 0,37%). Do total, 27.766 casos foram relatados na semana 33 e na mesma semana 17 óbitos. Crianças menores de cinco anos representam 23% dos casos e crianças menores de 18 anos representam 53% dos casos. No total, 22/23 (96%) províncias e 300/333 distritos (90%) são afectadas pelo surto. O distrito de Raymah permanece com a maior taxa de letalidade acumulada (1.1%) e um total de 86 distritos foram selecionados para a priorização das ações, baseado na taxa de letalidade, tendência do número de casos e tamanho da população.
Fonte:http://www.emro.who.int/images/stories/yemen/Yemen_Cholera_Response_-_Weekly_Epidemiological_Bulletin_-_W33_2017_Aug_14-Aug_20.pdf

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 34 foram confirmados mais 3 casos da doença. A maior distribuição de casos foi por sexo masculino (66,66%), com faixa etária média predominante entre 44 anos, todos apresentaram sintomas característicos da doença, um teve contato com camelos e os outros dois casos estão em investigação. A situação de saúde de dois casos é estável e um dele está grave.
Fonte:http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 33, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 753 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 19 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk33.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 33 2017

Febre Amarela, Brasil:
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 26 casos. Do total de confirmados, 09 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia e 01 residente em Nova Friburgo), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 02 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana e 01 o município de Conceição de Macabu localizados no estado do RJ. Desses, 09 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim, 01 Santa Maria Madalena e 01 Nova Friburgo).
Fonte:http://www.riocomsaude.rj.gov.br/Publico/MostrarArquivo.aspx?C=rQdCl63%2buMI%3d
(Informe Epidemiológico 080/2017 – SES RJ)

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 31 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 12.891 amostras, destas 10.531 foram processadas e 31,6% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 2.030 (60,9%) foram detectados vírus influenza e 1.304 (39,1%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.522 (75,0%) e Influenza B com 439 (21,6%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 847 (65,0%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.989 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,7% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 331 (16,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,7%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 39 (11,8%) influenza A não subtipado, 70 (21,1%) por influenza B e 213 (64,4%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,6%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/16/Informe-Epidemioogico_Influenza-2017-SE-31.pdf

Leishmaniose visceral humana, Santa Catarina
O primeiro caso autóctone de leishmaniose visceral humana de Santa Catarina foi confirmado nesta quarta-feira (16/08) pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen). Trata-se de um homem de 53 anos, morador do Saco dos Limões, em Florianópolis, que está internado desde o dia 9 de agosto, no Hospital Universitário, em estado estável.
No total foram identificados 17 casos suspeitos de leishmaniose visceral canina em 2016. Seis cães receberam diagnóstico positivo, todos casos com transmissão fora do estado (importados). Desses, três foram eutanasiados. Em 2015, 10 casos suspeitos foram notificados, com 3 confirmações (importados) e nenhuma eutanásia. Neste mesmo ano, houve registro de dois casos importados de leishmaniose visceral humana, de pessoas que contraíram a doença em outros estados – uma em Minas Gerais e outra no Maranhão. Em 2015, não houve registro de casos importados da doença.
Fonte:http://www.dive.sc.gov.br/index.php/arquivo-noticias/579-dive-sc-orienta-sobre-medidas-de-da-leishmaniose-visceral

Sarampo, Europa
De acordo com o boletim da semana epidemiológica 32 do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), do dia 06 de agosto até o dia 12 de agosto, a Áustria relatou 80 casos, a Finlândia 10 casos, a Alemanha 818 casos, a Grécia 08 casos, a Itália 86 e a Romênia 108 casos.
A Romênia é o país com maior número de casos acumulados desde o monitoramento iniciado em janeiro de 2016 com 8455 casos incluindo 32 óbitos.
Fonte:https://ecdc.europa.eu/sites/portal/files/documents/Communicable-disease-threats-report-12-aug-2017.pdf

Febre do Nilo Ocidental, Europa
Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) na semana epidemiológica 32, foram reportados na Grécia 15 casos novos, em uma área previamente afetada. Até o momento, a Grécia informou 01 óbito em 2017. A Romênia e Sérvia relataram seus primeiros casos este ano. A Romênia informou 01 caso confirmado, no sudeste do país e a Sérvia 02 casos confirmados.
E ainda foram notificados 08 casos em equinos através do Sistema de Notificação das Doenças Animais (SNDA) da Comissão Europeia, todos os casos ocorreram na Itália, 02 em Veneza e 06 em Padova.
Fonte:https://ecdc.europa.eu/en/publications-data/west-nile-fever-europe-2017-and-previous-transmission-seasons-6

Peste Bubônica, Arizona, EUA
Esta semana as autoridades de saúde pública do Arizona confirmaram testes positivos para peste bubônica em pulgas na área de Doney Park, Arizona. Os moradores da região estão sendo notificados sobre a situação local, bem como, estão sendo intensificadas as medidas de educação em saúde e de prevenção de contaminação humana e em animais domésticos. A área está sendo monitorada para determinar se serão necessárias mais ações.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/plague-positive-fleas-detected-near-flagstaff-51699/

Hepatite A, San Diego, EUA
A Divisão de Serviços de Saúde Pública de San Diego continua monitorando e investigando os casos do surto de Hepatite A (VHA), ainda não foi identificada a fonte provável do início do surto. Até a semana epidemiológica 33 foram somados 333 casos, 11 óbitos (3%) e 232 (70%) hospitalizações. Os casos variam em idade de 19 a 87 anos (mediana = 44 anos) e 227 (68%) são do sexo masculino, com 2 (1%) auto-identificados como homens que fazem sexo com homens (HSH); 131 (39%) dos casos de VHA são desabrigados e relataram uso de drogas ilícitas injetáveis e não injetáveis, 53 (16%) eram sem residência, 36 (11%) eram apenas usuários de drogas ilícitas, 76 (23%) não eram sem-teto nem usuários de drogas, e 37 (11%) tinham um status desconhecido para sem-abrigo e uso de drogas.
As autoridades de saúde informam a população americana que a doença pode ser prevenida com a vacina contra VHA, e esta é confirmadamente segura e eficaz.
Fonte:https://goo.gl/dPzgwf

Cólera, Iêmen
O número total de casos suspeitos de cólera no Iêmen este ano, atingiu a marca de 500.000 até o dia 13 de agosto e cerca de 200.000 pessoas morreram desde que o surto começou a se espalhar rapidamente no final de abril deste ano. É estimado que sejam infectados 500 pessoas por dia, configurando a maior epidemia de cólera no mundo atualmente.
Fonte:http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2017/cholera-yemen-mark/en/

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 33 foram confirmados mais 3 casos da doença com 1 óbito. Todos os casos são do sexo masculino, com faixa etária média predominante entre 62 anos com maior ocorrência na cidade de Jeddah (66,67%), dos casos sintomáticos, um teve contato com camelos e os outros dois estão em investigação. A situação de saúde de dois casos é grave e um estável.
Fonte:http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx

Dengue, Macau, China
Os Serviços de Saúde de Macau confirmaram, na quarta-feira, um sexto caso de febre de dengue importado, o que eleva para 10 o total de ocorrências desde o início do ano. O caso chegou recentemente das Filipinas para visitar a família em Macau. Estes casos somam-se a outros 4 em que a doença foi contraída localmente (autóctone), um motivo de preocupação das autoridades, dado que desde 2014 só tinham sido sinalizados casos importados. No ano passado, foram registrados 11 casos de febre de dengue, todos importados.
Fonte:http://observador.pt/2017/08/17/sexto-caso-de-febre-de-dengue-em-macau/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 32, nenhum caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 752 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 12 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk32.pdf

Surto de Sarampo ligado a casos importados, Finlândia 2017 (artigo científico)
Um adulto jovem italiano foi diagnosticado com sarampo na Finlândia, em junho de 2017. Durante a estadia na Finlândia, o caso esteve em contato com centenas de pessoas expondo-as ao sarampo. A partir de 11 de agosto, 5 casos de sarampo foram detectados. O viajante desenvolveu febre e sintomas respiratórios em 16 de junho e erupção cutânea em 21 de Junho, sendo internado no hospital da cidade da Finlândia. Na investigação epidemiológica o caso ficou em instalações de um acampamento, viajou para Helsíquea de carona em um comboio (3,5 horas) e de trem para Tallinn (2,5 horas) antes de voar de volta a Itália. Após esse percurso de exposição, foram diagnosticados mais 5 casos, 4 com relação ao acampamento, a viagem no comboio, a lanchonete onde o viajante comeu e ao trem em que viajou, 1 caso continua em investigação sobre a relação da cadeia de transmissão.
Na Finlândia, um país com alta cobertura vacinal contra o sarampo, torna-se improvável surtos extensos. No entanto, correntes de transmissão entre indivíduos não imunizados ligados a um caso importado são possíveis.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22857

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 32 2017

Febre Amarela, Brasil:
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 25 casos. Do total de confirmados, 09 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia e 01 residente em Nova Friburgo), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 02 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ. Desses, 09 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim, 01 Santa Maria Madalena e 01 Nova Friburgo).
Fonte:http://riocomsaude.rj.gov.br/Publico/MostrarArquivo.aspx?C=g8NJTAu1lmE%3d
(Informe Epidemiológico 079/2017 – SES RJ)

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 30 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 12.475 amostras, destas 10.002 foram processadas e 32,4% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.976 (61%) foram detectados vírus influenza e 1.264 (39,0%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.494 (75,6%) e Influenza B com 417 (21,1%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 837 (66,2%) .
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.895 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,5% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 314 (16,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (2,9%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 33 (10,5%) influenza A não subtipado, 65 (20,7%) por influenza B e 207 (65,9%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 33,1%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/09/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-30.pdf

Vírus do Nilo Ocidental, Canadá
Em Ottawa foi confirmado laboratorialmente o primeiro caso humano do vírus do Nilo Ocidental em 2017. As autoridades de Saúde Pública local recomendam a todos os moradores para se protegerem de picadas de mosquito com uso de repelente e para remover a água parada de recipientes domésticos, onde mosquitos depositam seus ovos. As autoridades sanitárias da saúde ambiental colocaram armadilhas para captura de vetores urbanizados. A equipe de saúde ambiental capturaram mosquitos do tipo Culex pipiens infectados pelo vírus do Nilo Ocidental, indicando que os residentes em todas as áreas de Ottawa estão em risco de exposição a doença através de picadas desses mosquitos.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/canada-ottawa-reports-1st-human-west-nile-virus-case-2017/

Hepatite A, San Diego, EUA
A Divisão de Serviços de Saúde Pública de San Diego continua monitorando e investigando os casos do surto de Hepatite A em que ainda não foi identificada a fonte provável de infecção. Até a semana epidemiológica 31 são somados 312 casos, 10 óbitos e 215 (69%) hospitalizações.
Fonte:https://goo.gl/MvnZet

Dengue, Vietnã e Costa do Marfim
A província de Ha Nam localizada no Vietnã declarou estado de emergência no dia 03 de agosto para lidar com a epidemia de dengue, a velocidade de transmissão atinge 10 casos novos por dia, tornando-se uma das maiores epidemias de dengue na história da província. O cenário na província de Hanói não é diferente, cerca de 9 mil casos de dengue foram notificados desde o início do ano, com 2.300 casos notificados só nos meses de julho.
Na Costa do Marfim a partir de 11 de julho até a semana epidemiológica 31, um total de 623 casos suspeitos, incluindo dois óbitos (taxa de letalidade: 0,3%). Um total de 192 casos foram confirmados por PCR, dos quais 66% eram DENV-2, 29% eram DENV-3 e 5% eram DENV-1. A maioria dos casos foram relatados na cidade de Abidjan responsável por 78% dos casos notificados e 80% de todos os casos confirmados laboratorialmente.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/vietnam-dengue-news-emergency-declared-ha-nam-hanoi-outbreak-32326/
http://outbreaknewstoday.com/dengue-outbreak-abidjan-ivory-coast-99335/

Chikungunya, Paquistão
As autoridades de saúde no Paquistão registraram 516 casos de chikungunya, 72 casos estão confirmados laboratorialmente. Do total de casos registrados, 104 foram notificados nos meses de julho e agosto com 12 casos confirmados laboratorialmente. Segundo as autoridades sanitárias o número que se apresenta ainda não configura uma epidemia, porém ações de educação em saúde precisam ser realizadas, pois é de costume das famílias paquistanesas armazenarem água da chuva para consumo humano e animal devido ao baixo poder aquisitivo. Essa condição contribui para o criadouro de vetores, agravando a situação epidemiológica de casos de chikungunya e outras arboviroses.
Fonte:https://www.dawn.com/news/1350212/fears-of-chikungunya-outbreak-loom-over-thar-in-wake-of-rains

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 32 foram confirmados mais 16 casos da doença com 4 óbitos. A distribuição por sexo apresentou maioria dos casos do sexo masculino (56,3%), com faixa etária predominante entre 41 a 60 anos (43,8%), maior ocorrência de casos em Domat Aljandal (50%), com 53,3% assintomáticos e sem contato com camelos (75%). A situação de saúde da maioria dos casos está estável (68,8%).
Fonte: http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx

Febre de Lassa, Nigéria
Nas últimas 3 semanas a transmissão ativa de febre de lassa foi relatado em 5 estados (Bauchi, Edo, Ogun, Ondo e Plateau) da Nigéria. Nesse período 13 novos casos suspeitos foram notificados, incluindo dois óbitos. Foi a partir de dezembro de 2016 que as autoridades sanitárias da Nigéria declararam surto da doença, do início do surto até o início de agosto foram registrados 681 casos suspeitos, 112 óbitos atingindo a taxa de letalidade de 16,4%. Especialistas justificam o prolongamento de novos casos fora da sazonalidade da doença por conta da grande crise humanitária que o país vem enfrentando.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/nigeria-lassa-fever-transmission-reported-five-states-54923/

Difteria, Singapura
O Ministério da Saúde de Singapura relatou um caso autóctone de um trabalhador de Bangladesh, o indivíduo desenvolveu febre e inchaço no pescoço no dia 30 de julho, procurou assistência médica no dia 31 e foi internado. No dia 04 de agosto veio a óbito com teste positivo para Corynebacterium diphteriae (agente infeccioso da Difteria), na anamnese médica o paciente não relatou histórico recente de viagem para fora de Singapura e atestaram que o paciente não estava imunizado pela vacina. Estão sendo investigados 48 contactantes do paciente, dois deles, apresentaram dor de garganta desde o dia 3 de agosto e foram internados. Foram coletadas amostras respiratórias de todos os contatos e fizeram quimioprofilaxia e o reforço da vacina.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/singapore-reports-1st-local-diphtheria-case-25-years-92370/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 31, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 752 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 5 de agosto de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk31.pdf

Replicação do Zika Vírus nos mosquitos Culex quinquefasciatus no Brasil: Pernambuco, Brasil (artigo científico)
A equipe do Departamento de Entomologia da Fiocruz de Pernambuco detectou a presença do vírus zika em amostras naturais de Culex colhidas na Região Metropolitana do Recife e também comprovou, em laboratório, que esse vírus consegue se replicar no interior do mosquito e alcançar a glândula salivar. Estas descobertas estão descritas no artigo Zika virus replication in the mosquito Culex quinquefasciatus in Brazil, publicado na revista Emerging microbes & infections, do grupo Nature.
Fonte: https://agencia.fiocruz.br/estudo-sequencia-genoma-do-virus-zika-encontrado-em-culex

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Clipping – SE 31 2017

Febre Amarela, Brasil:
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 24 casos. Do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 02 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ. Desses 09 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 02 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 30) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
No estado do Mato Grosso, a Secretaria de Saúde de Cuiabá está chamando a população para comparecer às salas de vacinação e regularizar o Cartão de Vacina em relação à Febre Amarela. Na capital, a prioridade é a Regional Sul e área rural, onde desde fevereiro, cadáveres de 12 macacos foram recolhidos e encaminhados para exame laboratorial. Só um teve resultado positivo para o vírus.  Dos demais animais encaminhados para exames, três apresentaram resultados negativos, cinco estão com resultados pendentes, um deles deu resultado preliminar detectável e  em dois o exame foi inviável.
Segundo a médica veterinária e gestora do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) com a localização do primeiro animal morto, a Vigilância em Saúde deu início às ações de orientação da população da região, de bloqueio vetorial, vacinação, monitoramento e investigação epidemiológica.
Fonte:http://www.riocomsaude.rj.gov.br/Publico/MostrarArquivo.aspx?C=CRZ35o1an1U%3d
(Informe Epidemiológico 078/2017 – SES RJ)
http://www.cuiaba.mt.gov.br/saude/secretaria-convoca-populacao-para-atualizar-a-vacinacao-contra-a-febre-amarela/15249

Difteria, Venezuela
Desde setembro de 2016 foram notificados 440 casos, 123 deles somente em 2017. Bolívar é um dos estados com mais acometidos, registrando mais de 280 casos, o que equivale a um aumento de 63,08%. Destes 30 óbitos foram registrados.
Fonte:http://www.eluniversal.com/noticias/estilo-vida/ano-aumentaron-447-los-casos-difteria-venezuela_663701

Hepatite A, Europa e EUA
Em Portugal, desde de o início do ano até final de julho, 402 casos foram confirmados. A maioria dos casos ocorreu nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo. Em sua grande maioria, afetou pessoas do sexo masculino (88%) e, mais da metade foi por contaminação sexual (52%). A vacinação foi reforçada antes dos principais festivais de verão e a Direção Geral de Saúde fez recomendações para que medidas preventivas fossem tomadas durante esses eventos, assim como, o alerta dos profissionais de saúde com a vigilância de sintomas compatíveis com hepatite A. Este surto vêm acometendo pessoas em toda a Europa.
Nos Estados Unidos, os surtos de hepatite A entre as pessoas sem-teto nos municípios de San Diego e Santa Cruz, levaram um alerta das autoridades de saúde de Los Angeles pedindo aos médicos e aos profissionais de saúde que busquem e relatem quaisquer casos confirmados. O alerta foi emitido porque a doença tem o potencial de se espalhar por Los Angeles. Até a semana passada, havia 275 casos notificados e oito mortes em San Diego e em Santa Cruz, 38 casos foram confirmados.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/portugal-hepatitis-outbreak-tops-400-cases-72562/
http://www.dailynews.com/health/20170731/la-county-on-alert-after-hepatitis-outbreaks-among-homeless-in-california-counties

Zika Vírus transmissão sexual, Flórida
O Departamento de Saúde da Flórida relatou o primeiro caso confirmado de Zika transmitida sexualmente na Flórida em 2017. A investigação do caso apontou para esse desfecho, pois não há evidências de casos de Zika transmitidas por mosquitos em qualquer lugar da Flórida e o caso não apresentava histórico de viagem, porém o parceiro contactante esteve recentemente em Cuba e voltou com sintomas característicos de Zika. Ambos apresentaram teste laboratorial positivo, confirmando a hipótese de transmissão pessoa-pessoa por relação sexual.
Fonte:http://www.floridahealth.gov/newsroom/2017/08/080117-zika-update.html

Corona Vírus (MERS-Cov), Arábia Saudita
De acordo com o monitoramento do Centro de Comando e Controle do Ministério da Saúde local, na semana epidemiológica 31 foram confirmados mais 4 casos da doença, um deles teve contato direto com camelo e apresentou sintomas característicos e encontra-se estável, dois continuam em investigação e estão em estado crítico de saúde e o último caso registrado é contactante de um sintomático em estado crítico, o contactante encontra-se em estado estável de saúde.
Fonte: http://www.moh.gov.sa/en/CCC/PressReleases/Pages/default.aspx?PageIndex=1

Cólera, Filipinas
O Departamento de Saúde de Filipinas junto com a Vigilância Epidemiológica local identificou um aglomerado de casos de diarréia na semana epidemiológica (SE) 29 na província de Misamis Oriental. No início desta SE 31, o total de casos suspeitos de cólera atingiu 557, desses, 50% dos casos eram do sexo feminino, a distribuição por faixa etária variaram de 6 meses a 86 anos de idade, com uma média de 21 anos. Além de diarréia, os pacientes também apresentaram outros sinais e sintomas que incluem dor abdominal, vômito, dor no corpo e anorexia. Dezenove (19) casos testaram positivo para Vibrio cholerae.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/cholera-cluster-reported-misamis-oriental-philippines-41221/

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 29, nenhum caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 751 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 29 de julho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk30.pdf

Síndrome de Haff, Recife, PE, Brasil
A Secretaria Estadual de Saúde está investigando uma notificação do Real Hospital Português, de dois pacientes que deram entrada com dor muscular intensa e suspeita de Síndrome de Haff. Uma das possíveis causas da mialgia aguda é a ingestão de peixes contaminados por toxinas, porém outros agentes podem causar os mesmos sintomas (chikungunya, influenza e citomegalovírus). A SES coletou material diagnóstico para encaminhar ao Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE). Já foi encaminhado um alerta com recomendação aos serviços locais para a notificação e investigação imediata em 24 horas além do informe do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde da Bahia por ocasião de um surto registrado em dezembro de 2016.
Fonte:http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/cadernos/vida-urbana/2017/08/02/interna_vidaurbana,172938/estado-investiga-casos-de-urina-preta.shtml

