Últimas Notícias – Febre Amarela

  • 16 de Fevereiro, 2018

PAHO: O relatório destaca a ocorrência de epizootias em áreas muito próximas aos centros urbanos do sudeste brasileiro e o avanço da onda epizoótica em direção a região sul do Estado de São Paulo. Caso o padrão observado há uma década se repita, países vizinhos como Argentina e Paraguai podem ser atingidos por esta onda. Em São Paulo, 57% dos casos confirmados apresentaram o provável local de infecção em uma área rural do município de Mairiporã, localizada a 15 quilômetros da área norte da cidade de São Paulo. No Rio de Janeiro, 45% dos casos confirmados são residentes dos municípios de Valença e Teresópolis, este último localizado a 96 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro. Em Minas Gerais, 47% dos casos confirmados residem nos municípios localizados ao sul e sudeste da cidade de Belo Horizonte, onde nenhum caso humano tinha sido detectado durante o surto no período sazonal 2016/2017.
No Peru, entre as semanas epidemiológicas 1 e 4 de 2018, foram relatados três prováveis ​​casos de febre amarela, um dos quais confirmado laboratorialmente sem histórico de viagem. Os dois primeiros casos são residentes da cidade de Pucallpa, departamento de Ucayali, área considerada em risco de febre amarela.
Fonte: https://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/2018-feb-16-phe-epi-update-yellow-fever.pdf

  • 15 de Fevereiro, 2018

IEC-MS: O Instituto Evandro Chagas (IEC/SVS/MS) detectou, pela primeira vez no Brasil, o vírus da Febre Amarela em Aedes albopictus, os mosquitos foram coletados em áreas rurais dos municípios de Itueta e Alvarenga (MG) durante a epidemia de 2017. “Esse achado é importante porque o A. albopictus pode vir a estabelecer um ciclo intermediário (rural) da Febre Amarela nas Américas, semelhante ao que ocorre na África”, afirma o diretor do Instituto Evandro Chagas, Dr. Pedro Vasconcelos. É importante destacar que novos estudos são necessários para confirmar a capacidade vetorial do A. albopictus, o simples encontro do vírus no mosquito não significa necessariamente que ele está desempenhando o papel de vetor da Febre Amarela.
Fonte: http://www.iec.gov.br/portal/descoberta/

  • 28 de Dezembro, 2017

SES-SP: De Julho de 2017 até o momento, foram confirmados 347 PNH. A transmissão se manteve na região de Campinas, com 242 animais em 19 municípios. Observa-se a expansão do vírus para novas áreas como o Município de São Paulo, região de Sorocaba e seis Municípios da Grande São Paulo (Cajamar, Caieiras, Mairiporã, Franco da Rocha, Guarulhos e Itapecericada Serra).
Figura 1. Distribuição de PNH confirmados segundo o município de ocorrência. Estado de São Paulo – 2016/2017.

epizootias spFonte: http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-por-vetores-e-zoonoses/doc/famarela/fa17_2612boletim_epidemiologico.pdf

  • 13 de Dezembro, 2017

PAHO: Desde o último relatório, em 27 de Outubro, apenas Brasil e Peru reportaram novos casos. No Peru, até a SE 44, foram reportados 17 casos (incluindo 3 óbitos), a maior parte  das ocorrências concentra-se na região de Junín. No Brasil,  a expansão do vírus para novas áreas onde não havia sido detectada anteriormente, como o município de São Paulo e os municípios da Grande São Paulo (Cajamar, Caieiras, Mairiporã, Franco da Rocha, Guarulhos e Itapecerica da Serra), indicam risco elevado para a transmissão do vírus para populações não imunizadas.
Fonte:http://www.paho.org/hq/index.php?option=com_docman&task=doc_view&Itemid=270&gid=43186&lang=en

  • 11 de Dezembro, 2017

SES-MG: De julho até o momento 122 municípios registraram epizootias em Primatas Não Humanos, com confirmação de circulação do vírus em 16 municípios.  A Secretaria alerta para a importância da vacinação contra a Febre Amarela, principalmente nos municípios em que a meta de 95% de cobertura vacinal não foi atingida. Apenas as Regionais de Saúde de Teófilo Otoni e Unaí atingiram a meta.
Fonte: http://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/BO%20FA%2006-12-2017.pdf

  • 11 de Dezembro, 2017

SES-SP: Secretaria lança boletim semanal com as atualizações do número de casos e dispersão do vírus pelo Estado. Mais dois municípios da Grande São Paulo registraram epizootias positivas para febre amarela: Guarulhos e Itapecerica da Serra.
Fonte:https://goo.gl/mdBw32

  • 07 de Dezembro, 2017

SES- MG:  Secretaria confirma epizootias por febre amarela nos municípios de Belo Horizonte (no Parque das Mangabeiras), Congonhas, Esmeraldas, Nova Lima e Santana do Deserto, e faz alerta para investigação de morte de macacos e intensificação da vacinação.
Fonte:http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/story/10110-ses-mg-informa-ocorrencia-de-epizootias-por-febre-amarela-em-minas-gerais

  • 04 de Dezembro, 2017

SES-SP: De julho até o momento, a febre amarela foi confirmada em 273 primatas não humanos no Estado de São Paulo, a maior parte das ocorrências manteve-se na região de Campinas (14 municípios), no entanto, observa-se a expansão do vírus para novas áreas como o Município de São Paulo e outros da Grande São Paulo (Cajamar, Caieiras, Mairiporã e Franco da Rocha).
Fonte:http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-por-vetores-e-zoonoses/doc/famarela/fa17_0412boletim_epidemiologico.pdf

  • 24 de Novembro, 2017

OMS: Entre Junho e Outubro de 2017, o estado de São Paulo registrou 71 casos suspeitos. Destes, 2 casos foram confirmados (1 óbito), 6 estão sendo investigados e 63 foram descartados. Os casos confirmados são residentes de Itatiba, região de Campinas, onde desde Julho vem sendo reportados epizootias em primatas não humanos.
Fonte: http://www.who.int/csr/don/24-november-2017-yellow-fever-brazil/en/

Anúncios