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 30, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos. Do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do Rio de Janeiro. Desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 30) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO CIEVS SES RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 29 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 12.095 amostras, destas 9.578 foram processadas e 32,7% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.937 (61,8%) foram detectados vírus influenza e 1.200 (38,3%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A (H3N2) com 1.477 (76,3%) e Influenza B com 394 (20,3%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 801 (66,8%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.817 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,3% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 305 (16,8%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (3,0%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 32 (10,5%) influenza A não subtipado, 61 (20,0%) por influenza B e 203 (66,6%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,8%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/julho/26/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-29.pdf

Hepatite A, San Diego, EUA
Desde o início de 2017, a Divisão de Serviços de Saúde Pública, no Condado de San Diego Saúde e Agência de Serviços Humanos, vem investigando um surto de Hepatite A. Até o momento, nenhuma fonte comum de alimentos, bebidas, ou outra causa foi identificada como resultado, a fonte do surto permanece indeterminada. Desde o início até o dia 25 de julho houve 275 casos, 15 óbitos e 194 hospitalizações (71%).
Fonte:http://www.sandiegocounty.gov/content/sdc/hhsa/programs/phs/community_epidemiology/

Vírus Powassan, Nova Iorque, EUA
O escritório de Saúde Pública do condado de Schuyler informou 3 casos recentes do vírus Powassan identificados no Condado de Saratoga, Nova York. O vírus Powassan (POW) é transmitido aos humanos por carrapatos infectados. Os sintomas mais frequentes incluem febre, dor de cabeça, perda de coordenação e convulsões, e pode levar a sintomas mais graves como inchaço do cérebro e da medula espinhal e até levar à morte. O vírus POW é raro, com apenas 26 casos observados em Nova York de 2004 a 2016.
Fonte:http://www.observer-review.com/rare-tick-virus-is-now-in-state-cms-5800

Cólera, Ásia e África
O primeiro surto de 2017 no Quênia foi controlado em abril na cidade de Tana River County, porém uma segunda onda de surto iniciou também em 02 abril da cidade de Garissa County se espalhando para outras 9 cidades, inclusive em campos de refugiados, até 17 de Julho 2017, um total de 1216 casos suspeitos incluindo 14 mortes (letalidade – 1,2%) foram relatados. Do total de casos, 124 testaram positivo para Vibrio cholerae e 18 para Vibrio cholerae Ogawa.
Até 25 de julho, o número de casos de cólera notificados no Iêmen atingiu 402.484 casos suspeitos, incluindo 1.880 óbitos (letalidade – 0,5%) em três meses de surto (desde 27 de abril). Especialistas esperam que o número atual de casos suspeitos de cólera pelo menos dobre até o final de 2017 para mais de 600.000 – ou um em cada 45 iemenitas.
Na Somália​, o surto de cólera se espalhou para 16 das 18 regiões do país, registrando 69.948 casos desde o início de 2017 com 1.119 óbitos (letalidade – 1,6%). Os surtos de cólera também são confirmados nos países fronteiriços da Etiópia e Sudão do Sul.
No Sudão​, casos relatados em 15 estados em agosto de 2016 a 09 de julho de 2017, registrando 21.781 casos suspeitos com 418 óbitos (letalidade – 1,9%).
Fonte: http://www.who.int/csr/don/21-july-2017-cholera-kenya/en/
http://outbreaknewstoday.com/yemen-cholera-outbreak-eclipses-400000-cases-3-months-32341/
http://applications.emro.who.int/docs/epi/2017/Epi_Monitor_2017_10_29.pdf

Doença mão-pé-boca, Japão (ERRATA)
As autoridades de saúde do Japão alertaram para os frequentes registros de crianças infectadas pela doença mão-pé-boca. Do final de junho até a primeira semana de julho, 18.100 novos casos foram notificados no arquipélago japonês. A doença mão-pé-boca é uma doença viral caracterizada pela ocorrência de erupções nos três pontos do corpo, e que afeta principalmente crianças ​pequenas. A maioria dos afetados na região, foram crianças entre 1 e 2 anos e as cidades onde mais casos foram registrados recentemente é o de Tottoti (oeste), Miyazaki (sul), Shiga (centro) e Kochi (sul). O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas considera que o surto poderia atingir um pico em duas a três semanas e as autoridades aconselharam que as crianças lavem bem as mãos com sabão e orientou as creches e outras instalações para desinfectar itens utilizados por mais de uma criança.
Fonte:http://www.alternativa.co.jp/Noticia/View/70584/Japao-teme-epidemia-de-doenca-mao-pe-boca-18-mil-criancas-ja-foram-infectadas

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 29, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 751 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 22 de julho de 2017. Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk29.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 29, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe Epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos. Do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ. Desses, 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro, até a semana epidemiológica 28, apresentou 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO CIEVS SES RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 28 de 2017 as unidades sentinelas de Síndrome Gripal coletaram 11.692 amostras, destas 9.271 foram processadas e 32,6% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.866 (61,8%) foram detectados vírus influenza e 1.155 (38,2%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do vírus influenza A (H3N2) com 1.430 (76,6%) e Influenza B com 372 (19,9%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 67,5% (780).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A (H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A (H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A (H3N2).
Foram notificados 1.726 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o que corresponde a 12,2% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 285 (16,5%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (3,2%) decorrentes de influenza (H1N1)pdm09, 28 (9,8%) influenza A não subtipado, 54 (18,9%) por influenza B e 194 (68,1%) influenza A (H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 31,9%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/julho/19/Informe-Epidemiologico_Influenza-2017-SE-28.pdf

Febre Maculosa, Piracicaba, SP, Brasil
O município de Piracicaba já soma 4 casos com 2 óbitos para febre maculosa, números semelhantes de todo o ano de 2016 (4 casos e 2 óbitos). Em 2015 foram registrados 4 casos com 3 óbitos. Durante o período seco do ano (inverno) na região, a tendência é aumentar a proliferação de carrapato nas áreas verdes e margens de rios, córregos e lagoas. A Secretaria de Saúde alerta sobre o risco de contaminação para quem costuma visitar as áreas de risco da cidade. Estes lugares se tornam destino certo dos principais hospedeiros do carrapato-estrela (responsável pela doença) , as capivaras, em busca de alimento.
Fonte:http://www.piracicaba.sp.gov.br/secretaria+da+saude+orienta+sobre+febre+maculosa.aspx

Sarampo, Itália
Na Itália, 3501 casos foram relatados até agora, incluindo 2 mortes, 89% dos casos não foram vacinados e 7% receberam apenas uma dose de vacina. A distribuição de casos por idade média, foi de 27 anos. A maioria dos casos (73%) tem sido relatado em pessoas de idade maior ou igual a 15 anos; 210 casos em pessoas menores de um ano de idade. Do total de casos relatados, 255 são trabalhadores de saúde.
Fonte:http://www.epicentro.iss.it/problemi/morbillo/bollettino/Measles_WeeklyReport_N16eng.pdf

Febre Aftosa Humana, Japão
Um surto de febre aftosa no Japão preocupa as autoridades. Do final de junho até a primeira semana de julho, 18.100 novos casos foram notificados no arquipélago japonês. A febre aftosa humana, também conhecida como doença de mão, pé e boca, é uma doença viral caracterizada pela ocorrência de erupções nos três pontos do corpo, e que afeta principalmente crianças pequenas. A maioria dos afetados na região, foram crianças entre 1 e 2 anos e as cidades onde mais casos foram registrados recentemente é o de Tottoti (oeste), Miyazaki (sul), Shiga (centro) e Kochi (sul). O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas considera que o surto poderia atingir um pico em duas a três semanas e as autoridades aconselharam que as crianças lavem bem as mãos com sabão e orientou as creches e outras instalações para desinfectar itens utilizados por mais de uma criança.
Fonte:http://www.eldiario.es/sociedad/afectados-fiebre-aftosa-humana-Japon_0_666683363.html

Cólera, Iêmen
Segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) do dia 19 de julho de 2017, a situação do surto de cólera no Iêmen vem sendo controlada com ações em parceria com entidades de saúde. Os números absolutos até o momento atingem 362.545 casos suspeitos com 659 casos confirmados laboratorialmente e 1817 óbitos relatados e 21 estados e 121 distritos afetados. A taxa de letalidade reduziu desde os primeiros meses de surto, hoje encontra-se em 0,5%, portanto 99,5% dos casos suspeitos de cólera sobrevivem.
Fonte:http://www.emro.who.int/images/stories/20170719_WHO_cholera_SitRep_4_v2.pdf?ua=1

Influenza H7N9, China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 28, um caso novo foi confirmado na última semana, totalizando 750 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 15 de julho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk28.pdf

Raiva, Malásia
O Departamento de Serviços Veterinários do Estado deve aplicar rigorosamente um processo de quarentena para animais como cães e gatos que entram no país como medida preventiva para conter a propagação da raiva. Outras 3 áreas foram declaradas como novas áreas infectadas pela raiva, mostrando que a doença se espalhou para Sri Aman e Siburan. A população foi convocada a vacinar seus animais e sendo informada quanto as possibilidades outras de contaminação além das mordidas, como contato imediato de olhos, boca ou nariz com a saliva dos animais infectados.
Fonte:http://www.theborneopost.com/2017/07/20/strictly-enforce-quarantine-process-for-animals-department-urged/

Dengue, Siri Lanka
A Unidade de Epidemiologia do Ministério da Saúde (MS) Sri Lanka relatou 80.732 casos de dengue, incluindo 215 mortes, no período entre 1 de Janeiro a 7 de julho de 2017. Este número de casos é 4,3 vezes mais elevada do que a média do número de casos para o mesmo período entre 2010 e 2016. Aproximadamente 43% dos casos de febre de dengue foram relatados na Província de Western com maior número de casos em Colombo Distrito (18.186) seguido por Gampaha (12.121), Kurunegala (4.889), Kalutara (4.589), Bacaloa (3.946), Ratnapura (3.898), e Kandy (3.853).
Fonte:http://www.who.int/csr/don/19-july-2017-dengue-sri-lanka/en/

Casos de Hepatite A em homens que fazem sexo com homens em Israel associados ao surto da Europa (dezembro 2016 – junho 2017):
Entre dezembro de 2016 e junho 2017, 19 casos de hepatite A (VHA) foram confirmados por exame sorológico em Israel, 17 dos quais estavam entre homens que fazem sexo com homens (HSH), a maioria dos casos foram identificados na área de Tel Aviv com distribuição de idade média de 31 anos e história de viagem para países da Europa 2 meses antes do início dos sintomas. Duas das três cepas circulantes em HSH na Europa foram identificados em Tel Aviv. O estudo demonstrou que, apesar de um programa de vacinação eficiente, HAV pode ainda ser transmitida para uma população de alto risco não vacinada nascidas em Israel antes de 1999.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22840

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 28, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 27) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Imunização: Os moradores do Estado do Rio de Janeiro que não receberam nenhuma dose da vacina contra a febre amarela devem ser vacinados contra a doença. Isso porque, a partir de agora, o estado faz parte da Área com Recomendação de Vacinação Permanente para Febre Amarela. Assim, quem mora ou viaja ao Rio de Janeiro deve ser vacinado. O Ministério da Saúde recomenda a imunização para pessoas na faixa etária de seis meses a 59 anos de idade, que nunca tenham tomado alguma dose da vacina.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/svs

Parotidite (Caxumba), Minas Gerais
A chegada das férias escolares e a intensificação das viagens acende o alerta entre autoridades de saúde mineiras, diante do aumento dos casos de caxumba. De janeiro a junho deste ano, 1.883 pessoas foram infectadas pela doença no estado, o que representa aumento de 80% em relação ao mesmo período de 2016, quando foram computados 1.043 diagnósticos. O ano passado houve o maior número de casos da doença nos últimos 15 anos, com 3.011 pacientes infectados. Em relação a esse total, o acumulado de 2017 já representa 62,5%. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais informou que nos casos deste ano a maioria acometeu jovens e adultos, justificado pela cobertura vacinal da tríplice viral para crianças de um ano ser de 98,93% com uma dose da vacina, número considerado adequado para primeira dose e para a segunda dose, a partir dos 15 meses, a cobertura é de 88,38%, abaixo da meta mínima de 95% recomendada.
Fonte:http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2017/07/07/interna_gerais,881979/caxumba-ataca-adultos-em-minas-gerais-por-falta-de-vacinacao.shtml
http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/story/9519-ses-mg-reforca-importancia-da-imunizacao-contra-o-sarampo

Febre do Nilo, Toronto, Canadá
A Saúde Pública do Canadá confirmou o primeiro caso positivo para vírus do Nilo Ocidental deste ano. Outros 2 casos suspeitos ainda estão em investigação. A Agência de Saúde Pública de Toronto informou que o risco de infecção é baixo mas que a população deve se manter atenta aos possíveis criadouros de mosquito e as formas de proteção da doença.
Fonte:http://www.cbc.ca/news/canada/toronto/toronto-west-nile-1.4192721
http://www.correiodamanhacanada.com/toronto-relata-primeiro-caso-humano-de-virus-do-nilo-ocidental/

Sarampo, Europa
Na Itália, 3346 casos foram relatados até agora este ano, incluindo 2 mortes, quase todas as regiões (18/21) relataram casos, mas 90% tem ocorrência em Piedmont, Lazio, Lombardia, Toscana, Abruzzo, Veneto e Sicília, 88% dos casos não foram vacinados e 7% receberam apenas uma dose de vacina. A distribuição de casos por idade média, foi de 27 anos. A maioria dos casos (73%) tem sido relatado em pessoas de idade maior ou igual a 15 anos; 200 casos em pessoas menores de um ano de idade. Do total de casos relatados, 252 são trabalhadores de saúde.
Na Romênia o número total de casos confirmados, até o dia 07 de julho, atinge 7647 com 31 óbitos. De todos os casos, a distribuição dos casos por idade prevalecem na faixa etária de 1 a 4 anos (3010 casos).
Fonte:http://www.epicentro.iss.it/problemi/morbillo/Infografica2017.asp
http://www.cnscbt.ro/index.php/informari-saptamanale/rujeola-1/723-situatia-rujeolei-in-romania-la-data-de-07-07-2017/file

Ebola, República Democrática do Congo, África
A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou oficialmente o fim do surto de Ebola que acometeu recentemente o Congo, após mais de 40 dias sem casos novos (referente a dois ciclos de incubação do vírus). O surto infectou 8 indivíduos, dos quais 4 morreram. Em torno de 583 contatos dos infectados foram registrados e monitorados de perto, mas nenhum desenvolveu sinais ou sintomas da doença. Contudo, a vigilância reforçada no país continuará, bem como o fortalecimento da preparação e prontidão para os surtos de Ebola.
Fonte:http://www.contagionlive.com/news/ebola-outbreak-officially-over-in-drc

Cólera, Iêmen (Ásia), Nigéria (África)
O número de casos suspeitos de cólera no Iêmen de 27 de abril a 07 de julho de 2017, somam 297.438 casos registrados com 1706 óbitos, atingindo a taxa de letalidade 0.6% e uma taxa de ataque de 10%. Os locais com maior incidência de casos foram os quatro distritos Amanat Al Asimah, Al Hudaydah, Hajjah e Amran com 47,3% dos casos relatados. O distrito de Amran apresentou a maior taxa de ataque 20.5%, e ainda, um total de 31.424 casos e 147 óbitos.
No início da SE 28, a OMS confirmou o total de 1.732 óbitos entre os 313.538 casos suspeitos espalhados 21 províncias iemenitas.
Na Nigéria o surto identificado em 1 de maio soma o total de 1558 casos suspeitos, incluindo 11 óbitos (taxa de mortalidade por caso: 0,7%). Treze destes casos foram confirmados por cultura em laboratório, 50% dos casos suspeitos relatados são do sexo masculino e 49% do sexo feminino. Os casos estão distribuídos em todas as faixas etárias.
Um importante fator de risco local é a falta de acesso à água potável e precárias condições de higiene.
Fonte:http://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/Yemen_epi_d_update_20170708.pdf
http://aa.com.tr/en/middle-east/cholera-epidemic-kills-1-732-in-yemen-who/858697
http://www.who.int/csr/don/12-july-2017-cholera-nigeria/en/

Dengue, Sri Lanka, Ásia
O Sri Lanka passa pela pior epidemia de dengue somando mais de 200 óbitos em 2017. O governo já contratou mais de quinhentos militares e médicos para lidar com a epidemia. Somente no primeiro semestre de 2017 os casos já chegam a mais de 77 mil contra os 55.150 em 2016. Além de atacar os pontos susceptíveis de reprodução do mosquito, as autoridades vão pulverizar as áreas afetadas para matar insetos adultos.
Fonte:https://es-us.noticias.yahoo.com/sri-lanka-sufre-peores-epidemias-dengue-225-muertos-141000584.html

Influenza H7N9, China
O Centro de Proteção à Saúde (CHP) do Departamento de Saúde confirmou um caso humano de H7N9 na região de Xinjiang. O paciente do sexo masculino, de 35 anos, que estava em monitoramento e foi a óbito em final de junho, trabalhava com venda de frangos vivos no mercado. Com este caso, o total de casos confirmados chega a 749 na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 08 de julho de 2017, de acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 27.
Fonte:http://www.info.gov.hk/gia/general/201707/07/P2017070700865.htm
http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk26.pdf

Risco internacional de Febre Amarela a partir do surto no Brasil, em dezembro de 2016 a maio de 2017 (Artigo científico):
Os estados do sudeste do Brasil foram recentemente afetados pelo maior surto de Febre Amarela (FA) visto nesta década na América Latina. Foi feita uma avaliação quantitativa do risco de propagação internacional relacionada com viagens para regiões do sudeste do Brasil. Concluiu-se que os Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Espanha, Itália e Alemanha podem ter recebido pelo menos um caso FA relacionados com viagens ao Sudeste Brasil capazes de iniciar com o ciclo de transmissão local, principalmente aos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22834

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 27, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 23 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 05 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 27) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 72 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 26 as unidades sentinelas de SG coletaram 10.954 amostras, destas 8.664 foram processadas e 32,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.760 (61,8%) foram detectados vírus influenza e 1.090 (38,3%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 1.360 (77,3%) e Influenza B com 338 (19,2%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 740 (67,9%).
A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2).
Foram notificados 1.560 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 12,0% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 261 (16,7%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (3,4%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 24 (9,2%) influenza A não subtipado, 50 (19,2%) por influenza B e 178 (68,2%) influenza A(H3N2) . O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 33,3% (87/261), em relação ao país.
O Hospital Maternidade de Campinas suspendeu por tempo indeterminado a internação e o recebimento de grávidas acima de 20 semanas. Já as gestantes em trabalho de parto estão sendo atendidas. Foi necessária ainda a adoção de medidas restritivas na UTI, como a permissão exclusiva apenas para pais nas visitas na unidade. A suspensão acontece para o controle dos casos do vírus sincicial respiratório, na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e será mantida até que o problema seja resolvido.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/julho/05/Informe-Epidemiologico_Influenza%202017-SE-26.pdf
http://www.portalcbncampinas.com.br/2017/06/maternidade-de-campinas-suspende-internacoes-por-conta-de-surto-viral/

Leishmaniose Visceral Canina, SP, Brasil
A Prefeitura de Valinhos confirmou 24 casos de leishmaniose visceral em cachorros. Quatro animais morreram e um foi submetido a eutanásia devido ao estado avançado. Outras 114 ocorrências são investigadas. A cidade ainda não havia registrado a doença, embora o mosquito vetor já circulasse desde 2013, segundo a Superintendência de Controle de Endemias. A primeira confirmação foi em maio, no Jardim Paraná. As demais foram nos bairros Nova Suíça e Clube de Campo.
Já em Campinas, a situação da leishmaniose é considerada controlada. Neste ano, houve um caso confirmado em cão, mas outros três estão sendo investigados.
No estado de São Paulo, no ano passado foram 114 ocorrências, com nove mortes. Não há confirmações em pessoas.
A doença é causada pelo protozoário Leishmania chagasi e é transmitida pela picada do mosquito flebótomo. Pode atacar o ser humano e cães e é sem cura completa, podendo levar à morte em mais de 90% dos casos se não tratada.
Fonte:http://www.portalcbncampinas.com.br/2017/06/valinhos-confirma-16-casos-de-leishmaniose-canina/
https://goo.gl/rB5RmL

Chikungunya, MG, Brasil
Distribuição dos casos de Chikungunya no estado de Minas Gerais em 2017, até o momento, totalizam em 16.995 casos prováveis. Deste total de casos prováveis, 101 são gestantes e 34 são confirmadas para chikungunya pelo critério laboratorial. Foram registrados 22 óbitos com suspeita de chikungunya: 19 estão em investigação, 2 foram descartados e 1 foi confirmado no município de Governador Valadares. Esse óbito confirmado teve início dos sintomas em março deste ano.
Fonte:http://www.saude.mg.gov.br/images/icones/Boletim_Aedes_03-07-2017.pdf
http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/story/9571-ses-mg-confirma-obito-por-chikungunya

Raiva Humana, PE, Brasil
A causa da morte da paciente que foi a óbito no Hospital Universitário Oswaldo Cruz, no bairro de Santo Amaro, no Recife, na semana passada (29/06/2017), foi confirmada como infecção de Raiva Humana.
O Centro de Vigilância Ambiental (CVA) informou que a transmissão ocorreu quando o gato de rua contaminado pelo vírus mordeu a paciente, que era dona de um pet shop no bairro da Boa Vista.
Fonte:https://goo.gl/3Kgam7

Hepatite A, Europa
Agência Regional de Saúde foi alertada sobre 6 casos de hepatite A em adultos e outros 3 em crianças atendidos no Hospital em Limoges, França. As autoridades ainda não falam em epidemia, mas se colocaram em alerta sobre aparecimento de novos casos. A origem do vírus ainda é desconhecida e as análises estão em andamento. As medidas de higiene tem sido incentivada na região assim como evitar o consumo da água de origem duvidosa.
Em Portugal, 322 casos já foram confirmados entre os 378 notificados desde o início do ano, segundo o último balanço da Direção Geral da Saúde (DGS). De acordo com os dados da DGS, este surto, que começou no início do ano e afeta outros países europeus, atingiu sobretudo homens (89%) e em mais de metade dos casos (52%) o contágio deu-se por contacto sexual. A DGS, em decorrência do surto de hepatite A, reforçou a vacinação antes dos grandes festivais de verão e está aconselhando a adoção de medidas de prevenção durante esses eventos.
Fonte:http://www.dn.pt/sociedade/interior/confirmados-322-casos-de-hepatite-a-em-portugal-desde-o-inicio-do-ano-8596640.html
http://www.lanouvellerepublique.fr/Indre/Actualite/Faits-divers-justice/n/Contenus/Articles/2017/07/04/Le-Magny-Indre-neuf-cas-declares-d-hepatite-A-3155913

Tétano, Itália, Europa
Um menino, não vacinado, de 10 anos desenvolveu o tétano depois de cair da bicicleta e cortar a cabeça na Sardenha no final de junho. Este é o 1º caso em crianças na Itália em 30 anos, de acordo com um porta-voz do Instituto Nacional de Saúde do país. Durante o atendimento, os médicos sugeriram a vacinação contra o tétano como uma precaução, mas os pais, aparentemente, recusaram. Este caso reforça a lei recente de vacinação obrigatória para inscrição nas escolas. De acordo com a nova lei, as famílias que não vacinam seus filhos entre 6 e 16 anos serão multadas e dirigidas para marcar uma consulta no centro de saúde mais próximo.
Fonte:https://www.vanityfair.it/news/approfondimenti/2017/06/29/10-anni-prende-il-tetano-burioni-il-vaccino-non-e-unopinione
http://www.ansa.it/english/news/general_news/2017/06/28/first-tetanus-case-in-30-years_afb31c37-713f-4623-90bf-384dad9fd460.html

Sarampo, Portugal, Europa
De acordo com o Serviço Nacional de Saúde de Portugal, a epidemia do sarampo, iniciada em fevereiro de 2017, é considerada, agora, controlada, visto que foram ultrapassados mais de dois períodos de incubação sem novos casos (o último caso ocorreu em 10 de maio). Porém, uma vez que continuam a existir surtos de sarampo na Europa, deve ser mantido o nível de alerta elevado, tendo em conta a possibilidade de importação de casos.
Fonte: https://www.sns.gov.pt/noticias/2017/07/05/fim-da-epidemia-do-sarampo/

Meningite, Romênia, Europa
Um estudante romeno de 17 anos, diagnosticado com meningite bacteriana, morreu na semana passada e outros 18 adolescentes foram hospitalizados com sintomas semelhantes. No total, em torno de 200 casos suspeitos foram atendidos até 18 de junho. Os casos suspeitos, inclusive o óbito, confirmado, haviam participado de uma festa na vila de Purcareni uma semana antes do início dos sintomas.
Fonte:https://www.romania-insider.com/romanian-teenager-meningitis-dies-hospital-2017/

Febre de Lassa, Nigéria, África
A partir de 9 de junho de 2017, um total de 501 casos suspeitos, incluindo 104 óbitos, foram relatados desde o início da atual temporada de surtos de febre de Lassa em dezembro de 2016. Dos casos relatados, 175 foram confirmados em laboratório, incluindo 59 dos óbitos. Durante o surto atual da febre de Lassa, 17 estados nigerianos (Anambra, Bauchi, Borno, Cross-River, Ebonyi, Edo, Enugu, Gombe, Kaduna, Kano, Kogi, Nasarawa, Ogun, Ondo, Planalto, Rios e Taraba) relataram pelo menos um caso confirmado. A febre de Lassa é conhecida por ser endêmica em vários países da África Ocidental, incluindo a Nigéria.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/28-june-2017-lassa-fever-nigeria/en/

Raiva Humana, Sarawak, Malásia
O diretor-geral da saúde divulgou na última sexta-feira que há 3 crianças infectadas com vírus da raiva no distrito de Serian. Inicialmente o diagnóstico era encefalite viral, porém, durante a investigação, descobriu-se que duas das vítimas haviam sido mordidas por um cachorro cerca de um mês ou dois antes da manifestação dos sintomas, mas não há confirmação de agressão para a terceira vítima. O resultado para raiva foi confirmado laboratorialmente para os 3 casos. Diante da situação, o Ministério da Saúde tomou uma série de medidas de controle e prevenção, incluindo investigação abrangente e identificação ativa e passiva, emissão de alertas para todas as instalações públicas e privadas de saúde na região de ocorrência dos casos.
Fonte:http://www.theborneopost.com/2017/07/01/three-children-infected-with-rabies-in-sarawak/

Influenza A(H7N9), China, Ásia
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 26, seis casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 748 casos registrados e confirmados na China Connental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 01 de julho de 2017.
Em Taiwan, os casos continuam aumentando, de acordo com CDC (Centers for Disease Control and Prevenon), no último período anual de gripe (30 de junho de 2016 a 1 de julho de 2017 ), foram 859 casos graves com 79 mortes.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk26.pdf

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 26, 2017

Febre Amarela, Rio de Janeiro, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 22 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 04 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 24) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 68 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Leptospirose, Alagoas, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde – SESAU por meio desta NOTA INFORMATIVA apresenta as informações disponíveis sobre o registro de casos de leptospirose, no pós-enchente, por meio do monitoramento realizado pelo CIEVS/SES/AL, a partir da informação oriunda dos serviços de saúde e da busca ativa. Até o momento, considerando o período de 30/05 a 22/06 foram identificados 57 casos suspeitos de leptospirose, desses, 10 (17,5%) evoluíram para óbito. Dentre os 47 casos notificados (excluídos os óbitos), têm-se 11 confirmados e 36 em processo de investigação com maior número de notificações registrado em Atalaia (42%), mas o maior número de confirmações é de Maceió (8). Dentre os 10 óbitos conhecidos, tem-se 6 confirmados e 4 em investigação.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/2017/06/22/nota-informativa-casos-de-leptospirose-pos-enchentes_22-06-2017/

Raiva Humana, Recife, Brasil
A paciente com suspeita de raiva humana que estava internada na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, no bairro de Santo Amaro, no Recife, morreu no início da noite desta quinta-feira (29/06/2017). A unidade de saúde confirmou a morte, no entanto, a causa primária ainda não foi divulgada oficialmente, mas a principal suspeita é a de raiva. Como causa secundária, foi registrada a falência múltipla dos órgãos. Agora, o corpo será encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito (SVO) para que, através de perícias específicas no cérebro da paciente, seja constatada a real causa da morte.
Fonte:http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/saude/noticia/2017/06/29/moradora-do-recife-com-suspeita-de-raiva-humana-morre-no-hospital-292547.php

Coxsackie, México
O Ministério da Saúde emitiu um alerta para o vírus Coxsackie, responsável pela Síndrome mão-pé-boca. A transmissão do vírus é de forma direta, por meio da saliva, fezes e secreções respiratórias, assim, altamente contagioso, principalmente entre as crianças menores de 5 anos. Apesar de não haver comparação com anos anteriores, as autoridades de saúde relatam que casos vem aumentando muito em 2017.
Fonte:https://www.debate.com.mx/salud/ALERTA-Virus-Coxsackie-amenaza-a-bebes-en-estos-estados-20170629-0060.html

Sarampo, EUA e Europa
Segundo o Departamento de Saúde de Minnesota, EUA​, foram confirmados 78 casos de sarampo de janeiro até junho de 2017. Esse quantitativo é maior do que o observado na série histórica de 1997-2016, que somam 56 casos. De todos os casos desse ano, 88,5% aconteceram em Hennepin County, 94,9% crianças (com idades entre 0-17 anos) e 83,3% de raça/etnia somali de Minnesota.
Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle das Doenças (ECDC), a Romênia é o país com maior número de casos de Sarampo desde o ano passado até o atual momento. De acordo com o informe situacional da Romênia, de janeiro de 2016 até a SE 25 foram registrados 7282 casos com 30 óbitos e 1 ainda em investigação, a faixa etária mais afetada são crianças menores de 1 ano até os 9 anos (75,7%).
Em resumo, surtos de sarampo continuam ocorrendo em países da Europa. Existe o risco de propagação e de transmissão sustentada em áreas com populações susceptíveis. A cobertura nacional de vacinação continua a ser inferior a 95% para a segunda dose da vacina na maioria dos países da Europa. Dos 53 países da Região Européia, 24 conseguiram a meta de eliminação do sarampo, 13 de interromper a transmissão endêmica entre 12 e 36 meses e 6 países julgados ainda ter transmissão endêmica: Bélgica, França, Alemanha, Itália, Polônia e Romênia.
Fonte:http://www.health.state.mn.us/divs/idepc/diseases/measles/stats.html#1
https://ecdc.europa.eu/en/news-events/epidemiological-update-measles-monitoring-european-outbreaks-22-june-2017
http://www.cnscbt.ro/index.php/informari-saptamanale/rujeola-1/718-situatia-rujeolei-in-romania-la-data-de-23-06-2017/file

Hepatite A, Portugal, Europa
Em Portugal​, desde início de 2017 até a semana epidemiológica 26, de acordo com o Boletim Epidemiológico da Direção Geral de Saúde, 378 casos de Hepatite A foram  notificados, com 322 confirmados. Os principais acometidos são homens (89%), maior proporção de contaminação foi por contato sexual (52%) e a maioria dos casos foram identificados na Região de Lisboa e Vale do Tejo (76%).
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/hepatite-a.aspx

Cólera, Iêmen, Ásia
A epidemia de cólera se espalha rapidamente no Iêmen excedeu 200.000 casos suspeitos, aumentando a uma média de 5.000 por dia. A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o pior surto de cólera no mundo. Em apenas dois meses, a cólera se espalhou para quase todas as governadoria deste país devastado pela guerra. mais de 1.300 pessoas já morreram – um quarto delas crianças – e o número de mortos deve subir.
Fonte:http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2017/Cholera-Yemen/en/

Influenza A(H7N9), China, Ásia
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 24, dez casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 742 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 24 de junho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk25.pdf

Coronavírus (MERS-CoV), Arábia Saudita, Ásia
Entre 16 a 23 de junho foram confirmados mais 7 novos casos de coronavírus na Arábia Saudita, a distribuição por sexo foi de (85,7%) do sexo masculino e (14,3%) feminino, ocorreram 2 óbitos, atingindo a taxa de letalidade de 28,57%. De todos os casos, 42,9% residiam na cidade de Riyodh. O Ministério da Saúde da Arábia Saudita está avaliando cada caso e seus contatos e implementando medidas para limitar ainda mais a transmissão de humano para humano e controlar esses surtos.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/13-june-2017-mers-saudi-arabia/en/
http://www.who.int/csr/don/28-june-2017-mers-saudi-arabia/en/

Febre de Lassa, Nigéria, África
A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que desde o início do surto de Febre de Lassa na Nigéria (dezembro de 2016 até 09 de junho 2017), já foram notificados 501 casos, incluindo 104 óbitos, deste total foram confirmados laboratorialmente 189 incluindo 59 óbitos, atingindo a letalidade de 31,2% entre os confirmados. A Febre de Lassa atingiu até agora 17 estados nigerianos, com o surto estando ativo em 9 estados.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/28-june-2017-lassa-fever-nigeria/en/

Infecção prévia por dengue não agrava o quadro de Zika (Artigo científico)
A pessoa que contraiu o vírus Zika depois de já ter tido dengue aparentemente não apresenta uma enfermidade mais severa do que pessoas sem contato prévio com o vírus da dengue. Essa conclusão decorre de um estudo publicado no dia 20 de junho na revista Clinical Infectious Diseases, realizado com 65 pessoas que moravam em São José do Rio Preto, no norte do Estado de São Paulo, região em que a dengue é endêmica e na qual o Zika se disseminou durante a epidemia de 2016.
A equipe de pesquisadores examinou a quantidade de cópias do Zika no sangue de pessoas infectadas anteriormente com dengue e comparou com a encontrada no sangue daquelas jamais expostas ao vírus da dengue. Se a infecção prévia por dengue facilitasse a multiplicação do Zika, a quantidade de vírus Zika deveria ser bem mais elevada no organismo do primeiro grupo de pacientes. Não foi o que observaram: a concentração de vírus foi semelhante nos dois grupos. Se o incremento mediado por anticorpos ocorresse nessa situação, seria esperado que a concentração fosse dezenas de milhares de vezes maior. Os achados do estudo têm implicações de longo alcance, tanto epidemiológicas quanto para o desenvolvimento de vacinas.
Fonte: https://academic.oup.com/cid/article-abstract/doi/10.1093/cid/cix558/3872368/Viral-load-and-cyto

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 24 e 25, 2017

Febre Amarela,Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 22 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu (01 residente de São Pedro da Aldeia), 04 o município de Macaé, 03 o município de Maricá (01 residente em Niterói e 01 em São Gonçalo), 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Santa Maria Madalena, 01 o município de Cachoeiras de Macacu, e 01 o município de Bom Jesus do Itabapoana localizados no estado do RJ, desses 08 evoluíram para óbito (02 Porciúncula, 02 Macaé, 01 Casimiro de Abreu, 01 Maricá, 01 Silva Jardim e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 24) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 56 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 24 as unidades sentinelas de SG coletaram 10.001 amostras, destas 7.496 foram processadas e 33,0% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.509 (61,1%) foram detectados vírus influenza e 963 (39,0%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 1.149 (76,1%) e Influenza B com 296 (19,6%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 648 (67,3%). As regiões Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2). Foram notificados 1.284 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,5% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 219 (17,1%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 9 (4,1%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 20 (9,1%) influenza A não subtipado, 44 (20,1%) por influenza B e 146 (66,7%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 32,9%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/junho/21/Informe-Epidemiologico_Influenza-2017-SE-24.pdf

Leptospirose, Alagoas, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde – SESAU por meio desta NOTA INFORMATIVA apresenta as informações disponíveis sobre o registro de casos de leptospirose, no pós-enchente, por meio do monitoramento realizado pelo CIEVS/SES/AL, a partir da informação oriunda dos serviços de saúde e da busca ativa. Até o momento, considerando o período de 30/05 a 19/06 foram identificados 55 casos suspeitos de leptospirose, desses, 9 (17%) evoluíram para óbito. Dentre os 46 casos notificados (excluídos os óbitos), têm-se 11 confirmados e 36 em processo de investigação com maior número de notificações registrado em Atalaia (43%), mas o maior número de confirmações é de Maceió (9). Dentre os 9 óbitos conhecidos, tem-se 5 confirmados e 4 em investigação.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/wp-content/uploads/2017/06/NOTA-INFORMATIVA-CIEVS-n%C2%BA-26-3-2017-VIGIL%C3%82NCIA-LEPTOSPIROSE-20-jun-2017-1.pdf

Febre do Nilo Ocidental, Piauí, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) informou em nota dez casos suspeitos de Febre do Rio Nilo Ocidental (RNO). Os casos referem-se a resultados de exames laboratoriais realizados em 2017, no Instituto Evandro Chagas (IEC), laboratório referência do Ministério da Saúde. Em todos os exames, verificou-se reação cruzada (positividade simultânea) com pelo menos um outro flavivírus, dentre eles: zika, dengue e vírus da encefalite de Saint Louis (VESL). Dessas notificações, houve um óbito suspeito de paciente residente em Teresina/PI. Todos os casos têm sido acompanhados pela Secretaria de Estado da Saúde, que já adotou as providências pertinentes à Vigilância deste agravo.
Fonte:http://www.saude.pi.gov.br/noticias/2017-06-15/8057/nota-febre-do-nilo-ocidental.html

Leishmaniose Visceral Canina, Brasil
A Secretaria de Saúde de Valinhos, São Paulo ​divulgou essa semana, a confirmação de 16 casos de Leishmaniose Visceral canina no município. Deste, 4 foram a óbito e outros animais aguardam resultados para iniciar, ou não, o tratamento. O primeiro caso foi registrado em maio, no bairro Jardim Paraná. Outros casos posteriores foram confirmados nos bairros de Nova Suíça e Clube de Campo. Desde 2013, a Superintendência de Controle de Endemias vem registrando a presença do mosquito vetor no município.
A Coordenadoria de Vigilância em Saúde confirmou o primeiro caso autóctone de Leishmaniose Visceral Canina no município de Macapá, Amapá​. As secretarias de saúde estadual e municipal iniciaram uma ação de vigilância, conforme o protocolo do Ministério da Saúde, no bairro Jardim Marco Zero, possível área de transmissão da doença. A ação consiste em um inquérito sorológico censitário nos cães do bairro, além de uma pesquisa entomológica para capturar o vetor flebotomíneo também conhecido como mosquito palha, responsável pela transmissão da Leishmaniose visceral.
Fonte:http://www.valinhos.sp.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=9412:valinhos-registra-primeiros-casos-de-leishmaniose-visceral-canina&catid=34:noticias&Itemid=93
http://www.saude.ap.gov.br/conteudo.php?id=15471

Tentativa de suicídio, Colômbia
Na semana epidemiológica 23 de 2017, foram notificados 910 casos de tentativa de suicídio, no mesmo período em 2016 tinham sido notificados apenas 344 casos. O total de notificações de 2017 somam 10.833 casos de tentativa de suicídio. Dos casos notificados, 46,4% ocorreram nos estados de Antioquia, Valle del Cauca, Bogotá, Cundinamarca e Nariño. A distribuição dos casos tem maior proporção no sexo feminino (62,2%) e se destaca a distribuição pela faixa etária de 15 a 19 anos (29,4%). Sobre fatores relacionados a tentativa de suicídio, em 55,3% dos casos relatados apresentaram conflitos recentes entre casal, sintomas depressivos, problemas econômicos e perda de laços afetivos.
Fonte:https://goo.gl/TDESJf

Hepatite E, África e Ásia
A epidemia de Hepatite E, declarada desde abril passado na região de Diffa, no sudeste do Níger, África, já deixou 34 mortes de um total de mais de 876 casos notificados. As mulheres estão sendo particularmente mais afetadas e a maior parte dos casos estão entre as populações refugiadas. Para combater a epidemia, os trabalhadores de saúde em Diffa e trabalhadores humanitários realizaram campanhas de prevenção constantes, particularmente higiene, e melhora nos pontos de acesso para sistemas de água potável e saneamento.
Na Índia​, Ásia estão confirmando um surto de Hepatite E na aldeia de Ahmedabad, no distrito de Kulgam, por fornecimento de água altamente contaminada. A partir de 8 casos de icterícia registrados, 5 já estão testados positivamente.
Fonte:https://kashmirobserver.net/2017/local-news/hepatitis-e-outbreaks-kulgam-village-19065
http://outbreaknewstoday.com/hepatitis-e-outbreak-update-in-diffa-niger-32434/

Hepatite A, mundo
Em Portugal , desde início de 2017 até a semana epidemiológica 23, de acordo com o Boletim Epidemiológico da Direção Geral de Saúde, 327 casos de Hepatite A foram notificados, com 280 confirmados. Os principais acometidos são homens (91%) e a maioria dos casos foram identificados na Região de Lisboa e Vale do Tejo (159). Segundo a Organização Mundial da Saúde, 15 países europeus (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Países Baixos, Noruega, Portugal, Eslovênia, Espanha, Suécia e Reino Unido) relataram 1.173 casos. No Chile , 706 casos de hepatite A foram relatados a partir de 5 de maio até 7 de junho de 2017. Nos Estados Unidos , o Departamento de Saúde da Cidade de Nova York observou um aumento nos casos de hepatite A sem relatos de viagens internacionais. De acordo com as características de fonte de infecção que vem sendo identificados nesses surtos, a OMS recomenda a vacinação contra a hepatite A para grupos de alto risco, como viajantes para áreas endêmicas, homens que mantêm relação sexual com outros homens, pessoas que usam drogas injetáveis e pacientes com doença hepática crônica.
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/hepatite-a.aspx
http://www.who.int/csr/don/07-june-2017-hepatitis-a/en/

Coronavírus (MERS-CoV), Arábia Saudita
Entre 1 e 10 de junho foram confirmados 35 novos casos de coronavírus na Arábia Saudita, a distribuição por sexo foi de (51,4%) do sexo masculino e (48,6%) feminino, ocorreram 3 óbitos, atingindo a taxa de letalidade de 8,5% . De todos os casos, 91,4% residiam na cidade de Riyodh. O Ministério da Saúde da Arábia Saudita está avaliando cada caso e seus contatos e implementar medidas para limitar ainda mais a transmissão de humano para humano e controlar esses surtos.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/13-june-2017-mers-saudi-arabia/en/

Sarampo, Portugal
Em Portugal , desde primeiro de janeiro até 5 de junho (SE 23) deste ano, foram notificados 158 casos de sarampo com 31(19,6%) casos confirmados. Do total de casos confirmados, 20 (65%) com idade ≥ 18 anos, 19 (61%) não vacinados, 13 (42%) em profissionais de saúde, 14 (45%) foram internados e 1 (3%) óbito. A região de Lisboa e Vale do Tejo, tiveram 71% incidência dos casos confirmados.
Fonte:https://www.dgs.pt/saude-publica1/sarampo.aspx

Influenza A(H7N9), China:
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 24, doze casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 732 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 17 de junho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk24.pdf

Doença de Haff, aglomerado de casos, Salvador, Brasil (Artigo científico):
O artigo aborda os dados clínicos e epidemiológicos dos primeiros 15 casos dos 67 casos totais detectados de doença de Haff na cidade de Salvador, no Brasil, de dezembro de 2016 até abril de 2017. A doença é rara e acredita-se que seja causada por uma toxina, foram propostas diversas etiologias tóxicas para a doença, no entanto nenhuma foi confirmada. Normalmente o paciente apresenta início súbito de grave rigidez muscular, acompanhada de urina escura e associada a ingestão de peixe.
O primeiro caso do surto em Salvador foi relatado em 1 de dezembro de 2016. Em 14 de dezembro, após a identificação dos seis primeiros casos, as autoridades de saúde pública iniciaram uma pesquisa ativa de novos casos nas unidades de saúde e hospitais em Salvador e também pesquisaram registros médicos para identificar retrospectivamente os casos compatíveis com a doença de Haff. O aglomerado de casos foi relacionado ao consumo dos mesmos peixes de 12 a 72 horas antes do início dos sintomas, dores musculares difusas e enzimas musculares elevadas, compatíveis com rabdomiólise.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22816

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 23, 2017

Febre Amarela, Brasil
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 18 casos, do total de confirmados, casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu, 03 o município de Macaé, 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Maricá, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Silva Jardim, 01 o município de Santa Maria Madalena, e 01 o município de Cachoeiras de Macacu, localizados no estado do RJ, destes 07 evoluíram para óbito (01 Casimiro de Abreu, 02 Porciúncula, 01 Maricá, 01 Macaé, 01 Silva Jardim, e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 23) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 55 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 22 as unidades sentinelas de SG coletaram 9.161 amostras, destas 6.814 foram processadas e 32,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.384 (61,7%) foram detectados vírus influenza e 861 (38,4%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 1.059 (76,5%) e Influenza B com 269 (19,4%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 566 (65,7%). A região Sudeste, Sul, Centro‐Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos corre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2).
Foram notificados 1.066 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,1% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 188 (17,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 8 (4,3%) decorrentes de influenza (H1N1)pdm09, 18 (9,6%) influenza A não subtipado, 42 (22,3%) por influenza B e 120 (63,8%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 33,3% (62/188), em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/junho/08/Informe-Epidemiologico-Influenza-2017-SE-22.pdf

Influenza A(H7N9), China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 22, nove casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 715 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 3 de junho de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk22.pdf

Hantavirose, Venezuela
A febre hemorrágica da Venezuela continua a avançar no país. O surto de 2016 foi o mais grave entre os 5 já ocorridos desde o primeiro caos em 1989. É esperado que 2017 seja outro ano de grave epidemia, de acordo com a Organização Pan‐Americana de Saúde desde 2016 até abril de 2017, foram notificados 142 casos suspeitos da doença, dos quais 21 vieram a óbito.
Fonte:http://www.el-nacional.com/noticias/sociedad/reportaron-fallecidos-por-fiebre-hemorragica_186221

Peste Humana, México
O Departamento de Saúde do estado reportou o primeiro caso humano de peste no Novo México este ano. A equipe do Departamento de Saúde visitando a vizinhança do caso a fim de educar a população para a redução de riscos. Até agora, houve nove cães e cinco gatos confirmados.
Fonte:https://www.abqjournal.com/1013490/plague-case-reported-in-santa-fe-county.html

Caxumba, Havaí, EUA
O Departamento de Saúde do Estado do Havaí (DOH) confirmou mais 16 casos de caxumba, incluindo crianças e adultos. Os casos já chegam a 81 em 2017, não havia casos registrados na região há muitos anos. A população está sendo encorajada a se vacinar com pelo menos 1 dose se não tiver registro comprovado.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/mumps-cases-top-80-hawaii-38614/

Surto de sarampo em Portugal após 12 anos sem transmissão endêmica, fevereiro a maio de 2017 (Artigo científico):
O artigo mostra atualizações do surto de sarampo em duas regiões de saúde portuguesas (Algarve e Lisboa e Vale do Tejo) de fevereiro até o final de maio foram confirmados 28 casos de sarampo. Treze casos eram trabalhadores de saúde. Um adolescente não vacinado foi a óbito. Este surto ocorreu após 12 anos sem transmissão endêmica do sarampo no país e em um contexto de alta cobertura vacinal contra o sarampo.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22812

Cólera, África e Oriente Médio
No Quênia , nos primeiros 21 dias de maio, Ministério da Saúde relatou 4 óbitos por cólera entre os 146 casos registrados. O Sudão do Sul está enfrentando o mais longo e mais difuso surto de cólera até o momento e há preocupações de possa ainda se intensificar durante o período de chuvas. As dificuldades pela falta de saneamento, de água potável e deslocamentos, desde 2016 há mais de 7200 casos de cólera com 229 óbitos, segundo Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde do Sudão do Sul.
No Iêmen, a cólera continua a avançar. Os números de casos suspeitos passam de 91 mil e os óbitos chegam a 728. No final de maio, a OMS levou 67 toneladas de suprimentos (fluidos intravenosos e kits de cólera) como medida para conter a epidemia.
Fonte:http://www.the-star.co.ke/news/2017/05/24/cholera-outbreak-kills-four-146-cases-reported-in-kenya_c1567529
http://www.thehindu.com/sci-tech/health/a-resurgent-cholera/article18715238.ece

Ebola, República Democrática do Congo
O último relatório de Ebola referente a República Democrática do Congo da Organização Mundial de Saúde, apresentou a situação epidemiológica desde o início do surto até 05 de junho de 2017. No total foram 8 casos registrados, 3 prováveis e 5 confirmados (04 Nambwa e 01 Mabongo). Foram a óbito, 3 entre os casos prováveis (02 Nambwa e 01 Ngayi) e 1 entre os confirmados (Nambwa), atingindo a taxa de letalidade de 50% entre os registrados e 20% entre os confirmados. Segue o exaustivo trabalho de acompanhamento dos contatos dos casos, ao todo foram registrados 598 contatos, 390 completaram o período de 21 dias de acompanhamento. Deste total, 2 testaram PCR posi*vo para o vírus Ebola incluídos na análise dos casos confirmados.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255630/1/EbolaDRC-06062017.pdf?ua=1

Meningite, África
No último boletim do Programa de Emergência da Saúde da Região Africana compreendendo a SE 22, desde o início do surto (13 de dezembro de 2016) a meningite afeta de maneira preocupante 5 países da África: Nigéria, Níger, Togo, Benin e Camarões. Particularmente em Nigéria e Níger se destaca o número de casos registrados e óbitos. A Nigéria soma 13,943 casos registrados, 1112 óbitos atingindo taxa de letalidade de 8%, o sorogrupo C representa 72,7% dos casos testados positivos no país. Níger soma 3292 casos registrados, 189 óbitos atingindo taxa de letalidade de 5,7%, há um número significativo do sorogrupo NmX (18%) na região, porém ainda não existe vacina para combater esse sorogrupo.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255624/1/OEW22-270262017.pdf?ua=1

Dengue, Ásia
Desde janeiro até o final de maio, um total de 1760 casos e 3 mortes por dengue foram registrados em Laos. As maiores taxas registradas foram na capital, Vientiane. Em 2016, nesse mesmo período, foram registrados pouco mais de 200 casos.
Em Hanoii, capital do Vietnã, os casos de dengue estão aumentando, até 4 de junho, um caso foi a óbito entre os 1.281 casos que foram registrados o que representa 2,6 vezes mais do que o mesmo período de 2016. Os distritos de Dong Da, Hoang Mai, Hai Ba Trung e Thanh Xuan relataram o maior número de casos de dengue.
Fonte:http://news.xinhuanet.com/english/2017-06/07/c_136346566.htm
http://en.vietnamplus.vn/dengue-fever-rises-in-hanoi/112972.vnp

Febre da Criméia-Congo, Irã
O Ministério da Saúde do Irã confirmou 31 casos de febre hemorrágica da Crimeia‐Congo. A doença já causou a morte de três pessoas. A febre hemorrágica da Crimeia‐Congo (CCHF) é uma doença viral disseminada por carrapatos que é endêmica na África, nos Balcãs, no Oriente Médio e na Ásia. O Ministério da Saúde do Irã recomendou que os criadores de gado utilizem meios preventivos, como luvas, botas, etc.
Fonte:http://en.apa.az/world-news/asia-news/31-diagnosed-with-crimean-congo-hemorrhagic-fever-in-iran.html

Semana Epidemiológica 22, 2017

Febre Amarela, Brasil
No último Informe de Febre Amarela nove estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Tocantins, Goiás,Distrito Federal e Mato Grosso). Foram notificados 3.240 casos em 407 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 792 casos e 1.929 foram descartados. Evoluíram a óbito 435 casos (124 descartados e 274 confirmados). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 31 de maio de 2017, foi de (83,1%) do sexo masculino e (16,9%) feminino, a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,5%. Até o momento foram notificadas 3850 epizootias (642 confirmadas e 96 descartadas).
No último Informe epidemiológico de Febre Amarela do Estado do Rio de Janeiro foram confirmados 17 casos, do total de confirmados, 08 casos tiveram como Local Provável de Infecção (LPI) o município de Casimiro de Abreu, 03 o município de Macaé, 02 o município de Porciúncula, 01 o município de Maricá, 01 o município de São Fidélis, 01 o município de Silva Jardim, e 01 o município de Santa Maria Madalena, localizados no estado do RJ, destes 07 evoluíram para óbito (01 Casimiro de Abreu, 02 Porciúncula, 01 Maricá, 01 Macaé, 01 Silva Jardim, e 01 Santa Maria Madalena).
O estado do Rio de Janeiro apresenta até o momento (semana epidemiológica 22) 09 casos confirmados de epizootias por febre amarela de Primatas Não Humanos (PNH) nos
municípios de São Sebastião do Alto, Campos dos Goytacazes, Maricá, Carmo, Rio das Flores, Macaé, Petrópolis, Macuco e Santa Maria Madalena.
Fonte:INFORME MS – COES Nº43
INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 50 CIEVS SES RJ
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 21 as unidades sentinelas de SG coletaram 8.709 amostras, destas 6.198 foram processadas e 32,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.247 (61,1%) foram detectados vírus influenza e 795 (39,0%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 943 (75,6%) e Influenza B com 252 (20,2%). Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 513 (64,5%). A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2). Foram notificados 956 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,0% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 163 (17,1%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 8 (4,9%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 17 (10,4%)influenza A não subtipado, 37 (22,7%) por influenza B e 101 (62,0%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 34,4%, em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/31/Informe-Epidemiol–gico-Influenza-2017-SE-21.pdf

Leptospirose, Alagoas
O Programa de Combate às Zoonoses da Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas (SESAU) divulgou os dados da Gerência Estadual de Vigilância e Controle das Doenças Transmissíveis, que somou 8 casos confirmados de leptospirose em 2017. Esse número representa mais que o dobro dos casos confirmados no mesmo período de 2016.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/2017/05/27/sesau-alerta-sobre-o-risco-de-contrair-leptospirose-com-o-aumento-das-chuvas/

Hantavírus, Uruguai
Após suspeitas de leptospirose, exames comprovaram infecção por hantavírus em um professor, 24 anos, no Uruguai. O paciente está internado em CTI e segue com infecção generalizada. O primeiro caso de hantavirose foi diagnosticado em 1997 no Uruguai.
Fonte:http://www.elpais.com.uy/informacion/maestra-grave-contraer-hantavirus.html

Influenza A(H7N9), China
De acordo com o último relatório de Influenza Aviária da China, SE 21, nove casos novos foram confirmados na última semana, totalizando 706 casos registrados e confirmados na China Continental, no período compreendido entre outubro de 2016 a 27 de maio de 2017.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk21.pdf

Zika, Índia
O Ministério da Saúde e Bem Estar Familiar do Governo da Índia (MoHFW) relatou três casos de Zika vírus confirmados por resultados laboratoriais, portanto caracterizando o primeiro surto da doença no país. Entre os casos, uma é mulher de 22 anos, na 37ª semana gestacional. Os esforços da vigilância deve ser mantido, a fim de melhor caracterizar a intensidade da circulação viral e a dispersão geográfica pelo país, e monitorar as complicações relacionadas ao vírus Zika.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/26-may-2017-zika-ind/en/

Cólera, Iêmen
Os casos suspeitos de cólera continuam a aumentar a níveis sem precedentes no Iêmen. De 27 abril a 24 maio 2017, um total de 42.207 casos suspeitos de cólera foram notificados e 420 óbitos confirmados, com taxa de letalidade de 1%. O número de mortes relatadas nas últimas quatro semanas é quase três vezes maior do que as mortes registradas a partir de outubro 2016 a março 2017. A Organização de Saúde (OMS) continua trabalhando na distribuição de medicação no Iêmen fazendo cooperações entre os países em conflito civil armado para conseguir autorização de sobrevoo e pouso de aeronaves que transportam a medicação sobre esses territórios em guerra. Na quinta-feira (25/05) houve sucesso no transporte e entrega de suprimentos para o tratamento de 10.000 pacientes.
Fonte:https://goo.gl/oabjzJ
http://www.emro.who.int/yem/yemen-news/jumbo-jet-lands-in-war-torn-yemen-carrying-67-tonsof-cholera-response-supplies.html

Doença Diarreica Aguda (DDA), Etiópia, África
No último boletim do Programa de Emergência da Saúde da Região Africana foram relatados 556 casos de DDA em 6 regiões da Etiópia durante a SE 20. Desde o início de 2017, um total de 33.631 casos e 780 mortes foram relatados no país, atingindo taxa de letalidade de 2,3%.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255579/1/OEW21-202652017.pdf?ua=1

Meningite, Nigéria, África
Da SE 19 até a 20, foram reportados 523 casos e 43 óbitos de meningite atingindo a taxa de letalidade de 8,2%. Sendo 250 casos novos somente na SE 20. A situação epidemiológica de 2017 no país é preocupante, até 17 de maio de 2017, foram notificados 14.500 casos suspeitos e 1.114 óbitos (taxa de letalidade 8%) em 24 estados. Dos casos relatados, 901 (6,4%) foram testados em laboratório e 423 (46,9%) dos espécimes testados foram confirmados positivos para meningite bacteriana, principalmente Neisseria meningitidis sorogrupo C (73%) entre aqueles que são positivos.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255579/1/OEW21-202652017.pdf?ua=1

Ebola, República Democrática do Congo, África
De acordo com o último relatório de Ebola da Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO) publicado no dia 29 de maio: há 2 casos confirmados, 3 casos prováveis e 14 suspeitos. Os casos confirmados e prováveis foram notificados de Nambwa (dois confirmados e dois prováveis) e Ngayi (um provável). Os casos suspeitos são relatados em quatro áreas (Nambwa, Muma, Ngayi e Ngabatala). O foco atualmente permanece na região de Likati. Os 101 contatos de pessoas que apresentaram sinais e sintomas de Ebola permanece sob observação clínica. Quanto a avaliação de risco, a OMS considera baixo a nível global devido ao afastamento e a dificuldade na acessibilidade da região afetada.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255600/1/EbolaDRC-30052017.pdf?ua=1

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 21, 2017

Febre Amarela, Brasil
No último Informe de Febre Amarela sete estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Tocantins e Goiás). Foram notificados 3.210 casos em 403 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 778 casos e 1.869 foram descartados. Evoluíram a óbito 429 casos (123 descartados e 267 confirmados). Até o momento foram notificadas 3850 epizootias (642 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 25 de maio de 2017, foi de (83,3%) do sexo masculino e (16,7%) feminino, a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,3%. O estado do Rio de Janeiro já soma 79 casos notificados, destes 16 confirmados e 55 descartados. Quanto aos óbitos já foram confirmados 7 casos nos municípios de Casimiro de Abreu, Porciúncula, Maricá, Macaé, Silva Jardim e Santa Maria Madalena. Além dos óbitos, 9 casos de febre amarela silvestre em humanos foram confirmados no estado, sendo 6 casos em Casimiro de Abreu, 1 em São Fidélis, 1 caso em São Pedro da Aldeia (paciente contraiu a doença em viagem à zona rural de Casimiro de Abreu) e 1 em Macaé.
Fonte:INFORME MS – COES Nº 42
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/rj-tem-a-6-morte-causada-por-febre-amarela-confirmada-diz-secretaria-de-saude.ghtml
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/rj-registra-setima-morte-causada-por-febre-amarela.ghtml

Leishmaniose, Espírito Santo, Brasil
Em Povoação, no litoral de Linhares, 14 pessoas foram identificadas com a doença e outros 8 casos estão sendo investigados. Em todo ano passado, 22 casos foram confirmados. Um bloqueio sanitário está sendo feito com dois carros fumacê com inseticida. De acordo com a Vigilância em Saúde, casos pontuais da doença são comuns, porém, houve um aumento de registros devido à proximidade do ser humano em regiões de mata.
Fonte:http://www.gazetaonline.com.br/noticias/norte/2017/03/linhares-tem-14-casos-confirmados-e-8-sob-investigacao-de-leishmaniose-1014037030.html

Esquistossomose, Alagoas, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU), iniciou a investigação de casos em 24 das 69 comunidades quilombolas do estado devido aos novos casos de esquistossomose que estão sendo relatados. Em Santa Luzia do Norte foram 8 casos novos registrados. Localizadas em 16 municípios, essas comunidades, são áreas endêmicas para esquistossomose e muito vulneráveis para várias doenças por deficiência em saneamento básico. Nos últimos 4 anos, 266 pessoas morreram por esquistossomose.
Fonte:http://www.saude.al.gov.br/2017/05/16/sesau-investiga-ocorrencia-da-esquistossomose-em-24-comunidades-quilombolas/

Vírus respiratórios, Brasil
Até a semana epidemiológica 19 (SE 19) as unidades sentinelas de SG coletaram 7.755 amostras, destas 5.204 foram processadas e 31,9% tiveram resultado positivo para vírus respiratórios. Entre os resultados positivos, 1.017 (61,3%) foram detectados vírus influenza e 644 (38,7%) outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Dentre as amostras positivas para influenza houve predomínio do influenza A(H3N2) com 74,4% e Influenza B com 20,4%. Entre os outros vírus respiratórios houve predomínio da circulação de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) representando 62,1%. A região Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste apresentam maior circulação de Influenza A(H3N2). Na região Norte predomina a circulação de VSR. Quanto à distribuição dos vírus por faixa etária, entre os indivíduos a partir de 10 anos predomina a circulação dos vírus influenza A(H3N2) e influenza B, já entre menores de 10 anos ocorre uma maior circulação de VSR e influenza A(H3N2). Foram notificados 756 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o que corresponde a 11,1% do total de casos. Do total de óbitos notificados, 118 (15,6%) foram confirmados para vírus influenza, sendo 8 (6,8%) decorrentes de influenza A(H1N1)pdm09, 12 (10,2%) influenza A não subtipado, 33 (28,0%) por influenza B e 65 (55,1%) influenza A(H3N2). O estado com maior número de óbitos por influenza é São Paulo, com 36,4% ,em relação ao país.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/19/Informe%20Epidemiolgico_Influenza%202017-SE-19.pdf http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/19/Informe%20Epidemiolgico_Influenza%202017-SE-19.pdf

Febre do Nilo Ocidental, EUA
Foram detectadas três aves (um peru e 2 corvos) positivas para o vírus do Nilo Ocidental em Michigan, nos Condados de Barry, Kalamazoo e de Saginaw. Este achado pode prever um risco maior para casos humanos no final do verão, e uma disseminação precoce de mosquitos. No ano passado, foram identificados 43 casos graves e três mortes relacionadas ao vírus do Nilo Ocidental em Michigan.
Fonte:http://www.mlive.com/news/saginaw/index.ssf/2017/05/first_cases_of_west_nile_virus.html

Sarampo, Europa
Casos de sarampo continuam a ser relatadas na Europa desde fevereiro de 2016, principalmente na Romênia, apesar de contínuas medidas de resposta que têm sido implementadas. Entre Janeiro de 2016 e 12 de Maio de 2017, a Romênia notificou 5 728 casos, incluindo 26 mortes. Na Áustria​, desde o início de 2017 a 12 de Maio, foram registrados 76 casos. Na República Checa ​a região da Morávia-Silésia relatou 104 casos de sarampo, com 95 confirmados, 14 entre trabalhadores de saúde. Na Itália​, foram registrados 2.395 casos em 18 regiões, destes 197 ocorreram entre trabalhadores de saúde. Em Portugal​, até 16 de Maio, 29 casos foram confirmados (1 evolui a óbito) nas Regiões do Norte (1 caso), Lisboa e Vale do Tejo (20 casos) e Algarve (7 casos).
Fonte:http://ecdc.europa.eu/en/press/news/_layouts/forms/News_DispForm.aspx?ID=1623&List=8db7286c-fe2d-476c-9133-18ff4cb1b568&Source=http%3A%2F%2Fecdc%2Eeuropa%2Eeu%2Fen%2FPages%2Fhome%2Easpx

Ebola, República Democrática do Congo
Atualmente há 2 casos confirmados, 3 casos prováveis e 30 suspeitos no surto localizado na região de Likati, segundo a última atualização da Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO). Não foram relatados novos óbitos além dos 4 informados anteriormente. Foram rastreadas 520 pessoas que tiveram contato com pessoas infectadas, parte delas já completaram o período de observação e 294 seguem sendo acompanhadas. Quanto a avaliação de risco, a OMS considera baixo a nível global devido ao afastamento e inacessibilidade da região afetada.
Fonte:http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255565/1/EbolaDRC-24052017.pdf?ua=1

Meningite, África
Surtos de Meningite vêm afetando pelo menos 3 países na África, a República do Níger ​já contabiliza mais de 3 mil casos e 179 mortes desde o ínicio do ano em todo o país, principalmente na parte ocidental. Mais de 350 mil pessoas já foram vacinadas nas áreas mais afetadas. Na Nígéria há informações de 13.400 casos suspeitos e mais de mil óbitos desde novembro de 2016 até 9 de maio, em 23 estados. Na Libéria​, o surto de doença infecciosa que vinha acometendo várias pessoas e que ainda não tinha etiologia estabelecida, foi confirmada para meningite tipo C, segundo a OMS. Treze das 24 amostras analisadas confirmaram Neisseria meningitidis sorotipo C. Além disso, quatro dos cinco casos que manifestaram características clínicas típicas da doença meningocócica foram confirmados.
Fonte:https://www.newsghana.com.gh/meningitis-outbreak-niger-records-3037-and-179-deaths/
http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2017/4/19/Nigeria-Meningite-pais-mata-mais-mil-pessoas,02c60fe5-d070-4bac-9014-1cba2fb308e2.html
http://outbreaknewstoday.com/meningitis-established-cause-liberia-cluster-99790/

Cólera, Moçambique, Iêmen e Sudão
O Ministério da Saúde de Moçambique declarou na última sexta-feira, que a epidemia de cólera no país está controlada, sem casos novos nos últimos 29 dias, e anunciou a desativação dos centros de tratamento da doença. Entre 5 de janeiro e 22 de abril foram registrados 2.131 casos, destes 4 óbitos. Já no Iêmen​, a Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que o número de casos saltou para 35.217 suspeitos desde 27 de abril até 22 de maio, com 361 óbitos confirmados, principalmente nas províncias ocidentais. O número total de casos registrados desde dezembro situa-se em 61 mil. A OMS alerta que o país pode atingir até 300 mil casos em 6 meses e um número de óbitos “extremamente alto”. O país empobrecido foi devastado por uma disputa de poder entre um governo apoiado pela Arábia Saudita e rebeldes aliados com o Irã desde o final de 2014. A violência contínua do Iêmen tem afetado seus centros de saúde que tem mais de metade das instalações médicas não funcionando. Na semana passada, foi declarado estado de emergência de cólera na capital rebelde Sana’a. De acordo com a estimativa da ONU, cerca de 7,6 milhões de pessoas vivem em áreas de risco a exposição de cólera no Iêmen. No leste do Sudão​, a cólera também continua a se espalhar, com mais mortes e infecções relatadas em todo o estado do Nilo Branco, Kordofan do Norte e Sennar. O governador do Nilo Branco, afirmou que 53 pessoas já morreram e 2.755 pessoas em 129 aldeias foram infectadas.
Fonte:http://observador.pt/2017/05/19/governo-mocambicano-diz-que-epidemia-de-colera-esta-controlada/
https://www.reuters.com/article/us-yemen-cholera-idUSKBN18J2QL
http://www.aljazeera.com/news/2017/05/cholera-outbreak-claims-315-lives-yemen-170521142405447.html
http://allafrica.com/stories/201705250418.html

Febre Tifóide, Nova Zelândia e Síria
Foi confirmado um caso em Palmerston North, Nova Zelândia​, por febre tifóide. Acredita-se que a criança, que está internada, tenha ligação familiar com o surto notificado em abril em Auckland, que infectou 18 pessoas e chegou a matar uma mulher. Na província de Aleppo, na Síria​, além da guerra, enfrentam dezenas de casos de febre tifóide notificados diariamente. As causas estão sendo atribuídas ao acesso de água por poços cavados pela própria população pois há falta de água potável por contaminação de solo, esgoto escoando para fontes potáveis e destruição de estações de água pela guerra.
Fonte:http://www.newshub.co.nz/home/health/2017/05/typhoid-confirmed-in-palmerston-north.html
http://syriadirect.org/news/contaminated-well-water-in-al-bab-leads-to-typhoid-outbreak%C2%A0/

Influenza A(H7N9), China
Dezessete novos casos foram confirmados na última semana, totalizando 697 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016, segundo o último relatório de Influenza Aviária da China, até a semana epidemiológica 20.
Fonte:http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk20.pdf

Surto de ​Síndrome Hemolítico Urêmica (SHU) na Alemanha (​Artigo científico)
Estudo publicado em 25 de maio, investigou um prolongado surto de Síndrome Hemolítico Urêmica e Gastroenterite causados pela Escherichia coli Shiga toxigênica (STEC) disperso geograficamente entre 10 cidades da Alemanha. Foi contabilizado 30 surtos entre o período de dezembro de 2016 a maio de 2017, com fonte provável de alimentos contaminados de origem bovina e suína. Apesar dos esforços intensivos de autoridades de saúde e segurança alimentar, os pesquisadores apontaram que a fonte da infecção ainda não está bem definida e portanto podem aparecer novos casos e surtos na região.
Fonte:http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22805

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 20, 2017

Febre Amarela
No último Informe de Febre Amarela no Brasil sete estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Tocantins e Goiás). Foram notificados 3.192 casos em 398 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 758 casos e 1.812 foram descartados. Evoluíram a óbito 426 casos (120 descartados e 264 confirmados). Até o momento foram notificadas 3660 epizootias (565 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 18 de maio de 2017, foi de (83,6%) do sexo masculino e (16,4%) feminino, a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,8%. O estado do Rio de Janeiro já soma 77 casos notificados, destes 14 confirmados e 55 descartados. Há registro de 5 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula, Maricá, Macaé e Silva Jardim).
Fonte:INFORME MS – COES Nº 41
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Mutação do vírus da Febre Amarela, Brasil
Pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz descobriram que o vírus do mais recente surto de Febre Amarela no Brasil, tem uma seqüência genética que nunca foi encontrada antes. Foram investigadas duas amostras de macacos oriundos do Espírito Santo, mortos no final de fevereiro de 2017. A análise apontou que os microrganismos pertencem ao subtipo genético conhecido como linhagem Sul Americana 1E, que é predominante no país desde 2008. No entanto, a partir da análise da sequência completa do genoma do vírus foi possível constatar a presença de variações que estão associadas a proteínas envolvidas na replicação viral. Não há registro anterior dessas mutações na literatura científica mundial. Segundo Ricardo Lourenço, chefe do Laboratório de Hematozoários e Transmissão de Mosquitos do Instituto Oswaldo Cruz, não se sabe se é o vírus predominante registrado no atual curso do surto. A equipe de cientistas informa, no entanto, que a vacina usada atualmente protege contra diferentes genótipos do vírus, incluindo o sul americano e o africano, e que as alterações detectadas no estudo não tiram a eficácia de quem tomou uma dose.
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/pesquisa-e-inovacao/noticia/2017-05/pesquisadores-da-fiocruz-identificam-oito-mutacoes-no-virus-da
https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/febre-amarela-pesquisadores-divulgam-mutacao-do-virus
http://www1.folha.uol.com.br/internacional/en/scienceandhealth/2017/05/1884442-mutation-of-yellow-fever-virus-may-be-responsible-for-outbreak-in-brazil.shtml

Influenza, Rio Grande do Sul, Brasil
Porto Alegre registrou os dois primeiros óbitos causados por gripe neste ano no Rio Grande do Sul. De acordo com o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), ambos não foram vacinados este ano, pertenciam aos grupos prioritários e apresentavam comorbidades. O Secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, explica que nos dois casos foi confirmada a infecção pelo vírus Influenza A, que é prevenido pela vacina. Outros dados da Secretaria Estadual da Saúde mostram que o Rio Grande do Sul registrou, até a primeira quinzena de maio deste ano, 33 casos de gripe. Os números são bem menores do que na mesma época no ano passado quando se registrou 824 casos e 111 óbitos. Foram aplicadas 1.482.871 doses, o que representa imunização de 47,4% do público alvo.
Fonte:http://www.rs.gov.br/conteudo/258080/rio-grande-do-sul-confirma-duas-primeiras-mortes-porgripe-em-2017

Doença Diarreica, Alagoas, Brasil
O município de Palmeira dos Índios, no Agreste de Alagoas, está enfrentando um surto de diarreia que, só na última semana, foram 617 novos casos. Entre janeiro e maio os registros chegam a 3,1 mil. A chuva é apontada como um dos principais fatores para o surgimento dos novos casos, já que ela carrega as fezes de animais para os mananciais da região. A Superintendência Estadual da Funasa (SUEST/AL) deslocou uma Unidade Móvel de Controle de Qualidade da Água para analisar a água de diversas fontes de abastecimento. A Vigilância em Saúde do município e a Defesa Civil estão atuando nas localidades com maior incidência de casos, realizando a fiscalização dos poços e cisternas e, ainda, distribuindo cloro à população e realizando ações contínuas de educação em saúde.
Fonte:http://www.funasa.gov.br/site/funasa-atua-para-conter-surto-de-doencas-diarreicas-agudas-em-palmeira-dos-indiosal/

Ataques de morcego a humanos, Salvador, Brasil
As ações de combate e controle de morcegos em Salvador foram intensificadas nos últimos dias, após a constatação de aumento no número de casos de ataques do mamífero a seres humanos. A Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB) informou hoje que somente o Hospital Couto Maia, no bairro de Monte Serrat, em Salvador, registrou 40 atendimentos a pessoas feridas por morcegos, desde março deste ano. Do total de atendimentos, 36 eram de moradores da capital baiana e quatro do interior do estado. O primeiro caso resultou na morte de um paciente, que foi atacado por um morcego na zona rural do município de Paramirim, sudoeste da Bahia, e só procurou atendimento 21 dias depois que foi mordido.O caso assustou a população baiana, que tem procurado as unidades de saúde para fazer a profilaxia.
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-05/aumentam-casos-de-ataques-de-morcego-humanos-em-salvador

Ebola, República Democrática do Congo
A Organização Mundial da Saúde continua a monitorar o surto de doença por vírus Ebola (EVD) na Província de Bas-Uele, localizada no nordeste da República Democrática do Congo. Entre 15 e 16 de Maio de 2017, 2 novos casos suspeitos de EVD foram notificados em áreas de saúde (Azande e Nambwa) na zona de saúde de Lakati. Em 16 de Maio, 21 casos suspeitos de EVD, incluindo três mortes (taxa de letalidade de 14,3%). A maioria dos casos apresentava febre, vômitos, diarréia sangüínea e outros sinais e sintomas de sangramento. Os casos foram notificados em quatro áreas de saúde: Nambwa (13 casos e 2 óbitos), Mouma (3 casos e 1 óbito), Ngayi (4 casos) e Azande (1 caso). Desde a declaração do surto, o Escritório Regional da OMS para a África, bem como os outros níveis da OMS, estão proporcionando um alto nível de apoio ao país, a fim de garantir uma resposta eficaz a este evento.
Fonte: https://goo.gl/l8EOgP

Dengue, Peru
A Organização Mundial de Saúde, por meio de seu representante, Raúl Gonzáles, esteve presente na região de Piura, a fim de verificar o trabalho que está sendo feito pelo pessoal de saúde de vários hospitais para controlar a propagação da dengue em área. O representante da OMS acredita que a região enfrenta um surto e uma propagação não controlada. Os registros chegam a média de 400 casos por semana. As autoridades sanitárias confirmaram 19 óbitos e há mais 7 em investigação. O total de registros ultrapassam mais de 15 mil suspeitos com mais de 3 mil deles já confirmados.
Fonte:http://elcomercio.pe/peru/muertes-dengue-aumentan-19-piura-420521 http://larepublica.pe/impresa/sociedad/876178-oms-habla-de-una-epidemia-por-dengue-en-la-region-piura

Cólera, Iêmen (Oriente Médio) e Sudão (África)
A Agência das Nações Unidas para a infância (UNICEF) confirmou um “aumento alarmante” nas mortes relacionadas ao cólera e no aumento do número dos casos no Iêmen. O surto de cólera continua avançando e já matou 209 pessoas nas últimas semanas, registrando 17.200 casos suspeitos em todo o país. O porta-voz da Agência no Iêmen, Mohammed Al-Asaadi, afirmou que estão sendo registrados uns 3.000 novos casos de cólera por dia. Em 11/5, a Organização Mundial da Saúde havia relatado 2752 casos com 51 óbitos desde 27 de abril. No Sudão, assolado pela guerra, o surto de cólera já matou mais de 20 pessoas no estado de Kapoeta, no sudeste do país, que faz fronteira com o norte do Quênia. Segundo as autoridades de saúde, “os casos de cólera estão aumentando diariamente em Kapoeta North County, especialmente quando chove”. Em abril, o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) relatou que 172 pessoas havia morrido em 14 municípios no sul do Sudão desde que o surto inicial foi relatado em junho de 2016.
Fonte:http://english.alarabiya.net/en/News/gulf/2017/05/17/UNICEF-Yemen-cholera-death-toll-mounts-to-209-.html
http://www.emro.who.int/media/news/who-responds-to-resurgent-cholera-in-yemen.html
http://aa.com.tr/en/africa/cholera-continues-to-hit-war-torn-south-sudan/818771

Influenza, China
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 13 de maio deste ano, 23 casos novos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 19° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 19, somou um total de 680 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016. O total de casos conhecidos e 3 confirmados no mundo somam 1486. Sobre a Influenza Sazonal, desde a ativação da vigilância reforçada para infecção grave por influenza em 05 de maio de 2017, um total de 30 casos graves (incluindo 14 óbitos) foram registrados cumulativamente (até 17 de maio): 27 casos em pacientes com idade igual ou superior a 18 anos (incluindo 14 óbitos). Entre eles 15 pacientes tiveram infecção com influenza A (H3N2), 8 com A (H1N1) pdm09, 3 com influenza B e um paciente com influenza A sem identificação de subtipo. Entre os casos, em 5 havia histórico de vacinas, inclusive entre os fatais (2); entre as crianças, 11 casos e 2 óbitos foram relatados.
Fonte: http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk19.pdf http://www.chp.gov.hk/files/pdf/fluexpress_web_week19_18_5_2017_eng.pdf

Artigo científico: Transmissão simultânea de arboviroses pelo Aedes aegypti
Um estudo publicado 19 de maio (hoje) na renomada revista Nature, buscou identificar se o mosquito Ae. aegypti é capazes de transmitir CHIKV, DENV-2 e ZIKV simultaneamente como combinações de dois ou todos os três vírus. Em conclusão, o estudo proporcionou provas de que CHIKV, DENV-2 e ZIKV podem ser co-transmitido pelo mosquito, após a exposição simultânea. O impacto da co-infecção sobre a biologia dos agentes e da saúde humana serão prioridades para futuros estudos. Fonte:https://www.nature.com/articles/ncomms15412#results

Semana Epidemiológica 19, 2017

Febre Amarela
Desde a semana epidemiológica 1 a 17 de 2017, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Suriname relataram casos suspeitos e confirmados de febre amarela. No último Informe de Febre Amarela no Brasil seis estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Tocantins). Foram notificados 3.175 casos em 393 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 756 casos e 1.797 foram descartados. Evoluíram a óbito 421 casos (115 descartados e 259 confirmados). Até o momento foram notificadas 3660 epizootias (474 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 10 de maio de 2017, apresentou a proporção de sexo masculino (83,6%) e Feminino (16,4%), a taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,2%. O estado do Rio de Janeiro já soma 77 casos notificados, destes 12 confirmados e 57 descartados. Há registro de 3 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula e Maricá.
Fonte​:​ INFORME MS – COES Nº 40
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ

Ebola, República Democrática do Congo
Primeiro caso de Ebola é confirmado após o fim do surto de 2014-2015 na África. O caso foi detectado na Província de Bas-Uele, ao Norte do país. Desde 22 de Abril, 9 casos suspeitos foram notificados, entre eles 3 óbitos. Ainda há 6 pessoas hospitalizadas.
Fonte:​http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2017/ebola-drc/en/ http://outbreaknewstoday.com/ebola-confirmed-democratic-republic-congo-94295/

Zika-microcefalia, Brasil e ​Equador
O Ministério da Saúde declara fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência do vírus Zika e sua associação com a microcefalia e outras alterações neurológicas. A medida ocorre devido à queda no número de casos de Zika e microcefalia. Ações de enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti e a assistência às crianças e mães serão mantidas. O Ministério da Saúde do Equador informou hoje três casos confirmados de “malformações congênitas relacionadas com o vírus zika” em recém-nascidos. A partir de 2016 até a semana epidemiológica 16 de 2017, entre as 400 mulheres grávidas com zika, houve 9 casos de transmissão vertical: três com malformações congênitas relacionadas com o vírus, três com diagnóstico inconclusivo e três que não têm malformações.
Fonte:​http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/28347-ministerio-da-sa ude-declara-fim-da-emergencia-nacional-para-zika-e-microcefalia
http://www.efe.com/efe/espana/sociedad/confirmados-en-ecuador-los-primeros-tres-casos-de-malformaci ones-por-el-zika-bebes/10004-3257136

Chikungunya, Peru
No Peru, Centro de Operações de Emergência Nacional (COEN) informou que Piura, tem o maior número de casos de Chikungunya em todo o país. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2017 foram registrados na região 89 casos confirmados e 267 casos suspeitos. Estes números representam mais de metade do total do país, que, até 22 de abril, atingiu 99 confirmados e 556 casos prováveis.
Fonte:​http://elcomercio.pe/sociedad/piura/piura-reporta-mayor-numero-casos-chikunguna-pais-noticia-19 88395?ref=portada_home
https://arynews.tv/en/cases-chikungunya-reported-karachi-hospitals/

Raiva Humana, Bolívia
Na região oriental de Santa Cruz foi registrado o primeiro óbito por raiva humana esse ano. O adolescente teve contato com cães e gatos que teriam contraído raiva. Já foram detectados mais de vinte casos de raiva canina em Santa Cruz esse ano. A campanha de vacinação anual de cães e gatos vai avançar a 14 de maio com mais de 300.000 vacinas para prevenir novos casos.
Fonte:http://www.20minutos.es/noticia/3027035/0/muere-adolecente-bolivia-rabia-humana/

Leishmaniose, Paquistão
Um surto de leishmaniose na região noroeste do Paquistão, Khyber Pakhtunkhwa, levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a realizar um workshop no mês passado em Peshawar para instruir sobre o diagnóstico, tratamento e controle da doença. Desde janeiro de 2014, a região de Khyber Pakhtunkhwa já relatou 22.112 casos de leishmaniose. Também serão organizadas oficinas de formação em outras províncias.
Fonte:​http://outbreaknewstoday.com/pakistan-22000-leishmaniasis-cases-reported-khyber-pakhtunkhwa-s ince-2014/

Sarampo, Portugal
A Direção Geral da Saúde revelou que o número de casos confirmados de sarampo em Portugal subiu para 29, num total de 134 notificações desde 1 de Janeiro de 2017. Destes 29 confirmados, 18 casos são de adultos e 17 casos não eram vacinados.
Fonte:​http://www.sabado.pt/vida/detalhe/-numero-de-casos-confirmados-sobe-para-29

Meningite C, Nigéria
Quase seis meses após os primeiros casos terem sido registrados no estado de Zamfara, o Ministério da Saúde da Nigéria ainda está lutando para combater o pior surto de Meningite C registrado desde 2008 em sete estados do país, com mais de 9.400 casos suspeitos e 839 óbitos. A maioria dos acometidos têm entre 5 e 20 anos. A Organização Humanitária Internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) tem apoiado as autoridades de saúde com vigilância e gestão de casos nas áreas mais afetadas desde fevereiro, quando o surto foi oficialmente declarado. No entanto, a lenta reação do país e uma escassez global de vacinas dificultaram a resposta.
Fonte:​http://www.msf.org/en/article/nigeria-fighting-worst-meningitis-c-outbreak-2008

Meningite C , Libéria
O aglomerado de casos em investigação, anteriormente publicado como doença misteriosa na Libéria, que somou 31 suspeitos e 13 óbitos, iniciou-se no dia 23 de abril associado a um ritual funerário começou a ser desvendado. No dia 8 de maio, a OMS foi informada pelo Ministério da Saúde da Libéria que as amostras de quatro dos pacientes que foram á óbito foram positivas para meningite C (Neisseria meningitidis). A investigação ainda está em curso para determinar se esta bactéria é responsável pelo adoecimento de todas as outras pessoas envolvidas no surto.
Fonte:​http://www.who.int/hac/crises/lbr/update-deaths-liberia/en/

Síndrome Gripal, Brasil
O Ministério da Saúde divulgou a pouca adesão por parte da população na campanha de vacinação de gripe deste ano, iniciada no dia 17 de abril. A cobertura vacinal atinge apenas 27,5% em todo país, portanto é imprescindível a adesão dos grupos prioritários, são eles: crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores que são a novidade deste ano.
Fonte:​http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/28276-apenas- 27-5-do-publico-alvo-se-vacinou-contra-gripe-ate-o-momento

Síndrome Gripal, Manaus, Brasil
Manaus está vivendo um surto de gripe e as complicações podem ser a causa das mortes, registradas em abril, de 10 crianças menores de 5 anos de idade. Medidas preventivas já foram reforçadas nas unidades de saúde e a rede hospitalar está orientada a dar atendimento prioritário a pacientes com os sintomas da Síndrome Respiratória Aguda Grave e colher material biológico. Das crianças que vieram a óbito, infelizmente não foi colhido material biológico, porém no mesmo período foram colhidos de outras crianças internadas e os resultados identificaram vírus Sincicial Respiratório e o Influenza B.
Fonte:​http://radioagencianacional.ebc.com.br/geral/audio/2017-05/surto-de-gripe-em-manaus-jamatou-dez-criancas-menores-de-5-anos

Gripe Aviária – Influenza A(H7N9) caso humano, China e Camboja
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC-traduzido) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 06 de maio deste ano, mais 24 casos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 18° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 18, somou um total de 657 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016. O total de casos conhecidos e 3 confirmados no mundo somam 1463. Em Camboja, Mondulkiri, no último final de semana foi registrado um surto de gripe com 211 casos de moradores da aldeia de Norng Buor, de Mondulkirique, quase metade da população local. Autoridades de saúde atribuem a propagação do surto à falta de higiene da população. Além do tratamento médico na aldeia, ações de educação em saúde e higiene foram oferecidas aos moradores da região.
Fonte:​http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk18.pdf http://www.phnompenhpost.com/national/flu-outbreak-afflicts-mondulkiri-village

Gripe Aviária – Influenza A(H7N3), México
O México informou um surto de H7N3, de alta patogenicidade, da gripe aviária em uma fazenda comercial no estado de Jalisco. A fazenda, localizada na cidade de Tepatitlán de Morelos, está sob quarentena e as aves foram enviadas para serem sacrificadas perto do local, disse que a OIE. O país latino-americano, grande exportador de carne de frango, relatou um surto de H7N3 em junho de 2012, que levou mais de seis milhões de galinhas a serem abatidas.
Fonte:http://www.aviculturaindustrial.com.br/imprensa/mexico-informa-surto-de-gripe-aviaria-h7 n3-de-alta-patogenicidade/20170505-162005-X837

Influenza A(H3N2v) caso humano, Texas, EUA
De acordo com relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a variação do vírus influenza A (H3N2) conhecido como A (H3N2v), teve o primeiro caso humano detectado do ano 2017 dos nos EUA. A primeira identificação do vírus no EUA foi detectado em agosto de 2011. Em análise temporal de 2011 até abril de 2017, foi contabilizado 1 óbito em 2012, 21 hospitalização sendo 16 no ano de 2012. Esse novo caso infectado de 2017 relatou contato com suínos em um evento agrícola na semana anterior ao início dos sintomas.
Fonte:​http://outbreaknewstoday.com/texas-reports-novel-h3n2v-case-contact-swine-reported-58505/
https://www.cdc.gov/flu/swineflu/h3n2v-case-count.htm

Cólera, Iêmem e Sudão
Entre 27 de abril e 7 maio, a Organização Mundial da Saúde relatou 2.022 casos suspeitos e 34 óbitos de cólera no Iêmen, em 9 de suas províncias. Desde outubro de 2016, com cerca de 26 mil pessoas afetadas. Em 39 amostras de fezes o resultado foi positivo para cólera. A taxa de mortalidade desta epidemia está atualmente em 1,65%, segundo a mesma fonte, uma cifra bastante alta dado que a ONU considera 1% o limite do que é considerada uma emergência. O representante da OMS diz que dados são alarmantes e que o Iêmem passa pela reativação da doença. A guerra tem trazido enorme impacto sobre a infra-estrutura, eletricidade, estações de bombeamento que repercutem na qualidade da água. Mais de 8 milhões de pessoas não têm acesso a água potável. Em relação às unidades de saúde, a OMS afirma que menos de 45% estão funcionando com quase 300 deles danificados ou destruídos pela guerra. No sul do Sudão, em Ayod, região do Alto Nilo, trabalhadores humanitários das Nações Unidas estão respondendo a um crescente surto de cólera. A agência da ONU iniciou suas ações depois que 140 casos suspeitos de cólera foram relatados em Ayod durante as primeiras semanas de abril, ameaçando a população de cerca de 175 mil pessoas. O acesso a Ayod é difícil durante a estação das chuvas e a sua proximidade com o rio Nilo aumenta sua vulnerabilidade aos surtos de doenças transmitidas pela água, como a cólera. De acordo com a Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde do Sul do Sudão, desde que o surto de cólera foi declarado em junho de 2016, mais de 7.200 casos de cólera foram relatados, incluindo 229 mortes.
Fonte:​http://uk.reuters.com/article/us-yemen-security-cholera-idUKKBN1841CT http://www.bbc.com/news/world-middle-east-39856642
https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/epidemia-de-colera-no-iemen-causou-34-mortes-em-11-diasdiz-oms,439ee410359961e6a6672c023bf2546bwupnj3lg.html http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=56720#.WRRrlZLyvIW

Parotidite, Curitiba, Brasil
A Secretaria Municipal de Curitiba está em alerta para o número alto de casos de caxumba no início do ano. A doença costuma ter picos maiores no inverno e na primavera, e não no outono. Segundo dados da secretaria, durante todo o ano passado foram 4.500 casos. Nesse ano, já foram registrados 1.542 casos só na rede pública de saúde. Por ser um agravo em que a notificação individual não é obrigatória, é possível que esse número ainda seja maior.
Fonte:​http://www.bemparana.com.br/noticia/501370/numero-de-casos-de-caxumba-em-curitiba-deixa-sec retaria-de-saude-em-alerta

Hepatite A, Portugal
Em Portugal há 242 casos registrados desde o início do ano. Segundo informações do Programa das Hepatites Virais da Direção Geral da Saúde, 93% dos casos foram de homens e 57% por contaminação via sexual.
Fonte:​http://www.dn.pt/portugal/interior/portugal-com-242-casos-de-hepatite-7589534.html

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 18, 2017

Febre Amarela:
Desde a semana epidemiológica 1 a 17 de 2017, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Suriname relataram casos suspeitos e confirmados de febre amarela.
No último Informe de Febre Amarela no Brasil seis estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Tocantins). Foram notificados 3.140 casos em 386 municípios, destes foram confirmados laboratorialmente 729 casos e 1.748 foram descartados. Evoluíram a óbito 410 casos (116 descartados e 249 confirmados). Até o momento foram notificadas 3660 epizootias (474 confirmadas e 96 descartadas). A distribuição por sexo dos casos confirmados até 04 de maio de 2017, apresentou a proporção de sexo masculino (84%) e Feminino (16%), a  taxa de letalidade entre os casos confirmados foi de 34,2%.
O estado do Rio de Janeiro já soma 77 casos notificados, destes 11 confirmados e 57 descartados. Há registro de 3 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula e Maricá).
Fonte: INFORME MS – COES Nº 39
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO RJ
http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_topics&view=article&id=69&Itemid=40784&lang=pt

Malária, Angola
Nos últimos 12 meses, mais de 4 milhões de casos de malária com 15 mil óbitos foram registrados em 18 províncias do país. A malária continua sendo a maior causa de morbidade e mortalidade no país, afetando mais as crianças menores de cinco anos e as mulheres grávidas.
Fonte: http://reliefweb.int/report/angola/cunene-angola-registers-four-million-cases-malaria-twelve-months

Leptospirose, América e Ásia
Na República Dominicana, desde o início de 2017 até 1º de abril, pelo menos 20 pessoas morreram entre os mais de 200 notificados para leptospirose.
Nas Filipinas, nos primeiros três meses de 2017, o número de notificações aumentou 67,7% em relação ao período de 2016. Até 25 de março, foram 337 casos registrados incluindo 30 mortes. Durante o mesmo período em 2016, foram 201 casos.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/leptospirosis-cases-68-percent-philippines-2017/
http://almomento.net/reportan-al-menos-20-muertes-por-leptospirosis-este-ano-en-r-dominicana/311049

Microcefalia por Zika, Honduras
O Ministério da Saúde de Honduras relata que, em nove meses, 200 crianças nasceram com microcefalia por consequência da infecção por Zika. Anteriormente a epidemia, 45 casos de microcefalia eram registrados por ano. As autoridades de saúde relataram 16.500 casos de Zika em 2016 para 155 casos esse ano, assim, projeta-se que no final do ano podem nascer de 175 a 200 crianças com microcefalia em Honduras.
Fonte:http://spanish.china.org.cn/international/txt/2017-05/01/content_40723395.htm

Vírus respiratórios, Brasil
No Brasil, segundo o último informe epidemiológico do Ministério da Saúde, até a semana epidemiológica 17, 1.283 amostras apresentaram resultado positivo para vírus respiratórios, das quais 777(60,6%) foram positivos para influenza e 507 (39,5%) para outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Houve predomínio 74,8% do vírus Influenza A (H3N2) com 43 óbitos . Entre os outros vírus respiratórios observou-se maior circulação 57% de vírus sincicial respiratório (VSR).
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/maio/04/Informe_Epidemiolgico_Influenza-2017-SE-17.pdf

H7N9, China
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 21 de abril deste ano, mais 28 casos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 17° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 17, somou um total de 633 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016. O total de casos conhecidos e confirmados no mundo somam 1439. Após a data de publicação do 17º Relatório (SE 17), mais 15 casos novos foram relatados em distintas províncias na China.
Fonte:http://www.who.int/csr/don/01-may-2017-ah7n9-china/en/
http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk17.pdf
http://www.flu.org.cn/en/news-19357.html
http://www.hebwst.gov.cn/index.do?id=367416&templet=content&cid=326
http://www.flu.org.cn/en/news-19358.html
http://www.flu.org.cn/en/news-19350.html
http://www.flu.org.cn/en/news_detail?action=ql&uid=&pd=&newsId=19317

Coronavírus (MERS-CoV), Mundo
Com base na situação atual e as informações disponíveis, a OMS divulgou a tendência temporal em gráfico¹ e a distribuição espacial em mapa temático² dos casos confirmados de MERS-CoV pelo mundo, compreendido pelo período de janeiro de 2012 até 28 de abril de 2017. Neste período, a OMS foi notificada de 1.952 casos confirmados em laboratório da infecção com MERS-CoV, sendo 693 óbitos e um total de 27 países com o vírus circulante.


Fonte:​ http://www.who.int/emergencies/mers-cov/epicurve-28-april-2017.png
http://www.who.int/emergencies/mers-cov/en/

Dengue, Peru
De acordo com o Departamento de Epidemiologia do Ministério da Saúde, na cidade de Piura, há mais de 1500 casos confirmados, 10 óbitos e outros 7.249 prováveis de dengue. As áreas com maior presença de dengue são Castilla, Veintiséis de Octubre, Sullana, Talara e Sechura.
Fonte:http://elcomercio.pe/sociedad/piura/piura-ascienden-10-victimas-mortales-dengue-noticia-1988426?flsm=1
http://www.dge.gob.pe/portal/docs/vigilancia/boletines/2017/15.pdf

Hepatites, Mundo
Novos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que cerca de 325 milhões de pessoas no mundo vivem com infecção crônica pelo vírus da hepatite B (VHB) ou pelo vírus da hepatite C (VHC). O Relatório Global sobre Hepatites de 2017 indica que a grande maioria dessas pessoas não têm acesso a testes e tratamentos que podem salvar vidas. Assim, milhões de pessoas estão em risco de uma lenta progressão para doença hepática crônica, câncer e morte. A Estratégia Global do Setor da Saúde da OMS sobre as hepatites virais tem o objetivo de testar 90% e tratar 80% das pessoas com hepatites B e C até 2030.
Fonte:http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5404:novos-dados-sobre-hepatites-destacam-necessidade-de-uma-resposta-global-urgente&Itemid=816
http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/255016/1/9789241565455-eng.pdf

Antraz, Zimbabwe, África
A autoridade de Parques e Vida Selvagem de Zimbabwe (Zimparks) implantou equipes de guardas florestais para ajudar no monitoramento e contenção do surto de antraz. O monitoramento também tem sido estratégico para evitar que pessoas utilizem as carcaças de animais mortos para consumo. Até agora, o surto já matou 17 hipopótamos além de uma pessoa. Na última semana, peixes têm sido encontrados mortos no rio Mlibizi, mesma região dos óbitos dos hipopótamos.
Fonte:http://www.chronicle.co.zw/rangers-deployed-to-help-contain-anthrax/

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 17, 2017

Febre Amarela
Desde a semana epidemiológica 1 até a 16 de 2017, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Suriname relataram suspeita e confirmação de Febre Amarela. No Peru, até a SE 15 de 2017, 14 casos confirmados e outros casos prováveis foram relatados, incluindo dois óbitos. No último Informe de Febre Amarela no Brasil, seis estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Tocantins) e 123 municípios. Foram notificados 3131 casos, destes foram confirmados laboratorialmente 715 casos e 1589 foram descartados. Evoluíram a óbito 392 casos (113 descartados e 240 confirmados). Até o momento foram notificadas 3467 epizootias (474 confirmadas e 88 descartadas). O estado do Rio de Janeiro já soma 76 casos notificados, destes 11 confirmados e 41 descartados. Há registro de 3 óbitos (Casimiro de Abreu, Porciúncula e Maricá). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 a 65 anos (n= 9), 82% do total. Todos do sexo masculino.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/28/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME-38.pdf
http://www.febreamarelarj.com.br/site/arq/Boletim-Epidemiologico-Febre-Amarela-27-04-2017.pdf
http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=39639&lang=en

Hantavirose, Chile
Outro caso suspeito de Hantavirose foi registrado na região de Los Lagos, Chile. O número de infectados chega a 9 casos. Em Concepción, uma mulher foi a óbito entre as 10 pessoas admitidas com hantavírus no Hospital Regional.
Fonte:http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-los-lagos/2017/04/23/autoridades-descartancaso-sospechoso-por-virus-hanta-en-region-de-los-lagos.shtml
http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-del-bio-bio/2017/04/25/mujer-de-29-anos-muere-trascontagio-de-virus-hanta-en-la-region-del-bio-bio.shtml

Sarampo, Europa
Os casos de sarampo já chegam a mais de 7500 na Europa. A Romênia é o país com o maior surto registrado da Europa. Desde janeiro de 2016, soma quase 5 mil casos e 22 dos 25 óbitos registrados na Europa. Em Portugal já foram notificados mais de 40 casos de sarampo, dos quais 21 estão confirmados. Nos primeiros quatro meses do ano houve mais casos de sarampo em Portugal do que na última década anterior. Um balanço do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) demonstra estabilização no número de casos devido às taxas de vacinação. 2 De acordo com o ECDC, já foram reportados casos de sarampo na Áustria, Bélgica, Bulgária, República Checa, Dinamarca, França, Alemanha, Hungria, Islândia, Itália, Portugal, Espanha, Suécia, Suíça e Romênia.
Fonte: http://www.dn.pt/sociedade/interior/dezoito-paises-europeus-com-transmissao-endemica-desarampo-6239248.html
https://www.publico.pt/2017/04/23/sociedade/noticia/casos-de-sarampo-na-europa-ja-ultrapassam-os-%207500-1769767

Cólera, África
Na Somália, desde início de janeiro, mais de 500 pessoas já morreram por cólera. A agência de saúde da ONU diz que a epidemia deixou mais de 25.000 pessoas doentes, alertando que o número provavelmente dobrará até o final de junho. No Sudão do Sul morreram mais de 170 pessoas em 14 municípios dentre os mais de 6000 casos relatados desde junho do ano passado, início do surto. Novos casos continuam a ser registrados e há preocupações de que se intensifique.
Fonte: http://pulse.ng/health/in-somalia-diarrhoea-kills-more-than-500-since-january-id6525791.html
http://pulse.ng/health/cholera-outbreak-kills-172-in-south-sudan-un-id6559399.html

Hepatite E, República do Níger
O Ministério da Saúde do Níger declarou uma epidemia de hepatite E na região de Diffa, onde morreram 25 pessoas entre os 86 casos registrados desde o início de abril. As autoridades bloquearam as estradas que levam à área infectada e estão ajudando os doentes. A situação está agora sob controle, mas a população deve continuar vigilante e a reportar-se ao centro de saúde para tratamento gratuito se eles têm sintomas.
Fonte: http://thegardenisland.com/news/world/niger-declares-hepatitis-e-epidemic-in-diffaregion/article_390166ee-585e-51cc-9e0e-359d87e68022.html http://www.msf.org/en/article/niger-hepatitis-e-outbreak-linked-water-shortages-and-poor-sanitation

Meningite C, Nigéria
A Nigéria está enfrentando um surto de meningite C que tem preocupado as autoridades de saúde diante do crescimento acelerado. Os casos suspeitam chegam a 8 mil e os óbitos já somam 745 pessoas. A maioria dos infectados são crianças e o surto está concentrado no norte/nordeste do país: Zamfara, Sokoto, Katsina, Kebbi e Níger.
Fonte: http://www.prensalatina.com.br/index.php?o=rn&id=7001&SEO=chamado-dramatico-a-deter-osurto-de-meningite-na-nigeria
http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/mundo/internacional/noticia/2017/04/19/epidemia-de-meningite-deixa-mais-de-700-mortos-na-nigeria-279253.php

Malária, República do Burundi, África
O Ministério da Saúde do Burundi declarou, desde março, devido ao aumento do número de casos. Apenas nos primeiros 3 meses de 2017 já foram relatados quase 2 milhões de casos com 869 óbitos. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) emitiram um aviso de viagem ao Buriti recomendando medidas preventivas. O Escritório Regional da OMS para a África (OMS/ AFRO) anunciou que Gana, o Quénia e o Malawi participarão de um programa piloto de implementação coordenado pela OMS que disponibilizará a primeira vacina contra a malária no mundo a partir de 2018. A África tem o maior número de acometidos por malária em todo o mundo. Os esforços globais nos últimos 15 anos conduziram a uma redução de 62% nos óbitos de malária entre 2000 e 2015.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/cdc-travel-notice-issued-burundi-due-malaria-outbreak-55915/
http://www.afro.who.int/en/media-centre/pressreleases/item/9533-ghana-kenya-and-malawi-to-take-partin-who-malaria-vaccine-pilot-programme.html

Vírus respiratórios, Brasil
No Brasil, segundo o informe epidemiológico do Ministério da Saúde, até a semana epidemiológica 16, 1.176 amostras apresentaram resultado positivo para vírus respiratórios, das quais 700 (59,5%) foram positivos para influenza e 477 (40,5%) para outros vírus respiratórios (VSR, Parainfluenza e Adenovírus). Houve predomínio 73,9% do vírus Influenza A (H3N2) com 33 óbitos . Entre os outros vírus respiratórios observou-se maior circulação 57,23% de vírus sincicial respiratório (VSR).
Fonte: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/26/Informe-Epidemiologico_Influenza-2017-SE-16.pdf

Influenza A(H7N9), China
A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China (CNSPC-traduzido) notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 20 de abril deste ano, mais 15 casos de infecção humana de gripe aviária A (H7N9) confirmados em laboratório. Com isso, o 13° Relatório de Influenza Aviária da China, da semana epidemiológica 16, somou um total de 29 novos casos em humanos, acumulando um total de 616 casos registrados e confirmados na China Continental, desde outubro de 2016.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/20-april-2017-ah7n9-china/en/
http://www.chp.gov.hk/files/pdf/2017_avian_influenza_report_vol13_wk16.pdf”

Coronavírus (MERS-CoV), Oriente Médio
Entre 9 e 11 de Abril de 2017, o Ponto Focal Nacional de Emirados Árabes Unidos (EAU) relatou mais dois casos de MERS-CoV. Desde a semana epidemiológica 1 até a 16 deste ano, são totalizados 59 casos de coronavírus em humanos no Oriente Médio, com letalidade atingindo 37,29% (22 óbitos). A maior incidência de casos foi em pessoas do sexo masculino (69,49%), com idade entre 40 e 88 anos (81,36%), residentes da Arábia Saudita (94,9%)*.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/24-april-2017-mers-uae/en/
*Análise feita por meio dos dados disponíveis na planilha da OMS (MERS-CoV cases reported between 9 April and 11 April 2017)

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 15 e 16, 2017

Febre Amarela
No último Informe de Febre Amarela no Brasil cinco estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Pará). Foram notificados 2422 casos em 359 municípios, destes evoluíram a óbito 326 casos (53 descartados e 209 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 623 casos e 1128 foram descartados. Até o momento foram notificadas 2949 epizootias (473 confirmadas e 82 descartadas). O estado do Rio de Janeiro já soma 64 casos notificados, destes 10 confirmados e 32 descartados. Há registro de 3 óbitos, sendo 2 confirmados (Casimiro de Abreu e Porciúncula). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 a 65 anos (n= 8) 80% do total. Todos do sexo masculino.
Fonte:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/abril/13/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME-36-Atualizacao-em-12abril2017.pdf

Zika, Microcefalia, Brasil
Nos primeiros meses de 2017, o Brasil registrou pelo menos 165 casos de bebês com microcefalia relacionada ao vírus Zika, mais de 540 notificações ainda a serem confirmadas. Além disso, 14 mortes fetais ou neonatais e 16 quadros de abortos espontâneos, malformações e problemas no sistema nervoso estão sendo relacionadas ao vírus. Desde 2015, quando o Brasil declarou uma emergência de saúde, 2.205 casos de microcefalia e 259 óbitos foram confirmados.
Fonte:https://es-us.noticias.yahoo.com/brasil-registr%C3%B3-165-casos-microcefalia-zika-trimestre-2017-154400884.html 

Dengue, MG, Brasil
O estado de Minas Gerais registrou mais de 19 mil e 700 casos prováveis de dengue só este ano. Desses, um caso veio a óbito e outros dezessete seguem em investigação. Atualmente, 29 municípios estão em situação de risco para ocorrência de surto e 78 estão em situação de alerta.
Fonte: http://hojeemdia.com.br/horizontes/minas-tem-mais-de-19-mil-casos-de-dengue-29-cidades-estão-em-situação-de-risco-para-surto-1.457943

Influenza, Paraná, Brasil
A Secretaria de Estado da Saúde confirmou a primeira morte por gripe no Paraná em 2017. A vítima tinha 79 anos, morava em Maringá e faleceu no mês de fevereiro em decorrência da Influenza B. Até março, foram registrados 12 casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves, sendo oito de Influenza H3, três de Influenza B e um de H1N1. A campanha de vacinação contra a gripe na rede pública de saúde do Paraná começou no dia 17 de abril e vai até 26 de maio.
Fonte: http://paranaportal.uol.com.br/cidades/parana-registra-primeira-morte-por-gripe-em-2017/

Vírus Sincicial Respiratório (VRS), SP, Brasil
Casos graves de complicações respiratórias em crianças, decorrentes do Vírus Sincicial Respiratório (VRS), cresceram nas últimas semanas em hospitais privados em São Paulo. O VSR é o maior responsável por bronqueolite em menores de 2 anos.
Fonte: http://www.reportersaopaulo.com.br/casos-graves-de-virus-respiratorio-em-criancas-aumentam-em-hospitais-de-sp/
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/04/1875247-virus-potente-atinge-criancas-e-cria-fila-de-ate-24-h-para-leito-particular-em-sp.shtml.shtml

Hantavirose, Chile
Foi registrado o nono caso de infecção com o vírus Hanta na região de Los Lagos. O paciente de 19 anos foi transferido para Santiago e está, em condição grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O treinamento para os funcionários têm sido intensificado e os testes rápidos estão disponíveis em diferentes centros de saúde de baixa complexidade da rede de cuidados de saúde e o sistema de referência é em Santiago, que é bastante rápido.
Fonte:http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-de-la-araucania/2017/04/06/noveno-caso-de-virus-hanta-en-region-de-los-lagos-en-2017-afectado-es-un-joven-de-19-anos.shtml

Caxumba, Estado de Washington, EUA
O número de casos de caxumba tem aumentado, com pelo menos 367 pessoas diagnosticadas ou suspeitas de ter a doença, de acordo com o Departamento de Saúde do Estado de Washington. A maioria dos infectados são crianças em idade escolar e 87% delas já vacinadas.
Fonte: http://abcnews.go.com/Health/mumps-outbreak-reaches-367-cases-washington-state-numbers/story?id=45320986

Hepatite A, Europa e EUA
Atualmente, Portugal soma 138 casos de hepatite A diagnosticados de um surto que está ainda longe de se considerar controlado. O surto está afetando, também, a Espanha. Representantes de saúde dos dois países têm acompanhado e analisado a situação. Estratégias de vacinação estão sendo definidas.
Na Califórnia, EUA, 2 pessoas morreram de hepatite A e 36 pessoas foram hospitalizadas. Em 29 desses casos têm história de abuso de substâncias e 27 são desabrigados. Cinco pessoas ficaram doentes com hepatite A depois de viajar para fora dos Estados Unidos. Não foram identificadas fontes comuns de infecção e as investigações estão ainda em curso. O surto atual já conta com 42 casos, acima dos números já registrados nos últimos anos que compreendeu entre 15 a 40 casos/ ano entre 2011 a 2015.
Fonte:https://www.msn.com/pt-pt/noticias/portugal/portugal-tem-138-casos-de-hepatite-a-e-surto-est%C3%A1-longe-de-ser-controlado-dgs/ar-BBzlviF
http://www.nbcsandiego.com/news/local/2-Hepatitis-Deaths-Reported-Virus-on-the-Rise-in-San-Diego-418660883.html

Sarampo, Europa e África
Portugal já soma 46 casos de sarampo, dos quais 21 são confirmados e 10 excluídos. A maioria dos casos são adultos e crianças acima de 2 anos e se concentram na região de Lisboa e Vale do Tejo. A maioria não está vacinada. Entre os internados, há adultos e crianças com menos de 12 meses. As autoridades de saúde assumem que o nível de alerta é elevado. Foi emitida uma norma com instruções para médicos e enfermeiros para isolarem os doentes e vacinarem os que tiveram contato com eles. Uma adolescente, que estava internada, foi a óbito por uma pneumonia bilateral, como complicação respiratória do sarampo. Na Guiné, em menos de um ano após o fim oficial da epidemia de Ébola, o sistema de saúde registra um aumento significativo de casos de sarampo. Desde o início do ano foram mais de 3400 casos confirmados e 14 óbitos na Guiné. Conakry e Nzérékoré são os distritos mais afetados. A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está lançando uma campanha de vacinação contra o sarampo em grande escala em Conakry, em conjunto com o Ministério da Saúde da Guiné. A vacinação de rotina na Guiné foi drasticamente reduzida durante a epidemia de Ebola 2014/15, o que deixou milhares de crianças pequenas desprotegidas contra doenças facilmente evitáveis.
Fonte:http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-04-19-Maioria-dos-doentes-com-sarampo-tem-mais-de-20-anos
https://www.rtp.pt/noticias/pais/confirmados-mais-quatro-casos-de-sarampo-em-portugal_v995380
https://www.rtp.pt/noticias/pais/morreu-adolescente-internada-com-sarampo-em-lisboa_n996167
http://reliefweb.int/report/guinea/guinea-battling-large-scale-measles-epidemic

Norovírus, cepa incomum, França
Um aumento precoce dos surtos de gastroenterite por norovírus foi observado pelo Centro Nacional de Referência Francês durante a temporada de inverno. Da semana 40 de 2016 à semana 3 de 2017, 350 amostras de fezes correspondentes a 114 surtos de gastroenterite foram investigadas e destes 87 surtos foram positivos para norovírus. Este incremento foi associado à co-circulação incomum de três cepas de norovírus, incluindo duas estirpes recombinantes emergentes nunca antes detectadas na França.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22768

Meningite, Nigéria (atualização)
Pelo menos cerca de 500 pessoas morreram nos últimos 5 meses em decorrência da epidemia de Meningite que acomete 20 estados da Nigéria. A epidemia já atingiu mais de 2500 pessoas. As autoridades nigerianas esperam cerda de 820 mil doses de vacinas provenientes da Grã-Bretanha para continuar a campanha lançada no início de abril. O Estado de Zamfara (norte) é o mais afetado pela epidemia acumulando cerca de 70% do total dos casos. Cerca de 3 milhões de doses de vacinas seriam necessárias para a população deste estado. O número de óbitos por Meningite Espinhal de Cerebral (CSM) no estado do Níger chega a 33, dos 116 casos suspeitos registrados. Entre os óbitos, 9 foram por meningite tipo C e 24 morreram do tipo 4 A e B. Logo após a primeira morte, o estado iniciou uma campanha de sensibilização e conscientização para educar as pessoas sobre medidas preventivas e, assim, a incidência está diminuindo.
Fonte:http://www.nigeriatoday.ng/2017/04/meningitis-kills-33-in-niger/
http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2017/3/15/Nigeria-Epidemia-meningite-mata-500-pessoas-Estados-Pais,a59fe4ba-724e-4a58-9879-49f05a63f082.html

Cólera, Somália
Um surto de cólera em regiões da Somália já matou mais de 85 pessoas. Em Somaliland foram 28 óbitos nos últimos dez dias e 167 outras hospitalizadas. Em Puntland mais de 1.600 casos de cólera e 57 mortes foram registrados desde janeiro.
Fonte: http://www.newtimes.co.rw/section/article/2017-04-14/210661/

Raiva, Angola
A raiva matou nove dos dez pacientes que se encontravam internados no Hospital Provincial do Zaire em março. A situação é considerada alarmante e preocupa as autoridades sanitárias locais, que enfrentam a falta de vacinas contra a doença. Diante da situação, cerca de 1700 animais estão sendo vacinados.
Fonte: https://www.abola.pt/africa/ver.aspx?id=665912

Enterovírus, Taiwan
O Departamento de Saúde da cidade de Taipei alertou para um surto de enterovírus. Em Taiwan, esses surtos acontecem, aproximadamente, a cada 3 a 4 anos. Em 2005 houve 142 casos com complicações graves, em 2008 foram 373 e 2012 foram 152 casos relatados. Somente na semana passada, 419 pessoas foram atendidas em emergência, registrando um aumento de 70% do que o número médio das ultimas semanas de 2017.
Fonte: http://www.taiwannews.com.tw/en/news/3142634

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 14, 2017

Febre Amarela
A Organização Mundial da Saúde incluiu 88 novos municípios brasileiros como áreas com recomendação de vacina contra febre amarela, incluindo as cidades do Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), Salvador (BA) e a área urbana de Campinas (SP). Com isso, todo o Estado do Rio de Janeiro, passa a ser área com recomendação de vacina contra a febre amarela. O Ministério da Saúde passa a adotar dose única da vacina contra a febre amarela para as áreas com recomendação de vacinação em todo o país. A medida é válida a partir deste mês de abril e está de acordo com orientação da OMS. No último Informe de Febre Amarela no Brasil cinco estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro e Pará). Foram notificados 1987 casos em 330 municípios, destes evoluíram a óbito 282 casos (43 descartados e 190 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 586 casos e 951 foram descartados. Até o momento foram notificadas 2.712 epizootias (466 confirmadas e 74 descartadas). O estado do Rio de Janeiro já soma 64 casos notificados, destes 10 confirmados e 21 descartados. Há registro de 2 óbitos confirmados (Casimiro de Abreu e Porciúncula). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 a 65 anos (n= 8) 80% do total. Todos do sexo masculino.
Fonte:https://goo.gl/iztXJL
http://oglobo.globo.com/rio/descartada-febre-amarela-em-paciente-internada-em-duque-de-caxias-21167000
http://u.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/28003-febre-amarela-brasil-adota-dose-unica-da-vacina-por-recomendacao-da-oms

Parotidite, Vitória/ES, Brasil
Desde julho do ano passado, somente nas unidades de saúde e pronto-atendimentos da rede municipal, foram registradas mais de 1100 notificações, entre surtos e casos isolados. Para evitar que o vírus da caxumba seja disseminado, a Secretaria Municipal de Saúde enviou uma nota técnica para as instituições de ensino públicas e particulares com orientações, já que os casos da doença podem aumentar por conta da aglomeração de pessoas.
Fonte:http://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2017/03/mais-de-mil-casos-de-caxumba-sao-registrados-em-nove-meses-em-vitoria.html

Cólera, Somália
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou hoje que os casos de cólera e doenças diarreicas agudas detectado na Somália durante os primeiros três meses de 2017 ascendeu a 18.400 contra 15.600 registrados em 2016. Os mais afetados por estas doenças intestinais são crianças. A cepa atual da doença é inusitadamente mortal, matando cerca de 1 em 45 pacientes.
Fonte:https://es-us.noticias.yahoo.com/unicef-alerta-registrado-casos-c%C3%B3lera-somalia-2016-114900477.html
http://www.sabc.co.za/news/a/cea05100409fb37b8021f3ae345a5fb2/Cholera-spreads-in-faminethreatened-Somalia-20170401

Febre Tifóide, África e Nova Zelândia
Em Zimbabué, ocorreu mais 1 óbito por febre tifoide e quase 100 pessoas ficaram doentes em apenas uma semana. O Ministério da Saúde diz que pelo menos 10 pessoas morreram e mais de 1.800 foram infectadas com a doença desde que o surto começou em outubro do ano passado. O Serviço Regional de Saúde de Auckland da Nova Zelândia confirmou ontem que um surto da doença havia levado 10 pessoas a serem internadas. Fonte:http://www.newstalkzb.co.nz/news/health/outbreak-of-rare-disaease-strikes-auckland/
http://ewn.co.za/2017/03/30/zimbabwe-another-typhoid-death-reported

Febre de Lassa, Nigéria
Oito pessoas morreram de suspeita de febre de Lassa na aldeia Taka-Lafiya (Kano). A doença foi detectada na aldeia cerca de três semanas atrás, após a misteriosa morte de quatro pessoas. Outro caso foi detectado na comunidade de Angwan Kura (Lakoja, Kogi). O paciente tem histórico de viagem a cidade de Illorin (Kwara), onde permaneceu por 2 semanas e somente dois dias após o seu retorno é que desenvolveu sinais e sintomas, deixando incerta a origem da sua contaminação.
Fonte:http://ewn.co.za/2017/03/30/zimbabwe-another-typhoid-death-reported
https://www.dailytrust.com.ng/news/health/kogi-confirms-lone-lassa-fever-case/191788.html

Meningite, Nigéria
Surto de Meningite Meningocócica se propaga em 5 estados do Noroeste e Norte (Zamfara, Katsina, Kebbi, Níger e Sokoto), no período de Dezembro de 2016 a 03 de Abril, 2.997 casos foram notificados, destes 336 evoluíram a óbito. Em 83% das amostras testadas foi encontrada a Neisseria Meningitidis sorotipo C. Na tentativa de combater a ameaça de propagação da doença o Grupo Internacional de Coordenação para a Provisão de Vacinas (ICG) concedeu 500.000 doses de vacina.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/nigeria-meningitis-outbreak-update-3000-cases-336-deaths-16048/

Sarampo, África
Surtos dispersos pelo continente africano são relatados em Guiné, com o maior número de casos até o momento (3468 já confirmados e 14 óbitos), sendo os distritos de Conakry e Nzérékoré os mais afetados; Somália onde foram detectados aproximadamente 40 casos em 10 dias, principalmente em crianças provenientes das áreas rurais afetadas pela seca de Buhodle, na região de Togdheer, ao norte do país; Nigéria com a confirmação de 15 casos no estado de Nasarawa; e África do Sul que registrou, até o momento 29 casos em 3 localidades (Joanesburgo, Rustenburg e Cabo Ocidental) somente neste ano.
Fonte:http://reliefweb.int/report/guinea/guinea-battling-large-scale-measles-epidemic https://radioergo.org/en/blog.php?article_id=2806 https://www.informationng.com/2017/04/nasarawa-5-cases-measles-detected.html
http://outbreaknewstoday.com/johannesburg-six-confirmed-measles-cases-reported-23486/

Antraz, Austrália e Filipinas
Foi confirmado outro caso de antraz na Austrália, e com isso a quinta propriedade na região de Swan Hill a ser infectada. Desde o início do surto, há um mês, 28 mortes de ovinos já foram notificadas na região. Destas, 20 já foram confirmadas laboratorialmente e as outras 8 amostras ainda estão em análise. O antraz é tratado seriamente na Austrália devido ao seu risco para a saúde humana e animal, mercados de exportação e produtividade agrícola. Nas Filipinas, Lagangilang, na Região Administrativa da Cordilheira (DoH-CAR) identificou 53 casos de antraz. As vítimas são predominantemente de sexo masculino, com mediana de 18 anos de idade.
Fonte:http://www.weeklytimesnow.com.au/agribusiness/sheep/anthrax-outbreak-spreads-to-fifth-victorianproperty/news-story/71b7e11b8f4a1eabf12dc467b6b9f034 http://www.abc.net.au/news/2017-04-04/anthrax-kills-25-sheep-on-fifth-farm-in-north-westvictoria/8413766
http://tempo.com.ph/2017/04/06/anthrax-in-car/

Raiva Humana, Filipinas
Um menino de 7 anos morreu de raiva na cidade de Mandaue após ser mordido pelo cachorro, não vacinado, do seu vizinho. Os registros do Departamento de Saúde local revelam que, todo ano, morrem de raiva cerca de 200 a 300 pessoas.
Fonte: http://www.gmanetwork.com/news/story/605563/news/regions/boy-dies-of-rabies-in-mandaue-citynbsp

Chikungunya, Paquistão
A Organização Mundial de Saúde e o Departamento de Saúde de Balochistan confirmaram, em relatório conjunto, a detecção de Chikungunya desde janeiro desde ano. Até meados de março, os números de suspeitos chegam a mais de 400 e a incidência continua aumentando.
Fonte: https://tribune.com.pk/story/1366254/balochistan-coastal-towns-hit-chikungunya/

Monkeypox, Congo
Até 28 de março, 26 casos suspeitos, incluindo 4 mortes (letalidade de 15%), foram relatados desde o início do surto em 21 de janeiro de 2017: Betou (6 casos), Dongou (13 casos, 2 óbitos), Enyelle (4 casos e 1 óbito) e Impfondo (3 casos, 1 óbito). Os roedores são reservatórios suspeitos, assim como macacos e seres humanos. A transmissão se dá por mordedura de animal infectado ou contato com a erupção do animal, sangue ou fluidos corporais, por transmissão de pessoa a pessoa através de contato respiratório ou contato com roupa contaminada. A doença geralmente dura de 2 a 4 semanas e não há tratamento específico. O caso índice deste surto pode ter sido em Manfouété, distrito de Dongou (cidade isolada com uma rede de comunicação limitada, transporte rodoviário, falta de eletricidade, número insuficiente de profissionais de saúde treinados e baixa cobertura de serviços de saúde). O elevado movimento populacional representa um risco elevado de propagação do surto para outras províncias do Congo e dos países vizinhos.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/congo-monkeypox-continues-6-additional-cases-reported-56109/

Influenza (H7N9), China
O número de infecções humanas com a gripe aviária A (H7N9) na quinta onda epidêmica (desde outubro de 2016) é maior do que o número de casos humanos relatados em ondas anteriores. As infecções humanas com o vírus da gripe aviária A (H7N9), contudo, permanecem incomuns. A maioria dos casos humanos está relacionada por contato com aves infectadas ou ambientes contaminados, incluindo mercados de aves vivas. Nos últimos 17 casos notificados, entre 6 e 24 de março, somente um não teve história de exposição de aves.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/05-april-2017-ah7n9-china/en/

Mortalidade por influenza, Europa
Na temporada de inverno 2016/17, o vírus influenza A (H3N2) predominou e circulou amplamente. Os países europeus verificaram níveis de mortalidade aumentados, particularmente em suas populações idosas. De fato, alguns países foram afetados por um clima muito frio em janeiro de 2017, o que pode ter tido um impacto no excesso de mortalidade por todas as causas, e, portanto, nos óbitos atribuíveis à gripe. Neste contexto, com o incremento de pessoas doentes, a procura aos serviços de saúde em muitos países europeus também aumentou no período.
Fonte: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=22766

Leishmaniose Cutânea, Camarões
A investigação epidemiológica retrospectiva dos casos anteriormente relatados como uma febre eruptiva cutânea misteriosa evidenciou que tratava-se de Leishmaniose Cutânea. Até Março foram identificados 48 casos, incluindo 17 óbitos, originários de 7 distritos (Bourha, Mokolo, Mogode, Hina, Maroua, Soulede Roua e Mayo-Oulo), mesmas áreas onde a crise humanitária está ocorrendo.
Fonte: http://outbreaknewstoday.com/leishmaniasis-outbreak-reported-cameroon-58045/

Zika, estudo OMS
O vírus zika é o primeiro vírus conhecido por ser transmitido aos seres humanos por meio da picada de um mosquito infectado e de relação sexual com uma pessoa infectada. Ao longo de 2016, a OMS, juntamente com a comunidade global de pesquisa, solidificou evidências de que a transmissão do vírus zika por meio de relação sexual não era apenas possível, mas mais comum do que se supunha. A partir dessa constatação, será realizado um estudo sobre a persistência do vírus zika em fluidos corporais em três cidades brasileiras: Rio de Janeiro, Manaus e Recife.
Fonte:http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5392:estudo-sobre-apersistencia-do-virus-zika-em-fluidos%20corporais&catid=1272:noticiasdtent&Itemid=816

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 13, 2017

Febre Amarela
A Organização Mundial da Saúde (OMS) enviará ao Brasil 3,5 milhões de doses da vacina contra febre amarela pelo Grupo de Coordenação Internacional para Fornecimento de Vacinas para conter o surto da doença no país. O Ministério da Saúde divulgou no último Informe de Febre Amarela no Brasil que cinco estados registraram casos confirmados da doença (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro e Pará). Foram notificados 1987 casos em 330 municípios, destes evoluíram a óbito 282 casos (24 descartados e 187 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 574 casos e 926 foram descartados. Até o momento foram notificadas 2.712 epizootias (466 confirmadas e 74 descartadas). A faixa etária mais acometida entre os casos confirmados está entre 31 e 65 anos (78,1%), sendo 86% do sexo masculino.
O Estado do Rio de Janeiro registra nove casos confirmados de febre amarela, 07 casos de Casimiro de Abreu, um caso de São Fidelis e um caso de São Pedro da Aldeia (fonte provável de infecção no município de Casemiro de Abreu), o primeiro na Região dos Lagos.
Desde o início do ano, 537.626 pessoas foram vacinadas contra a febre amarela no município do Rio. Dessas, 223.216 receberam a dose no sábado dia 25 de março, dia de mobilização contra a doença.
O Ministério da Saúde irá liberar R$ 19,2 milhões para ações de intensificação da vacinação contra a febre amarela. Os recursos serão repartidos entre Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo.
Fonte: http://www.who.int/csr/disease/yellowfev/vaccination-in-Brazil/en/
http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/marco/31/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME-34.pdf
http://oglobo.globo.com/rio/febre-amarela-sobe-para-nove-numero-de-casos-no-estado-do-rio-21137307
http://prefeitura.rio/web/sms/exibeconteudo?id=6829765
http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-03/governo-libera-r-19-milhoes-para-vacinacao-contra-febre-amarela-em-5-estados

Malária, Petrópolis, RJ
Cinco moradores de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, foram diagnosticados com malária. Os pacientes, homens entre 16 e 54 anos, são moradores dos bairros Independência, Quitandinha, Valparaíso e Siméria. Segundo informações da Prefeitura divulgadas nesta segunda-feira (27), eles foram medicados e seguem em tratamento. Em 2016, dois casos da doença foram registrados.
Fonte:http://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/2017/03/petropolis-rj-registra-cinco-casos-de-malaria.html

Chikungunya, Minas Gerais
Os casos de chikungunya em 2017 já superam em oito vezes os números do ano passado. A Secretaria de Saúde registrou 3.808 casos prováveis da doença no estado e um óbito está sendo investigado. Em Belo Horizonte, 12 casos foram confirmados.
Fonte:http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2017/03/24/interna_gerais,856845/casos-de-chikungunya-em-mg-de-2017-superam-em-oito-vezes-2016.shtml

Salmonela, Brasil
Uma pesquisa publicada na última edição da revista “Infection, Genetics and Evolution” revela um subtipo mais invasivo e mais patogênico de salmonela no Brasil. Até hoje, esse subtipo só havia sido registrado quase que exclusivamente na África Subsaariana. Ao contrário de outros subtipos da Salmonella enterica sorovariedade Typhimirium, que provocam gastroenterite com febre, náuseas, vômitos e diarreia, essa variação consegue quebrar a barreira gastrointestinal e cair na corrente sanguínea.
Fonte:http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/pesquisa-aponta-presenca-de-salmonela-maisinvasiva-e-mais-resistente-no-brasil.ghtml

Influenza, Brasil
A cidade de Corumbá está em alerta devido a um surto de gripe que acomete a população desde o inicio de março. Mais de 4000 atendimentos suspeitos foram registrados antes da chegada do outono, início da temporada onde se observa aumento dos casos.
Em Taubaté (SP) foram registrados 19 casos. Destes, 3 evoluíram a óbito (2 por Influenza B e um por Influenza A H3N2) e outros estão sendo investigados. A Secretaria de Saúde colocou o município em alerta e já identificou 3 vírus circulantes: Influenza A H1N1 (1), Influenza A H3N2 (7) e Influenza B (11), os mais circulantes no país. No estado do Rio de Janeiro 1 óbito por Influenza B foi confirmado em adolescente residente em Barra do Piraí.
Fonte:http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/bom-dia-ms/videos/v/corumba-esta-em-alerta-por-causado-surto-de-gripe/5719475/
http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2017/03/tres-mortes-por-gripe-poem-taubate-emalerta-contra-virus-da-doenca.html
http://g1.globo.com/rj/sul-do-rio-costa-verde/noticia/2017/03/secretaria-de-saude-afirma-que-morte-dejovem-foi-por-gripe-tipo-influenza-b.html

Sarampo, Europa
Um alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi emitido após a notificação de mais de 500 casos em países europeus desde janeiro, comprometendo todo o progresso feito para alcançar sua erradicação no continente. O escritório regional da agência das Nações Unidas acredita que entre as causas dos surtos está a cobertura vacinal abaixo do limiar de 95% necessário para controlar a doença.
Na Romênia os casos continuam a ser relatados apesar da vacinação estar em curso. De setembro/2016 a 17 de Março/2017 já foram reportados 3.799 casos. Na Itália mais de 1000 casos foram registrados, na Alemanha são pelo menos 200 casos e na Bélgica mais de 100. Outros casos estão sendo identificados na França, Espanha, Hungria e Áustria.
Na Itália, o aumento considerável de casos tem preocupado as autoridades de saúde, principalmente pela resistência dos pais à vacina.
Fonte: http://www.phmk.es/oms-advierte-nuevos-brotes-sarampion-europa/
http://outbreaknewstoday.com/europe-measles-update-romania-outbreak-now-3800-cases-92581/
http://istoe.com.br/italia-ja-registra-mais-de-mil-casos-de-sarampo-em-2017/
http://www.euro.who.int/en/media-centre/sections/press-releases/2017/measles-outbreaks-across-europethreaten-progress-towards-elimination

Febre de Lassa, África Ocidental
Surtos de Febre de Lassa foram confirmados em cinco países da África Ocidental (Nigéria, Benin, Serra Leoa, Togo e Burkina Faso). Desde dezembro de 2016, 322 casos suspeitos foram informados, 113 já tiveram a confirmação laboratorial e até o momento 66 evoluíram a óbito. A maior parte dos casos ocorreram na Nigéria (88%), distribuídos em 13 estados: Ogun, Bauchi, Plateau, Ebonyi, Ondo, Edo, Taraba, Nasarawa, Rivers, Kaduna, Gombe, Cross-River e Borno. A Febre de Lassa é endêmica em países da África Ocidental e sua ocorrência é observada anualmente com maior concentração nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro.
Fonte:http://outbreaknewstoday.com/lassa-fever-west-africa-outbreaks-confirmed-5-countries-58633/

Influenza Aviária, Vietnã
Um surto de gripe aviária foi identificado em um rebanho de aves de capoeira na província central de Ha Tinh, mais de 1600 animais foram acometidos. Outras províncias, que também registraram casos, já realizaram o abate sanitário e estão em quarentena. Especialistas alertam que há um alto risco de propagação da doença no Vietnã por nova cepa de vírus, tais como H7N9, H5N2 e H5N8 por meio das vendas, transporte, consumo das aves e outros produtos avícolas.
Fonte: http://www.saigon-gpdaily.com.vn/Health/2017/3/123761/

Raiva Humana, Filipinas
Um surto de raiva foi declarado no município de Cauayan após a morte de duas pessoas, ambas foram mordidas pelos seus próprios animais. Uma campanha de vacinação antirrábica foi iniciada na região para conter a propagação da doença.
Fonte: http://news.abs-cbn.com/news/03/29/17/negros-town-declares-rabies-outbreak

Vírus Zika
Estudo recente, publicado na revista Science, aponta para um possível complicador no desenvolvimento de vacinas para a Febre do Nilo Ocidental, Dengue e Zika. Segundo a pesquisa, realizada em camundongos, a severidade da doença causada pela contaminação por um desses flavivírus é aumentada quando já há anticorpos de infecções anteriores: um efeito conhecido como “antibody-dependent enhancement” (ADE), demonstrado, por exemplo, nas infecções subsequentes por diferentes subtipos do vírus da Dengue.
Fonte: http://www.sciencemag.org/news/2017/03/dengue-may-bring-out-worst-zika

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 12, 2017

Febre Amarela
A OMS alerta para uma possível mudança no ciclo de transmissão da febre amarela neste surto atual devido aos casos confirmados e suspeitos em regiões próximas a grandes áreas urbanas, às confirmações de epizootias. No entanto, até o momento, não foi relatado que o vetor Aedes aegypti (circulante em áreas urbanas) tenha um papel na transmissão. Relatos de epizootias estão sendo investigados nos estados de Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Pará que fazem fronteira com países da América do Sul. Se confirmadas, há grande risco de disseminação do vírus para esses países limítrofes, especialmente em áreas com ecossistemas semelhantes. No Peru já foram notificados 14 casos de febre amarela, dos quais três já foram confirmados, incluindo duas mortes. Dada a atual situação de febre amarela no Brasil e o surgimento de casos em áreas não endêmicas, a Organização Pan-Americana da Saúde e o Escritório Regional da Organização Mundial da Saúde (OPAS / OMS) recomendam esforços para detecção, confirmação oportunas, capacitação dos profissionais e a vacinação para a toda a população das regiões afetadas e dos viajantes para as áreas de risco. A vacina contra a febre amarela é segura e acessível e proporciona imunidade eficaz. De acordo com o Informe Especial Febre Amarela no Brasil, nº01, do Ministério da Saúde, os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Norte, Tocantins, Goiás e Rio de Janeiro possuem casos em investigação ou já confirmados. Foram notificados 1561 casos em 188 municípios destes evoluíram a óbito 264 casos (10 descartados e 144 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 448 casos e 263 foram descartados. Até o momento foram notificadas 1249 epizootias (389 confirmadas e 12 descartadas). No estado do Rio de Janeiro, mais dois casos de febre amarela foram confirmados em Casimiro de Abreu, totalizando 5 casos.
Fonte:http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_topics&view=article&id=69&Itemid=40784&lang=pt
http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/marco/18/Informe-especial-COES-FA.pdf
http://oglobo.globo.com/rio/dois-novos-casos-de-febre-amarela-no-estado-do-rio-sao-confirmados-
21105232

Zika nas Américas e no mundo, 2016
A Organização Mundial da Saúde publicou um resumo da situação da Zika nas Américas. Até a Semana Epidemiológica 44 de 2016, 48 países do território das Américas confirmaram a transmissão autóctone, entre eles Brasil, Colômbia e Argentina. A infecção congênita a partir do vírus Zika foi confirmada em 24 países.
Fonte:http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_content&view=article&id=12390&Itemid=42090 http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=38610

Antraz, Índia e Peru
Novos surtos de Antraz humano têm sido identificados em distintas áreas do planeta. Na Índia foram registrados 2 óbitos e mais 9 casos internados. No Peru, o Serviço Nacional de Sanidade Sanitária alertou para um eventual surto de antraz em humanos, com dois casos confirmados em Piura e ainda há outros 6 em investigação.
Fonte:https://odishatv.in/odisha/body-slider/anthrax-scare-in-bisra-2-dead-9-admitted-to-hospitals-200980/
http://www.newindianexpress.com/states/odisha/2017/mar/19/anthrax-scare-in-bisra-1583087.html
http://larepublica.pe/sociedad/857842-confirman-dos-casos-de-antrax-en-seres-humanos-en-piura

MERS-CoV, Qatar
O Ministério da Saúde Pública (MOPH) anunciou a confirmação de um novo caso de Síndrome Respiratória por Corona Vírus no Médio Oriente (MERS-CoV) em um residente de 62 anos no Qatar, marcando o primeiro caso de MERS-CoV a ser confirmado no país.
Fonte:https://www.moph.gov.qa/news/moph-announces-new-mers-cov-case?backArt=326

Cólera, África
A Cólera parece estar avançando no continente Africano, com relatos de surtos em distintos países. A Somália está enfrentando um surto de cólera em grande escala, com cerca de 11 mil casos e 268 mortes notificadas em 11 regiões desde o início de 2017, o que significa mais da metade do número de casos relatados em 2016. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o governo da Somália lançaram uma campanha de vacinação oral contra o cólera que busca alcançar mais de 450 mil somalis em sete áreas de alto risco no país. O governo de Moçambique também deve introduzir a vacina contra cólera no país. Em Malawi, 11 casos suspeitos de cólera foram registrados no Ndamera Health Center, fronteira com Moçambique. Porém, nenhum paciente mencionou ter tido contato com um cidadão moçambicano. No Sudão, mais de 700 famílias deixaram suas casas em áreas pantanosas de Shambe, onde 37 pessoas já morreram de cólera e ainda há outros 13 já notificados.
Fonte:https://nacoesunidas.org/somalia-campanha-de-vacinacao-contra-colera-apoiada-pela-onu-quer-alcancar-450-mil-pessoas/
https://noticias.mmo.co.mz/2017/03/governo-mocambicano-introduz-vacina-contra-a-colera.html
http://www.maravipost.com/nsanje-registers-new-cases-cholera/
https://radiotamazuj.org/en/article/over-700-families-move-higher-ground-due-cholera-outbreak-yirol-east-county

Febre Eruptiva Atípica, Camarões
Pelo menos 16 pessoas, na sua maioria crianças com menos de 5 anos, morreram no extremo norte de Camarões com uma misteriosa doença que já somou 54 casos. Suas manifestações clínicas mais frequentes são: febre persistente, erupções cutâneas, anemia, hepatoesplenomegalia e linfadenopatia.
Fonte:http://www.cameroononline.org/spotted-fever-claims-16-lives-cameroon/ 

Candida Auris, EUA
Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA deram o sinal de alerta para disseminação de infecção fúngica por ‘Candida Auris’. Sua taxa de mortalidade pode chegar a 60%. Nota-se que várias de suas cepas são resistentes à maioria dos medicamentos existentes e sua identificação laboratorial é difícil. O fungo já infectou dezenas de pacientes hospitalizados, a maioria em Nova York. Porém há lugares onde se detecta a infecção em pessoas não hospitalizadas. As principais vítimas da ‘Candida Auris’ são pessoas com o sistema imunológico debilitado, como bebês prematuros, pacientes com diabetes ou pacientes submetidos a diálise ou transplante de órgãos.
Fonte: https://actualidad.rt.com/actualidad/233885-eeuu-propagacion-infeccion-hongos

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Semana Epidemiológica 11, 2017

Febre Amarela
A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) divulgou uma atualização do alerta epidemiológico sobre febre amarela nas Américas. Neste ano, Colômbia, Bolívia (1), Equador (1), Peru (3), Suriname (1) e Brasil (vários casos em áreas sem registros há anos) têm notificado casos da doença. A publicação aponta para o risco da transmissão urbana no Brasil– ou seja, causada pelo Aedes aegypti – devido à confirmação de casos em humanos e macacos em áreas próximas a grandes aglomerados urbanos. No entanto, até o momento não há evidências de que esse mosquito esteja envolvido na transmissão. Equipes da OPAS/OMS estão em diversas áreas afetadas para apoiar o país na resposta ao surto. De acordo com o informe 32 do Ministério da Saúde, os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Norte, Tocantins, Goiás e Rio de Janeiro possuem casos em investigação ou já confirmados. Foram notificados 1558 casos em 184 municípios destes evoluíram a óbito 259 casos (10 descartados e 137 confirmados). Já foram confirmados laboratorialmente 424 casos e 201 foram descartados. Até o momento foram notificadas 1228 epizootias (386 confirmadas e 11 descartadas). Nesta semana, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro confirmou os dois primeiros casos de febre amarela autóctones, um deles foi a óbito e o outro está hospitalizado no Hospital dos Servidores do RJ. O governo estadual já iniciou uma ação conjunta nos 12 municípios do entorno de Casimiro de Abreu para imunizar a população nos próximos dias. Foi montado um hospital de campanha e outros 40 locais farão a imunização.
Fonte:http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5367:seis-paises-sulamericanos-registram-casos-de-febre%20amarela-aponta-alerta-epidemiol%C3%B3gico-da-opasoms&Itemid=816
http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/marco/16/COES-FEBRE-AMARELA-INFORME32-Atualizacao-em-16mar2017.pdf
http://g1.globo.com/rj/regiao-dos-lagos/noticia/2017/03/estado-do-rj-confirma-dois-casos-de-febre-amarelaem-casimiro-de-abreu.html
http://extra.globo.com/noticias/rio/estado-organiza-acao-conjunta-entre-12-municipios-para-vacinacaocontra-febre-amarela-21069119.html

Raiva Humana, Bahia
A Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (SESAB) confirmou o óbito de um homem de 46 anos, residente da área rural de Paramirim. O paciente buscou atendimento médico 21 dias depois da agressão por morcego. Logo após a confirmação do caso foi emitido o “Alerta Epidemiológico” para intensificação das ações de prevenção e controle da raiva humana e animal, o estado não registrava casos desde 2004.
Fonte: http://www.lfnews.com.br/morte-por-raiva-humana-e-confirmada-na-bahia-e-sesab-emite-alerta/
http://www.correio24horas.com.br/detalhe/bahia/noticia/homem-morre-vitima-de-raiva-apos-sermordido-por-morcego-na-bahia/?cHash=d82158a49f3ccf621db0e04af1125290

Influenza
O vírus Influenza A (H3N2) continua circulando de forma predominante, no leste asiático e Europa. Há uma tendência de queda da atividade da doença, já na zona temperada do Hemisfério Norte continua elevada. Na China, 58 novos casos de Influenza A (H7N9) foram notificados entre 24/02 e 07/03, destes 4 casos não estão relacionados a exposição a aves de capoeira ou mercado de aves vivas No Brasil, o número acumulado de casos que geraram hospitalização até a SE 9 foi maior que os registrados em 2015 e 2016, destes 9,7% evoluíram a óbito. A maior parte dos casos concentra-se na região Sudeste, sendo 25% em Minas Gerais, e o predomínio entre as amostras identificadas refere-se ao vírus Influenza A (H3N2). Em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, um surto de gripe está sendo investigado, mais de 4 mil pessoas foram atendidas na rede de urgência do município nos primeiros 10 dias de março com sintomas de gripe. A campanha contra Influenza 2017 será antecipada para o inicio de Abril.
Fonte:http://www2.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=38658%20&lang=en http://www.who.int/csr/don/15-march-2017-ah7n9-china/en/
http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2017/03/secretaria-de-saude-esta-em-alerta-por-surto-degripe-no-pantanal-de-ms.html

Vírus Zika, Venezuela
Danos cardíacos foram observados em 9 pacientes que apresentaram sintomas de infecção pelo vírus Zika, entre eles 8 desenvolveram perturbações importantes no ritmo cardíaco e em 6 houve evidências de insuficiência cardíaca.
Fonte:https://medlineplus.gov/spanish/news/fullstory_164045.html
https://medlineplus.gov/spanish/news/fullstory_164045.html

Malária, Venezuela
O presidente do Colégio de Médicos de Nueva Esparta, relatou 15 casos de malária confirmados distribuídos em Mariño, Antolin del Campo e municípios Garcia, áreas não endêmicas do agravo. Os casos são autóctones, entre indígenas, caracterizando a entrada do agravo em outras regiões.
Fonte:http://www.analitica.com/actualidad/actualidad-nacional/se-eleva-a-15-los-casos-de-malaria-entres-municipios-neoespartanos/

Cólera, Moçambique
Duas pessoas morreram e mais de 1.200 outras foram afetadas na sequência de um surto de cólera que eclodiu em janeiro em Moçambique. As mortes foram registadas na província de Tete, centro do país, e na cidade Maputo, no sul. Porém o maior número de casos de cólera foi registado em Nampula, somando 454 doentes dos 1.222.
Fonte:http://observador.pt/2017/03/14/dois-mortos-e-1-222-doentes-devido-a-um-surto-de-colera-emmocambique/
http://portocanal.sapo.pt/noticia/116868

Caxumba
A caxumba é uma doença viral, contagiosa, que causa febre e inchaço das glândulas salivares. A disseminação da doença pode acontecer até mesmo antes do aparecimento dos sintomas. A circulação da doença se dá em todo o mundo, principalmente no outono e inverno. Na Austrália, o surto de caxumba já chega a 89 casos só em 2017. Ano passado os casos chegaram a 804. A situação causa preocupação e desconfiança da efetividade prolongada da vacina, já que 27% dos casos eram jovens já vacinados na infância. No Brasil, hoje, temos o sul de Minas Gerais como a região com o maior índice de caxumba em Minas Gerais. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, foram registrados 419 casos da doença este ano no estado, sendo que 232 foram notificados somente na região. Em todo o ano de 2016, foram registrados 165 casos e agora, nos dois primeiros meses do ano, já são 100 novos casos.
Fonte:https://www.whitsundaytimes.com.au/news/worst-virus-outbreak-20-years-affecting-youngpeop/3154400/
http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2017/03/sul-de-minas-e-regiao-com-maior-indice-decaxumba-em-minas-gerais.html

(informamos que a permanência da ativação dos links não está sob nosso domínio)

Anúncios